Partilhar

9 doenças de cachorro em humanos

 
Por Giselly Lillmans. 10 fevereiro 2020
9 doenças de cachorro em humanos

Ver fichas de  Cachorros

Neste artigo do PeritoAnimal vamos falar sobre 9 doença de cachorro em humanos. Como veremos, elas são principalmente doenças relacionadas à parasitas, como as pulgas ou mosquitos, sendo consideradas doenças vetoriais, pois precisam da intervenção de um terceiro organismo para produzir a infestação do cachorro. Por todas essas razões, a prevenção é essencial. Portanto, se você mantiver seu cachorro devidamente desparasitado e vacinado, evitará em grande parte as opções de contágio e, consequentemente, a transmissão.

Parasitas internos de cachorros em humanos

Os parasitas internos de cachorros são responsáveis, principalmente, por distúrbios gastrointestinais. Embora também se destaque a dirofilariose ou verme do coração, que veremos na próxima seção. Os parasitas do sistema digestivo que podem passar de cachorros para humanos são os seguintes:

  • Nematodos: estes são vermes de presença generalizada em cachorros. O contágio se torna possível através da placenta, do leite materno, da ingestão de ovos do solo, onde eles podem permanecer por um período prolongado, ou por um roedor contaminado com o parasita que é ingerido pelo cachorro. Esses parasitas geralmente não produzem sintomas em animais saudáveis, mas nos mais jovens podem causar, acima de tudo, diarreia e vômito. Nos seres humanos, eles são responsáveis por um distúrbio conhecido como larva migrans visceral.
  • Giárdias: neste caso, enfrentamos protozoários responsáveis por diarreias profusas, como sempre com maior impacto em animais vulneráveis. Considera-se que alguns genótipos podem infestar seres humanos, embora o contágio seja mais frequente devido à ingestão de água contaminada. A giárdia nem sempre é detectada pela observação de uma amostra de fezes sob um microscópio pois a excreção é intermitente. Por isso, geralmente são necessárias amostras de vários dias.
  • Tênias: São vermes entre os quais podem ser distinguidas variedades de maior interesse, como Dipylidium e Echinococcus. As pulgas podem transmiti-las aos cachorros e eles podem transmiti-las para os humanos, embora as crianças também possam ser infectadas diretamente ao ingerir as pulgas. Da mesma forma, as tênias são transmitidas pela ingestão de ovos encontrados em alimentos, água ou ambientes contaminados.
    As teníases (Taenia) podem ser assintomáticos, no entanto, às vezes podemos observar proglote (fragmentos móveis) pois contêm ovos, semelhantes a um grão de arroz, ao redor do ânus do cachorro, o que também pode causar coceira na área. A equinococose, que é rara em cachorros, em humanos pode formar cistos hidáticos no fígado, pulmões e cérebro.

O contágio de parasitas intestinais de cachorros em humanos pode ocorrer de diferentes maneiras mas, em geral, pode ocorrer quando o animal cheira as fezes infestadas, lambe sua mão e depois você a usa para coçar sua boca, por exemplo. Se o cachorro com parasitas defecar na casa ou no jardim e as fezes permanecerem lá por algum tempo, você também pode se contaminar quando recolhê-las, se não tomar as precauções de higiene necessárias. O mesmo acontece nos parques, pois ao tocar a terra que entrou em contato com cachorros infestados, podemos ingerir os parasitas. Geralmente, as crianças são as mais suscetíveis a isso, pois podem brincar com areia e levar as mãos ao rosto ou até comê-la.

Um calendário correto de desparasitação interna e externa é a melhor prevenção contra esses transtornos, especialmente em animais mais vulneráveis, como os cachorros. Por isso, como quem ama protege, leve-o para o veterinário e desparasite seu animal de estimação.

9 doenças de cachorro em humanos - Parasitas internos de cachorros em humanos

Dirofilariose canina em humanos

Dentro das doença de cachorro em humanos é importante destacar uma que está ganhando cada vez mais relevância a dirofilariose ou, também conhecida como, verme do coração. Nesta doença vetorial, o vetor é um mosquito que carrega o parasita em seus órgãos bucais. Assim, se ele morde seu cachorro, é capaz de infectá-lo. A filária passará por diferentes estágios de maturação até acabar chegando nas artérias pulmonares, no lado direito do coração, até nas veias cava e hepática. Além disso, as fêmeas liberam ao sangue microfilárias, que podem passar para um novo mosquito quando ele morde o cachorro.

Como você pode ver, o cachorro não consegue passar a doença diretamente para os humanos, mas eles podem ser infectados se um mosquito parasitado picá-los, sendo assim o cachorro atua como um reservatório para o parasita. Embora em humanos a dirofilariose seja considerada sub diagnosticada e assintomática, em cachorros pode ter consequências muito graves, pois causa sérios danos a órgãos fundamentais como o coração, pulmões e fígado, podendo levar à morte. Seu tratamento também é arriscado, devido às obstruções que os vermes adultos podem causar. Portanto, nesse caso a prevenção também se faz essencial, utilizando produtos que evitem a picada do mosquito e estabelecendo diretrizes que limitam a exposição dos cachorros ao mosquito, bem como utilizando antiparasitários internos que impedem que o ciclo de vida do verme se complete. Vale ressaltar a importância da dupla desparasitação mensal, especialmente se você reside em locais onde esse verme é endêmico.

