Partilhar

Cachorro com gases - remédios naturais

Cachorro com gases - remédios naturais

Ver fichas de  Cachorros

Infelizmente, os problemas gastrointestinais têm uma incidência muito alta nos animais de estimação. Dentre as queixas digestivas mais comuns nos cães, encontramos a formação excessiva de gases. Embora o cheiro possa ser desagradável, a preocupação real está nas possíveis causas das flatulências caninas.

O seu cão tem muitos gases? Sem dúvida, você deve consultar rapidamente o veterinário da sua confiança para conhecer o estado de saúde do seu melhor amigo e confirmar as causas desse distúrbio gastrointestinal. Neste novo artigo do Perito Animal, você vai aprender alguns remédios naturais para cachorros com gases, contudo, não se esqueça que o veterinário é o único profissional devidamente capacitado para prescrever um tratamento específico e apropriado ao seu animal de estimação.

Gases intestinais em cachorros, porque acontece?

As possíveis causas dos gases no trato digestivo dos cães são diversas, mas, elas sempre aparecem como um sintoma de que o seu organismo apresenta algum desequilíbrio. Portanto, é essencial ir rapidamente ao veterinário para saber por quê o seu cão tem muita flatulência. Para mantê-lo informado, resumimos abaixo as principais causas dos gases nos cães.

  1. Dieta e hábitos alimentares: em geral, os problemas gastrointestinais estão relacionados a uma dieta desequilibrada ou maus hábitos alimentares. Um cão guloso e/ou um cachorro que come muito rápido, geralmente, ingere uma grande quantidade de ar durante a alimentação, o que facilita o desenvolvimento de problemas digestivos. Além disso, uma dieta que contenha uma ingestão excessiva de carboidratos e cereais também favorece a formação de gases nos cães. Devemos estar muito atentos à composição dos alimentos que oferecemos ao nosso peludo. Os produtos de baixa qualidade, em geral, contêm pouca proteína animal e muitas farinhas de cereais, como milho, soja e arroz. Esta é uma maneira econômica, porém, não responsável de atingir a porcentagem mínima de proteína necessária para uma ração de cães balanceada. Além disso, estes cereais causam uma alta fermentação no sistema digestivo dos animais, dando origem a gases excessivos. Portanto, se você optar por alimentar o seu melhor amigo com rações prontas, lembre-se sempre de escolher produtos de alta qualidade (linha Premium).
  2. Alergias: As alergias são muito frequentes nos cães e podem interferir no seu processo digestivo. Alguns alimentos, como ovos, laticínios, frango e cereais, estão entre as principais causas de alergias alimentares nos cães. As respostas hipersensíveis do sistema imunológico geralmente causam reações na pele, desconforto no estômago e formação de gases intestinais. Nestes casos, pode ser prudente realizar alguns dos testes de alergia para cães com o nosso veterinário.
  3. Patologias: muitas doenças podem levar à concentração de ar e inchaço na região abdominal dos cães. Nestes casos, observamos que o cão tem gases e não os expele. Além disso, os parasitas intestinais são frequentemente uma causa de gases nos cães.

Para poder iniciar um tratamento eficaz e saber como eliminar os gases no cão, é essencial conhecer as suas causas específicas, o que será determinado após a realização de testes para o diagnóstico em um centro veterinário. Uma vez determinada a origem do problema, o especialista recomendará um tratamento ou outro. Por isso, se você observou gases nos seus cães e outros sintomas alarmantes, procure o veterinário.

Cachorro com gases, o que fazer?

Como mencionamos, o tratamento específico para a flatulência do cão deve ser prescrito por um veterinário, após identificar a causa desse problema gastrointestinal. O profissional pode considerar apropriado incluir suplementos naturais e receitas caseiras para a recuperação do animal. Mas, o que podemos dar ao cachorro se tiver gases?

Aqui estão alguns remédios para gases caseiros em cães:

  • Probióticos: os alimentos probióticos contêm um conjunto de bactérias benéficas (como os lactobacilos) que são encontradas naturalmente na flora intestinal dos cães. A presença desses microrganismos ajuda a melhorar o metabolismo digestivo e otimiza a absorção de nutrientes. Eles também colaboram para fortalecer o sistema imunológico e prevenir a proliferação de bactérias patogênicas no trato digestivo. O ideal é oferecer fontes naturais de probióticos ao seu cão, como iogurtes e kefir, sem açúcar ou conservantes. A dose recomendada é de 1 colher de sopa por 20 kg de peso corporal, de 2 a 4 vezes por semana.
  • Prebióticos: os prebióticos são fibras e substâncias vegetais não digeríveis que servem como alimento para as bactérias benéficas da flora intestinal. Contribuem para equilibrar a flora intestinal e fortalecer o sistema imunológico, melhorando a digestão e evitando problemas gastrointestinais. Os prebióticos e probióticos têm uma ação complementar no corpo, contudo, não devem ser administrados ao cão no mesmo dia. Você pode encontrar prebióticos como suplementos naturais na maioria das lojas de produtos naturais.
  • Cúrcuma: os cães não só podem comer a cúrcuma, como também se beneficiam muito com a sua ingestão controlada. Além das suas reconhecidas propriedades anti-inflamatórias, anti-glicêmicas e antioxidantes, a cúrcuma também é um excelente aliado da digestão. A sua ação no corpo permite estimular a atividade do estômago, melhorar o trânsito intestinal e prevenir a formação de gases nos cães. Lembre-se sempre de respeitar a dose máxima de 60 mg. por dia, entre 3 e 4 vezes por semana.
  • Canela: a canela, além de perfumada e deliciosa, oferece muitos benefícios para a saúde dos cães. Esta espécie é altamente valorizada por suas propriedades anti-glicêmicas, anti-inflamatórias, antibacterianas e antifúngicas. Como se não bastasse, também facilita a digestão, acalma espasmos musculares e previne a formação de gases estomacais. No entanto, devemos respeitar a dose diária de ½ colher de chá (café) para evitar uma sobredose e ação anticoagulante excessiva no organismo do animal.
  • Camomila: camomila é uma das ervas mais requintadas e benéficas para cães. A sua infusão ajuda a aliviar dores de estômago, amenizar os sintomas do estresse ou nervosismo e facilita o processo digestivo. Você pode oferecer 2 colheres (sopa) de infusão de camomila ao seu amigo peludo para evitar a formação de gases estomacais. Experimente este chá para gases do seu cachorro.
Cachorro com gases - remédios naturais - Cachorro com gases, o que fazer?

Prevenção: o melhor remédio para gases em cachorros

Embora os gases nos cães sejam frequentemente diagnosticados, eles não devem ser entendidos como "algo normal". Um animal que libera gases com mau cheiro tem um problema gastrointestinal que pode derivar da sua dieta ou de alguma patologia subjacente e deve receber atenção veterinária para estabelecer um tratamento eficaz. Além disso, o cão pode sentir dor se sofre de gases excessivos.

Portanto, impedir a formação de gases é essencial para preservar a boa saúde do seu melhor amigo. Aqui estão algumas dicas para evitar gases em cães:

  • Escolha sempre um alimento de ótima qualidade (alta gama) como base da dieta do seu pequeno companheiro. Estes alimentos equilibrados devem conter carne desidratada de alta qualidade e fácil digestão para garantir um excelente suprimento de proteína animal e evitar os problemas digestivos.
  • Tenha muito cuidado com os alimentos que você incorpora na dieta do seu cão, e nunca dê sobras de comida ou alimentos humanos proibidos para cães. Alguns vegetais, como brócolis e a couve-flor, assim como a maioria das ervilhas, são difíceis de digerir e produzem uma alta fermentação no trato digestivo, favorecendo a formação de gases. Leite e ovos em excesso também não são recomendados e podem causar alergias.
  • Verifique como o seu amigo peludo ingere a comida. Se ele come com muita rapidez, isso significa que uma enorme quantidade de ar entra no seu trato digestivo. Alimentar o seu cão com um kong geralmente é muito eficaz na redução da ansiedade ao comer e evita a formação de gases. Você também pode fazer uso de alimentadores anti-voracidade. Também é importante que o tamanho do alimento seja adequado ao tamanho e idade do animal; Se os croquetes são muito pequenos, os cães poderão engolir sem mastigar.
  • Proporcione um ambiente positivo e seguro para o seu cão comer tranquilamente. O estresse e os sentimentos negativos são terríveis para o processo digestivo e também afetam o sistema imunológico dos nossos cães.
  • Evite exercitar o seu cão antes ou depois da refeição. Após caminhar, correr e brincar, o cão ficará muito ativo, por isso, é provável que ele coma rápido e não mastigue. Portanto, espere entre 40 e 60 minutos para alimentar o seu cão após um passeio ou para levá-lo a passear depois do almoço. Além disso, passear com o cachorro ou se exercitar logo após a refeição pode facilitar o aparecimento de uma torção do estômago, uma patologia que pode ser fatal.
  • Ofereça uma medicina preventiva adequada ao seu cão durante toda a sua vida. Visitas regulares ao veterinário (a cada 6 meses), boa nutrição, vacinação e desparasitação são essenciais para prevenir todos os tipos de doenças e manter a boa saúde do seu melhor amigo.
Cachorro com gases - remédios naturais - Prevenção: o melhor remédio para gases em cachorros

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Cachorro com gases - remédios naturais, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas intestinais.

Escrever comentário sobre Cachorro com gases - remédios naturais

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Neuci
Ótimo,minha pinscher Kiara tem gases.Vou usar desses chás pra ela.Obrigada pela dica.

Cachorro com gases - remédios naturais
1 de 3
Cachorro com gases - remédios naturais

Voltar ao topo da página