Partilhar

Exercícios para cachorro com displasia de quadril

Por Vanessa Lopes, Redatora do PeritoAnimal. Atualizado: 29 janeiro 2019
Exercícios para cachorro com displasia de quadril

Ver fichas de  Cachorros

A displasia de quadril é um problema de saúde muito conhecido que afeta um grande número de cachorros no mundo. Costuma ser hereditária e degenerativa, por isso é importante saber do que se trata e como ajudar os nossos cachorros o melhor possível.

Se o seu cachorro foi diagnosticado com displasia de quadril e quer ajudá-lo com exercícios ou técnicas de massagem, entrou no sítio certo! Neste artigo do PeritoAnimal vamos lhe explicar os exercícios para cachorro displasia de quadril.

Além disso, vamos lhe dar alguns conselhos e indicações úteis para ajudar o seu cachorro a suportar melhor esta doença.

O que é a displasia de quadril

A displasia de anca é uma formação anormal da articulação do quadril: a cavidade articular ou acetábulo e a cabeça do fêmur não se ligam adequadamente. É uma das condições mais conhecidas do cachorro, afeta com mais frequência os cachorros de determinadas raças:

  • Labrador Retriever
  • Setter Irlandês
  • Pastor alemão
  • Doberman
  • Dálmata
  • Boxer

Embora tenhamos referido algumas raças que são mais propensos a esta condição, isso não significa que um Fox Terrier, por exemplo, não possa sofrer de uma displasia de anca.

Exercícios para cachorro com displasia de quadril - O que é a displasia de quadril

Quais são as causas

São vários os fatores que podem favorecer o aparecimento de displasia de quadril: uma alimentação com excesso de energia ou de proteínas, cachorros de tamanho médio ou grande com um crescimento muito rápido, exercício físico demasiado intenso, ou fazer correr ou saltar o cachorro de forma intensa quando ainda é demasiado jovem. Todos eles são fatores negativos que podem contribuir para o desenvolvimento de displasia de anca.

Esta malformação de origem genética deve ser sempre diagnosticada por um veterinário através de radiografias, mas os sinais que vão alertar o dono são: um cachorro que tem dificuldade para estar de pé depois de estar muito tempo deitado ou um cachorro que se cansa muito com os passeios. Perante estes sintomas deverá consultar um profissional para lhe confirmar se se trata de displasia de quadril.

Exercícios para cachorro com displasia de quadril - Quais são as causas

O que posso fazer para fazer o meu cachorro com displasia de quadril?

Existem várias técnicas que pode aplicar para ajudar o seu cachorro com displasia de quadril, sempre com o objetivo de fortalecer e relaxar os músculos (especialmente a massa muscular glútea, fundamental para a estabilidade e a mobilidade do quadril) e eliminar ou aliviar a dor.

Vamos explicar-lhe de seguida que exercícios pode fazer para ajudar o seu cachorro com displasia de anca. Continue lendo!

Massagens

Um cachorro que apresenta displasia de quadril tenta não apoiar a pata afetada e, devido a isso, pode sofrer de atrofia muscular nessa pata. Massagear o cachorro favorece a recuperação do músculo e, corrige a má postura da coluna vertebral.

Devemos fazer uma massagem relaxante ao longo da coluna vertebral do nosso cachorro, devemos fazer a massagem no sentido do pelo exercendo uma pressão suave, também pode fazer movimentos circulares em ambos os lados da coluna vertebral. Os músculos do quarto traseiro devem ser massageados fazendo fricção.

Se o seu cachorro tem o pelo curto, também o pode massagear com uma bola de espinho. Faça a massagem no sentido contrário ao crescimento do pelo, pois isso estimula o fluxo sanguíneo e evita as atrofias extremas.

Além disso, é importante não tocar na coluna e estar sempre em ambos os lados dela e nunca em cima dela.

Exercícios para cachorro com displasia de quadril - Massagens

Movimentos passivos

Se o seu cachorro foi operado devido à displasia de quadril, então pode mexer com cuidado na articulação afetada ou operada, uma semana após a intervenção, sempre de acordo com as indicações do veterinário. Para isso, tem que colocar o seu cachorro em uma cama suave ou amortecer o quadril afetado.

Os movimentos passivos são ideais para corrigir disfunções articulares como a displasia de anca, em contrapartida estes exercícios não deverão ser feitos por um cachorro saudável.

O dono do cachorro deve realizar todos os movimentos sobre o cachorro e este deve permanecer deitado lateralmente, relaxado e quieto. Antes de começar os movimentos passivos, preparamos o cachorro com uma massagem ou aplicando calor na zona do quadril.

Se a articulação afetada é o quadril direito, colocamos o cachorro de lado, deitado com o seu lado esquerdo tocando no solo e, com a sua pata esquerda traseira perpendicular ao tronco.

