Partilhar

Doenças mais comuns do Husky Siberiano

Por Vanessa Lopes, Redatora do PeritoAnimal. Atualizado: 14 setembro 2017
Doenças mais comuns do Husky Siberiano

Ficha do animal: Husky Siberiano

O Husky Siberiano é uma raça de cão parecida com o lobo, sendo que a sua aparência e personalidade se tornarem muito populares nos últimos anos. São animais alegres e ativos, que precisam de muita atenção e cuidados para se manterem saudáveis e se converterem em fiéis companheiros do ser humano. Além disso, aparência do Husky Siberiano como o conhecemos hoje em dia é produto de uma escolha bem definida, pelo que se trata de um animal forte e robusto sem tendência a contrair doenças virais ou infecciosas.

No entanto, é sabido que os animais de raça costumam sofrer de certas doenças próprias do seu conteúdo genético, e o Husky Siberiano não é uma exceção. É por isso que no PeritoAnimal vamos lhe mostrar as doenças mais comuns do Husky Siberiano, para poder detetar com facilidade qualquer doença no seu amigo peludo.

Também lhe pode interessar: Doenças mais comuns nos cachorros

O Husky Siberiano

O Husky Siberiano é uma raça de cachorro nórdica descendente do lobo. Antigamente era treinado para puxar os trenós na neve, pelo que desenvolveu uma grande resistência que permanece na carga genética dos cachorros de hoje.

Esta raça é caraterizada por ter uma personalidade alegre, brincalhona e por sua vez dominante. Costumam ser extrovertidos e dar-se muito bem com as crianças e com os estranhos, desde que adestrados corretamento, por isso não são recomendados como cães de guarda. Por outro lado, são animais extremamente inteligentes que aprendem com facilidade e criam um vínculo muito forte com a família que consideram a sua matilha, de maneira que o instinto os leva a permanecer fiéis ao seu grupo. A sua natureza é extrovertida e livre.

Tal como outras raças de cães puras, o Husky Siberiano tem tendência a sofrer de certas doenças, seja de caráter hereditário ou porque a sua morfologia e caraterísticas físicas os afetam mais facilmente. Esta é uma das raças de cachorros com olhos de cores diferentes. Durante anos, os criadores reuniram esforços para eliminar definitivamente estas doenças, e embora ainda não tenham conseguido, conseguiu-se reduzir o nível de incidência nos cachorros. Ainda assim, ainda existem certas condições que é muito provável que afetem o seu Husky Siberiano e que, se dividem em doenças oculares, doenças de pele e transtornos de quadril. De seguida, vamos explicar-lhe quais são.

Doenças mais comuns do Husky Siberiano - O Husky Siberiano

Doenças oculares mais comuns do Husky Siberiano

As doenças oculares afetam o Husky Siberiano sem distinção de sexo e idade e, por vezes podem provocar a perda total da visão. Afetam o animal independentemente se a cor da sua íris é marrom, azul ou uma combinação de ambas.

São quatro as doenças às quais o Husky está predisposto: cataratas bilaterais, glaucoma, opacidade da córnea e atrofia progressiva da retina. A incidência destas doenças no Husky é de cinco porcento, mas consideram-se graves, pelo que perante o aparecimento de qualquer incômodo, o cachorro deve ser levado ao veterinário o quanto antes.

Cataratas bilaterais

Doença hereditária que se carateriza pelo aparecimento de uma opacidade no cristalino. Embora a doença seja operável, a vista do cachorro não se recupera totalmente. Se agravar, pode acabar em cegueira, por isso é importante realizar check-ups anuais que permitam detetar a doença a tempo.

Chamam-se cataratas juvenis quando aparecem em filhotes de cachorros. Existem também as cataratas de desenvolvimento, variedade do tipo degenerativa causada pela toxicidade, lesões no olho ou doenças sistêmicas sofridas pelo animal.

