menu
Partilhar

Cachorro filhote vomitando - Causas e soluções

Por Cristina Pascual, Veterinária. 25 janeiro 2022
Cachorro filhote vomitando - Causas e soluções

Ver fichas de  Cachorros

O vômito é um sinal clínico comum em muitas patologias. Muitas vezes está intuitivamente associado à presença de doenças gástricas, no entanto, existem múltiplas outras causas fora do estômago, mesmo fora do trato digestivo, que podem causar vômitos em filhotes. Entre as principais causas de vômitos em filhotes estão doenças digestivas, patologias e substâncias que estimulam o centro de vômito, e causas psicogênicas como medo, estresse ou dor.

Se você está diante de um cachorro filhote vomitando, recomendamos que leia o seguinte artigo do PeritoAnimal no qual explicamos as principais causas de vômito em filhotes.

Causas de um cachorro filhote vomitando

O vômito é a expulsão ativa do conteúdo do estômago e/ou a primeira parte do intestino delgado através da boca. O vômito está muitas vezes associado de forma intuitiva com a presença de doenças gástricas. Entretanto, existem várias causas fora do estômago, e mesmo fora do trato digestivo, que podem causar vômitos como sinal clínico. A seguir estão as principais causas de um cachorro filhote vomitando:

Doenças digestivas

Essas patologias podem afetar diferentes seções do trato digestivo, incluindo o estômago, o intestino delgado e/ou o intestino grosso. Os distúrbios digestivos que podem causar vômitos em filhotes são:

  • Intestino obstruído: devido à ingestão de corpos estranhos (típico em filhotes muito nervosos) ou transtornos congênitos, como a estenose pilórica. A estenose pilórica é uma doença congênita típica das raças braquicefálicas como o boxer ou o bulldog, que geralmente se manifesta em filhotes de cachorro após o desmame.
  • Infecções entéricas: virais, bacterianas ou parasitárias. Em filhotes, as infecções mais comuns são causadas por vírus como o parvovírus, coronavírus, vírus da distemperose canina ou hepatite viral canina. Esses processos geralmente ocorrem a partir das 6-14 semanas de vida, quando a imunidade materna começa a declinar. Os filhotes também são mais suscetíveis a doenças parasitárias como coccidiose, giardíase e trichuriasis devido a sua imaturidade imunológica.
  • Doenças inflamatórias: podem afetar o estômago (gastrite), intestino delgado (enterite) ou intestino grosso (colite).

Estimulação do centro de vômito

O centro de vômito está localizado no tronco encefálico e regula o mecanismo de vômito. Este núcleo pode ser estimulado por substâncias presentes no sangue ou por algumas patologias, como por exemplo:

  • Patologias neurológicas: tais como encefalite, meningite, edema cerebral, hemorragias cerebrais, aumento da pressão intracraniana, lesões vestibulares inflamatórias, etc. Leia mais sobre encefalite em cachorros, sintomas e tratamento e sobre a meningite em cães, sintomas e tratamentos nestes outros artigos que te recomendamos.
  • Drogas: tais como anestésicos gerais, glicosídeos cardíacos (como a digoxina), drogas anticolinérgicas e drogas eméticas (como a apomorfina).
  • Sustâncias tóxicas: tais como chumbo, zinco ou etilenoglicol em fluidos anticongelantes.

Causas psicógenicas

As causas psicogênicas para um cachorro filhote vomitando incluem medo, estresse e dor. Deve-se notar que os filhotes são particularmente sensíveis a situações estressantes, que podem desencadear vômitos. Além disso, a dor, especialmente a dor relacionada às vísceras abdominais (peritonite, pancreatite, etc.) estimula os receptores da dor e pode provocar vômitos.

