menu
Partilhar

O comportamento dos gatos

 
Por Eduarda Piamore. 6 maio 2021
O comportamento dos gatos

Ver fichas de  Gatos

O comportamento dos gatos compreende sua forma de agir e os hábitos que realizam no seu dia a dia, como a linguagem que utilizam para se comunicar, se relacionar e interagir com os indivíduos e estímulos do seu ambiente. Embora possamos chegar próximo de uma definição lógica sobre o que é o comportamento felino, a verdade é que ainda temos muito para descobrir sobre a natureza dos gatos e suas formas de expressão.

No entanto, sabemos que o comportamento de um gato é influenciado não apenas pelas características inerentes à sua espécie, raça, genética e a personalidade de cada indivíduo, mas também pode variar significativamente de acordo com a educação, o ambiente e os cuidados proporcionados por cada tutor.

Neste artigo do PeritoAnimal, falaremos em detalhes sobre o comportamento dos gatos filhotes e adultos, bem como dos fatores que interferem na formação da personalidade do felino. Desta forma, você poderá melhorar a comunicação e o vínculo com seus gatos, pilares para uma convivência positiva.

Também lhe pode interessar: Como diminuir o odor dos furões

Como a personalidade de um gato é formada

A personalidade e o comportamento dos gatos podem variar enormemente, pois depende de vários fatores. A seguir, falaremos um pouco mais sobre eles:

  • Genética: a personalidade dos gatos está estritamente relacionada com sua herança genética, até 30%, que inclui os traços característicos da raça e dos progenitores. Assim, quando os felinos apresentam uma personalidade assustada, é bem provável que o transmitam aos seus filhos.
  • Socialização: a socialização dos gatos filhotes influencia diretamente na personalidade da sua fase adulta. Este período, que compreende desde as duas até as sete semanas de vida, é considerada uma "fase sensível", pois é onde ocorre o reconhecimento das "espécies amigas". Portanto, durante a socialização dos filhotes, deveremos garantir que interajam de forma positiva com todo tipo de pessoas, animais e ambientes, sem causar estresse nos indivíduos.
  • Aprendizagem: a educação e o ambiente em que se desenvolveram proporcionam aos felinos uma experiência que terá um impacto direto em seu comportamento. Embora a genética e a socialização desempenhem um papel muito importante, a aprendizagem é essencial nos gatos, animais domésticos com habilidades cognitivas muito elevadas.

Assim, cada gato pode apresentar uma personalidade única, mesmo quando falamos de indivíduos irmãos que foram criados juntos e tiveram experiências semelhantes. Embora, alguns comportamentos sejam específicos da espécie, os três fatores que detalhamos anteriormente são aqueles que influenciarão diretamente na personalidade e comportamento dos gatos. É por isso que a tarefa de educar um gato desde pequeno é tão importante.

Neste outro artigo te mostramos como adestar um gato.

O comportamento dos gatos - Como a personalidade de um gato é formada

O comportamento dos gatos de acordo com sua idade

O comportamento dos gatos varia de acordo com a etapa de vida em que se encontrem. Assim, podemos observar que os gatos filhotes são muito mais brincalhões e curiosos, enquanto os gatos idosos tendem a mostrar um comportamento mais calmo ao longo do dia.

A seguir falaremos um pouco sobre o que esperar do comportamento dos gatos em cada etapa:

Comportamento dos gatos filhotes

Os gatos filhotes não nascem com uma personalidade definida, embora, como já mencionamos, existem traços de sua personalidade que estarão associados ao comportamento específico da espécie ou da genética.

Após o nascimento, os gatinhos dependem completamente da sua mãe, até os 9 ou 15 dias de vida, quando começam a ganhar mobilidade. Ao mesmo tempo, ocorre o início de seu período de socialização, portanto, nesta etapa será imprescindível socializar os gatos filhotes de forma positiva.

Deixaremos que interajam com pessoas, animais e elementos do ambiente para que possam se familiarizar com eles, evitando assim o aparecimento de medos ou outros comportamentos indesejados. Tudo isso resultará em um comportamento equilibrado em sua etapa adulta.

Comportamento felino a partir da 4ª semana de vida

A partir de 4 ou 5 semanas, o período de socialização começa a terminar, ao mesmo tempo em que ocorre o desmame progressivo, e começaremos a observar novos comportamentos nos gatinhos. A convivência com sua mãe e irmãos permitirá aprender a linguagem e a comunicação dos gatos, a base de seu comportamento social.

Observaremos que começam a comer sozinhos pequenas quantidades de alimento, a utilizar a caixa de areia e enterrar suas fezes, o aparecimento do grooming (asseio) para si mesmos e para outros indivíduos, a brincadeira social com seus pares, o comportamento predatório e um comportamento social maior em geral.

Neste momento será imprescindível utilizar o reforço positivo (petiscos, palavras amáveis ou carícias) para incentivar os gatos a mostrar os comportamentos que consideramos positivos, tais como utilizar o arranhador, se deixar manipular ou dormir em sua cama. É importante que estabeleçamos com todos os membros da família os comportamentos a serem reforçados, desta forma conseguiremos melhores resultados.

Maturidade sexual

Mais tarde, a partir das 7 semanas de vida e até a puberdade, os felinos iniciam-se no período juvenil, que se caracteriza pelo aparecimento de comportamentos sexuais. Neste momento será essencial ir ao nosso veterinário para nos informar sobre os benefícios para a saúde que a castração dos gatos representa, como a prevenção de certos tipos de câncer ou a marcação com urina dentro de casa.

Comportamento do gato adulto

O comportamento dos gatos adultos será muito influenciado pelas fases de transição, socialização e juventude, mesmo assim, continuarão aprendendo ao longo de sua vida com todas as experiências que lhes forem apresentadas.