A doença pode aparecer a qualquer idade, embora costume evoluir de forma lenda, até deixar o Husky cego em alguns casos. Como se propaga no olho? A catarata afeta a lente do olho, estrutura responsável por formar a imagem na retina através dos raios de luz. Ao se tornar opaca, a quantidade de luz que entra diminui e também a capacidade de visão. À medida que o problema se agrava, o tamanho da opacidade vai aumentando.

Glaucoma

Ocorre quando o canal que controla a pressão interna do globo ocular se torna mais estreito, pelo que esta pressão aumenta à medida que o canal bloqueia. Quando o Husky cumpre um ano, é necessário realizar um exame para descartar a presença da doença, e repetir esse exame anualmente, pois o glaucoma em cachorros pode causar cegueira.

Distrofia de córnea

Tem origem na córnea, mas está espalhada pelo resto do olho impedindo a visão. Pode afetar ambos os olhos, embora possa não ser ao mesmo tempo nem com o mesmo grau de gravidade.

Como se desenvolve? O olho do cachorro começa a produzir uma série de cristais em forma de cone que vão cobrindo a córnea até se estender à superfície do olho. É uma doença hereditária, e pode aparecer a qualquer idade no Husky Siberiano.

Atrofia progressiva da retina

É uma condição hereditária da retina que causa cegueira no animal e, por isso, está considerada como outra das doenças mais comuns do Husky Siberiano. Não afeta apenas a retina como também o revestimento interno da mesma, que é sensível à luz que penetra no globo ocular.

Existem dois tipos de atrofia progressiva da retina:

  • Atrofia progressiva primária da retina: afeta a visão noturna, deteriorando-a de forma gradual, pelo que é conhecida como cegueira noturna. No entanto, também prejudica a visão durante o dia, devido a uma degeneração geral das células oculares. Pode iniciar-se entre as seis semanas e os primeiros anos do animal, avançando progressivamente até o deixar cego. Afeta os dois olhos, embora não com a mesma gravidade.
  • Atrofia progressiva central da retina: nesta variante da doença, o cachorro tem um nível maior de visão em ambientes escuros do que com luz. Custa-lhe perceber os objetos que permanecem imóveis, embora detete com facilidade os que se mexem. Aparece entre o primeiro ano e o quinto.
Doenças mais comuns do Husky Siberiano - Doenças oculares mais comuns do Husky Siberiano

Doenças de pele mais comuns do Husky Siberiano

O Husky Siberiano possui um pelo grosso muito bonito, mas é necessário estar atento a possíveis infecções de pele que afetem a sua aparência e saúde da derme. No que diz respeito a doenças de pele, as mais comuns no Husky Siberiano são a dermatite nasal, deficiência de zinco e hipotiroidismo.

Dermatite nasal

É provocada pela deficiência de zinco ou costuma ser um sintoma desta. Os seus sintomas são:

  • Queda de pelo no nariz.
  • Vermelhidão.
  • Lesões nasais.
  • Despigmentação.

Deficiência de zinco

Esta deficiência é genética no Husky, impedindo-o de absorver o zinco que os alimentos contêm nas quantidades que precisa. Para diagnosticar esta doença o veterinário realiza uma biopsia com tecido tirado da pele. É possível que o tratamento de zinco que o veterinário receitar deva ser administrado por toda a vida.

Entre os sintomas da deficiência de zinco temos:

  • Coceira.
  • Queda de pelo.
  • Lesão nas patas, genitais e cara.

Hipotiroidismo

Aparece quando a tireoide deixa de gerar a hormona tiroidea nas quantidades que o organismo do cachorro precisa para estabilizar o seu metabolismo. Para tratar esta falha, é possível que deva receber medicamentos para isto para o resto da sua vida.

Os sintomas do hipotiroidismo em cachorros são:

  • Queda de pele, sobretudo na cauda.
  • Engrossamento anormal da pele.