  • Flexão/Extensão: Com a nossa mão direita vamos segurar a sua pata traseira esquerda o nível do seu joelho, assim a sua pata apoia-se sobre o nosso braço direito. Depois a nossa mãos direita realiza os movimentos, enquanto a mão esquerda, colocada sobre a articulação do quadril, pode sentir sinais de dor e crepitações. Movemos a articulação da anca lentamente passando de extensão para flexão ritmicamente cerca de 10-15 vezes.
  • Abdução/Adução: A abdução é ação de afastar a pata do tronco, enquanto que a adução consiste em aproximá-la ao mesmo. Coloque-se atrás do cachorro, pegue no seu joelho dobrado e efetue os movimentos de forma suave cerca de 10-15 vezes.

É importante se certificar que a pata debaixo fica apoiada no solo e que não se levante puxando. Para os dois tipos de movimentos, temos que nos certificar de que apenas a articulação do quadril se mexe passivamente, mas apenas essa.

Tal como na massagem, temos que desenvolver a sensibilidade do cachorro, realizando no princípio movimentos pequenos e sempre lentos para o permitir relaxar e que o tratamento não se torne desagradável. É importante limitar sempre a dor do cachorro ao máximo!

Exercícios para cachorro com displasia de quadril - Movimentos passivos

Exercícios estabilizadores ou ativos

Os exercícios estabilizadores são bons tanto para um cachorro com displasia de quadril que não suporta passeios longos como tratamento conservador para evitar uma operação, como para um cachorro que foi operado devido à displasia de quadril como reabilitação muscular.

Esses exercícios podem se fazer 3 semanas depois da operação, dependendo do tamanho do cachorro, depois de falar com o veterinário. Quando se utilizam em conjunto com a massagem e os movimentos passivos, o uso do apoio e do trampolim têm que ser deixados para o final, mas podem-se aplicar as mesmas técnicas descritas de seguida.

  • Apoios: Colocamos o cachorro com as patas da frente elevadas em um apoio, para um cachorro pequeno o apoio pode ser um livro grosso. Esta posição causa a tensão dos músculos da coluna vertebral e das extremidades posteriores.

    Os exercícios em apoio cansam muito o cachorro com displasia de anca ou que tenha sido operado. 5 repetições de cada uma das três fases que vamos ver de seguida são perfeitamente suficientes ao início.
  1. Fique atrás do cachorro e segure-o para lhe dar equilíbrio, pegue na omoplata do cachorro e submeta-a a uma leve tração em direção à cauda (até você). Este movimento fortalece quase todos os músculos do cachorro: extremidades, abdômen e dorso. Mantenha essa posição por alguns segundos e relaxe, repita 5 vezes.
  2. De seguida, pegue na articulação do joelho e faça uma tração até à cauda, poderá sentir nas suas mãos o relaxamento dos músculos da anca e dos membros posteriores. Mantenha assim alguns segundos e relaxe, repita 5 vezes.
  3. Mantenha no alto a articulação do joelho e desta vez pressione-a para a frente, em direção à cabeça do cachorro. Mantenha-se assim alguns segundos e relaxe, repita 5 vezes. Com o tempo, o nosso cachorro irá suportar melhor os exercícios e os seus músculos irão se fortalecer progressivamente.
  • Trampolim: O trampolim é um objeto desconhecido para o cachorro, é importante habituá-lo progressivamente a este novo objeto. Lembre-se que realizar estes exercícios com um cachorro tenso ou estressado não dará bons resultados.

    É fundamental que o trampolim possa suportar um peso mínimo de 100 kg, pois terá de ir para cima dele, que tenha um diâmetro mínimo de um metro e que tenha a marca TUV. Uma boa forma de introduzir o trampolim é subindo primeiro para ele e, com o cachorro seguro entre as nossas pernas, esperar alguns segundos ou minutos para se acalmar e recompensá-lo com uma guloseima quando deixar que você mexa nele.
  1. Carregue primeiro a pata traseira esquerda e depois a direita, lentamente. Pode realizar estes movimentos ativos umas 10 vezes.
  2. É importante efetuar estes movimentos alternados lentamente e cuidadosamente. Assim podemos sentir como o cachorro brinca com os seus músculos para manter o equilíbrio. Este exercício não é impressionante visualmente mas na realidade exerce uma ação intensa sobre a musculatura e, por sua vez desenvolve os músculos glúteos do cachorro, cansa-o, por isso não deve fazer demasiadas repetições.
  3. O dono tem que subir sempre primeiro e sair por último do trampolim, deixando que o cachorro desça primeiro, mas sem saltar para não se lesionar.
  • Slalom: Quando já tiver passado tempo suficiente depois de uma operação de displasia e, de acordo com o veterinário, percorrer um slalom pode ser um exercício muito bom. O espaço entre os cones deve ser de 50 centímetros a 1 metro dependendo do tamanho do cachorro, o qual deve percorrer o Slalom lentamente.
Exercícios para cachorro com displasia de quadril - Exercícios estabilizadores ou ativos

Hidroterapia

Se o seu cachorro gostar, nadar é uma excelente forma de fortalecer os seus músculos sem sobrecarregar as suas articulações. Existe um equipamento de hidroterapia que permite a marcha subaquática, o cachorro caminha dentro de água o que permite preservar as suas articulações, esta técnica deverá ser levada a cabo por um fisioterapeuta.

