Partilhar

O que fazer com um cão medroso adotado

Por Vanessa Lopes, Redatora do PeritoAnimal. Atualizado: 9 janeiro 2017
O que fazer com um cão medroso adotado

Ver fichas de  Cachorros

Adotar um cão é uma grande responsabilidade, especialmente se o animal em questão é desconfiado ou medroso. Deve ter claro que deve redobrar as precauções visto que o seu comportamento reflete insegurança e medo.

Entre outras coisas, deve saber que precisa de paciência e carinho, algo fundamental para tratar este problema de forma eficaz. Também é importante se inteirar de como o deve tratar e cuidar, pois trata-se de uma educação muito diferente.

Descubra neste artigo do PeritoAnimal o que deve fazer com um cão adotado que é medroso. Não se esqueça de comentar e compartilhar suas experiências para que outras pessoas possam também seguir os seus conselhos e truques.

Também lhe pode interessar: Como cuidar de um gecko leopardo

Identificar as atitudes de um cão medroso

É provável que você relacione um cachorro medroso com certas posturas corporais: cauda baixa e orelhas para trás. No entanto, é importante referir que existem outros gestos próprios de cachorros com medo. É fundamental entendê-los e conhecê-los para identificar as situações incômodas para ele e começar a trabalhar a partir daí.

Sinais que nos indicam que um cão está assustado:

  • cauda baixa
  • cauda entre as pernas
  • orelhas para trás
  • orelhas muito inclinadas
  • corpo curvado
  • deitar-se
  • esconder-se
  • encolher-se
  • posições de submissão
  • tremer
  • deixar cheirar as suas partes
  • lamber a boca em excesso
  • urinar em situações incômodas
  • movimentos da cauda agitados
  • tentar sair correndo
  • bocejar em excesso
  • ficar num canto

Também é muito importante entender que não é a mesma coisa um cachorro com medo e um cachorro submisso. Apesar de poderem compartilhar certos comportamentos como deitar-se ou deixar-se cheirar. Um cachorro bem socializado poderia ser submisso com as pessoas e com outros cachorros na tentativa de se relacionar.

O que fazer com um cão medroso adotado - Identificar as atitudes de um cão medroso

Conforto e bem-estar

A primeira coisa será transmitir confiança ao nosso cachorro a todo o momento. Nunca o vai vencer se o repreender em excesso ou utilizar atitudes inapropriadas para comunicar com ele. Deve tentar que ele se tranquilize e demonstre atitudes positivas e sociais.

É muito importante entender que alguns problemas relacionados com o medo podem chegar a persistir por toda a vida do cachorro, no entanto, a maioria deles podem se resolver com paciência e carinho. Cumprir com as cinco liberdades do bem-estar animal será fundamental para começar a trabalhar.

Tente ganhar a confiança do animal com o reforço positivo: felicite-o quando tiver atitudes sociais e positivas utilizando guloseimas, carícias e palavras amáveis. Nunca o deve obrigar relacionar-se ou a fazer determinadas coisas, deixe que surja de forma natural e espontânea por iniciativa do cachorro. Caso contrário, arrisca-se a que ele sofra de ansiedade, mais medo e estresse.

O que fazer com um cão medroso adotado - Conforto e bem-estar

As causas do seu medo

Se não conhece a história do cachorro que adotou, então demorará um tempo a identificar do que tem medo: se de outros cachorros, pessoas, objetos e inclusive da rua. Deve ser paciente nesta fase para tentar entendê-lo.

  • Medo das pessoas: Se o seu cachorro tem medo das pessoas é porque muito provavelmente sofreu algum tipo de maltrato no passado. Especialmente neste caso devemos ser muito pacientes tentando ganhar sua confiança com guloseimas, snacks, carícias e palavras amáveis. Nunca o force a interagir com quem não quer, deixe que ele mesmo comece a superar o seu medo de forma progressiva. Ao invés de tentar forçar uma situação, pode incentivar os seus amigos e familiares a reunir-se com ele para lhe oferecer pequenos pedaços de fiambre para começar a confiar nas pessoas (incluindo estranhos).
  • Medo de outros cachorros: O medo de outros cachorros, no geral é causa de uma má socialização na sua fase de filhote, embora também possa ter passado por uma má experiência no passado. Descubra porque o seu cachorro tem medo de outros cachorros no nosso artigo e, como o tratar e resolver de forma eficaz e gradual.
  • Medo de vários objetos: Seja por desconhecimento ou por falta de socialização, o seu cachorro pode ter medo de certos objetos que incluímos no dia-a-dia, como bicicletas, carros, motos, lixeira... são muitas as possibilidades. O tratamento será muito parecido ao do caso anterior, deve habituar o seu pet à presença destes objetos enquanto pratica, por exemplo, ordens básicas de adestramento. Desta forma, começará a relaxar na sua presença. Permanecer próximo da causa do seu medo com uma atitude positiva e relaxada é um sinal de que estamos fazendo bem (embora seja por pouco tempo).
  • Outros: O seu cachorro pode ter medo de outros pets, ambientes ou de várias coisas ao mesmo tempo. Seja o que for, pode se tratar de forma eficaz se recorrer a um etólogo, uma pessoa parecida ao psicólogo mas do mundo canino. O especialista é que melhor pode nos ajudar a superar este problema de forma eficaz.
O que fazer com um cão medroso adotado - As causas do seu medo

O que devemos fazer

De forma geral explicamos o que fazer em cada um dos casos. Deve entender que com paciência e carinho pode resolver os medos do seu pet, no entanto, quem melhor o pode ajudar é um profissional.