Considerações a ter em conta

Por último, se em algum momento pensou em cortar o pelo do seu cachorro, considerando que se trata de uma raça do norte, o melhor é não o fazer, pois estará expondo o seu Husky a infecções de pele das quais o seu pelo o protege, como alergias, parasitas e queimaduras solares.

Se pensa que o calor incomoda o seu Husky, o melhor é que lhe permita o acesso a uma área com ar condicionado ou a zonas da casa que estejam mais frescas durante o verão.

Doenças mais comuns do Husky Siberiano - Doenças de pele mais comuns do Husky Siberiano

Transtornos do quadril mais comuns no Husky Siberiano

A displasia de quadril é uma anomalia hereditária que afeta muitas raças de cachorros, entre elas o Husky Siberiano, que sofre dela em uma proporção de cinco porcento. Consiste no deslocamento do fêmur para fora do acetábulo, osso que pertence à articulação pélvica onde deveria estar acoplado. Aparece antes dos dois anos em 95% dos casos, sendo fácil de detetar uma vez que causa dificuldade para usar escadas ou mudar de posição. Quando aparece no Husky, este fica impossibilitado de realizar tarefas que requerem resistência, pois o exercício intenso apenas agrava a condição com dor, artrite e inflamação da zona.

A anomalia transmite-se de pais para filhos da seguinte forma: se sofrer dela o macho, proporciona os genes da displasia, se sofrer a fêmea, fornece os genes complementares para ocorrer a condição nos seus filhotes. Pode ser melhorada durante a fase de crescimento do cachorro com certos exercícios para cães com displasia de quadril, uma alimentação adequada e controlando o peso do animal, mas de qualquer forma poderá transmitir a doença aos seus filhotes, visto que se trata de um cachorro portador.

Quando o Husky nasce, o se quadril parece perfeitamente normal, e a doenças apenas se manifesta durante o crescimento. Ao serem realizados os exames indicados, detetam-se quatro níveis de displasia:

  1. Livre (não apresenta a anomalia)
  2. Leve
  3. Moderada
  4. Grave

O Husky Siberiano costuma estar entre livre e leve. Por outro lado, no cão afetado por esta doença, recomendam-se dietas baixas em gorduras e livres de suplementos vitamínicos, para evitar um ganho de peso desmesurado. Além disso, aconselha-se evitar durante os jogos e adestramento os saltos e os movimentos violentes, que apenas pioram o estado dos ossos.

Lembre-se sempre de consultar o veterinário perante qualquer sinal das doenças mais comuns no Husky Siberiano ou comportamento estranho, para as descartar ou, pelo contrário, serem diagnosticadas e iniciar o tratamento mais indicado.

Adotou recentemente filhote de cachorro? Veja a nossa lista de nomes para cachorros husky.

Doenças mais comuns do Husky Siberiano - Transtornos do quadril mais comuns no Husky Siberiano

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Doenças mais comuns do Husky Siberiano, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Prevenção.

Escrever comentário sobre Doenças mais comuns do Husky Siberiano

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
3 comentários
Eriosvania
Minha cachorra ta com umas bolhas oque pode ser ela é uma hask siberiano
Jessica
Pode ser cinomose, isso depende de como são as bolhas.
Isabel
Tenho uma cachorra está saudável come bem mas está com pelos caindo e falhas sem sinal de lesão alguma eu acredito ser troca ela está com um ano
ronildo
Tenho u, cachorro da raça husky siberiano ele as vezes sangra pelo nariz e até hoje não descobrimos o que seria... E por agora apareceu umas feridas na costa dele e no rabo parecendo com uma peladeira não sei o que seria isto agradeço se me responder ok obrigado
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Ronildo! Você deveria consultar uma clínica veterinária onde possam fazer provas de diagnóstico para saber o que se passa com o cachorro.

Doenças mais comuns do Husky Siberiano
1 de 5
Doenças mais comuns do Husky Siberiano

Voltar ao topo da página