Partilhar

Doenças mais comuns no bichon frisé

 
Por Mariana Castanheira, Médica Veterinária. Atualizado: 14 março 2018
Doenças mais comuns no bichon frisé

Ver fichas de  Cachorros

Conhecer as diferentes doenças que podem afetar o seu bichon frisé é imprescindível. Você deve estar prevenido e se antecipar a qualquer sinal clínico.

Neste artigo do PeritoAnimal vamos te explicar algumas das principais doenças que afetam o bichon frisé. Como qualquer outra raça de cachorro, eles podem ter doenças infeccionas, parasitárias e de qualquer outro tipo. Porém, existem algumas hereditárias que podem ocorrer mais nestas raças do que em outras.

Descubra neste artigo do PeritoAnimal as doenças mais comuns do bichon frisé.

Também lhe pode interessar: Doenças mais comuns nos coelhos

Doenças de pele do bichon frisé

Tal como acontece como outras raças de cachorros de pelagem branca, o bichon frisé tem alguma predisposição para sofrer de alergias.

A explicação para o facto dos bichons terem uma grande probabilidade de terem problemas de pele, deve-se ao facto de terem menos pigmentação (têm a pele mais rosa) e por isso conferem uma menor proteção. Você deve estar atento aos seguintes sintomas de doença de pele ou alergia:

  • Coceira;
  • Perda de pelo;
  • Lamber exageradamente as patas;
  • Esfregar o corpo muitas vezes nos tapetes ou mobília;
  • Zonas avermelhadas na pele.

Perante qualquer sinal clínico de um problema de pele no seu bichon frisé, é imprescindível que você visite um médico veterinário que diagnostique corretamente a causa para que possa ser iniciado o tratamento adequado.

Algumas das possíveis causas para os problemas de pele no bichon frisé são:

  • Alergias;
  • Pulgas;
  • Ácaros;
  • Doenças autoimunes;
  • Problemas na tiróide;
  • Exposição a químicos.

Existe uma forte possibilidade de que algumas das causas possam ser hereditárias e que esta raça tenha predisposição genética para desenvolver alguns problemas de pele. Por esse motivo, um criador responsável, não deveria reproduzir Bichons com problemas de pele, já que estes poderiam ser transmitidos genéticamente à descendência.

O tratamento das doenças de pele pode ser muito longo e caro. Por esse motivo, a melhor arma é a prevenção. Você deve apostar em fortificar o sistema imunitário do cachorro, garantindo que ele tem uma boa dieta de base e que faz exercício físico. Para além disso, para prevenir os problemas de pele você deve:

  • Evitar utilizas shampoos específicos para o pelo branco que possam ser demasiado irritantes para a pele;
  • Não dê banho ao seu bichon mais do que duas vezes ao mês, para evitar secar demasiado a pele;
  • Use um shampoo apropriado caso exista um problema de pele;
  • Evite que o seu cachorro entre em contacto com produtos químicos como de limpeza da casa.

Pedras nos rins do bichon frisé

Os cachorros bichon frisé têm predisposição para sofrer de uma doença chamada de urolitíase. Esta doença consiste na formação de cálculos urinários, ou seja, a acumulação de minerais o magnésio, oxalato de cálcio, entre outros, podem formar pedras no trato urinário do cachorro.

A melhor forma de prevenir estes problemas é ter sempre água fresca e limpa à disposição do cachorro. É muito importante que o seu patudo esteja sempre bem hidratado.

Problemas ortopédicos do bichon frisé

O problema ortopédico mais frequente nos cachorros da raça bichon frisé é a luxação de patela. Você deve estar atento aos seguintes sintomas de luxação de patela:

  • Cachorro anda com dificuldade;
  • Patas aparentemente instáveis;
  • Coloca o peso mais sobre uma das patas.
Doenças mais comuns no bichon frisé - Problemas ortopédicos do bichon frisé

Problemas dentais no bichon frisé

Juntamente com as alergias que já referimos, os problemas dentais são umas das principais causas que levam os tutores de cachorros bichon frisé à clínica veterinária. Muitos bichons começam perdendo seus dentes por volta dos sete anos de idade. Para além disso, existem inúmeros casos de gengivite crônica nesta raça.

