Partilhar

Cachorro cambaleando: o que pode ser?

Por Carolina Costa, Médica Veterinária. Atualizado: 14 novembro 2018
Cachorro cambaleando: o que pode ser?

Ver fichas de  Cachorros

Existem muitas causas de cachorro cambaleando, com perda de equilíbrio ou com marcha descoordenada. O certo é que é uma situação grave e que suscita preocupação e tristeza de quem a observa. Se observou algum episódio desse tipo no seu animal, você deve pedir ajuda ao seu veterinário para ele possa fazer os exames complementares necessários para diagnosticar o problema.

No entanto, enquanto você espera pela consulta e quer saber porque o cachorro está cambaleando, neste artigo do PeritoAnimal vamos te ajudar a compreender um pouco mais sobre essa situação.

Também lhe pode interessar: Encefalite em cães: sintomas e tratamento

Cachorro cambaleando e com falta de equilíbrio

A marcha cambaleante pode surgir em várias idades, raças e gêneros e é normalmente associado a doenças neurológicas, pois muitas delas causam um andar cambaleante, descoordenação e desequilíbrio. No entanto, nem sempre a causa é de origem nervosa. Existem situações que podem provocar estes sintomas e que são resolvidas mais facilmente do que as doenças nervosas.

Se possível, filme quando o episódio ocorrer (se for uma situação prolongada ou com vários episódios que permitam filmar). Isso poderá ajudar o médico veterinário a visualizar melhor o problema, pois certos cachorros dentro do consultório podem não caminhar o suficiente para se visualizar o desequilíbrio durante a marcha.

No próximo tópico vamos referir as possíveis causas do porquê um cachorro anda cambaleando. O leque de possibilidades é tão grande que é importante observar os sintomas para ir reduzindo a lista dos diagnósticos possíveis.

Cachorro cambaleando: o que pode ser? - Cachorro cambaleando e com falta de equilíbrio

Cachorro cambaleando: causas

Anestesia

Todos sabemos que os fármacos têm alguns efeitos colaterais e que nos podem afetar de várias formas. Uma delas é a desorientação e andar cambaleante que os animais podem experienciar após uma anestesia de um procedimento cirúrgico. Durante as horas seguintes à cirurgia, o animal deve ser mantido num local calmo sem muito ruído e movimento, porque ainda se encontra sob o efeito da anestesia.

Não se assuste, é normal não saber o que fazer quando cachorro fica cambaleando. Geralmente, este efeito desaparece ao fim de umas horas após o repouso do animal e ele se recupera totalmente. Contudo, se os sintomas persistirem ao fim dessas horas, você deve informar o seu veterinário.

Doenças neurológicas

Lesões no sistema nervoso podem ser fruto de defeitos genéticos, malformações, infeções (como encefalites), intoxicações, traumatismos, tumores, doenças metabólicas (insuficiência renal crônica, diabetes, hepatites) , entre outras.

A ataxia, que significa perda de coordenação dos movimentos musculares voluntários, é comum em muitas doenças neurológica e caracteriza-se por movimentos sem coordenação e cambaleantes, fraqueza dos membros e movimentos pendulares anormais dos olhos (nistagmus).

A síndrome vestibular canina resulta da inflamação dos nervos do ouvido interno que controlam o equilíbrio e é muito comum em cachorros, principalmente naqueles que têm otites crônicas recorrentes ou otites mal tratadas. Caracteriza-se por um conjunto de sinais neurológicos muito fáceis de identificar, sendo a posição inclinada da cabeça um dos mais significativos.

A disfunção cognitiva canina é uma doença recentemente reconhecida em cães geriátricos e que se caracteriza pela degeneração do sistema nervoso central associado ao avanço da idade, tal como ocorre na doença de Alzheimer em seres humanos. O animal fica desorientado, parece não reconhecer ordens e comandos que sempre reconheceu, perde hábitos e rotinas, altera o seu padrão de sono e pode nem reconhecer os próprios donos.

Estes são apenas algumas das doenças neurológicas que podem acometer os cães.

