menu
Partilhar

Cão-pelado-peruano

Atualizado: 4 março 2022
Cão-pelado-peruano

Ao falar do cão-pelado-peruano, viringo, cão peruano ou cão calato, destaca-se sua ausência de pelagem, sendo uma das poucas raças de cães sem pelos. De origens muito antigas, este animal aparece já representado em artefatos encontrados em sítios arqueológicos pré-incas, sendo muito importantes nessas sociedades de épocas passadas.

Esta curiosa raça de cães viveu momentos de declínio com a introdução de raças europeias na América do Sul. No entanto, é reconhecida como patrimônio nacional pelo Congresso da República do Peru. Por este motivo, por sua beleza e curiosidades, conheceremos, no PeritoAnimal, mais detalhes sobre ela e motivos para escolher um viringo como companheiro, especialmente se você tiver alergias relacionadas aos pelos caninos, já que é um dos cães mais indicados para pessoas alérgicas. Descubra tudo sobre o cão-pelado-peruano a seguir.

Origem
  • América
  • Peru
Classificação FCI
  • Grupo V
Características físicas
Altura
  • 15-35
  • 35-45
  • 45-55
  • 55-70
  • 70-80
  • Mais de 80
Peso adulto
  • 1-3
  • 3-10
  • 10-25
  • 25-45
  • 45-100
Esperança de vida
  • 8-10
  • 10-12
  • 12-14
  • 15-20
Atividade física recomendada
  • Baixa
  • Média
  • Alta
Clima recomendado
Tipo de pelo

Origem do cão-pelado-peruano

O cão-pelado-peruano ou cão viringo é originário das civilizações pré-incas, já que são muitas as provas arqueológicas existentes que datam a sua aparição no ano 500 a.C. Foram, inclusive, encontrados mumificados nas tumbas dos nobres daquela época. Os Incas o chamavam Allqu, e também recebia o nome de Kaclla. Outros nomes pelos quais é conhecido são cão orquídea, cão chinês, Inca, chimoc, tai-tai, pila, yagua, gala, chono, viking ou calato.

Nestas culturas, o cão-pelado-peruado desempenhava diferentes papeis, mas um dos mais marcantes era que participava de diferentes cerimônias e rituais realizados por curandeiros e xamãs, pois acreditava-se que estes animais tinham propriedades curativas. Na verdade, quando um deles falecia, seu corpo era aproveitado de acordo com a necessidade que se tinha. Acreditava-se, por exemplo, que seu sangue beneficiava aqueles que sofriam de asma, além de outras crenças como a de que os viringos negros guiavam as almas dos defuntos em sua viagem ao além.

Com a chegada dos cães europeus, o cão-pelado-peruano ficou relegada ao esquecimento, sendo preservado graças aos camponeses locais continuarem a conservá-lo pelos seus fins terapêuticos. Defendiam, por exemplo, que o contato com estes animais ajudava com o reumatismo, por possuírem uma temperatura corporal mais alta. Por isso, além do consumo de sua carne como alimento em alguns lugares ou que muitos consideravam sua falta de pelos como um fator antiestético, a raça esteve à beira da extinção em várias ocasiões. Hoje em dia, no entanto, parece ter recuado e pouco a pouco estar se espalhando por outros continentes. Por isso, se nos perguntarmos onde o cão-pelado-peruano vive, a verdade é que pode fazê-lo em qualquer parte do mundo.

Características do cão-pelado-peruano

De porte esbelto e elegante, o cão-pelado-peruano apresenta uma cabeça larga, um pouco mais fina à medida que se aproxima do focinho. Se formos descrever este animal, vemos que seus olhos são escuros e arredondados, hipersensíveis à luz e com lábios grossos e enrugados. A pele do viringo é suave e flexível, de tom rosado com ou sem manchas e delicada em comparação com outras raças com pelo.

Não tem pelos, sendo esta a característica do cão-pelado-peruano mais marcante, ainda que possa haver alguns destes animais que apresentem restos de pelos na cabeça, na ponta das patas, na ponta da cauda e até alguns pelos ao longo do corpo. Tudo isso acontece devido a um gene recessivo da ninhada.

Outra característica do cão viringo é que pode ser de três tamanhos, tanto falando de machos como de fêmeas, as fêmeas sendo de porte menor que os machos:

  • Porte pequeno: de 4 a 8 kg e entre 25 e 40 cm de altura.
  • Porte médio: de 8 a 12 kg, 40 a 50 cm de altura.
  • Porte grande: de 12 a 25 kg, 50 a 65 cm de altura.

Cores do cão-pelado-peruano

A gama de cores do cão-pelado-peruano é muito variável. Pode ser uniforme ou com manchas rosadas em qualquer parte do corpo, desde o preto, com diferentes tonalidades como preto-ardósia, preto-elefante, preto azulado, até o marrom, que vai do escuro ao loiro claro, passando por toda a gama de cinzas.

Você pode consultar outras Raças de cães sem pelo neste post do PeritoAnimal que te sugerimos.