O que é a gengivite crônica?

A gengivite crônica, muito frequente em cachorros da raça bichon frisé, consiste numa grave inflamação da gengiva que pode conduzir a uma infeção sistêmica. Devido à gravidade deste problema, é essencial que você tenha uma rotina de higiene oral com o seu cachorro.

Doenças oculares do Bichon frisé

A doença oftalmológica mais comum nos cachorros de raça Bichon Frisé são as cataratas. Estas podem ser unilaterais (em apenas um dos olhos) ou bilaterais (nos dois olhos). A catarata consiste numa opacidade do olho do cachorro, o que implica uma menor visão e o cachorro pode inclusive ficar cego.

Segundo alguns estudos, o bichon frisé é a terceira raça com mais casos de incidência deste problema (afeta cerca de 11% dos cachorros desta raça). O tratamento consiste em realizar uma cirurgia para remoção da catarata.

É extremamente importante que cachorros com este problema não seja utilizados para reprodução, já que existe uma forte componente genética e o problema pode ser transmitido à descendência. Por este motivo, é muito importante que se você adquire um cachorro de raça o faça num criador registado e de confiança.

Caso o seu cachorro apresente sinais de catarata, consulte um médico veterinário especialista em oftalmologia. Este é o profissional melhor preparado para tratar do problema.

Doenças mais comuns no bichon frisé - Doenças oculares do Bichon frisé

Doenças endócrinas no Bichon Frisé

Existem algumas doenças endócrinas comuns em cachorros da raça bichon frisé. A maioria destas doenças afeta animais idosos mas também podem ocorrer em bichons jovens.

Pancreatite

Cães com excesso de peso são os mais propensos a sofrer de uma pancreatite aguda que pode colocar em risco a vida do animal. Cachorros com dietas pobres e ricas em gorduras estão altamente susceptíveis de ter este problema. Os sintomas de pancreatite são:

  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Dor abdominal;
  • Apatia.

Mantenha o seu cachorro com uma dieta saudável e fomente as brincadeiras e os passeios largos para prevenir este problema.

Diabetes mellitus

Diabetes mellitus ocorre quanto existe um problema na produção de insulina pelo pâncreas. Sem a insulina para processar o açúcar, existe um excesso no sangue e urina do cachorro. Os primeiros sinais clínicos que você deve estar atento são:

  • Aumento da ingestão de água;
  • Aumento da quantidade e frequência de urina;
  • Perda de peso.

Leia o nosso artigo completo sobre a diabetes em cães - sintomas e tratamento.

Síndrome de Cushing

Esta doença afeta principalmente cachorros mais idosos mas existem casos relatados de cachorros jovens. Os sintomas são muito semelhantes aos de outras doenças endócrinas:

  • Letargia;
  • Abdômen distendido;
  • Aumento da frequência com que o cachorro urina;
  • Aumento da ingestão de água.

O seu médico veterinário precisa realizar algumas provas complementares, como a análise sanguínea, para chegar a um diagnóstico.

Hipotireoidismo

O Hipotireoidismo consiste numa produção inadequada de hormonas da tiroide. Alguns sintomas deste problema são:

  • Letargia;
  • Obesidade;
  • Pelo mais fraco;
  • Pele pode escurecer.

Muitas vezes este problema é confundido com uma alergia. É importante que o seu cachorro seja devidamente diagnosticado por um médico veterinário. Leia o nosso artigo completo sobre o hipotireoidismo em cachorros.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Doenças mais comuns no bichon frisé, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Escrever comentário sobre Doenças mais comuns no bichon frisé

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Doenças mais comuns no bichon frisé
1 de 3
Doenças mais comuns no bichon frisé

Voltar ao topo da página