Partilhar

Castração de gatos e cachorros

Por Bruno Gomes, Médico Veterinário. 22 fevereiro 2018
Castração de gatos e cachorros

Cuidar bem de nossos fieis companheiros já é rotina para aqueles que decidem ter um cão ou um gato de estimação, porém, alguns cuidados são necessários para que eles possam gozar de boa saúde e tenham uma vida confortável ao nosso lado. A castração, tanto em machos como em fêmeas, se torna quase uma regra quando falamos de bem-estar animal, no entanto, esse assunto vem acompanhando de muitos mitos e verdades, vamos falar um pouco sobre eles.

A castração, tecnicamente é a retirada cirúrgica dos órgãos responsáveis pela reprodução nos animais, no caso do macho é retirado o testículo, órgão responsável pela produção e maduração dos espermatozoides, e nas fêmeas, são retirados os ovários e o útero, que são responsáveis pela maduração dos óvulos e sustentação da gestação, respectivamente. Além de produção e maduração dos gametas, essas glândulas também são as produtoras dos hormônios sexuais Estrogênio e Testosterona, que além de estimularem a libido sexual também são importantes na modulação do comportamento animal.

O ato de castrar o animal de estimação é quase unanimidade entre os tutores e médicos veterinários, o grande motivo de discussão nesse ponto é justamente os riscos e benefícios desse procedimento. Neste artigo do PeritoAnimal vamos te falar sobre alguns mitos e verdade da castração de gatos e cachorros. Continue lendo!

Benefícios da castração de cães e gatos

Castrar acalma o cachorro e o gato e reduz Fugas

Sabemos que as fugas, além de colocar o animal em risco, é um dos principais fatores que propiciam atropelamentos, brigas e envenenamentos, manter um animal longe das ruas é sem dúvidas uma das principais formas de cuidado dos nossos fieis companheiros. A diminuição dos níveis de hormônios após a castração reduz significativamente as fugas por diminuir a necessidade instintiva de explorar novos ambientes ou procurar parceiros para reprodução.

Modula a agressividade

A agressividade pode fazer parte da personalidade de seu pet, e de fato não depende somente dos hormônios sexuais, e sim, uma junção de fatores como o tipo de criação, educação dada pelos gestores, exposição aos humanos e outros animais desde cedo, entre outras. Porém, é comprovado que a diminuição dos hormônios sexuais com a castração modula o comportamento agressivo, principalmente nos machos, além de manter o animal mais calmo e menos hiperativo. Por isso podemos afirmar que castrar acalma a cadela e o cachorro. O mesmo se aplica aos felinos, castrar acalma o gato.

Reduz a marcação territorial

A marcação territorial é um ato instintivo muito forte nos animais, marcar território significa mostrar aos outros animais que aquele lugar já tem dono, um dos grandes problemas da marcação territorial são os danos que a urina dos animais pode causar em casa, além de propiciar brigas e estresse em outros animais do mesmo convívio, com a castração esse habito é diminuído e em muitas vezes até mesmo anulado. Por esse motivo muitas vezes se aconselha castrar um gato que marca território. Leia o nosso artigo completo sobre os benefícios de castrar um gato.

Castrar evita Câncer

Assim como nós humanos, nossos pets também podem ter câncer, e o câncer de mama, útero e testículos estão entre os mais frequentes, a castração além de prevenir esses tipos de câncer, também previne alterações hormonais bruscas durante o envelhecimento.

Evita a Superpopulação

Esse sem dúvidas é um grande problema em nossas cidades, a superpopulação de animais de rua pode ser diretamente combatida com a castração, uma fêmea errante tanto felina quanto canina, em poucos anos podem gerar dezenas de filhotes e criar uma arvore genealógica imensa.

Castrar aumenta a Longevidade

A ausência dos órgãos reprodutores contribuem com uma melhor qualidade de vida, pois além de não sobrecarregar o metabolismo também se ausenta do risco de câncer e infecções que poderiam trazer sérios problemas para nossos fieis companheiros.

