Partilhar

Doenças mais comuns em Lhasa Apso

Por Aline Kitamura Prata, Estudante de Medicina Veterinária. 13 março 2018
Doenças mais comuns em Lhasa Apso

Ver fichas de  Cachorros

Acredita-se que o Lhasa Apso originou-se no Tibete, na capital Lhasa, onde era considerado uma raça sagrada por guardar e proteger o palácio de Potala, onde residia o Dalai Lama, devido à sua audição aguçada. Além disso, eram os cães preferidos dos monges por seu temperamento calmo, pois é um cão que não costuma latir para qualquer coisa. Justamente por isso, atualmente, tornou-se uma raça popular entre moradores de apartamento, já que os latidos excessivos podem incomodar os vizinhos.

Apesar de ser uma raça bastante resistente, algumas doenças específicas são mais predisponentes no Lhasa Apso como doenças de pele, doenças oculares e doenças genéticas. Continue aqui no PeritoAnimal para ficar por dentro das doenças mais comuns em Lhasa Apso.

Também lhe pode interessar: Doenças mais comuns nos coelhos

Principais doenças que acometem Lhaso Apso

Em geral, é uma raça bastante resistente à doenças e, como todo cão, para se manter saudável e com a imunidade em alta, requer atividades físicas diárias, uma boa dieta e uma boa alimentação e higienização da pelagem, já que a pelagem está entre as maiores causadoras de problemas no Lhasa Apso.

As principais doenças que acomentem a raça Lhasa Apso especificamente são:

  1. Dermatites alérgicas.
  2. Conjuntivite.
  3. Atrofia progressiva da retina (APR ou PRA).
  4. Displasia renal.

Caso você tenha mais curiosidades sobre a raça Lhasa Apso, o PeritoAnimal preparou esta ficha técnica para você.

Doenças de pele do Lhasa Apso

Por ser uma raça de pelagem longa, é ela quem demanda mais cuidados com escovação diária e banhos periódicos. Dessa forma, evita-se o acúmulo de sujeira e outras partículas na pelagem do cão, da mesma forma, evitando que ectoparasitas como pulgas e carrapatos se instalem no cachorro.

A dermatite é a doença de pele que mais acomete o Lhasa Apso, e raças de cães com pelagem longa e vasta no geral. A dermatite, como o nome sugere é uma inflamação da derme, que é a pele do animal, e caracteriza-se por pontos avermelhados, descamação da pele e coceira, podendo ainda, ocorrer infecções secundárias por bactérias e fungos, o que aumenta a inflamação e a coceira.

As causas para a dermatite alérgica podem ser por picada de pulgas, produtos tóxicos, ou ainda fatores psicológicos como estresse. O uso de roupinhas também pode estar associado às dermatites alérgicas, já que o Lhasa Apso é um cachorro de pelagem longa, o uso de roupinhas em climas muito quentes e por tempo prolongado, pode fazer com que a pelagem fique quente e úmida, o que é um ambiente propício para a proliferação de bactérias e fungos.

O tratamento será de acordo com o que está a causar a dermatite, e apenas o médico veterinário poderá determinar a causa por meio de exames diagnósticos. Caso fique constatado que é o excesso de roupinhas em dias muito quentes, basta cortar o hábito, e deixar com que a pele do animal ventile de forma adequada. Pulgas e outros ectoparasitas devem ser combatidos por meio de antiparasitários específicos e caso o médico veterinário constate que há infecção secundária por bactérias ou fungos, um shampoo próprio poderá ser prescrito, portanto, siga as recomendações veterinárias para que não volte a acontecer novamente.

As dermatites por estresse, podem ser difíceis de serem diagnosticadas por envolver o fator emocional dos cães, e muitas vezes, o tutor por passar o dia fora durante a semana toda, acaba não percebendo até que os sintomas já estão bem agravados. Se notar que seu cão se lambe compulsivamente a ponto de a região do corpo ficar avermelhada informe ao seu veterinário, alguns cães também podem desenvolver o hábito de arrancarem os próprios pelos devido ao estresse.

Doenças mais comuns em Lhasa Apso - Doenças de pele do Lhasa Apso

Doenças oculares em Lhasa Apso

As doenças oculares mais comuns em Lhasa Apso são as conjuntivites. A conjuntivite é a inflamação da mucosa dos olhos e diferente da causa em seres humanos que é por uma bactéria, esta doença é bastante comum nos olhos do Lhasa Apso devido a sua pelagem longa. Como a raça têm olhos bastante sensíveis, a conjuntivite é comumente causada pela fricção dos pelos que caem sobre os olhos.

Para que o cão não desenvolva complicações futuras nos olhos, recomenda-se prender a franja. Caso o animal não participe de exposições de cães de raça, cortar os pelos na região acima dos olhos também é recomendável. Outros cuidados a serem tomados é a limpeza e cuidado regular com os olhos deste cachorro em específico.

Doenças genéticas do Lhasa Apso

Duas são as doenças genéticas que podem acometer o Lhasa Apso especificamente: a Displasia renal, e a Atrofia Progressiva da Retina.

A displasia renal é um problema bastante grave, apesar de ser uma condição rara. A doença progride de forma silenciosa podendo, inclusive, levar o cão à morte. Sinais clínicos como urina translúcida como água, perda de peso, prostração e ingestão de água em excesso leve-o imediatamente ao veterinário para um rápido diagnóstico, já que o animal pode morrer devido à insuficiência renal severa. Alguns animais podem ainda não apresentar sintoma nenhum, o que dificulta o diagnóstico e o tratamento, portanto, fique alerta à qualquer alteração no comportamento do seu cão. Em geral, manifesta-se em cães com 2 a 3 anos de idade.

A Atrofia Progressiva da Retina também é um problema genético e está associado com a degeneração das células da retina, o que leva ao desenvolvimento progressivo de uma cegueira completa no Lhasa Apso. Também pode ser devido a um desenvolvimento anormal das células da retina.

Para se evitar que problemas genéticos sejam continuamente disseminados, criadores profissionais de cães devem realizar uma série de testes genéticos em suas matrizes caninas, a fim de descobrir se são portadores dos genes defeituosos causadores destas doenças. Desta forma, os cães que forem portadores destes genes recessivos são castrados para que a incidência do problema diminua. Portanto, se quiser adquirir um cão da raça Lhasa Apso procure apenas criadores de cães profissionais e responsáveis, e peça pela certificação genética das matrizes, para certificar-se de que estará adquirindo um filhote de exemplares saudáveis.

Doenças mais comuns em Lhasa Apso - Doenças genéticas do Lhasa Apso

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Doenças mais comuns em Lhasa Apso, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Escrever comentário sobre Doenças mais comuns em Lhasa Apso

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
Yvone Eugenia
Eu tenho um Lhasa Apso,e ele está com muito tártaro,como fazer para tratar. Está muito e ele está sofrendo muito.
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Yvone! Temos um artigo com algumas dicas para tirar o tártaro em cães que pode te ajudar: https://www.peritoanimal.com.br/dicas-para-tirar-o-tartaro-em-caes-20106.html
No entanto, antes de começar qualquer tratamento, é indicado buscar ajuda de um médico veterinário de confiança.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!
Adriano
Pra minha eu comprei aquele ossinho branco e a corda com nó pra ela morder .....ajudou e muito os dentes estão sempre branquinho 👍

Doenças mais comuns em Lhasa Apso
1 de 3
Doenças mais comuns em Lhasa Apso

Voltar ao topo da página