Diferença entre vômito e regurgitação

Antes de mais nada, é importante diferenciar um cachorro filhote vomitando de um filhote regurgitando. Portanto, agora iremos analisar as diferenças entre o vômito e a regurgitação:

  • O vômito: é um processo ativo precedido por náuseas e ânsia de vômito. A náusea é difícil de detectar, pois se manifesta apenas por uma leve depressão do animal, hipersalivação e repetidos movimentos de deglutição. A ânsia de vômito, por outro lado, é geralmente mais evidente, pois movimentos inspiratórios profundos com fortes contrações abdominais são normalmente produzidos. O vômito, por outro lado, pode ser diferenciado por ser um conteúdo gástrico ou as primeiras porções do intestino delgado e, portanto, geralmente contém restos de alimentos, bílis e espuma. Além disso, como vem do estômago, ele tem um pH ácido.
  • A regurgitação: é a passagem retrógrada passiva dos alimentos, que não é precedida por náuseas ou vômitos. É um conteúdo que ainda não chegou ao estômago, portanto geralmente contém apenas alimentos misturados com saliva. Além disso, ele tem um pH básico. Este sinal clínico é geralmente indicativo de uma patologia existente no esôfago.

A diferenciação entre vômito e regurgitação pode ser complexa, por isso é importante que você preste atenção a todos os pontos que mencionamos para que você possa fornecer ao veterinário o máximo de informações possíveis. Desta forma, ele será capaz de discernir qual é o sinal clínico específico e saber se é, de fato, um cachorro filhote vomitando ou outro quadro.

Tipos de vômitos em filhotes

Uma vez confirmado que estamos com um cachorro filhote vomitando e não regurgitando, podemos observar algumas características do tipo de vômito que ajudarão a orientar o diagnóstico:

  • Tipos de vômito de acordo com o conteúdo: existem diferentes tipos de vômito de acordo com o tipo de conteúdo, portanto devemos observar se é vômito bilioso (esverdeado devido à presença de bile), fecalóide (com aparência de fezes), se contém alimentos não digeridos ou parcialmente digeridos, se tem vestígios de sangue fresco (vermelho) ou digerido (escuro), e se contém espuma ou muco.
  • Propriedades do vômito de acordo com a duração do processo: podemos falar de um episódio agudo de vômito quando dura menos de 4-5 dias, e de vômito crônico quando dura mais de 5 dias. Processos agudos estão geralmente associados a intoxicação, drogas ou dor visceral, enquanto processos crônicos estão geralmente associados a patologias digestivas, condições neurológicas ou causas psicogênicas.
  • Tipos de vômitos de acordo com a relação com a ingestão de alimentos: devemos verificar se o vômito ocorre imediatamente após comer o alimento, após um período de tempo (geralmente 1-2 horas, embora possa ser mais longo) ou se não parece ter nenhuma relação aparente com o alimento.
  • Distinções do vômito de acordo com a hora do dia em que ocorre: em patologias como a gastrite antral, é típico vomitar com o estômago vazio logo pela manhã.
  • Características da fase de êmese: êmese é a fase em que o conteúdo gástrico é expelido. Devemos prestar atenção nessa fase, pois existem certas patologias que causam vômitos muito explosivos (como a estenose pilórica).

O que fazer se o cachorro filhote estiver vomitando?

Quando o cachorro filhote estiver vomitando, independentemente do tipo de vômito, é importante que você consulte um veterinário o mais rápido possível para iniciar um protocolo de diagnóstico para determinar a causa e estabelecer o tratamento mais apropriado.