Exercícios para cachorro com displasia de quadril - Hidroterapia

Fisioterapia

Para técnicas mais avançadas pode-se consultar um fisioterapeuta que além das anteriores, poderá aplicar outras técnicas como por exemplo a termoterapia, crioterapia e aplicação de calor, eletroterapia, ultrassons, laser e acupuntura.

Exercícios para cachorro com displasia de quadril - Fisioterapia

Lembre-se que durante todo este processo o seu cachorro irá precisar de mais atenções que as habituais, por esse motivo não hesite em consultar o nosso artigo com tudo sobre a displasia de quadril para poder oferecer os cuidados adequados ao seu melhor amigo.

O seu cachorro também sofre de displasia de anca? Quer recomendar algum outro exercício a outro leitor? Então não hesite em deixar nos comentários as suas ideias ou conselhos, os outros usuários vão agradecer.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Exercícios para cachorro com displasia de quadril, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças degenerativas.

Conselhos
  • É importante parar os exercícios se causar dor ao cachorro.
  • Pode aplicar estas técnicas depois de uma operação à anca, ou sem se ter feito esta, como tratamento conservador.

Escrever comentário sobre Exercícios para cachorro com displasia de quadril

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
5 comentários
Raquel
Quanto seria o limite em km de caminhada para um cão com displasia coxofemoral nós dois lados da traseira?
Tenho um golden retreiver
A sua avaliação:
Ana Lucía
Boa noite meu nome é Ana lucia tenho um labrador que está com displagia com dificuldade de se levantar.
Depois que está de pé anda com dificuldade
Toma 3 vezes por dia cozequin HÁ
Moro em Ushuaia e não existe fisioterapia para pêros
Poderia me ajudar indicando exercícios e massagem para fortalecer o quadril e as duas pernas traseiras .?

agradeço e aguardo resposta
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Ana Lucia! Você já tentou as dicas do artigo?
edson luis PAULO
Ola, meu cachorro tem 15 anos e' mestico Pastor Belga/Rottweiler. A um mes foi diagnosticado com displasia coxofemoral e em um curto prazo se agravou muito.. nesse mesmo mes nao quer mais andar, perdeu toda musculatura das pernas traseiras.. Esta em tratamento com fortes antibioticos de 6 em 6 horas., e vitaminas..Mas de uma semana para ca nao esta surtindo muito efeito. Esta com dores e muito enocmodo.. Esse cachorro ja sofreu um ACV a 1 ano atras. E muito resistente.. mas dessa vez esta sofrendo demais. A veterinaria nao quis fazer eutanasia ainda por ele ainda estar se alimentando.. Mas me pergunto se isso e' digno pra um animal sofrer tanto assim mesmo se alimentando.
A sua avaliação:
Daniela
Ola. Meu cachorro e' um shitzu de 2,5 anos. De um dia p o outro ele , q sempre foi mt ativo, ficou quieto e evitava se deslocar pela casa. Levamos imediatamente ao veterinario q nao soube identificar o problema. 2 dias depois levamos novamente, fez raio x e hemograma e nada ainda. Passou um analgesico e um anti-inflamatorio. Ele parecia melhorar mas 2dias depois ao tentar correr, caiu sobre uma pata e comecou a ganir. De novo no vet veio a suspeita de displasia de quadril. Continuamos c a medicacao. Pergunta: a displasia pode se apresentar de forma tao repentina ? Neste casos, em geral o tratamento clinico resolve? Muito obrigada
Aparecida Alves Corrêa
Gostei das explicações mas como sou leiga no assunto não teria como mandar fotos como essa acima de como segurar no cachorro para fazer a fisioterapia. Minha cachorra é uma golden retrivier.
Vanessa Lopes (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Aparecida! Se você fizer fisioterapia com o seu cachorro não tem que se preocupar, pois o fisioterapeuta irá indicar-lhe como deve segurar no seu cachorro. Muito obrigada pelo comentário!

Exercícios para cachorro com displasia de quadril
1 de 9
Exercícios para cachorro com displasia de quadril

Voltar ao topo da página