Partilhar

Cachorro desidratado - Causas e o que fazer

 
Por Maria Besteiros. Atualizado: 19 janeiro 2021
Cachorro desidratado - Causas e o que fazer

Ver fichas de  Cachorros

A desidratação é um transtorno que pode afetar os cachorros e é causada por diversas razões. Pode ocorrer em vários graus e a gravidade da condição dependerá disso. Por esses motivos, é importante que todos os cuidadores saibam quais são os sinais de desidratação em cães, para lhes dar a devida atenção, o que geralmente inclui tratamento veterinário, pois estamos diante de um desequilíbrio potencialmente mortal.

Neste artigo do PeritoAnimal, falaremos sobre o cachorro desidratado - causas e o que fazer. É importante saber identificar os sinais deste problema para poder tratar o quanto antes e recuperar a saúde do nosso amigo peludo.

Também lhe pode interessar: Cachorro intoxicado, o que fazer?

Sintomas de um cachorro desidratado

Basicamente, a desidratação ocorre quando o cachorro elimina mais fluidos do que recupera, o que provoca um desequilíbrio de líquidos, mas também de eletrólitos. Essa situação afeta todo o organismo e se o grau de desidratação for grave, a vida do cão está em perigo.

O que causa a desidratação em cachorro?

As causas da desidratação em cachorros são múltiplas, mas na maioria das vezes estão associadas a doenças nas quais eles perdem os fluidos através de vômito e/ou diarreia. Assim, sempre que nosso cão apresentar esse quadro clínico, devemos prestar atenção ao seu estado de desidratação. Outras patologias, como a doença renal, também podem produzir este desequilíbrio, bem como emergências como a insolação. Além disso, febre e outras doenças graves podem fazer com que o cachorro não beba água ou reduza consideravelmente sua ingestão de água, levando à desidratação.

Para saber se um cachorro está desidratado, podemos realizar uma simples verificação que consiste em puxar levemente e com cuidado a pele da área da cernelha do cachorro (área que fica mais ou menos atrás do pescoço e acima dos ombros) separando-a do corpo alguns centímetros. Ao soltar, a pele de um cachorro saudável recupera sua forma instantaneamente.

Já em um cachorro desidratado, ao contrário, a pele demora a voltar à sua posição, mais ou menos tempo dependendo do grau de desidratação, como veremos. Assim, essa dobra, que não é mais que uma amostra da elasticidade da pele, é um dos sintomas de desidratação em cachorros, embora possamos encontrar outros como os seguintes:

  • Gengivas secas
  • Saliva espessa
  • Urina escurecida
  • Em casos mais graves, olhos fundos

Além disso, é comum o cachorro apresentar letargia (muito cansaço ou dormindo muito) e anorexia.

Cachorro desidratado - Causas e o que fazer - Sintomas de um cachorro desidratado

Tipos e graus de desidratação em cachorros

Deve-se levar em consideração que a desidratação é um estado que não será revertido dando ao cão uma tigela de água, exceto no caso de desidratações realmente leves, como por exemplo, se nosso cão vomitasse algumas vezes e não bebesse por algumas horas ou não ingeriu água suficiente em um dia quente.

Os vômitos e as diarreias são as causas mais comuns de desidratação em cães já que, nestes episódios, o normal é que o cachorro pare de comer, o que, junto com a perda de líquidos, produz este quadro clínico. No entanto, como vimos na seção anterior, doenças graves também podem desenvolver essa situação.

Se observamos sinais de desidratação no cachorro, devemos ir ao veterinário para que estabeleça o diagnóstico exato e seu correspondente tratamento, pois seria inútil fornecer-lhe água em abundância se não tratamos a causa primária da desidratação.

Existem vários tipos de desidratação em cachorro, que são chamados isotônica, hipertônica e hipotônica, em função da quantidade de água perdida em relação à de solutos (na desidratação também é produzido um desequilíbrio de eletrólitos). Além disso, dependendo da gravidade, vários graus de desidratação em cães podem ser distinguidos, que são os seguintes:

  • Menos de 4 % de desidratação: é o caso mais leve e não veremos nenhum sintoma.
  • Entre 5-6 %: com essa porcentagem veremos que, se verificarmos a pele, a dobra demora um pouco para se recuperar.
  • Entre 6-8 %: nesta situação é evidente, já que a dobra da pele demora para se recuperar.
  • Entre 8-10 %: além da demora na recuperação da pele, veremos mucosas ressecadas e afundamento dos globos oculares.
  • Entre 10-12 %: além dos sintomas anteriores, o cachorro começará a entrar em choque e observaremos palidez nas mucosas e membros gelados, entre outros sintomas.
  • Entre 10-15 %: o choque já é severo e o cão está em perigo iminente de morte. Mais de 15 % de desidratação é considerada incompatível com a vida.
Cachorro desidratado - Causas e o que fazer - Tipos e graus de desidratação em cachorros

Sintomas de desidratação em filhote de cachorro

Nos filhotes de cachorro, mas também naqueles que estão em uma situação de vulnerabilidade, como os mais velhos ou os que apresentam alguma doença, se percebemos qualquer sintoma de desidratação, devemos ir urgentemente ao veterinário. Quanto menor for o filhote, maior é o risco que ele corre se sofre de desidratação, pois pode morrer em questão de horas. Isto é especialmente relevante em bebês, pois podem ficar tão fracos a ponto de parar de mamar, o que agravará o quadro.