Se tivermos garantido experiências positivas, é mais provável que verifiquemos um comportamento equilibrado em nossos gatos, embora isso possa ser ligeiramente influenciado pela raça ou genética. No entanto, não existe um comportamento previsível nos gatos adultos, pelo contrário, cada felino poderá desenvolver sua própria personalidade e temperamento.

Mesmo assim, de forma geral, podemos observar que os gatos adultos são animais territorialistas, que se apegam firmemente à sua rotina como uma forma de preservar seu bem-estar. As mudanças repentinas costumam causar o aparecimento de estresse nos gatos, que afeta não apenas seu comportamento, mas também sua saúde.

Nesta etapa será fundamental continuar estimulando a brincadeira e o comportamento social dos gatos através das atividades diárias e afetuosas. Evitaremos o tédio e as rotinas sedentárias, apostando no enriquecimento ambiental, essencial para a gestão de um comportamento estável e de um peso saudável nos felinos.

Personalidade dos gatos e velhice

Se observarmos mudanças na personalidade dos gatos, iremos ao veterinário com relativa urgência, pois devemos saber que esses animais costumam esconder muito bem a dor, a ansiedade e outros problemas que possam sofrer até que já estejam em um estado avançado. As visitas regulares ao veterinário, a cada seis ou doze meses, serão essenciais para garantir seu bom estado de saúde física e mental, bem como para detectar quaisquer anormalidades imediatamente, antes que se agravem.

A partir dos 10 e dos 12 anos de idade observaremos o aparecimento dos primeiros sintomas da velhice nos gatos, tanto físicos como comportamentais. Nesta etapa, os gatos passam mais tempo descansando, requerem mais cuidados e afeto, não são tão ativos e podem começar a desenvolver problemas de saúde. Será fundamental continuar incentivando as brincadeiras e os hábitos diários, mesmo que por um período de tempo mais curto.

O comportamento dos gatos - Comportamento do gato adulto

Comportamento dos gatos com humanos

Por último (mas não menos importante), falaremos um pouco sobre o comportamento dos gatos com os seres humanos, especificamente sobre a relação que eles têm com seus tutores.

O instinto de sobrevivência dos gatos os leva a seguir uma rotina e defender seu território, mas, além disso, também influencia muito na hora de se relacionar com as pessoas. Em geral, é totalmente normal que os gatos não se aproximem imediatamente de uma pessoa desconhecida, embora, é claro, existam felinos muito sociáveis que gostam do contato com as pessoas.

Os gatos tendem a evitar e se afastar de pessoas que não conhecem, daquelas que são principalmente barulhentas ou as que querem pegá-los. No caso de não poderem fugir e se sentirem encurralados, os felinos podem demonstrar certas advertências, como bufos e rosnados. Se forem ignorados, podem até atacar.

Portanto, ao tentar resgatar ou ajudar os gatos abandonados, será importante ser muito paciente e tentar ganhar a confiança dos felinos para que eles mesmos se aproximem. Descubra também no PeritoAnimal algumas dicas para se aproximar de um gato medroso de forma segura.

Os gatos são independentes

Mas se falamos da relação entre os felinos e seu tutor, já assumimos que se trata de um vínculo baseado em afeto e confiança. É claro que não podemos esperar que os gatos ajam da mesma forma que um cachorro ou um porquinho-da-índia, pois são espécies diferentes.

Por sua vez, os felinos costumam ser animais mais independentes que, muitas vezes, optam por um estilo de vida mais solitário no estado natural, embora os gatos possam formar colônias de gatos, onde cada indivíduo preserva sua autonomia, mas colabora com a sobrevivência de seu grupo.

Portanto, embora os gatos entendam que fornecemos condições ideais para seu desenvolvimento e lhes damos afeto, os gatos não nos veem como referências, como os cães fazem, mas como membros de sua comunidade (ou família, para colocar em temos mais "humanos").

Sendo assim, sua forma de demonstrar afeto aos seus tutores serão muito parecidas às formas que expressam apreço por outros gatos. Para conhecer mais sobre as demonstrações de afeto no mundo felino, no PeritoAnimal mostramos 10 sinais que indicam que seu gato te ama.

Comportamento dos gatos no cio

Para terminar, devemos fazer uma menção especial ao comportamento dos gatos no cio. Devemos saber que os comportamentos são totalmente instintivos e que provocam mudanças no organismo e comportamento. Influenciado pelas horas de luz, clima e outros indivíduos, o cio nos gatos causa certos comportamentos, tais como:

  • Miados
  • Nervosismo
  • Marcação de território
  • Agressividade
  • Tremores
  • Esfregação
  • Etc.

Embora existam alguns métodos anticoncepcionais para gatos que impedem o aparecimento desses sintomas, como a injeção para o cio, devemos saber que também têm efeitos colaterais graves para a saúde. A única maneira eficaz de prevenir completamente é a castração. Consulte seu veterinário para saber mais.

Você também pode se interessar no vídeo a seguir, em que falamos sobre 10 comportamentos estranhos dos gatos:

Se deseja ler mais artigos parecidos a O comportamento dos gatos, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de O que precisa saber.

Bibliografia
  • MACHADO, Juliana Clemente; GENARO, Gelson. Comportamento exploratòrio em gatos domésticos (Felis silvestris catus Linnaeus, 1758): uma revisão. Archives of Veterinary Science, 2010, vol. 15. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/veterinary/article/view/17199>. Acesso em 5 de maio de 2021.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

O comportamento dos gatos
1 de 3
O comportamento dos gatos

Voltar ao topo da página