É importante referir que as doenças neurológicas são de diagnóstico muito difícil devido à grande variedade de causas e origens que podem ter. Por isso, o tratamento é igualmente complexo e será adaptado conforme a causa subjacente.

Doenças ortopédicas

Muitas vezes, cachorro cambaleante e cachorro mancando são confundidos e outras vezes podem estar ambos presentes.

Um cachorro cambaleando pode ter origem em problemas nas articulações e/ou nas estruturas ósseas, hérnias discais, problemas musculares ou de tendões, entre outros. Neste caso, o médico veterinário vai realizar um exame neurológico e ortopédico detalhado para descobrir o diagnóstico.

Doenças vasculares

Como os seres humanos, os cães também podem ser afetados por AVC (acidentes vascular cerebral). Se o cachorro está tendo um derrame ou um AVC, ele pode caminhar de um jeito desequilibrado e cambaleante. Os sintomas são semelhantes aos das doenças neurológicas: desorientação, salivação excessiva e tremores.

Doenças virais

Certos vírus têm afinidade pelas células do sistema nervoso, levando a sintomas neurológicos graves e, muitas vezes, letais. A raiva e a cinomose são dois grandes exemplos de doenças víricas que têm repercussões a nível da locomoção, comportamento e estado mental do cachorro, que podem ser prevenidas através de um correto plano vacinal.

A raiva é uma doença infecciosa e possível de ser transmitida aos seres humanos (zoonose) com afinidade para o sistema nervoso central. A salivação excessiva é o sintoma mais comum associado a esta doença, todavia o andar cambaleante com quedas frequentes, falta de coordenação motora, confusão mental e contrações musculares são frequentes em cachorros com raiva.

A cinomose canina é uma doença infetocontagiosa que acomete filhotes até um ano e idosos. O sistema digestivo costuma ser o primeiro a ser afetado (vômitos, diarreia, perda de apetite), seguido de respiratório (dificuldades respiratórias, corrimento nasal, espirros) e, por último, o nervoso, que é quando animal começa a ficar desorientado e o cachorro anda cambaleando, podendo ficar com tremores e paralisado. O animal que teve o acometimento do sistema nervoso pode ficar com tremores musculares, andar cambaleante e ter crises convulsivas para toda a vida, mesmo que o vírus já não esteja no seu organismo.

Em caso de diagnóstico definitivo é importante o isolamento do animal para que ele não possa contagiar outros.

Dor

Um cachorro com dor visceral (nos órgãos), muscular, óssea ou articular pode ter dificuldade em se movimentar, o que faz com que ele assuma um andar manco e cambaleante. Normalmente, a dor é acompanhada de outros sintomas como vocalização excessiva, gemidos, perda de apetite, lambedura excessiva localizada, respiração ofegante, isolamento, posição da coluna (arqueada) e até alterações de comportamento como agressividade.

Apesar de poder ser difícil de identificar, a dor é tão dominadora e pode alterar toda a rotina do seu pet, incluindo a locomoção, sendo muito importante reconhece-la o quanto antes.

Envenenamento ou intoxicação

Uma das preocupações mais imediatas quando o cachorro começa a cambalear repentinamente é o envenenamento. Os cachorros são animais curiosos e tendem a comer uma variedade de alimentos ou substâncias que causar envenenamento ou intoxicação. Cuidado com as plantas e alimentos que deixa ao alcance do seu amigo.

O envenenamento e a intoxicação são conceitos distintos, mas que levam à manifestação dos mesmos sinais clínicos: erupções de pele, vômitos, diarreia, tremores, convulsões, letargia, falta de apetite, salivação excessiva, cambaleando, respiração alterada, hemorragias, insuficiência cardíaca, coma e morte.

Em geral, o tempo necessário para os sintomas surgirem vai depender da quantidade de substância tóxica ingerida e da toxicidade da mesma.

Se o cão apresenta sintomas de envenenamento, você deve levar o seu cachorro imediatamente a um veterinário. O tratamento deve ser iniciado assim que se identificar a substância.

