menu
Partilhar

Por que meu cachorro agarra meu braço com a boca?

 
Por Eduarda Piamore, Técnica em psicologia, educação e adestramento canino e felino. 30 novembro 2023
Por que meu cachorro agarra meu braço com a boca?

Ver fichas de  Cachorros

Gostamos muito de ver o quanto nossos cães se divertem brincando, especialmente quando são jovens, pois têm energia de sobra para compartilhar. No entanto, às vezes observamos comportamentos incomuns em nossos cães que nos preocupam, especialmente quando podem estar associados a um problema de comportamento complexo, como a agressividade. Por exemplo, se você se pergunta por que seu cachorro agarra seu braço com a boca ou por que o morde enquanto brinca, antes de interpretar esses comportamentos como um sinal de que ele está ficando agressivo, é importante ter em mente que existem vários fatores que podem fazer com que o cão se comporte dessa maneira, e muitos deles estão relacionados ao seu processo de educação e socialização.

Para ajudar a entender melhor o comportamento do seu cachorro, convidamos você a continuar lendo este artigo da PeritoAnimal, no qual iremos responder a seguinte pergunta: "por que meu cachorro agarra meu braço com a boca?". Pronto para começar?

Também lhe pode interessar: Por que meu cachorro lambe meu rosto?

Comportamento exploratório

Saiba que isso é comum em filhotes, então, se você se pergunta por que seu filhote agarra seu braço, este é o motivo! Na primeira etapa de suas vidas, os filhotes naturalmente exibem uma série de comportamentos exploratórios que lhes permitem começar a interagir com seu ambiente, estímulos e indivíduos presentes, o que inclui você e os outros membros de sua família. É por isso que eles são mais propensos a levar à boca ou morder praticamente qualquer coisa, inclusive o braço, as mãos ou os pés de seus tutores enquanto brincam.

O que fazer?

Estamos falando de um comportamento natural e esperado, que faz parte do processo de crescimento e desenvolvimento físico, cognitivo e sensorial de todos os cães, independentemente de sua raça, tamanho ou cor. Portanto, como tutores responsáveis, não devemos tentar inibir esse comportamento exploratório, muito menos repreendê-lo com repreensões ou castigos, pois é inerente à natureza e à forma de ser dos cães. O melhor é nos concentrarmos em direcionar o comportamento para recursos mais apropriados, para que nosso filhote possa se desenvolver plenamente e com segurança, sem causar danos colaterais aos familiares ou à casa.

Além disso, é fundamental não separar prematuramente os filhotes de sua mãe e seus irmãos, esperando sempre que completem o período de desmame. Isso ocorre porque, durante as primeiras semanas de vida, a mãe não apenas alimenta seus filhotes e os estimula a fazer suas necessidades fisiológicas, mas também ensina as bases do comportamento social e da comunicação dos cães, o que é fundamental para prevenir problemas de aprendizado e comportamento na idade adulta, incluindo o desenvolvimento de comportamentos agressivos associados às brincadeiras. Para mais dicas nesse sentido, recomendamos a leitura do seguinte artigo: "Meu cachorro é muito bruto brincando - Causas e soluções".

Troca de dentes

Deve-se ter em mente que, durante sua infância, os filhotes passam por dois grandes períodos de mudanças na dentição. Quando ainda são recém-nascidos, nascem os primeiros dentes de leite que, em algum tempo, deverão cair para dar lugar aos dentes definitivos, adaptados à alimentação de um cão adulto. Em ambos os períodos, mas principalmente no segundo, o filhote sentirá desconforto ou até mesmo dor e tentará aliviá-los mordendo o que encontrar em seu caminho. Portanto, isso também pode explicar por que seu filhote agarra seu braço com a boca ou mordisca suas mãos, seja brincando ou em outras circunstâncias.

O que fazer?

A troca de dentes também é um processo natural que faz parte do desenvolvimento do filhote. Por isso, não devemos repreendê-lo por tentar aliviar o desconforto que está sentindo, mas sim ajudá-lo a lidar da melhor forma possível.