Personalidade do cão-pelado-peruano

Os cães viringos são animais dóceis, inteligentes e tranquilos. Costumam ser confiáveis e carinhosos com seus tutores, apesar de se mostrarem mais cautelosos com estranhas. Sendo assim, o caráter do cão-pelado-peruano se destaca pela afeição com seus humanos de confiança. Ele também se dá bem tanto com crianças como com outros animais. Se adapta muito bem à vida em um apartamento. Cabe ressaltar que, devido a sua pele delicada, tem que viver em espaços interiores e, por consequência, não é aconselhável deixá-lo em ambientes externos sem qualquer tipo de proteção.

Seu papel como guardião na história se deve ao seu caráter atento e protetor, mas não podemos nos confundir, já que não se trata de um animal agressivo. Como acontece com outras raças de cães, o cão-pelado-peruano não ataca, exceto por situações extremas, sendo um animal mentalmente equilibrado e pacífico.

Cuidados do cão-pelado-peruano

Devido à ausência de pelo que o proteja do mau tempo como a chuva, o sol ou o frio e o calor, é preciso tomar uma série de precauções.

  • Se o cão-pelado-peruano for exposto a raios solares: é necessário aplicar protetor solar, especialmente se as saídas forem realizadas durante as principais horas do dia, quando os raios solares são mais potentes, para evitar queimaduras e irritações.
  • Se, pelo contrário, for viver em um clima frio: é necessário vestir o cão-pelado-peruano, já que por não ter uma capa de pelo que o permita manter seu calor corporal, é mais passível de hipotermia. Para manter sua pele saudável é recomendável hidratá-la com cremes e óleos cujo uso esteja aprovado pelo nosso veterinário. Cachorro sente frio? Não deixe de ler este outro artigo para saber a resposta.

Por outro lado, e seguindo com os cuidados básicos do cão-pelado-peruano, é estritamente necessário proporcionar ao animal passeios diários, já que a falta de exercício pode causar estresse e ansiedade. Ele não é um animal hiperativo e, portanto, com estes passeios e sessões de brincadeira dentro e fora do lar, se manterá são, tranquilo e equilibrado. Além disso, é preciso oferecê-lo uma alimentação adequada e nutritiva, que favoreça a saúde cutânea e evite a obesidade.

Como adestrar o cão-pelado-peruano

Por serem animais curiosos e inteligentes, sua educação é facilitada. É preciso prestar atenção especialmente ao momento dos passeios, devendo levar em conta alguns detalhes para evitar que o animal se mostre ansioso e nervoso. Para isso, aconselhamos consultar o artigo Como passear com o cachorro corretamente? Há também de abordar seu possível comportamento superprotetor com os seus, que pode fazer com que fique um pouco carrancudo ao lidar com estranhos ou se alguém novo chegar em seu território. Para isso, é fundamental cuidar da sua socialização.

Por fim, aconselhamos sempre o reforço positivo para educar ao cão-pelado-peruano, como faríamos com qualquer outro cão, já que assim obteremos resultados melhores e conseguiremos manter o animal estimulado.

Como socializar um filhote corretamente? Descubra a resposta desta pergunta aqui.

Saúde do cão-pelado-peruano

A ausência de pelo nos cães-pelados-peruanos, ocasionada por uma "falha" genética chamada síndrome de hipoplasia ectodérmica, acarreta em uma série de consequências, já que implica na falta da proteção que a maior parte dos caes possui contra o meio, a sua pelagem. Isto, por si só, o deixa predisposto a diversas afecções cutâneas e respiratórias, porém não é o único fator, já que a alta consanguinidade da raça o expõe a diferentes enfermiddes e doenças genéticas, sendo as mais comuns as relacionadas com a dentição, com má formação ou queda anormal de dentes. Além disso, apresenta propensão a problemas oculares.

No que diz respeito à pele, os cães-pelados-peruanos são muito sensíveis, podendo sofrer queimaduras solares, irritações e alergias no geral, incluindo alergia a outros cães e gatos. Por tudo isso, é fundamental seguir uma adequada medicina preventiva, indo ao veterinário realizar exames periódicos, seguindo o calendário de vacinas e desparasitação.

Onde adotar um cão-pelado-peruano?

O fato de o cão-pelado-peruano ser um cão de origem sul-americana não significa que possamos encontrá-lo em abrigos ou associações de animais. Por isso, a melhor maneira de ter em sua família este companheiro não peludinho é adotando-o em um canil ou abrigo. Muitas pessoas não sentem uma preferência por esta raça de cães devido à sua ausência de pelos, mas isto não significa que possam ser menos queridos ou que mereçam menos cuidados. Tanto em uma associação de animais como em um abrigo, canil ou refúgio poderá encontrar cães de características semelhantes ao cão-pelado-peruano, ou até algum cruzamento do cão-pelado-peruano com outra raça.

Fotos de Cão-pelado-peruano

Artigos relacionados

Suba a sua foto de Cão-pelado-peruano

Suba a foto do seu Pet

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
Como avalia esta raça?
Cão-pelado-peruano
1 de 7
Cão-pelado-peruano

Voltar ao topo da página