Hipertermia ou febre

A hipertermia, definida como o aumento da temperatura corporal, é um problema muito comum e muito grave em cachorros e gatos, principalmente durante o verão. Os cachorros não têm a mesma capacidade que nós temos para transpirar e a única forma que eles têm para regular a temperatura é através da respiração, o que, por vezes, pode não ser suficientemente eficaz.

Entre os principais sintomas da hipertermia temos: respiração ofegante, língua muito vermelha, salivação excessiva, andar cambaleante, confusão mental, convulsões, vômitos e diarreia. Esta situação deve ser rapidamente revertida e evitada porque pode ser letal. Nos períodos de temperatura mais alta, você deve fornecer sempre água fresca, exercício físico moderado e fora das horas de maior calor. Ter um abrigo em casa num local de sombra e arejado é o ideal.

Em casos de febre devido a uma infeção bacteriana, viral ou doença imunológica, o animal também dica desorientado e pode andar mais cambaleante e estar mais apático, com nariz quente e seco, falta de apetite, vômitos, diarreia, dependendo do que originou a febre. Em qualquer um dos casos é necessário tentar baixar a temperatura antes que as consequências sejam ainda mais graves.

Hipoglicemia

A hipoglicemia é a diminuição da concentração de glicose no sangue abaixo dos níveis normais. Ela pode ser dividida em três tipos de gravidade e, se não for tratada com urgência, pode ser fatal.

A hipoglicemia leve pode envolver fraqueza generalizada, apetite excessivo e tremores. Na moderada podemos ter um cachorro com falta de coordenação motora, descoordenado, desorientado, caminhando em círculos ou cambaleando. No estado mais grave, o cachorro pode ter convulsões, perder a consciência, entrar em coma ou até morrer.

Mau estado de saúde em geral

Animais muito debilitados, anoréticos, anêmicos ou desidratados têm predisposição para sintomas neurológicos incapacitantes, tais como: apatia, prostração, fraqueza muscular, desequilíbrio, confusão mental, incoordenação motora e quando se tentam mover, se movem de um jeito cambaleante.

Qualquer animal neste estado deve ser considerado uma urgência médica.

Cachorro cambaleando: o que pode ser? - Cachorro cambaleando: causas

Cachorro cambaleando: diagnóstico e tratamento

Como vimos, as causas de cães com marcha cambaleante são inúmeras, o que pode levar a um diagnóstico mais tardio. Por este motivo que é muito importante fornecer a história completa da vida e rotina do animal, para que se possam descartar ou incluir possibilidades.

Tudo isso, junto com os restantes sintomas, exame físico na hora da consulta e exames complementares vai fornecer grande parte da informação necessária para se alcançar o diagnóstico definitivo, tão importante para aplicar o tratamento ideal.

O tratamento também vai depender da causa e da gravidade da situação. Certas situações não têm cura mas podem ser atenuadas com a ajuda de fármacos de forma a que o seu animal possa ter uma vida estável e com bem-estar.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Cachorro cambaleando: o que pode ser?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças neurológicas.

Bibliografia
  • Dewey, C. W., Costa, R. C. (2016) Practical Guide to Canine and Feline Neurology. 3rd Edition, Wiley Blackwell pub, ISBN: 978-1119946113, pp688

Escrever comentário sobre Cachorro cambaleando: o que pode ser?

