Partilhar

Cachorro tem sentimento?

 
Por Eduarda Piamore. 7 agosto 2019
Cachorro tem sentimento?

Ver fichas de  Cachorros

Quando você olha nos olhos do seu melhor amigo, você certamente é incapaz de negar que os cachorros têm sentimentos, não é? No nosso dia a dia, construímos um laço mútuo de amizade e confiança com nossos amigos peludos. Cada momento compartilhado parece ser uma evidência de que os cachorros são capazes de experimentar várias emoções e expressá-las através da linguagem corporal ou das diversas vocalizações.

Como tutor, você aprende a interpretar as expressões faciais, posturas e os comportamentos dos nossos peludos para se comunicar com eles, e com o tempo, você é capaz de identificar rapidamente quando seu cachorro está feliz, triste, com medo ou tentando te pedir algo. Mas isso significa que os cachorros têm sentimentos e raciocínio? Ou são os humanos que tendem a refletir os sentimentos nos cachorros, concedendo a eles as características e faculdades próprias do ser humano?

Neste artigo do PeritoAnimal, vamos explicar o que a ciência diz sobre se cachorro tem sentimento em relação aos humanos, a outros cachorros e animais. Continue lendo para descobrir as emoções e sentimentos dos cães!

Também lhe pode interessar: Os cachorros têm memória?

Animais têm sentimentos?

Os avanços na ciência e tecnologia permitiram identificar que vários animais, especialmente os mamíferos, experimentam emoções básicas semelhantes às dos seres humanos. Isso ocorre porque eles têm as mesmas estruturas cerebrais que nós, e processam emoções em regiões muito profundas do cérebro, que formam o sistema límbico.

As emoções são entendidas como uma ampla gama de respostas hormonais e neuroquímicas que estão associadas ao sistema límbico do cérebro, e que predispõem um indivíduo a reagir de uma determinada maneira ao perceber um estímulo externo com seus sentidos, interpretando-o através da atividade neuronal. Esse processo de interpretação permite que humanos e muitas outras espécies de animais vivenciem emoções de maneiras diferentes.

Se você observar os animais no seu habitat, ou seu cachorro em casa, verá claramente que eles reagem de maneira muito diferente às emoções positivas, como a alegria, e às negativas, como o medo. Também está claro que os animais são seres sencientes, que podem desenvolver laços afetivos com humanos e outros animais, além de sentir dor e estresse quando submetidos a um ambiente negativo, a maus tratos ou ao abandono.

Mas será que isso é suficiente para afirmar que os animais têm sentimentos? Abaixo, explicaremos melhor a diferença entre as emoções e os sentimentos em termos científicos, focando na questão-chave deste artigo, que é se os cachorros têm sentimentos.

Sentimentos de cachorro: explicação científica

Muitas pessoas se perguntam se os cachorros têm sentimentos ou instintos, mas a verdade é que se trata de duas coisas muito diferentes. O instinto pode ser definido, de maneira muito breve e simplificada, como o motor natural e inato que leva um ser vivo a reagir a vários estímulos. É algo inerente à natureza dos animais, transmitido de geração em geração através dos genes, como uma capacidade adaptativa que permite a sua sobrevivência.

Apesar de ter passado por um longo processo de domesticação, os cachorros também mantêm vários comportamentos instintivos, como o instinto hierárquico (também conhecido como "instinto de matilha"), o instinto de caça e o "hábito" de marcar território. Mas isso não significa que eles sejam incapazes de sentir ou experimentar emoções diferentes. O instinto é uma parte inerente da natureza canina, e a capacidade de ter emoções ou sentimentos não é prejudicada pela preservação do instinto. Os próprios seres humanos também retêm alguns comportamentos associados ao instinto de sobrevivência, que poderia ser considerado como o instinto mais básico e fundamental de todas as espécies.

Então, cachorro tem sentimento?

Não exatamente. Vamos por partes para entender melhor porque a afirmação de que os cachorros têm sentimentos é tão incompleta. Como vimos anteriormente, os cachorros têm emoções (como muitos outros animais) e as experimentam de forma muito semelhante aos seres humanos. Um dos estudos mais importantes para essa descoberta foi realizado pelo neurocientista Gregory Berns, da Universidade de Emory, que decidiu treinar vários cachorros para que eles se adaptassem à máquina de ressonância magnética (ressonância magnética funcional), que permite capturar imagens da atividade cerebral. Por que não podemos dizer que os cachorros têm sentimentos?

Bem, porque a psicologia tradicionalmente diferencia as emoções dos sentimentos. Como vimos, as emoções consistem principalmente em respostas neuronais, químicas e hormonais que predispõem o indivíduo a agir de uma determinada maneira diante de um certo estímulo. Por exemplo, a alegria é uma emoção que pode fazer um cachorro sorrindo como resposta à chegada do seu dono em casa.

