Doenças mais comuns nos cachorros

Doenças mais comuns nos cachorros

Se a sua intenção é adotar um novo pet ou se já tem um, é fundamental que esteja informado sobre as doenças mais comuns que o seu cachorro pode sofrer para preveni-las de forma eficaz. O método mais eficaz de prevenção consiste em visitar o veterinário com regularidade e ter a vacinação do animal em dia.

De seguida, pode encontrar uma lista com informação básica sobre as doenças mais comuns nos cachorros.

Desparasitação do cachorro

É muito importante desparasitar o seu cachorro regularidade para evitar problemas para ele e para toda a sua família. Esses hóspedes alojam-se no organismo do cachorro provocando, quando em excesso, casos graves. Se tem um filhote, deve ficar atento pois são mais vulneráveis a ataques de parasitas que os cachorros adultos.

Podem ser divididos em dois grupos:

  • Parasitas externos: Neste grupo estão, basicamente, incluídas as pulgas, os carrapatos e os mosquitos. A prevenção mais adequada consiste em em colocar uma coleira no cachorro e aplicar doses líquidas de pipetas a cada mês e meio ou a cada três meses, de acordo com a recomendação do fabricante. É comum aplicar o remédio após o banho do cachorro. Pode encontrar pipetas e coleiras antiparasitárias em lojas de animais ou no centro médico do seu cachorro. Para detectar parasitas externos no cachorro, basta observá-lo e verificar se se coça em excesso. Uma simples olhada no seu pelo é suficiente para revelar a presença de pulgas ou carrapatos. Se não estiver seguro, pode usar um pente semelhante ao usado para remover piolhos dos seres humanos.
  • Parasitas internos: Este grupo é composto por dois tipos de vermes, lombrigas e vermes achatados. Para prevenir o seu aparecimento, recomendamos que dê um comprimido ao cachorro a cada três meses (na dose indicada do produto que comprar) como controle de rotina. Encontrará este produto em lojas de animais e no seu veterinário habitual. Os sintomas dos parasitas gastrointestinais incluem vômitos frequentes, gemidos e propensão a comer em excesso (embora seja possível observar um emagrecimento súbito).

Se não sabe como tratar algum desses problemas ou caso verifique que a situação é grave, leve o cachorro ao veterinário de imediato.

Doenças parasitárias

Além dos parasitas mencionados anteriormente, existem outros que provocam casos realmente graves:

  • Leishmaniose: São parasitas transmitidos através da picada de mosquito que se multiplicam nos glóbulos brancos do cachorro. Os sintomas incluem emagrecimento, febre, anemia, artrite, entre outros. Devemos estar atentos e prevenir esta doença no nosso pet! Não existe tratamento para curar a leishmaniose mas, com uma detecção rápida da doença, é possível melhorar a qualidade de vida do cachorro.
  • Sarna: A sarna é uma doença de pele causada por ácaros. Existem dois tipos diferentes de sarna - a sarna sarcótica e a sarna demodécica - sendo esta uma doença parasitária que se transmite muito facilmente, embora tenha tratamento. Em alguns casos graves, pode deixar marcas para o resto da vida do cachorro.
  • Toxoplasmose: É um parasita intracelular que acarreta, geralmente, um risco leve, excepto quando afeta o feto da fêmea. Pode ser identificado através de sintomas neuromusculares, respiratórios e gastrointestinais. A maioria dos casos aparece em cachorros com menos de um ano. Tem tratamento fácil.

Doenças virais

Existem doenças que são provocadas por diferentes vírus, como por exemplo:

  • Coronavírus: É uma doença viral e infecciosa que afeta todo o tipo de cachorros, especialmente os que não foram vacinados. Pode ser detetado no momento em que se verificas diarreia abundante, vômitos e até perda de peso no cachorro. Não existe vacina para isso, será o veterinário quem neutraliza os sintomas que a doença provoca.
  • Hepatite: Afeta, principalmente, o fígado e pode ter diferentes causas, como a viral. O tratamento principal é baseado no alívio dos sintomas e, caso não se cure, pode tornar-se crônica e provocar insuficiência hepática.
  • Cinomose: É uma doença muito contagiosa que afeta, principalmente, cachorros jovens não vacinados ou idosos. Não existe nenhum tratamento, por isso o veterinário administra uma série de cuidados ao cachorro infetado para neutralizar os sintomas da cinomose. A doença pode ser identificada por secreção nasal além de outros sintomas como febre ou desidratação.
  • Parvovírus: É raro afetar cachorros adultos vacinados. Este vírus mortal aparece especialmente em filhotes e tem uma duração de dez dias. Se o filhote não é tratado nessa fase, a doença leva à morte. Assim como quase todas as doenças víricas, o parvovírus não conta com um antídoto concreto, sendo que o tratamento se baseia em tentar aliviar os sintomas do animal, que incluem depressão, febre e desidratação.
  • Raiva: Conhecida e temida, a raiva é uma doença tremendamente leta. É transmitida através de mordeduras e contato direto com as mucosas ou saliva. Pode ser identificada por uma violência extrema sem qualquer tipo de provocação. Existe uma vacina antirrábica que deve ser administrada quando o animal ainda é filhote pois, uma vez infetado, o cachorro é condenado à morta, não existindo vacina para isso.