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
30 comentários
Pedro Silva
O meu cão esta a perder força nos membros sobre tudo os de traz que provoca quedas e por ultimo fica desorientado, já fui a vet. fez um tratamento para a atrite mas ,a acho que seja isso o que pode ser?
Maria jose Rodrigues da Silva
Meu cão esta cambaleando pros lados ao andar seu nariz seco
Marcia Aparecida Favile
Encontrei um cachorro na rua, cambaleando chutando as pernas e não para de se mexer, não sei o que fazer, pois não tem dinheiro para levar ao um veterinário.
Nídia do Carmo (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Marcia! Recomendamos que você busque ONG's e associações de proteção de animais na sua região e entre em contato com elas para que possam te ajudar. Sorte para vocês!
Nívia
Cachorros em internamento devem sim, assim que possível, efetuar sessões de fisioterapia com os clínicos que o acompanham , tal como os humanos internados em hospitais. Ainda no internamento, seria impensável,supor que o nosso cachorro internado não fosse devidamente te acompanhado através de exames para aferir se esta desidratado , hipoglicêmico , se esta comendo para evitar ficar ainda mais debilitado,. Concordo que as doenças neurológicas sejam difíceis de ser diagnosticaras, meu cachorro internado depois de um acidente, foi diagnosticado pelo neurologista com trauma cranio encefálico , porém não fez nenhum exame a não ser as análises via "olhômetro" , foi medicado sob esse padrão presumido de diagnóstico. Porém o que nunca se pode fazer é não fazer nada diante de um quadro que pode evoluir negativamente, um veteirnairo não pode cruzar os braços e negligenciar o paciente , relegando suas aliás apenas às suas eventuais análises ...
Rayara
Olá ! Tenho uma cachorra pudoo e ela tem uns 13 anos.e ela tá andando meio que um pouco tonta cambaleando um pouco fraca.minha irmã viajou e penso que é a ausência dela. Ela tá sem apetite dou comida na boca e as vezes ela toma água sozinha. Ela n tá babando, faz as necessidades normal e n tem convicções .o que pode ser? Me ajude .
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Rayara! Sem ver a sua cachorra não conseguimos passar nenhum diagnóstico, no entanto, recomendamos que você busque ajuda de um médico veterinário de confiança para que ele possa eliminar qualquer possibilidade de doença.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!
Kelly
O cachorro da minha sogra tem aproximadamente 8 anos, sem raça definida. Ele começou com tremores, agora praticamente não consegue andar cambaleia e cai. Fez exame de sangue e não deu cinomose e nem a doença do carrapato. Come e bebe, mas tem que colocar na boca. O veterinário não deu o diagnóstico, está tomando dexametasona e Norton. Mas não estamos vendo melhora. Oq poderia ser? Obrigada desde já.
Sandro
Tenho uma cadela de 7anos estou notando que ela está com um pouco de bambeira e também agitada pois não dormi direito qual tipo dê tratamento que posso dar para ela voltar normal.obg
Luiz Alexandre
Qual medicamento posso usar nesse caso?
Carolina Costa
Oi Luiz!
Não existem medicamento específico para a fraqueza dos membros, existem sim medicamentos que atuam nas causas deste sintoma e complementos que podem ajudar o animal a ter melhor qualidade de vida, conforme o seu problema.

Obrigada pelo seu interesse!
A sua avaliação:
Mayara Klein
Meu cachorro completa 12 anos mês que vem. De uns dias pra cá ele começou a tossir muito e vomitar uma gosma branca. Agora está com os olhos um pouco vermelhos e cambaleando muito quando anda. As vezes não consegue nem ficar em pé pq as perninhas estão fracas. Não sei o que fazer. :'(
Carolina Costa
Oi Mayara!
Essa descrição não parece ser algo simples e sem o examinar se torna difícil.
O melhor é mesmo pedir ajuda ao médico veterinário de confiança para ele realizar analises sanguíneas e outros exames complementares que possam ajudar o seu cachorro e garantir o seu bem estar.

Obrigada pelo seu interesse no artigo e as melhoras para o seu menino!
Ananda
Comprei um husky siberiano, ele não completou dois meses ainda é veio pra nossa essa essa semana. É normal o desiquilibrio às vezes?? Por vezes também ele fica cansado e as patas de trás da umas falhadas..... o que pode ser? Ou apenas ainda esta se desenvolvendo?
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Ananda! O mais indicado é buscar um médico veterinário de confiança para eliminar qualquer possibilidade de doenças.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!

Cachorro cambaleando: o que pode ser?
1 de 3
Cachorro cambaleando: o que pode ser?

Voltar ao topo da página