Quando falamos de um filhote que morde tudo com o ímpeto de aliviar o desconforto causado pelas mudanças em sua dentição, é importante oferecer mordedores ou brinquedos que ele possa morder sem se machucar.

Para mais orientações sobre o tema, confira nosso artigo sobre quais são "Os melhores brinquedos para filhotes de cachorro". Além disso, é importante verificar regularmente a boca do filhote para identificar qualquer complicação (embora não seja algo muito frequente) e, se necessário, consultar um veterinário. Para mais detalhes, não deixe de ler o seguinte artigo: "Cachorro com dor de dente - Como identificar e tratar?".

Por que meu cachorro agarra meu braço com a boca? - Troca de dentes

Mordidela de afeto falsa

As causas anteriores são comuns em filhotes, mas quando falamos de um cachorro jovem ou adulto, devemos considerar outras razões. Em termos gerais, quando um cachorro já nessa faixa etária agarra o braço de seus tutores com a boca ou morde suavemente as mãos ou os pés, associamos esse comportamento ao seu processo de aprendizado ou à necessidade de chamar a atenção de seus tutores para transmitir ou solicitar algo. No entanto, se estivermos lidando com um cachorro que morde com força ou começa a mostrar outros sinais de agressividade nas interações com seus tutores, outras pessoas ou animais, é importante considerar causas mais complexas que podem estar relacionadas ao estresse e a doenças subjacentes.

Agora, se nos depararmos com uma mordida suave, é muito provável que seja uma mordidela de afeto! O fato de os cães darem "mordidinhas de amor" não é uma ilusão de alguns tutores, mas sim uma das formas que os cachorros têm de nos dizer que nos amam. Nesse caso, o cão é extremamente cuidadoso ao pegar o braço de seu tutor com a boca, pois não tem a intenção de machucar nem reage com o propósito de se defender. Estamos falando de um mordiscar muito suave que, quase sempre, causa mais cócegas do que dor.

Aprendizagem involuntária

Se o seu cachorro agarra seu braço com a boca ou morde durante uma brincadeira, há grandes chances de que, de maneira involuntária, você o tenha ensinado quando ele era filhote que isso é aceitável, ou seja, que essas são maneiras perfeitamente OK de interagir com você e demonstrar sua alegria e prazer em certas ocasiões (por exemplo, durante uma brincadeira ou ao fazer carinho).

Na prática, o que acontece é que, se você acha fofo ou inofensivo que seu filhote te morda ou agarre seu braço com a boca e permite que ele faça isso repetidamente, seja durante o jogo ou em outras circunstâncias, é muito provável que ele assimile esse comportamento como parte de sua maneira de ser e de interagir com os outros. O problema surge quando o filhote cresce e se torna um cão adulto com uma mordida forte e que não aprendeu os limites da brincadeira, pois você reforçou ao longo de sua infância que comportamentos como morder ou rosnar são aceitáveis em contextos nos quais não deveriam ser.

Como resolver o problema?

Nossa melhor recomendação é que não sejam incentivados em um filhote comportamentos que você não deseja ver refletidos no comportamento de um cão adulto. Assim, se não quiser que seu cachorro te morda durante a brincadeira ou agarre seu braço com a boca, não use suas mãos ou pés como presas em jogos que simulam um contexto de caça, nem permita que seu braço se torne um objeto de mordida para seu filhote. Opte por oferecer brinquedos e/ou mordedores apropriados para seu tamanho e idade, assim como um ambiente enriquecido onde ele possa gastar energia e testar seus sentidos de forma segura para todos.

Além disso, sempre que durante a brincadeira seu cachorro te morder ou agarrar o braço com a boca, diga um "NÃO!" firme, interrompa imediatamente o jogo e ofereça a ele um brinquedo que ele possa morder. Essa ação é muito mais eficaz do que apenas repreender, pois permite que você indique de maneira clara e objetiva ao seu cachorro que morder não faz parte da brincadeira, ao mesmo tempo em que ensina que ele deve reservar suas mordidas para os recursos especificamente destinados a esse fim (brinquedos ou mordedores). Por outro lado, sempre que ele brincar de maneira amigável, sem te machucar ou mostrar qualquer tipo de comportamento agressivo relacionado ao jogo, lembre-se de oferecer um petisco para reforçar o comportamento desejado e continuar motivando-o a se comportar bem. Para mais dicas nesse sentido, não deixe de dar uma olhada no seguinte artigo: "Filhote de cachorro mordendo e rosnando: o que fazer".

