Partilhar

Curar queimaduras em cães

Por Nelson Ferreira, Redator do Perito Animal. 21 abril 2016
Curar queimaduras em cães

Ver fichas de  Cachorros

Se tem um cão certamente que lhe interessa este artigo do Perito Animal onde lhe trazemos um tema de primeiros socorros, curar queimaduras em cães.

Sabia que os cães se podem queimar não só com o fogo? Sabe que tipos de queimaduras podem sofrer? Ou como as curar? E, sobretudo, como as prevenir?

Esperamos que nunca precisa de fazer o que lhe vamos explicar em seguida devido a uma queimadura no seu animal de estimação, mas caso isso aconteça, queremos ajudar!

Também lhe pode interessar: Anti-inflamatórios naturais para cães

O que é uma queimadura?

As queimaduras são lesões produzidas na pele de um animal devido à ação de algum tipo de agente que possa tê-las produzido como por exemplo o calor, a radiação, os químicos, a eletricidade ou inclusivamente o frio. Estas lesões acontecem devido à total desidratação das camadas da pele as quais se desprendem. Trata-se de uma lesão muito dolorosa e as consequências de uma queimadura não tratada de forma adequada podem passar por infeção até à morte do animal. Portanto, se o nosso cão se queimar, seja de que forma for, é muito importante manter a calma e agir eficazmente, evitando que a queimadura se alastre e aumente a sua gravidade.

Podemos classificar as queimaduras em diversos tipos consoante a sua causa:

  • Escaldões: quando são lesões produzidas por líquidos quentes ou ferventes.
  • Corrosões: Se são produzidas por produtos químicos corrosivos.
  • Queimaduras elétricas: se são produzidas por eletricidade.
  • Radionecrose ou queimaduras por radiações: Se forem produzias por radiações ionizantes, como por exemplo os raio x ou os raio gama provenientes do sol.
  • Congelações: Se são produzidas por excesso de frio.
  • Queimaduras por fogo ou contato com material quente: quando se entra em contato com superfícies metálicas quentes ou diretamente com chamas ou fogo.

Além disso, as lesões por queimaduras diferenciam-se e agravam-se segundo a quantidade de superfície do corpo queimado e segundo a profundidade das mesmas.

Os graus de queimaduras são:

  1. Primeiro grau: As queimaduras de primeiro grau são as mais leves, mais superficiais e normalmente curam-se bem em uma semana mais ou menos. São fáceis de tratar e os seus sintomas são a vermelhidão da pele, sensação de inchaço e de ardor e a falta de pele na região afetada. São as únicas queimaduras que realmente podemos curar em casa sem grande preocupação, o resto dos graus requer atenção veterinária urgente.
  2. Segundo grau: Estas queimaduras são mais profundas e mais dolorosas que as de primeiro grau. Além dos sintomas das queimaduras de primeiro grau, as de segundo grau apresentam bolhas com líquido. Normalmente normalmente demoram umas três semanas a curar e são relativamente fáceis de curar.
  3. Terceiro grau: As queimaduras de terceiro grau são das mais profundas, mais dolorosas, mais difíceis de curar e inclusivamente fatais dependendo da superfície afetada e região. Neste caso a pele queima-se completamente e a queimadura chega à camada de gordura corporal. A pele fica seca, chamuscada e endurecida, uma vez que se desidratou completamente. Pode existir pele envermelhada à volta que será muito dolorosa porque as terminações nervosas ainda continuam ativas, mas o centro da queimadura estará negro e de fato não será doloroso porque as terminações nervosas foram completamente destruídas. O tratamento e cicatrização é doloroso e podem ficar deformações.
  4. Quarto grau: Este grau é o mais profundo, pois a queimadura chega até ao músculo, inclusivamente ao osso e aos órgãos internos. Produz-se a carbonização e necrose da pele, da camada de gordura corporal, da musculatura e dos ossos. Obviamente, como é a pior que a queimadura de terceiro grau, é mais complicada de tratar podendo existir inconsciência devido à dor e inclusivamente morte, dependendo da quantidade de superfície e região afetada. O tratamento e cicatrização são dolorosos e podem originar deformações.

No caso de qualquer queimadura, mas sobretudo no casa das mais graves, existe risco de choque e de infecção. O choque causado pelas queimaduras acontece porque uma lesão deste tipo provoca a saída de circulação sanguínea, a perda transcutânea de energia em forma de calor e perda significativa de água, além da entrada da infecção e tudo isto produz o que se chama de síndrome ou choque por queimadura que acontece com graves alterações do equilíbrio metabólico e das funções cardiovasculares, pulmonares, hepáticas e renais. quando um animal entra neste estado as suas possibilidades são muito escassas.

