Partilhar

Seres autótrofos e heterótrofos

 
Por Ana Diaz Maqueda. 9 junho 2020
Seres autótrofos e heterótrofos

Você sabe como os seres que vivem na Terra se nutrem e recebem energia? Sabemos que os animais recebem energia quando comem, mas e as algas ou outros seres que não têm boca e sistema digestivo, por exemplo?

Neste artigo do PeritoAnimal, veremos qual é a definição de seres autótrofos e heterótrofos, as diferenças entre a nutrição autotrófica e heterotrófica e alguns exemplos para entendê-las melhor. Continue lendo o artigo para aprender mais sobre os seres que habitam nosso planeta!

O que são seres autótrofos e heterótrofos

Antes de explicar a definição de autotrófico e heterotrófico, é muito importante saber o que é carbono. O carbono é o elemento químico da vida, capaz de se estruturar de várias maneiras e estabelecer ligações com uma infinidade de elementos químicos. Além disso, sua baixa massa o torna o elemento perfeito para a vida. Nós somos todos feitos de carbono e, de uma maneira ou de outra, precisamos retirá-lo do ambiente ao nosso redor.

Tanto a palavra "autótrofo" como "heterótrofo" derivam do grego. A palavra "autos" significa "por si só", "heteros" significa "outro", e "trofe" significa "nutrição". De acordo com essa etimologia, entendemos que um ser autotrófico cria seu próprio alimento e que um ser heterotrófico precisa de outro ser para se alimentar.

Seres autótrofos e heterótrofos - O que são seres autótrofos e heterótrofos

Nutrição autotrófica e heterotrófica - Diferenças e curiosidades

A nutrição autotrófica

Os seres autótrofos criam seus próprios alimentos através da fixação de carbono, ou seja, os autotróficos obtêm seu carbono diretamente do dióxido de carbono (CO2) que compõe o ar que respiramos ou que está dissolvido na água, e utilizam esse carbono inorgânico para criar compostos de carbono orgânico e criar suas próprias células. Essa transformação é feita através de um mecanismo chamado fotossíntese.

Os seres autótrofos podem ser fotoautotróficos ou quimioautotróficos. Os fotoautotróficos usam a luz como fonte de energia para fixar o carbono, e os quimioautotróficos usam outras substâncias químicas como fonte de energia, como o sulfeto de hidrogênio, enxofre elementar, amônia e ferro ferroso. Todas as plantas e algumas bactérias, arquéias e protistas obtêm seu carbono dessa maneira. Se você quiser saber mais sobre esses organismos que acabamos de mencionar, descubra no PeritoAnimal a classificação dos seres vivos em 5 reinos.

A fotossíntese é o processo pelo qual plantas verdes e outros organismos transformam energia luminosa em energia química. Durante a fotossíntese, a energia luminosa é capturada por uma organela chamada cloroplasto, presente nas células desses organismos, e é usada para converter água, dióxido de carbono e outros minerais em compostos orgânicos ricos em oxigênio e energia.

A nutrição heterotrófica

Por outro lado, seres heterótrofos obtêm seus alimentos de fontes orgânicas presentes em seu ambiente, não conseguem transformar carbono inorgânico em orgânico (proteínas, carboidratos, gorduras...). Isso significa que precisam comer ou absorver materiais que possuem carbono orgânico (qualquer coisa viva e seus resíduos, desde bactérias até mamíferos), como vegetais ou animais. Todos os animais e fungos são heterotróficos.

Existem dois tipos de seres heterótrofos: fotoheterotrófico e quimioheterotrófico. Os fotoheterotróficos usam energia luminosa para obter energia, mas precisam de uma matéria orgânica como fonte de carbono. Os quimioheterotróficos obtêm sua energia através de uma reação química que libera energia ao quebrar moléculas orgânicas. Por esse motivo, os organismos fotoheterotróficos e quimioheterotróficos precisam comer seres vivos ou mortos para obter energia e absorver matéria orgânica.

Em resumo, a diferença entre seres autótrofos e heterótrofos reside na fonte usada para obter alimentos.

Exemplos de seres autótrofos

  • As plantas verdes e as algas são seres autotróficos por excelência, especificamente, fotoautotróficos. Elas usam a luz como fonte de energia. Esses organismos são fundamentais para as cadeias alimentares de todos os ecossistemas do mundo.
  • Ferrobactérias: são quimioautotróficas, e obtêm sua energia e alimento a partir de substâncias inorgânicas que existem em seu ambiente. Podemos encontrar essas bactérias em solos e rios ricos em ferro.
  • Bactérias do enxofre: quimioautotróficas, vivem em acumulações de pirita, que é um mineral feito de enxofre, do qual se alimentam.
Seres autótrofos e heterótrofos - Exemplos de seres autótrofos

Exemplos de seres heterótrofos

  • Os herbívoros, onívoros e carnívoros são todos seres heterótrofos, porque se alimentam de outros animais e plantas.
  • Fungos e protozoários: absorvem carbono orgânico de seu ambiente. São quimioheterotróficos.
  • Bactérias púrpuras não sulforosas: são fotoheterotróficas e usam ácidos orgânicos não sulforosos para obter energia, mas o carbono é obtido da matéria orgânica.
  • Heliobactérias: também são fotoheterotróficas e requerem fontes de carbono orgânico encontradas no solo, especialmente nas plantações de arroz.
  • Bactérias oxidantes de manganês: são seres quimioheterotróficos que usam rochas de lava para obter energia, mas dependem de seu ambiente para obter carbono orgânico.

Se você quer saber mais sobre a nutrição nos seres vivos, te convidamos a descobrir outros artigos do PeritoAnimal, como "Animais carnívoros - Exemplos e curiosidades" ou "Animais herbívoros - Exemplos e curiosidades".

Seres autótrofos e heterótrofos - Exemplos de seres heterótrofos

Se deseja ler mais artigos parecidos a Seres autótrofos e heterótrofos, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Curiosidades do mundo animal.

Escrever comentário sobre Seres autótrofos e heterótrofos

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Seres autótrofos e heterótrofos
1 de 4
Seres autótrofos e heterótrofos

Voltar ao topo da página