O vômito tem uma série de consequências clínicas que podem ser particularmente graves em filhotes de cachorro, pois são animais mais fracos e imaturos. Nesses casos, é importante agir rapidamente, pois atrasar o diagnóstico e o tratamento irá complicar o prognóstico do animal. As principais consequências clínicas do vômito em filhotes de cachorro incluem:

  • Desidratação, desequilíbrio eletrolítico e ácido-basico: o vômito causa perda de fluidos (levando à desidratação) e eletrólitos (principalmente cloreto, sódio e potássio). Além disso, a desidratação provoca acidose metabólica. Veja este post do PeritoAnimal para descobrir os sinais de desidratação em cachorros.
  • Desnutrição e perda de peso: principalmente no caso de vômitos crônicos. Essas consequências podem ser mais graves nos filhotes, pois eles perdem a condição corporal muito rapidamente. Dê uma olhada nesse artigo sobre os cuidados e alimentação de um cachorro desnutrido, para saber mais.
  • Alterações respiratórias: durante o vômito, parte do conteúdo pode ser desviado para as vias respiratórias, causando pneumonia por aspiração. Descubra mais sobre a pneumonia em cachorros, como ela se espalha, cuidados e tratamento neste artigo que te recomendamos.

O que dar para um cachorro filhote vomitando?

Agora entraremos em detalhes sobre o que dar a um filhote de cachorro se ele vomitar e qual a melhor maneira de cuidar dele.

Alimentação

Em termos de dieta, deve-se observar que, na maioria dos casos de vômitos, não é recomendado o jejum, pois isso pode atrasar a recuperação do sistema digestivo. O ideal é estabelecer uma dieta altamente digerível, com pouca gordura e pouca fibra. Para isso, você pode optar por uma dieta caseira (por exemplo, arroz e frango cozido) ou pode usar rações gastrointestinais desenvolvidas especificamente para cachorros com distúrbios digestivos. Independentemente da opção escolhida, é importante distribuir o alimento mais vezes ao longo do dia para evitar sobrecarregar o trato digestivo (isto não significa que a quantidade de alimento deva ser aumentada, apenas distribuída em mais vezes ao dia).

Embora o jejum não seja indicado na maioria dos casos de vômito, há alguns casos muito específicos em que é aconselhável estabelecer uma dieta absoluta (jejum). Nesses casos, estaríamos falando de patologias como, por exemplo:

  • Estenose pilórica ou espasmo pilórico.
  • O esfíncter pilórico do estômago está fechado: neste caso, os alimentos são impedidos de avançar para o intestino. Portanto, o jejum deve ser mantido até que o piloro esteja aberto e permita a passagem dos alimentos.

Devo dar antieméticos a um cachorro filhote vomitando?

Você pode intuitivamente pensar que o vômito pode ser resolvido com a administração de um medicamento antiemético (supressor de vômito). Em alguns casos, como a pancreatite ou alguns tipos de gastroenterite, este pode ser um tratamento sintomático apropriado. Entretanto, em outras ocasiões, a administração de antieméticos a um animal que está vomitando pode ter consequências fatais.

Por um lado, devemos levar em conta que o vômito pode ser um mecanismo de defesa utilizado pelo organismo para eliminar substâncias tóxicas, corpos estranhos ou agentes infecciosos do organismo. Portanto, nestes casos, o uso de antieméticos será contraproducente. Por outro lado, existem patologias como a estenose pilórica em que a administração de antieméticos centrais pode causar a ruptura do estômago. Portanto, você nunca deve administrar um medicamento antiemético ao seu filhote de cachorro se ele não tiver sido previamente prescrito por seu veterinário(a).

Agora que você já sabe as causas e o que fazer em caso de um cachorro filhote vomitando, não perca o vídeo a seguir em que falamos sobre o que fazer quando um cachorro não quer comer ração:

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Cachorro filhote vomitando - Causas e soluções, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas intestinais.

Bibliografia
  • Davidson, M.G., Else, R.W., Lumsden, J.H. (2000). Manual de patología clínica en pequeños animales. Ediones S, D.L.
  • Nelson, R.W., Couto, C.G., Taibo, R.A. (2010). Medicina interna de animales pequeños. Elsevier Mosby.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Danilo Souza
Olá Perito Animal, muito bom o conteúdo de vocês.
Cachorro filhote vomitando - Causas e soluções
Cachorro filhote vomitando - Causas e soluções

Voltar ao topo da página