Além disso, os graus de queimaduras mais habituais nos cães e gatos são o primeiro grau e o segundo, mas no caso dos cães, se o corpo se encontra com uma superfície de 30% de queimadura de segundo grau ou com 50% de queimaduras de terceiro ou quarto grau, existem muito esperança de que possa superar este acidente sem passar por uma dor extrema. Isto faz com que muitas vezes, chegados a este ponto, se aplique a eutanásia evitando assim o sofrimento podem vir a ter.

Os cachorro são muito mais propensos a sofrer queimaduras, porque são muito mais ativos e curiosos. Muitas vezes encontramos os cachorros vagueando por qualquer lado, mordiscando cabos elétricos ou embalagens de produtos de limpeza que podem conter agentes corrosivos que provocam uma queimadura.

Curar queimaduras em cães - O que é uma queimadura?

Causas das queimaduras nos cães

Como vimos anteriormente, existem várias formas de um cão se queimar. Em seguida explicamos-lhe as causas principais, o que sucede e alguns sintomas:

  • Líquidos ferventes: Às vezes enquanto cozinhamos o nosso cão gosta de nos fazer companhia e espera que caia alguma coisa deliciosa para comer. Se comer algo que tenha saído diretamente da panela o mais provável é que escalde a boca, mas com água abundante o mais provável é que passe em pouco tempo. além disso, podemos tropeçar nele o ele pode colocar as patas na zona do fogo da cozinha atraído pelo cheiro do alimento e produzir assim o derramamento de água, óleo, caldo, leite ou outros líquidos fervente sobre ele, sendo o óleo o caso mais grave.
  • Exposição solar prolongada: Produz queimaduras solares, também chamadas de queimaduras por radiação. Muitos cães adoram o calor e passar horas deitados ao sol, correndo, brincando, dormindo ou fazendo qualquer atividade. Como nas pessoas, o sol em excesso pode provocar queimaduras, danos na pele a longo prazo e inclusivamente câncer de pele nos cães. Há que ter especial cuidado com cães de pele clara como os Bull Terriers, os Dálmatas e os Samoiedos. Também devemos ter em conta que quanto mais denso for o pelo e mais comprido, mas protegidos estarão do sol. Assim sendo, os de pele clara ou rosada e pelo curto são mais propensos às queimaduras solares. Devido às regiões com menos pelos, as zonas mais afetadas são o focinho, as pontas das orelhas e a barriga. Também são mais propensos a estas queimaduras o focinho dos cães de raças em que o focinho e o raiz são pouco pigmentados e rosados, como os Border Collie. De fato, os que talvez sejam mais propensos aos problemas de pele e às queimaduras solares são os cães que tenham o corpo nu o semi-nu, ou seja, que não tenha pelo, como por exemplo o cão sem pelo do Peru ou o Cão de crista chinês. Por fim, os cães com cicatrizes recentes e portanto sem pele na zona da pele nova e fraca, também têm uma grande facilidade para que queimar com o sol.
  • Brasas de uma fogueira: Às vezes vamos acampar e quando se apaga a fogueira ficam brasas ainda quentes com as quais o nosso cão pode queimar as paras acidentalmente. em principio trata-se de uma queimadura de leve de primeiro grau porque a reação do cão será afastar as patas rapidamente. Devemos retirar o animal da área da fogueira e refrescar imediatamente as patas com água fria abundante e esperar que se acalme. A sua pele deve ter ficado vermelha e brilhante.
  • Morder cabos elétricos: Neste caso a eletrocussão e a queimadura acontece na boca. Dependendo da quantidade de eletricidade descarregada no animal a queimadura será maior ou menos, sendo o mais preocupante a perda de uma boa parte do focinho por queimaduras de terceiro grau ou queimaduras internas difíceis de detetar. Além disso podem aparecer dificuldades respiratórias, aturdimento e inconsciência.
  • Produtos de limpeza com corrosivos e químicos cáusticos: Às vezes podemos derramar algum produto químico em casa que utilizamos para a limpeza ou outras tarefas do lar. Se o nosso animal de estimação entrar em contato com estes líquidos ou pós e se queimar, a gravidade da queimadura dependerá totalmente da quantidade de substância que caia no animal ou que este ingira, do tipo de substância e do tempo que esta substância permanecer em contato com o seu organismo. Devemos pensar que os cachorros são muito curiosos e se estiverem nascendo os dentes eles podem morder tudo o que lhes aparecer à frente.
  • Asfalto ou terra demasiado quente: Por vezes passeamos o nosso cão nas horas de maior calor sem pensar que o chão pode estar ardendo. Nós não temos consciência disso porque estamos calçados, mas os nossos animais de estimação andam diretamente sobre as suas almofadinhas, as quais se podem queimar no asfalto, pedra ou terra demasiado quente. Repare que se isso acontecer o cão irá procurar sombra e não quer andar. As suas almofadinhas ficam envermelhadas, brilhantes e muito quentes.
  • Congelação: Quando o temos demasiado tempo no exterior no inverno ou quando vamos de excursão para a neve, o nosso companheiro peludo corre o risco de sofrer a congelação de algumas das suas partes. Estas partes mais propensas à congelação são as extremidades do corpo como as orelhas, o nariz, a cauda, as patas e sobretudo, as almofadinhas das patas que estão em contato direto com a neve ou frio. Pode ver que nessa situação o cão recusa-se a andar, tem as almofadinhas das patas vermelhas, a pele está brilhante e extremamente fria.