Doenças de pele em cachorros e humanos

As condições de pele mais comuns que podem ser passadas de cachorros para humanos são a sarna e micose. Ambas são doenças bem conhecidas, portanto, não poderiam faltar neste artigo sobre as doenças de cachorro em humanos. Suas características são:

  • Micose: é uma doença provocada por fungos, que causa lesões de forma circular na pele. Os esporos no ambiente podem contagiar os humanos e outros cachorros ou gatos que vivem na casa.
  • Sarna: nesse caso, o responsável é um ácaro que escava a pele e produz grande prurido e áreas com feridas e alopecia. O ácaro no ambiente pode ser muito contagioso, especialmente, como sempre, para os animais ou pessoas imunossuprimidas. Obviamente, deve-se notar que nem todos os tipos de sarna são considerados zoonoses, de modo que a mais comum e habitual em cachorros e pessoas é a sarna sarcóptica, provocada pelo ácaro Sarcoptes scabiei.

No caso dessas doenças, é essencial manter a limpeza da casa, fazendo aspirações, desinfecções e lavagens das camas e outros itens que entram em contato com o cachorro. Também é importante manter o animal sob controle e levá-lo ao veterinário assim que notar os primeiros sintomas.

9 doenças de cachorro em humanos - Doenças de pele em cachorros e humanos

Raiva em cachorro e humano

A raiva é uma doenças de cachorro em humanos mais importantes porque ela causa muitas mortes de pessoas, especialmente na Ásia e na África. Na América Central e do Sul, é possível encontrar regiões de alto risco e outras em que os programas de vacinação já foram estabelecidos com sucesso. Na Europa e em boa parte da América do Norte essa doença já foi erradicada.

A raiva é uma doença viral para a qual existe uma vacina, que é a única forma de combatê-la. O vírus causador pertence à família Rhabdoviridae, prejudica o sistema nervoso, contagia cachorros e seres humanos pelo contato com a saliva do cachorro infectado, que se dá através de uma mordida.

9 doenças de cachorro em humanos - Raiva em cachorro e humano

Outras doenças zoonóticas

Além das doenças zoonóticas mencionadas, os humanos também podem contrair leishmaniose ou leptospirose, e a seguir vamos te explicar como:

Leishmaniose em cachorros e humanos

Esta condição parasitária apresenta uma extensão considerável, por isso foi incluída nas doenças transmitidas pelos cachorros aos seres humanos. Como mencionamos no caso da dirofilariose, o cachorro não consegue infectar o ser humano diretamente, mas atua como um reservatório para essa doença, que também é transmitida por picadas de mosquito.

Os sintomas são variados, pois podem ocorrer lesões cutâneas ou gerais. Dado o papel do cachorro como um reservatório, é essencial estabelecer um tratamento, sendo melhor seguir as diretrizes de prevenção que incluem a desparasitação para repelir o mosquito e, também, vacinação contra a leishmania.

Contágio da leptospirose de cachorros para humanos

Concluída a revisão das principais doenças parasitárias, incluímos na lista de doenças transmitidas por cachorros para pessoas a leptospirose, uma doença bacteriana para a qual existe uma vacina. Os sintomas que produz são variados e podem afetar o sistema digestivo, o fígado ou os rins. As bactérias se espalham pela urina e podem permanecer no solo por meses. Cachorros e seres humanos são infectados entrando em contato com ela, permitindo a entrada das bactérias no corpo através de uma ferida ou bebendo água contaminada. Requer tratamento veterinário.

Parasitas externos de cachorros em humanos

Pulgas, carrapatos e piolhos são parasitas que podem facilmente passar do cachorro para a pele humana. Embora essa mudança de hospedeiro não constitua uma doença transmitida de cachorros para pessoas, os humanos também podem sofrer com o contágio de algumas doenças através da picada desses parasitas, pois, como vimos ao longo do artigo, eles são portadores de várias patologias já mencionadas e muitas mais, como a doença de Lyme. Em geral, elas produzem sintomas como prurido, erupções cutâneas, feridas e até problemas gastrointestinais.

9 doenças de cachorro em humanos - Parasitas externos de cachorros em humanos

Medidas preventivas de doenças de cachorro em humanos

Agora que que você já sabe quais são as doenças mais comuns que cachorros transmitem aos seres humanos, essas são as medidas básicas de prevenção:

  • Desparasitação interna e externa, levando em conta os parasitas mais abundantes na sua área e nos lugares para onde viajar com seu cachorro;
  • Calendário de vacinação;
  • Evitar passear em horários com maior presença de mosquitos;
  • Limpeza, desinfecção e desparasitação adequada dos lugares e acessórios do cachorro, especialmente se você tiver mais de um;
  • Lavar as mãos sempre que manipular o cachorro ou seus acessórios. É necessário ser especialmente cuidadoso com crianças pois costumam levar as mãos à boca;
  • Ir ao veterinário diante de qualquer sintoma.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a 9 doenças de cachorro em humanos, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Prevenção.

Vídeos de 9 doenças de cachorro em humanos

1 de 3
Vídeos de 9 doenças de cachorro em humanos

Escrever comentário sobre 9 doenças de cachorro em humanos

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

9 doenças de cachorro em humanos
1 de 5
9 doenças de cachorro em humanos

Voltar ao topo da página