menu
Partilhar

Doenças da coluna vertebral em cachorros

 
Por Laura García Ortiz, Veterinária especializada em medicina felina. 4 fevereiro 2023
Doenças da coluna vertebral em cachorros

Ver fichas de  Cachorros

A coluna vertebral dos cachorros é a parte do esqueleto constituída por vértebras que dá suporte ao corpo e que se estende desde o pescoço até a cauda, sendo 7 vértebras cervicais, 13 torácicas, 7 lombares, 3 sacras e, dependendo da raça do cachorro, serão mais ou menos o número das vértebras caudais que constituem a cauda.

As alterações na coluna vertebral como os problemas vertebrais ou das articulações entre as vértebras podem também repercutir na medula espinhal, que é a principal conexão com o encéfalo e o eixo central do sistema nervoso e que os atravessa, podendo dar lugar a uma sintomatologia muito desconfortável para nossos companheiros de vida caninos.

Se você deseja conhecer mais sobre as principais doenças ou problemas da coluna vertebral nos cachorros, siga lendo este artigo do PeritoAnimal onde trataremos os problemas mais frequentes nesta parte tão importante da anatomia dos nossos amigos caninos.

Trauma da articulação atlantoaxial

Esse tipo de trauma ocorre quando há uma afetação da mobilidade da articulação entre as primeiras vértebras cervicais de cachorros, ou seja, a atlas e a axis. Estas estruturas permitem que o cachorro possa girar a cabeça sobre a coluna vertebral.

Este problema pode aparecer quando a cabeça do cachorro é forçada para baixo devido a traumatismos e que produz uma ruptura dos ligamentos, ainda também pode ser devido a algum problema congênito mais frequente nas raças miniaturas, por falhas de ossificação, como:

O principal sinal clínico deste problema de coluna nos cachorros é a dor do pescoço, sendo mais o mais precoce e leve e que pode se manifestar com a queda da cabeça.

Além de o cachorro ficar com dor na coluna, se a medula espinhal é afetada ocorrem déficits proprioceptivos que evoluem para déficit motor das quatro extremidades (tetraplegia) e pode aparecer uma paralisia motora que pode conduzir a uma morte por hipoventilação e asfixia.

O diagnóstico diferencial deste problema deve ser realizado com uma doença do disco cervical, uma meningomielite ou uma discoespondilite principalmente e o tratamento pode ser:

  • Tratamento conservador: com colares imobilizadores do pescoço, analgésicos, corticoides de ação curta e repouso.
  • Tratamento cirúrgico: para estabilizar a articulação ou descomprimir a medula, dependendo da gravidade do quadro.

Espondilopatia cervical

Na espondilopatia cervical ocorre a compressão da medula cervical devido a problemas como:

  • Instabilidade vertebral
  • Estenose do canal vertebral
  • Protusão dos discos intervertebrais
  • Outros problemas de tecidos moles da área da coluna cervical.

Este problema de coluna aparece com uma maior frequência em raças grandes como:

Um cachorro com este problema na coluna tem como sintomatologia desde uma suave ataxia ou incoordenação motora dos membros posteriores até uma paralisia das quatro extremidades ou tetraplegia, começando frequentemente com déficit dos membros anteriores antes que os posteriores e acompanhados frequentemente de intensa dor cervical.

A suplementação com cálcio pode ser uma causa devido a redução da reabsorção óssea que induz uma estenose ou estreitamento do canal cervical. O tratamento pode ser cirúrgico já que com o conservador é insuficiente dada a complexidade desta doença da coluna vertebral canina.

Não deixe de conferir o seguinte artigo sobre a Paralisia em cachorros: causas e tratamento.

Doenças da coluna vertebral em cachorros - Espondilopatia cervical
Imagem: Clínica Veterinária Sagrada Família

Discopatias

As principais discopatias ou problemas dos discos intervertebrais nos cachorros são a protusão ou a extrusão do material discal dentro do canal vertebral (hérnias discais) ou a degeneração dos discos intervertebrais podendo causar sinais leves incluindo dor de coluna, paresia e ataxia e graves como a paralisia ou a perda da função sensitiva posterior à lesão.

Os discos intervertebrais se encontram entre as vértebras, unindo-as, e rodeados de ligamentos que lhes dão suporte. Possuem uma função de atuar como almofadas intervertebrais para absorver e amortecer as forças de choque, permitir os movimentos e unir as vértebras da coluna para formar um conjunto.

Degeneração discal

A degeneração dos discos invertebrais é mais frequente nas raças que são condrodistróficas como o daschshund, o beagle ou o pequinês, apresentando-se com maior prevalência entre os 3 e os 6 anos de idade. Quando ocorre a degeneração, se perde a elasticidade e pode calcificar.

Dependendo da localização ao longo da coluna vertebral dos cachorros, a sintomatologia terá variações. É muito mais frequente que ocorra na coluna vertebral torácica ou lombar, embora que em 14-16% dos casos pode ocorrer na área cervical produzindo:

  • Dor de pescoço.
  • Espasmos musculares.
  • Paresia ou paralisia dos membros, especialmente os pélvicos.