 

Curar queimaduras em cães - Causas das queimaduras nos cães

Como agir diante de uma queimadura no nosso cão, tratá-la e curá-la

Claro que a prevenção é sempre mais eficaz e preferível que lamentar e ter que tratar uma queimadura. Mas, saber como agir diante de uma queimadura no nosso animal de estimação é fundamental para lhe proporcionar os primeiros socorros que precisa e evitar possíveis consequências indesejadas como uma infecção, um choque e inclusivamente a morte.

Em seguida, mostramos-lhe alguns passos que deve seguir para tratar todo o tipo de queimaduras nos nossos cães:

  1. Baixar a temperatura da pele: Molhe a região afetada ou todo o cão com água fria e em abundância. No caso de queimadura por congelação, por exemplo nas almofadinhas e nas patas, devemos fazer o contrário e subir a temperatura. Primeiramente retire o cão da zona fria e leve-o para um lugar quente. Envolva as suas patas com panos molhados em água quente que deve ir retirando e molhando de novo sempre que esfriem ou sequem. Deve fazer a mudança de temperatura de forma gradual para evitar choques térmicos.
  2. Remova os resíduos: Com o mesmo banho de água fria, se observar restos do produto que provocou a queimadura no cão, deve retirá-los suavemente. Faça o mesmo com os restos de pele que estejam soltos. Em princípio com a água abundante estes resíduos saem sozinhos, mas se vir que resistem, muito suavemente com os dedos pode esfregar a superfície para ajudar a sua eliminação.
  3. Contatar o veterinário: Isto deve ser feito por duas pessoas, enquanto dá banho ao cão a outra pessoa pode ligar para o veterinário. Ele ajudará a acalmar, e dará indicações consoante a origem da queimadura, a zona e a gravidade.
  4. Creme cicatrizante, antibiótico ou hidratante: Se o veterinário não nos disser o contrário, podemos, depois de uma boa limpeza, administrar uma camada fina de creme hidratante, antibiótico ou cicatrizante para que comece a acalmar a dor e curar a queimadura. Além disso a pele ficará protegida do ar e possíveis contaminações. é muito importante que não aplique nenhum creme hidratante comercial com álcool e aromas, isso pode piorar a queimadura do cão.
  5. Aloe Vera: Se não temos nenhum creme hidratante à mão, talvez tenha aloe vera. Parta uma folha e remova o gel e com os dedos, aplique suavemente sobre a queimadura do nosso companheiro.
  6. Cobrir com gaze estéril: Novamente se o veterinário não nos indicar o contrário, pode cobrir a região queimada com uma gaze estéril umedecida e sem a pressionar. Assim evitará possíveis contaminações ambientais da ferida, como por exemplo as causadas por insetos, que costumam rondar as feridas.
  7. No veterinário: Assim que chegar ao veterinário, ele deverá fazer uma inspeção exaustiva do animal e da sua queimadura. Assim poderá oferecer o tratamento mais adequado segundo o tipo de queimadura que tenha que tratar. Certamente, parte do tratamento será a administração de analgésicos devido à dor das queimaduras. Dependendo da gravidade da queimadura, podem ser administrados fluídos via intravenosa para a reidratação do cão. devemos colocar-lhe um colar isabelino no cão para evitar que se lamba ou coce as feridas da queimadura.
  8. Queimaduras graves: Se a olho nu já conseguimos perceber que a queimadura é grave, só deve aplicar um banho de água fria, preferivelmente sem mover o animal do lugar. Em seguida chame o veterinário, uma vez que com cremes ou gazes não conseguirá resolver nada. Neste caso é muito importante agir rápido e deixar que o veterinário faça todos os possíveis para salvar o cão.