Os filhotes desidratados apresentarão a boca seca, o que podemos notar se lhes oferecemos para chupar um dedo, fraqueza generalizada e perda de tônus. Além disso, se pegarmos uma dobra de pele, ela não recuperará sua forma. Portanto, se um filhote que ainda mama apresenta diarreia, causa comum de desidratação, devemos buscar assistência veterinária imediata.

Neste outro artigo você confere como cuidar de filhote de cachorro.

Cachorro desidratado - Causas e o que fazer - Sintomas de desidratação em filhote de cachorro

Como tratar um cachorro desidratado

Se observamos sinais de desidratação em nosso cão e o veterinário nos confirma que apresenta este problema, o mais importante é determinar sua causa e estabelecer um tratamento que nos permita reverter essa situação e, consequentemente, equilibrar o organismo. Usualmente o processo de hidratação do cachorro é realizado a partir da reposição de fluidos de maneira intravenosa, para o qual o veterinário colocará um cateter, geralmente em uma das patas dianteiras de nosso cão, para administrar o soro para cachorro que contenha fluidos e eletrólitos.

Nos casos leves, o soro pode ser prescrito de maneira subcutânea, por meio de injeções sob a pele ou, nos mais leves, e se não há vômitos, pode ser administrado via oral, às vezes com uma seringa, pouco a pouco, pela lateral da boca. Quando a administração é intravenosa, o cachorro precisará de internação hospitalar por 24-48 horas.

Em cachorros filhotes, nos quais é difícil colocar um cateter, pode ser necessária a administração intraóssea do soro. É importante que seja o veterinário quem prescreva a quantidade de soro que nosso amigo peludo necessita para recuperar sua hidratação, pois dependerá do peso e da gravidade da desidratação.

Se, por qualquer motivo, estivermos no meio de uma emergência e não tivermos acesso a um veterinário, podemos preparar uma solução caseira, embora seja imprescindível ir ao especialista o mais rápido possível. Para isso, recomendamos consultar o artigo sobre como fazer soro caseiro para cães desidratados.

Cachorro desidratado - Causas e o que fazer - Como tratar um cachorro desidratado

Como hidratar um cachorro

Como comentamos, a desidratação de um cachorro, exceto em casos muito leves, não será solucionado oferecendo água para beber, mas podemos seguir uma série de medidas para prevenir os sinais de um cachorro desidratado:

  • Garantir o abastecimento de água sempre, e que esteja limpa e fresca. Isto é especialmente importante nos dias mais quentes. Se vamos nos ausentar, temos que nos certificar de que o bebedouro não vire, pois isso implicaria que o animal ficaria sem água.
  • Nunca o deixar em um carro fechado ao sol, forneça sombra se estiver ao ar livre durante as horas mais quentes e evite os exercícios durante essas mesmas horas, pois essas situações predispõe à insolação.
  • Se nosso cachorro apresenta alguma doença que aumenta seu risco de desidratação, como doença renal, ou acaba de passar por algum quadro que o desidratou, devemos garantir que beba água, para o qual, além de ter um ou vários bebedouros sempre com água limpa e fresca, podemos incentivá-lo oferecendo cubos de gelo ou caldos. Também podemos trocar a ração por comida úmida, para aumentar a ingestão de líquidos. Leia este artigo sobre a quantidade de água que um cachorro pode beber por dia.
  • Além disso, se observarmos algum dos sintomas de desidratação mencionados, devemos consultar o veterinário, principalmente se nosso cão é um filhote ou sofre de alguma doença.
  • Por último, como primeiros socorros, se encontrarmos um cão desidratado, podemos oferecer-lhe água, se não apresenta vômitos, mantê-lo na sombra se suspeitarmos de insolação e ir imediatamente ao veterinário.

Água de coco para cachorro

Nós aprendemos desde cedo que uma das melhores maneiras de promover nossa hidratação é ingerindo água de coco, por ser rica em vitaminas, fibras e sais minerais. Mas será que pode dar água de coco para cachorro?

A verdade é que este é um tema que gera muitos questionamentos. Segundo a Sociedade Americana de Prevenção de Crueldade contra Animais (ASPCA na sigla em inglês), a água de coco, apesar de não ser considerada tóxica, pode causar desequilíbrios no organismo dos cachorros se houver um excesso de consumo.

Assim, é possível oferecer água de coco para cachorro, mas com moderação. Saiba também que você não deve substituir a água mineral fresca pela água de coco e se tiver um caso de cachorro com diarreia, não é recomendado oferecê-la ao cachorro sem consultar um veterinário.

Agora que você já sabe como identificar um cachorro desidratado e viu todas as dicas de hidratação de cachorro, talvez possa te interessar este vídeo em que explicamos se um cachorro filhote pode tomar leite:

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Cachorro desidratado - Causas e o que fazer, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Primeiros socorros.

Bibliografia
  • ASPCA. People Foods to Avoid Feeding Your Pets. Disponível em: <https://www.aspca.org/pet-care/animal-poison-control/people-foods-avoid-feeding-your-pets/>. Acesso em 8 de janeiro de 2021.
  • FINLAY. Katie. aKC. Can Dogs Eat Coconut?. Disponível em: <www.akc.org/expert-advice/nutrition/can-dogs-eat-coconut/>. Acesso em 8 de janeiro de 2021.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Cachorro desidratado - Causas e o que fazer
1 de 5
Cachorro desidratado - Causas e o que fazer

Voltar ao topo da página