Mitos sobre castrar

Castrar engorda

O aumento de peso após a castração ocorre simplesmente por um desequilíbrio energético, a necessidade energética de um animal sem os órgãos reprodutores é muito menor em comparação com um animal que ainda os tem, isso porque a reprodução assim como a produção de hormônios necessita de uma grande quantidade de energia. O grande vilão nessa história acaba sendo o tipo de dieta e não a castração propriamente dita, uma vez que o animal que foi castrado necessita de menor quantidade de alimento para satisfazer suas exigências metabólicas normais, então o segredo é justamente adequar a alimentação e ter uma rotina de exercícios após o procedimento, evitando assim a obesidade e problemas secundários que possam surgir.

Animal castrado muda o comportamento e se torna preguiçoso

Assim como no exemplo anterior, a castração também não é responsável por este fator, o animal se torna sedentário quando seu peso aumenta devido a uma superalimentação, um animal castrado mantem os mesmos hábitos, porem necessita sempre de estímulos e de uma dieta balanceada de acordo a suas novas necessidades.

É um ato doloroso e cruel

Este, sem dúvidas, é um dos maiores mitos sobre a castração, isso porque quando realizada por um médico veterinário, sempre ocorrera sob anestesia e seguindo todos os procedimentos de segurança. Por isso, a resposta às perguntas "castrar cachorro dói?" e "castrar gato dói?" é não!

É preciso que a fêmea tenha ao menos uma gestação

Muito pelo contrário do que se acredita, quando realizado antes, a castração além de ser mais segura também previne com maior exatidão o aparecimento futuro de tumores de mamas e desequilíbrios hormonais.

O macho perde a “masculinidade”

Mais um mito, pois o termo masculinidade é retratada sim para humanos e não para animais, pois os animais veem o sexo como forma de reprodução e não como prazer, portanto seu pet não deixará de ser mais ou menos macho pelo fato de ser castrado.

Castração de gatos e cachorros - Mitos sobre castrar

Devo castrar meu cachorro e o meu gato?

Agora que já comparamos os mitos e verdades sobre a castração, fica claro a quantidade de benefícios que ela traz aos nossos amigos de quatro patas, uma conversa com o veterinário do seu pet é sempre bem-vinda para sanar dúvidas e tomar a melhor decisão para nossos fieis companheiros.

Para saber a idade ideal para castrar um cão leia o nosso artigo sobre essa matéria. Se por outro lado você tem um gato, também temos um artigo sobre a melhor idade para castrar um gato macho e idade ideal para castrar uma gata.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Castração de gatos e cachorros, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Prevenção.

Escrever comentário sobre Castração de gatos e cachorros

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
A sua avaliação:
Aline
Olá É verdade que quando se castra um animal ele deve comer somente ração pra animais castrados?
Bruno Gomes
Olá Aline, é verdade sim, a alimentação é o principal fator de cuidado após a castração, isso porque ao ser castrado o animal demanda uma menor quantidade de energia, ficando assim propicio ao ganho excessivo de peso, raçoes convencionais também podem ser fornecidas, porém, sempre em uma quantidade diária menor que a utilizada para cães não castrados.
A sua avaliação:
Evaldo Nunes Spínola
Eu tenho 3 gatos, sendo um macho e duas fêmeas, e todos são castrados, porém, na hora de comprar a ração eu me esqueci de conferir a embalagem e comprei ração comum ao invés de ração para gatos castrados. Tem algum problema se eu der esta ração para eles e voltar a dar a ração para castrados quando ela acabar ?
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Evaldo! Embora seja menos adequada não lhes faz mal se for dada por agora. Você apenas não deve esquecer que a transição não pode ser brusca. Deve ser muito gradual, adicionando a percentagem da nova ração pouco a pouco até ao final de algumas semanas comer apenas a ração nova.

Castração de gatos e cachorros
1 de 2
Castração de gatos e cachorros

Voltar ao topo da página