Importante ter em conta antes do tratamento de uma queimadura num cão:

  • Eletrocussões: Devemos desligar a corrente elétrica rapidamente e afastar o animal do cabo sem lhe tocar, uma vez que podemos ainda ser também eletrocutados. Use umas luvas de borracha, um pau ou uma cadeira de madeira, mas nunca nada metálico.
  • Congelamento: Devemos mover rapidamente o cão para um local quente e cobri-lo com uma manta além de cobrir as partes congeladas com um pano molhado com água quente (não pode estar a ferver), para ir regulando a temperatura corporal. Em seguida recorra ao veterinário.
  • Produtos de limpeza corrosivos: Neste caso devemos lavar imediatamente com bastante água, para retirar o produto e no caso de ingestão, nunca deve provocar o vômito porque os agentes corrosivos podem prejudicar ainda mais o cão. O que deve fazer é dar-lhe leite e se não beber dê-lhe com uma seringa.
  • Gelo: Não é aconselhado o uso de gelo para baixar a temperatura da queimadura. Mas se o utilizar, nunca o aplique diretamente sobre a pele para baixar a temperatura, isso pode provocar uma segunda queimadura por frio extremo. Se usar gelo, deve cobrir bem o gelo com um pano grosso que pouco a pouco vai libertando o frio.
Curar queimaduras em cães - Como agir diante de uma queimadura no nosso cão, tratá-la e curá-la

Conselhos sobre como prevenir queimaduras

Vamos comentar o que podemos fazer para prevenir qualquer destas queimaduras abordadas anteriormente. Todas as indicações devem ser aplicadas a qualquer cão de qualquer raça e qualquer idade, mas debemos ser mais cuidadosos com cachorrinhos porque ainda desconhecem vários perigos e são muito curiosos, e além disso são mais frágeis que um cão adulto.

  • Devemos afastá-los sempre da cozinha quando temos o fogão ligado e líquidos fervendo.
  • Evite dar-lhe o deixá-los pegar comida diretamente do fogo, para que não escaldem a boca e a língua.
  • Procure ter os cabos recolhidos atrás dos móveis ou escondidos para que seja difícil ou impossível eles lhes tocarem ou morder.
  • Os produtos de limpeza devem ser guardados em armários mais altos e não à altura do chão.
  • Quando sair de de viagem, num passeio, etc, deve ir fazendo paragens e descansarem. Dê água ao seu cão e um pouco de sombra.
  • A água e a sombra devem estar sempre garantidas. Nunca deixe o seu animal de estimação várias horas no jardim sem ter acesso a água ou sombra.
  • Também deve tentar não passear muito à chapa do sol e procurar caminhos com sombra.
  • Evite asfaltos ou terras que estejam excessivamente quentes e que possam queimar as patas do cão. É completamente desaconselhável fazer caminhadas longas nas horas de maior calor.
  • Não deixe que se aproxime demasiado dos fogos.
  • Aplique creme solar especial para cães, que pode comprar em lojas especializadas e clinicas veterinárias, no caso das condições físicas do seu cão precisarem desta medida (focinho rosado, pele branca, sem pelo, etc). Consulte o seu veterinário sobre este ponto.
  • Na neve deve ir vigiando as suas almofadinhas das para ou, se o cão deixar, use protetores especiais para as patas (botas, cremes, etc).
Curar queimaduras em cães - Conselhos sobre como prevenir queimaduras

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Curar queimaduras em cães, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Primeiros socorros.

Escrever comentário sobre Curar queimaduras em cães

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
Elisângela Cristina Silva Santos
Olá boa noite olha o que aconteceu com a minha amiga de estimação ela é muito curiosa e acabou derrubando a panela e tinha um pouco de água quente e queimou
A sua avaliação:
Kariane
Eu passei butoX puro na pele do meu cachorro e ele ta muito irritado encomodado oq eu fasso oq eu posso passa pra alivia ador .
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Karine! Você tentou as dicas do artigo? Se você não notar uma melhora breve, o mais indicado é buscar ajuda de um médico veterinário de confiança.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!

Curar queimaduras em cães
1 de 5
Curar queimaduras em cães

Voltar ao topo da página