Doenças hereditárias

São aquelas que se desenvolvem graças à própria herança genética do cachorro:

  • Displasia de quadril: Desenvolve-se ao longo do tempo, a partir dos 4 ou 5 meses de idade embora, geralmente, só apareça em cachorros com idade avançada. Afeta cachorros grandes ou gigantes, gerando um coxear ou uma dificuldade motora. Embora seja um problema hereditário e degenerativo, alguns fatores como o crescimento rápido, a alimentação em excesso ou o exercício físico podem agravar o problema.
  • Reumatismo: Afeta as articulações e a cartilagem das mesmas, sendo uma doença degenerativa. Os sintomas incluem rigidez, inflamação e dor. O veterinário pode prescrever glucosamina, condroitina e outros tratamentos que aliviam e melhoram a sua condição.

Confira também nosso artigo sobre cachorro com Síndrome de Down existe?

Doenças mentais

Embora sejam menos frequentes, não é por isso que se deve esquecer que existem doenças mentais:

  • Epilepsia: É uma descarga eletroquímica do cérebro que pode aparecer em qualquer momento. As crises repetem-se por, praticamente, toda a vida do cachorro doente. Os episódios podem ser controlados com medicação receitada pelo veterinário.

Doenças bacterianas

Causadas por bactérias, este tipo de doenças podem ser tratadas com o uso de antibióticos:

  • Leptospirose canina: É transmitida através da urina e tanto cachorros como ratos podem ser portadores, armazenando a bactéria de forma crônica sem desenvolver a doença. Se não for tratada a tempo, pode causar a morte do pet. Alguns dos sintomas são a febre, diarreia, vômitos com sangue e urina escura.
  • Periodontite: Afeta o periodonto (gengiva, tecido, osso e ligamentos) e é derivada da formação de tártaro e placa, o que torna possível a proliferação de bactérias. Pouco a pouco, essas bactérias invadem a cavidade onde se localiza a raiz do dente e acabam provocando infecções graves ou perda de dentes. A melhor forma de evitar esta doença é a prevenção.
  • Piometra: É uma infecção bacteriana que se caracteriza pelo aparecimento de pus dentro da cavidade do útero ou matriz. Os sintomas incluem secreções de pus através da vagina. Antigamente, o tratamento era unicamente cirúrgico, removendo os ovários ou o útero da cachorra. Hoje em dia, contamos com medicamentos que tornam possível estudar o problema antes da cirurgia.

Outros doenças comuns nos cachorros

Além das mencionadas anteriormente, existem outras doenças como por exemplo:

  • Torção gástrica: É uma doença aguda com um prognóstico muito grave. As causas que provocam a rotação do intestino são desconhecidas. Para evitar que o seu cachorro sofras uma torção gástrica, evite refeições grandes de uma só vez, água em excesso e comer antes ou depois do exercício.
  • Alergias cutâneas: Assim como as pessoas, os cachorros também podem sofrer de alergias. Deve ser cuidadoso e consultar o veterinário se observar que o seu cachorro é alérgico a alguma substância.
  • Diabetes: O açúcar faz parte da lista de alimentos proibidos para o cachorro, não só por promover o aparecimento de cegueira como por também provocar diabetes. Consulte o seu veterinário para conhecer o tratamento que o seu cachorro necessita caso verifique sede excessiva, emagrecimento, cataratas, aumento de apetite e aumento na frequência urinária.
  • Criptorquidia: Consiste na descida incompleta de um ou dois testículos. Deve ser diagnosticada o mais cedo possível e requer intervenção cirúrgica. Tem, em alguns casos, origem hereditária.
  • Otite: É a inflamação do ouvido interno, médio ou externo. Pode ser provocada por alergias, bactérias, parasitas ou corpos estranhos. O seu veterinário poderá investigar a comichão, a vermelhidão ou infecção que o seu cachorro pode ter, limpando a zona cuidadosamente e oferecendo um tratamento que varia de acordo com o agente que provocou o problema.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Doenças mais comuns nos cachorros, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Prevenção.