Parasitas intestinais em cães - Sintomas e tipos

Parasitas intestinais em cães - Sintomas e tipos

Os cães, tal como os gatos e inclusive os humanos, podem sofrer da presença de vermes no seu intestino. Estes parasitas provocam condições gastrointestinais que podem ser muito incômodas para o seu cachorro. Além disso, são muito difíceis de detetar e em alguns casos podemos não ser conscientes de que o nosso cachorro está com parasitas.

Por este motivo, é importante que desparasite o seu cachorro tanto de forma interna como externa de forma regular. Assim, evitará possíveis infestações no cão ou inclusive o contágio para humanos em determinados casos.

Se deseja saber mais sobre este tema, neste artigo do PeritoAnimal poderá ficar a conhecer os parasitas mais comuns que podem afetar o seu cachorro e informação útil para saber como os combater. Descubra tudo sobre os parasitas intestinais em cães de seguida.

Tipos de parasitas intestinais

Normalmente os parasitas alojam-se no intestino do animal mas também podem, em fases avançadas afetar outros órgãos como o coração ou os pulmões. Existem inúmeros tipos mas todos se englobam em dois tipos: as tênias e as lombrigas.

Tênias

Existem vários tipos dentro deste grupo. Todas se alojam no intestino delgado. As pulgas no cachorro são hóspedes intermediários destes parasitas. Se o seu cachorro ingerir pulgas infetadas ficará contagiado. Por este motivo é importante que além da desparasitação interna realize de forma regular desparasitações externas.

Outras tênias podem estar presentes nas carnes cruas ou vísceras de animais como as vacas. Uma boa alimentação é importante para prevenir a presença destes parasitas. Se alimentar o seu cachorro com comida caseira evite as carnes cruas ou pouco cozinhadas.

Lombrigas

As larvas adultas podem medir entre 4 e 17 cm e uns 2 mm de diâmetro. Podem ser observadas a olho nu nas fezes do animal, embora nem sempre seja possível.

O seu contágio ocorre normalmente pela ingestão de ovos ou larvas presentes no solo ou nas fezes de um animal infetado. São muito resistentes às condições ambientais e podem sobreviver vários meses no exterior.

As lombrigas que afetam com maior frequência os cachorros são as Ascaris (Toxocaríase). Podem ser encontradas tanto em cachorros como em gatos e podem contagiar também o ser humano.

Para evitar o contágio devemos evitar a todo o momento entrar em contato com as fezes do animal. Os cachorros parasitados podem nos transmitir este parasita através das suas lambidelas. Por este motivo, é muito importante a higiene do nosso cachorro, como da sua cama e outros locais onde passe tempo.

Prevenção

A desparasitação interna do nosso cachorro deve começar desde cedo:

  • Os filhotes devem estar livres de parasitas antes de cada vacinação. A partir da segunda semana de vida comece a desparasitação. A cada 2 semanas até que o filhote tenha 12 semanas de vida. Depois deve ser a cada 3 meses. O mais adequado é consultar o seu veterinário para planejar o calendário de vacinações e quando o deve desparasitar.
  • Os cães adultos devem ser desparasitados a cada 3 meses. Assim eliminará todos os possíveis parasitas presentes. Se o seu cachorro sofre de alguma doença como a Leishmaniose consulte o seu veterinário sobre se é necessário desparasitar com mais frequência. Dependendo da saúde do animal e dos seus hábitos de vida devem ser tomadas precauções especiais.

Também deve ter em conta que, as fêmeas grávidas e os filhotes lactantes podem se contagiar. Se a mãe está parasitada, o filhote ficará contagiado desde o seu nascimento e isto é muito perigoso. Por isso, deve desparasitar corretamente a sua cadela durante toda a gravidez e lactação.

Sintomas dos parasitas intestinais nos cachorros

Os parasitas intestinais são por vezes difíceis de detetar. Por isso, é importante a prevenção, pois um animal infetado pode não mostrar sintomas. Quando a infestação se prolonga no tempo aparecem os seguintes sintomas:

  • Perda de apetite
  • Perda de peso
  • Vômitos
  • Dor abdominal
  • Fezes moles
  • Filhotes com o abdômen inflamado
  • Atraso no crescimento

Se observar sangues nas fezes ou nos vômitos, consulte o seu veterinário de imediato.

Análises e tratamento

A partir de uma análise de fezes o seu veterinário conseguirá detetar possíveis parasitas. Se suspeita que o seu cachorro tem parasitas pode realizar uma análise, pois nunca é de mais prevenir. Apesar de não estar infetado, uma dose de anti-parasitário será bom para termos a certeza de que está totalmente limpo.

Os antiparasitários estão disponíveis em vários formatos, comprimidos, pipetas, injetáveis e xaropes. Escolha o mais adequado para o seu cachorro e administre-o de forma regular a cada 3 meses.

Neste tempo irá certificar-se que acabou com todas as fases dos parasitas que possam estar presentes. A maioria não protege contra futuras infestações, apenas elimina os já existentes. Mas é importante não se esquecer de que de 3 em 3 meses deve administrar-lhe a sua dose. Assim o seu cachorro estará protegido durante todo o ano e poderá seguir a sua vida normalmente.

Descubra mais sobre este tema no nosso artigo sobre remédios caseiros para desparasitar cães.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Parasitas intestinais em cães - Sintomas e tipos, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Desparasitação e vermífugos .