Por sua vez, os sentimentos também estão associados ao sistema límbico, mas envolvem uma avaliação consciente, além de uma predisposição espontânea a certas respostas. Não é possível pensar em sentimentos como emoções, pois derivariam justamente de uma reflexão consciente e geral sobre as emoções, considerando principalmente a experiência subjetiva de cada indivíduo (como cada indivíduo vive suas próprias emoções).

Assim, o principal problema que temos hoje para afirmar que os animais têm sentimentos (inclusive os cachorros) é que nosso conhecimento sobre o sistema cognitivo deles ainda não nos permitiu verificar se eles fazem reflexões conscientes sobre suas próprias emoções. Ou seja, ainda não temos evidências científicas para mostrar que os cachorros e outros animais são capazes de conectar as emoções específicas que experimentam em determinados contextos com pensamentos complexos sobre essa experiência.

Digamos que, para afirmar que os cachorros têm sentimentos além das emoções, seu peludo precisaria refletir sobre a alegria que sente ao te ver chegando em casa, para chegar à conclusão de que sua reação espontânea de mexer a cauda vigorosamente ou sorrir deve-se à afeição ele sente por você. Mas até hoje, a ciência e a tecnologia ainda não conseguiram demonstrar esse tipo de pensamento complexo e reflexivo nos cachorros.

Assim, embora saibamos que animais e cachorros têm emoções, ainda não podemos dizer com embasamento científico que eles também têm sentimentos. E também por esse motivo, não se considera que os cachorros tenham sentimentos de culpa, pois, para se sentirem culpados, precisariam refletir sobre algo que fizeram e que seja considerado negativo ou indesejável em nossa cultura.

Como saber se meu cachorro me ama

O organismo dos cachorros também gera a ocitocina, mais conhecida como "hormônio do amor". Outra grande observação da pesquisa acima mencionada do Dr. Berns, é que a resposta neuronal mais positiva em todos os cachorros ocorreu quando eles perceberam o cheiro de seu "ser humano favorito", estimulando uma região do cérebro conhecida como núcleo caudado, que está associada ao amor tanto nos cachorros como nas pessoas.

Quando o cachorro percebe o cheiro de seu tutor e, consequentemente, também de seu lar, isso leva a um aumento na produção e segregação da ocitocina, e é o que permite que seu peludo pareça feliz e animado quando te vê ou compartilha bons momentos com você.

Além disso, um estudo realizado pela psicóloga Andrea Beetz revelou que os cachorros e os seres humanos experimentam um aumento muito semelhante nos níveis de ocitocina após compartilhar uma sessão de carinhos e mimos de aproximadamente dez minutos. Então, ambos recebem os benefícios dessa interação, e os cachorros gostam tanto quanto os humanos de estar na companhia de quem lhes faz bem.

No entanto, além de experimentar pontualmente uma excitação ou sensação de bem-estar quando estão com seus tutores, os cachorros também têm uma excelente memória afetiva, que também está associada a sentidos bem desenvolvidos. É por isso que um cachorro pode ficar muito feliz ao se reencontrar com uma pessoa ou outro cachorro, mesmo que tenham se passado meses ou anos desde que se viram pela última vez.

Logicamente, os cachorros não expressam sua afeição da mesma forma que os humanos, já que o comportamento social e a linguagem corporal dos cachorros são orientados por códigos diferentes. É por isso que provavelmente seu cachorro não se sente confortável com um abraço, mas demonstra carinho de forma totalmente espontânea, principalmente através de sua lealdade incondicional.

Cachorro tem sentimento? - Como saber se meu cachorro me ama

Se deseja ler mais artigos parecidos a Cachorro tem sentimento?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Curiosidades do mundo animal.

Bibliografia
  • The basic emotional circuits of mammalian brains: Do animals have affective lives? Neuroscience & Biobehavioral Reviews, 2011. https://doi.org/10.1016/j.neubiorev.2011.08.003
  • Empathic-like responding by domestic dogs (Canis familiaris) to distress in humans: an exploratory study. Animal Cognition, 2012. https://doi.org/10.1007/s10071-012-0510-1
  • Psychosocial and Psychophysiological Effects of Human-Animal Interactions: The Possible Role of Oxytocin. Frontiers in Psychology, 2012. https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fpsyg.2012.00234/full

Vídeos de Cachorro tem sentimento?

1 de 3
Vídeos de Cachorro tem sentimento?

Escrever comentário sobre Cachorro tem sentimento?

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Cachorro tem sentimento?
1 de 2
Cachorro tem sentimento?

Voltar ao topo da página