Partilhar

Psicologia canina: bases e aplicação

 
Por Eduarda Piamore. 25 setembro 2019
Psicologia canina: bases e aplicação

Ver fichas de  Cachorros

A etologia canina, conhecida também como psicologia canina, é o ramo da biologia que se dedica especificamente ao estudo do comportamento dos cães, com ênfase nas condutas naturais que estão associadas ao instinto. Por isso, quando os cachorros apresentam algum problema de comportamento, o ideal é procurar um especialista em etologia ou psicologia canina para identificar a(s) causa(s) e verificar qual é a melhor forma de tratar esse problema para preservar o bem-estar dos seus melhores amigos.

Apesar de estar ganhando cada vez mais importância no Brasil, muita gente ainda tem dúvidas sobre as aplicações e a eficácia da psicologia canina. É por isso que decidimos dedicar esse novo artigo do Perito Animal a esclarecer como a etologia pode te ajudar e quando é preciso buscar a ajuda de um psicólogo de cachorro para retomar um vínculo saudável e feliz com o seu melhor amigo. Continue lendo!

Psicologia canina ou etologia: o que é e para que serve

Como já resumimos na introdução, a psicologia canina é o estudo do comportamento dos cães, cujo foco se encontra nas condutas instintivas que se relacionam com a genética e a evolução dos cachorros, considerando também o processo de domesticação que essa espécie experimenta desde que começou a conviver com o ser humano.

Um etólogo ou psicólogo animal é um veterinário especialista em comportamento animal. Embora a psicologia canina seja a mais estudada e difundida a nível internacional, também existem estudos sobre o comportamento natural de muitas outras espécies, como gatos, cavalos, elefantes, primatas, etc.

Afinal, para quê serve a psicologia canina?

Para responder essa pergunta, você deve ter em conta que a grande maioria dos problemas de comportamento está relacionada diretamente com falhas ou deficiências na educação dos cachorros, derivando principalmente de uma má socialização e da aplicação de técnicas negativas ou violentas no adestramento canino. Porém, em casos mais raros, é possível que um cachorro sofra de algum transtorno neurológico ou mental que impacta negativamente na conduta e impede que ele consiga desfrutar de uma vida social saudável.

Um veterinário especialista em psicologia canina é um profissional que está capacitado para diagnosticar esses problemas de comportamento e identificar as causas específicas em cada paciente para, desta forma, conseguir propor um tratamento adequado ao estado de saúde, à idade, à rotina, às características e necessidades próprias de cada cachorro.

Ao analisar um problema de comportamento, como a agressividade, por exemplo, esses profissionais considerarão não apenas a herança genética e os fatores internos do organismo do cachorro (como algum transtorno hormonal), mas também os aspectos externos que impactam na qualidade de vida e influenciam na conduta de cada cachorro (alimentação, ambiente, educação, atividade física, estimulação mental, socialização, experiências traumáticas do passado, etc.).

Quando procurar um especialista em psicologia canina?

Sempre que seu cachorro apresentar alguma conduta estranha, pouco habitual, potencialmente perigosa, ou quando você perceber que o caráter no seu cachorro está mudando. O psicólogo canino está preparado para identificar e tratar um amplo e variado leque de problemas de comportamento nos cachorros. A seguir, resumimos alguns dos casos mais tratados pelos psicólogos de cachorros:

  • Estereotipias (repetir certos comportamentos de forma obsessiva, intensa e permanentemente);
  • Agressividade;
  • Medo ou timidez excessiva;
  • Coprofagia (ingerir fezes próprias ou de outros animais);
  • Estresse agudo ou crônico;
  • Ansiedade por separação;
  • Ciúmes e comportamento possessivo;
  • Proteção de recursos (comportamento extremamente possessivo em relação aos tutores, brinquedos, comida ou outros objetos);
  • Problemas de socialização.

Por isso, mesmo que você não saiba exatamente o que está acontecendo com o seu melhor amigo ou por que o temperamento dele pode ter mudado, o ideal é consultar imediatamente um veterinário especialista em etologia canina. Isso não significa que esses profissionais saibam exatamente que os cães pensam ou que sempre terão a solução imediata para os problemas dos peludos, pois muitos casos requerem um tratamento prolongado, como os cães que sofreram anos de maus tratos ou aqueles que foram utilizados como sparring para o treinamento de cachorros explorados em lutas.

Porem, os psicólogos de cachorros sempre poderão te ajudar a melhorar a qualidade de vida e o ambiente de um cachorro para favorecer sua recuperação e reabilitação social para que consiga desfrutar do amor de uma família e da oportunidade de interagir com outros cachorros e explorar o mundo ao seu redor sem medos e inseguranças.

Para saber mais sobre os sentimentos dos cachorros, confira esse artigo do PeritoAnimal.

Como escolher um psicólogo de cachorro?

Para exercer a etologia ou psicologia canina, é preciso ter cursado previamente a carreira de veterinária. Por isso e como já mencionamos, um psicólogo de cachorro é, na verdade, um veterinário especialista em etologia, que além dos conhecimentos e habilidades sobre medicina veterinária, também concluiu uma especialização em comportamento animal (nesse caso, com foco nos cachorros). Ou seja, todos os psicólogos de cães devem ser também veterinários.

É muito importante entender isso antes de escolher um psicólogo de cachorro e não confundir um veterinário especialista em etologia com um adestrador ou um educador canino, embora todos esses profissionais devam ser igualmente valorizados. No entanto, eles não possuem os mesmos conhecimentos nem estão habilitados para exercer as mesmas funções.

O psicólogo ou etólogo é o único desses profissionais que possui uma formação acadêmica integral que o prepara para analisar e tratar a saúde e o bem-estar dos cachorros desde um ponto de vista biológico, cognitivo, emocional e social. Obviamente, isso não impede que um adestrador ou um educador possa fazer um curso de psicologia canina na Internet ou em algum centro educativo para adquirir novos conhecimentos. Porém, não estarão autorizados a exercer profissionalmente a psicologia canina, caso não tenham se formado previamente em medicina veterinária.

Por isso, se seu peludo precisa tratar algum problema de comportamento, sempre procure um veterinário especialista em etologia canina que tenha a matrícula corretamente registrada. Você pode pedir recomendações ao seu próprio veterinário para garantir a escolha de um bom profissional e também procurar referências na Internet, mas lembre-se sempre de confirmar se o profissional realmente possui um diploma homologado em veterinária, além da especialização em psicologia canina.

Você também poderá buscar referências sobre o psicólogo de cachorros na internet, ver se ele possui um site ou blog onde compartilha sua formação, experiência e seus conhecimentos como especialista em comportamento animal, além de conferir os depoimentos e opiniões de outros tutores que já tenham confiado no trabalho desse profissional. É sempre uma boa prática conversar com o profissional para conhecer melhor a proposta de trabalho, pedir um orçamento e conhecer as instalações onde atendem os pacientes. Essa também será uma ótima oportunidade para identificar as "habilidades humanas" do profissional, como a empatia e a confiabilidade, que resultam essenciais para lidar com os animais e seus tutores.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Psicologia canina: bases e aplicação, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas mentais.

Vídeos de Psicologia canina: bases e aplicação

1 de 3
Vídeos de Psicologia canina: bases e aplicação

Escrever comentário sobre Psicologia canina: bases e aplicação

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Psicologia canina: bases e aplicação
Psicologia canina: bases e aplicação

Voltar ao topo da página