Problemas de socialização

Além de poder permanecer com a mãe até completar o período de desmame, é muito importante que os filhotes tenham acesso a uma socialização adequada para aprender a se relacionar de forma mais amigável com uma variedade de ambientes, indivíduos e estímulos. Dessa forma, uma socialização inadequada/ausente pode levar o cachorro jovem ou adulto a reagir mordendo em determinadas situações.

O ideal é começar a socializar seu filhote nos primeiros meses de vida (preferencialmente antes do terceiro ou quarto mês), pois este é o ápice do período crítico de sua socialização, no qual ocorre o reconhecimento das espécies amigas.

O que fazer?

Uma boa socialização precoce é fundamental para que seu filhote desenvolva confiança e possa exibir um comportamento mais estável e seguro ao longo de toda a vida. Dessa forma, ele terá um maior número de recursos para gerenciar suas próprias emoções e aprenderá a se relacionar com todo o seu ambiente (inclusive com os indivíduos e estímulos presentes), deixando a agressividade como o último recurso ao qual só deveria recorrer em contextos extremos, onde sua integridade e bem-estar estivessem em risco. Neste artigo, explicamos como socializar um filhote de cachorro corretamente.

Por outro lado, socializar um cão adulto não só é possível (desde que se tenha paciência), mas também altamente recomendável para favorecer uma boa convivência dentro e fora de casa. Então, se você não teve a oportunidade de realizar a socialização do seu cão em idade mais oportuna, não deixe de dar uma olhada em nosso guia sobre como socializar um cachorro adulto.

Chamar a atenção

Nossos cachorros podem ser muito insistentes e recorrer tanto a vocalizações (latidos, por exemplo) quanto a gestos ou ações diretas (empurrar nossas mãos com seu focinho, pegar nosso braço com a boca, nos chamar com as patas, etc.) quando desejam chamar nossa atenção. Essa busca por atenção pode ter várias causas, mas geralmente expressa um pedido que o cão quer ou precisa satisfazer com certa urgência.

Por exemplo, se seu cão está com fome, pode latir porque quer comer; se precisa fazer suas necessidades, pode mostrar a coleira e a guia para que o leve para passear; se esteve muitas horas sozinho em casa e você não lhe dá atenção a ele quando volta, pode pegar seu braço com a boca para incentivá-lo a brincar e dedicar um tempo a ele, etc. Portanto, se você se pergunta por que seu cão agarra seu braço com a boca e puxa, é provável que seja por esse motivo.

O que fazer?

Se estamos lidando com uma necessidade pontual (por exemplo, fome que leva seu cão a pedir comida), a solução a curto prazo consiste, logicamente, em fornecer os recursos necessários para satisfazer essa necessidade e restaurar o estado de bem-estar do animal. No entanto, as soluções a longo prazo podem variar dependendo da causa do comportamento, embora a ideia geral seja antecipar as necessidades básicas do seu cão para proporcionar uma boa qualidade de vida e evitar que ele sinta a necessidade de chamar sua atenção frequentemente para lembrar que quer ou precisa de algo. Nesse sentido, vale a pena prestar atenção às seguintes dicas:

  • Crie um hábito alimentar, ou seja, estabeleça a quantidade de comida, o número de refeições diárias e os horários de alimentação do seu cão (preferencialmente desde de filhote). Isso evitará que seu cão sinta desconforto devido à fome e tenha a necessidade de pedir comida. Além disso, independentemente do tipo de dieta que escolher, certifique-se de que sua alimentação atenda completamente aos requisitos nutricionais de cada etapa de sua vida para evitar deficiências nutricionais que, entre outros problemas, podem aumentar significativamente a fome;
  • Mantenha uma boa rotina de passeios diários. Isso facilita o cachorro a ter um peso saudável e um comportamento mais estável dentro e fora de casa. No mais, reduz as chances de seu cão ter que chamar sua atenção com comportamentos exagerados sempre que sentir a necessidade de se exercitar e fazer suas necessidades;
  • Busque ter um tempo de qualidade com seu cão. Seu amor, afeto e companhia também são recursos-chave para o bem-estar do seu cão, e a solidão pode afetar negativamente seu comportamento e até mesmo sua saúde. Por isso, se quiser ter um companheiro obediente, equilibrado e amigável, não deixe de dedicar um tempo todos os dias para demonstrar carinho, apresentar jogos de inteligência ou simplesmente aproveitar juntos um bom descanso.
Por que meu cachorro agarra meu braço com a boca? - Chamar a atenção

Estresse

Outro contexto em que seu cachorro pode agarrar seu braço com a boca ou até mesmo mordê-lo sem uma razão aparente é quando ele se sente estressado e precisa liberar de alguma forma a tensão acumulada. Como resultado, podem surgir uma série de comportamentos estranhos, problemas de comportamento associados à destrutividade ou até mesmo sinais de agressividade em casos mais complexos (principalmente quando se trata de estresse crônico).

Embora um cão possa estar estressado por diferentes razões, os sintomas de estresse são mais frequentes em cães que levam uma rotina sedentária ou passam muito tempo sozinhos em um ambiente pouco enriquecido, onde não conseguem encontrar maneiras positivas de aliviar essa tensão e exercitar seu corpo e mente enquanto estão sozinhos. E é importante lembrar que o estresse impacta negativamente não apenas no comportamento dos cães, mas também em sua saúde, tornando-os mais vulneráveis a uma série de doenças.

O que fazer?

A melhor maneira de combater o estresse e outros fatores de risco associados ao sedentarismo é investir em um bom enriquecimento ambiental, ou seja, garantir que sua casa tenha uma boa variedade de brinquedos, estímulos e recursos que despertem a curiosidade do seu cão e permitam que ele se exercite e se divirta, principalmente quando você não está em casa para levá-lo para passear ou brincar com ele. Se você não sabe por onde começar, no PeritoAnimal, contamos o que é o enriquecimento ambiental para cães e como implementá-lo em sua casa. Além disso, convidamos você a conhecer outras boas práticas e remédios naturais para acalmar um cachorro estressado.

Agressividade

Antes de tudo, é fundamental esclarecer que a agressividade não é uma característica do comportamento ou da personalidade de nenhum cachorro. Trata-se de um problema de comportamento muito complexo que pode estar relacionado a diversas causas, que vão desde uma socialização ruim e exposição sistemática à violência e/ou estresse, até problemas de saúde, doenças ou traumatismos que causam dor, assim como sintomas neurológicos que alteram o comportamento habitual do cão.

Logo, se você acredita que seu cão está se tornando agressivo, a primeira coisa a fazer é levá-lo ao veterinário para descartar qualquer causa patológica e a necessidade de iniciar um tratamento. Em seguida, seria interessante buscar a ajuda de um especialista em etologia canina ou de um educador canino para avaliar o comportamento e o histórico do seu cão e estabelecer diretrizes de manejo compatíveis com suas necessidades específicas. No PeritoAnimal, também compartilhamos alguns conselhos valiosos sobre como lidar com um cão agressivo.

Agora que você conhece as diferentes razões que podem explicar por que seu cão agarra seu braço com a boca, não deixe de observar todo o seu comportamento para encontrar a causa exata e tratá-la o mais rápido possível.

Por que meu cachorro agarra meu braço com a boca? - Agressividade

Se deseja ler mais artigos parecidos a Por que meu cachorro agarra meu braço com a boca?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas de comportamento.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Por que meu cachorro agarra meu braço com a boca?
1 de 4
Por que meu cachorro agarra meu braço com a boca?

Voltar ao topo da página