Porquê? Por vezes, nós como donos, não percebemos algumas atitudes que o cachorro tenta compartilhar conosco. Seja um educar canino ou etólogo, o profissional conhece cachorros que passaram por situações muito parecidas e que lhe ajudarão com conhecimento. Também lhe proporcionará dicas adequadas para trabalhar com ele sem a sua presença.

O que fazer com um cão medroso adotado - O que devemos fazer

Tem algum truque ou conselho para compartilhar com a comunidade do PeritoAnimal? Sabe quais são as dicas para ter um cachorro saudável e feliz? Nós explicamos tudo! Não hesite em comentar e enviar fotos do seu pet!

Se deseja ler mais artigos parecidos a O que fazer com um cão medroso adotado, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas de comportamento.

Conselhos
  • Nunca deixe o seu cachorro medroso sem a trela na rua, pois pode fugir.
  • Nunca o obrigue a fazer algo que não quer.
  • Seja paciente e utilize guloseimas para ganhar a sua confiança.

Escrever comentário sobre O que fazer com um cão medroso adotado

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
6 comentários
Joandison
Olá,
Adotei uma chow-chow de 11 meses, há 2 dias, mas ela geralmente fica assustada, se esconde quando tento me aproximar e não está se alimentando. Até mesmo quando ofereço guloseimas.
Cristiane
Ola Boa tarde
Meu nome Cristiane , adotei uma cachorrinha ela veio com chip castrada, mas desde quando peguei ela não quer entrada dentro de casa, tudo tem medo, quando abre o portão ela já foge para outro portão para ir para rua, vive sempre deitada, se chamamos para brincar ela não corresponde, até para entra tive que pegar na patinha para por pra dentro, sempre com medo , vai sempre para direção do portão.
Ela era de canil, só dorme
Administrador PeritoAnimal
Oi Cristiane. Sua cachorrinha parece ter traumas antigos, pode ter sido maltratada antes de dar entrada no canil. Você já testou as orientações do artigo? É preciso muito amor e paciência, mas com vontade a gente consegue. Abraço!
Marco Antonio
Eu e minha esposa adotamos uma cachorrinha de rua com 2 meses de idade. Nessa época eu ainda trabalhava em Natal-RN. Após 5 meses “convivendo de longe” com a Amora (nome da cadela) , me mudei para o Rio e fomos morar juntos, nós 3. Vale ressaltar que nesses 5 meses a Amora criou um laço afetivo muito forte com o meu sogro. Ao chegar no apartamento novo, a amora não sai debaixo da cama, mal come e bebe e vive com medo, rabo entre as pernas e tremendo. Por vezes levamos ela para a casa dos meus sogros e ela volta ao normal, brincalhona, arteira, enfim, vive normalmente, ao voltar para o apartamento ela volta a ter muito medo. Como vocês poderiam me ajudar?
Nídia do Carmo (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Marco Antonio. A mudança de casa afeta muito os cachorros, como você pode ver nesse artigo: https://www.peritoanimal.com.br/como-a-mudanca-de-casa-afeta-os-cachorros-21309.html Recomendamos que você consulte um etólogo, especialista em comportamento canino, para ajudar sua Amora. Tudo de bom para vocês!
A sua avaliação:
Fabio Rinaldi
Olá! Peguei uma cachorrinha de 1 ano e meio, abandonada e que ficou um tempo num abrigo. Quando ela chegou aqui em casa ela ficou atrás da porta, na entrada e não saiu mais. Aos poucos ela parece confiar, mas será que ela esta ficando a vontade? Ela não sai do lugar! Ela já bebeu agua e comeu. Passear na rua ela morre de medo, treme muito!
Isabela
Olá.
Adotei uma cadela filhote do canil aqui na região onde moro. Foi me dito que ela estava em uma estrada quando resgataram.
Acontece que desde que a peguei ela é muito medrosa. Principalmente com barulho próximo a ela.
Gostaria de saber o que fazer para amenizar o medo dela em relação aos sons. E também como agir para deixar ela sozinha em casa. Pois quando saiu ela faz muito barulho e isto já está chateando os vizinhos.
Ana Maria Caieiro Campana
Minha cachorrinha tem 3 anos. Foi encontrada na rua com prováveis três meses de vida. Desde bebê, quando saio para o trabalho a Fifi vai para a sua casinha confortável e tem espaço adequado e protegido. Ainda quando bebê eu a trazia de noite para dentro de casa e confesso: errei ao ensiná-la a dormir em minha cama. Certa noite me levantei e ao voltar ela me avançou. A coloquei no espaço onde fica durante o dia e assim vivemos. Quando estou em casa ela tem acesso total e, às vezes, quando chove ou faz frio, a trago para dentro de casa e, claro, dorme comigo. No entanto, quando pensei que não fosse mais me morder, ficou pior. Recentemente associou alimento à mamãe vai trabalhar, por isso, alterei o horário de refeição, mas ela come e corre pra minha cama... Meu coração está partido, pois a culpa de sua criação errada é minha, mas agora não sei como reverter a situação. Preciso de ajuda e agradeço demais se recebê-la. Fraterno abraço
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Ana Maria! O seu caso me parece um caso complicado de agressividade por questões territoriais. Aconselho a leitura destes artigos: https://www.peritoanimal.com.br/cao-agressivo-causas-e-tratamento-6100.html e https://www.peritoanimal.com.br/10-conselhos-para-evitar-mordida-de-cachorro-22219.html

O que fazer com um cão medroso adotado
1 de 6
O que fazer com um cão medroso adotado

Voltar ao topo da página