As degenerações torácicas e lombares constituem até 86% dos casos e são mais frequentes entre as vértebras torácicas 11 e 12 e na lombar 1 e 2, cursando com sintomas como dor na lombar, incoordenação de movimentos e paresias dos membros pelvianos ou posteriores.

O tratamento será cirúrgico ou conservador dependendo do caso, especialmente se o cachorro manifesta ou não problemas de locomoção.

Hérnia discal

As hérnias discais consistem em uma compressão da medula espinhal devido a saídas do disco (extrusão discal em cachorros) ou o abaulamento do mesmo (protusão discal em cachorros).

Produzem alterações derivadas da disfunção da medula e muita dor, além de outros sinais clínicos como:

  • Incoordenação motora.
  • Paralisia.
  • Arrastamento de membros ou movimentos com dificuldade.
  • Problemas ao esvaziar a bexiga ou defecar.

O tratamento pode ser cirúrgico e conservador para descomprimir a medula afetada. As hérnias de disco em cachorros seguem a classificação de Hansen e as podemos dividir em três tipos:

  • Hérnia de Hansen tipo I: aparecem nas pequenas raças condrodistróficas de coluna comprida e pernas curtas, como o dachshound, o cocker spaniel, o pequinês e o poodle toy e ocorre uma degeneração condróide do núcleo pulposo com possível calcificação do mesmo, provocando uma extrusão ou saída do disco até canal medular, comprometendo-o de forma focal e aguda. Estas hérnias podem ser secundárias a traumatismos como quedas, saltos ou golpes bruscos.
  • Hérnia de Hansen tipo II: ocorre nas raças grandes não condrodistróficas como o labrador, o pastor alemão, o bóxer ou o rottweiler em idades de 5 a 12 anos e desenvolvendo uma protusão de forma gradual do anel fibroso do disco por degeneração crônica (metaplasia fibrosa). Esta compressão da medula é focal, mas lenta e progressiva.
  • Hérnia de Hansen tipo III: são as hérnias mais graves em que ocorre uma rápida mielomalácia progressiva por extrusão severa e aguda não compressiva em que o material sai do anel fibroso até o canal medular de forma brusca e gerando inflamação que em muitos casos podem derivar em morte do cachorro afetado. Pode aparecer após traumatismos graves como atropelamentos, golpes ou quedas fortes de grande altura.

Talvez você se interesse em conferir o seguinte artigo sobre Hérnia de disco em cachorros: sintomas, tratamento e recuperação.

Doenças da coluna vertebral em cachorros - Discopatias

Alteração lombossacra

Os problemas de coluna em nível da área lombossacra são muito diversos, incluindo a síndrome da cauda equina, a estenose lombossacra ou a doença lombossacra. Tratam-se de doenças da coluna vertebral em cachorros que aparecem por:

  • Mal formações.
  • Degenerações.
  • Compressões.
  • Infecções.
  • Inflamações.
  • Alterações no crescimento.
  • Problemas de circulação.

A cauda equina se denomina a parte terminal da medula espinhal e suas raízes nervosas adjacentes, o que pode estar sobre a vértebra lombar 5 ou 6 embora nos cachorros pequenos se pode prolongar até a vértebra lombar 7 ou a primeira sacra.

Os sintomas mais frequentes envolvidos em problemas de coluna lombossacra são:

  • A dor de dorso: que repercute em que o cachorro se mostre resistente a exercitar-se ou realizar certos movimentos como saltar, subir escadas ou levantar-se caso esteja deitado.
  • Claudicação dos membros pélvicos: devido a dor intensa provocada pela compressão do nervo ciático e dor quando levantam a cauda.

Conforme avança a doença, vai diminuindo a propriocepção, o que causa que o cachorro afetado arraste os dedos e as unhas dos membros posteriores uma vez que ocorra a ataxia ou incoordenação motora e incontinência fecal e urinária. O tratamento pode se realizado com o uso de anti-inflamatórios e repouso ou por cirurgia, dependendo do caso.

Agora que você já conhece as quatro principais doenças que afetam a coluna vertebral dos cachorros, não deixe de visitar este post do PeritoAnimal sobre a cachorro com dor na coluna: causas e tratamento.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Doenças da coluna vertebral em cachorros, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Referências

Zaldívar, J. E., Sáez L. Enfermedad de la columna vertebral en el perro. Disponible en: https://clinicaveterinariacolores.com/2015/12/21/enfermedad-de-la-columna-vertebral-en-el-perro/

Bibliografia
  • J. Cerón, M.J. Fernández, C. García, M. Hervera, S. M. Angulo, D. Pérez, C. Pérez, G. Santamarina. (2016). Manual clínico de medicina interna en pequeños animales I. ESVPS, Ed. SM Publishing Ltd. Sheffield, UK.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Doenças da coluna vertebral em cachorros
Imagem: Clínica Veterinária Sagrada Família
1 de 3
Doenças da coluna vertebral em cachorros

Voltar ao topo da página