menu
Partilhar

Meu cachorro respira com força pelo nariz - Causas e tratamento

 
Por Cristina Pascual, Veterinária. 3 agosto 2022
Meu cachorro respira com força pelo nariz - Causas e tratamento

Ver fichas de  Cachorros

O cachorro está respirando fazendo barulho e nitidamente está com dificuldade de respirar pelo nariz? Esses são sintomas da dispneia, um sinal clínico que, nos cachorros, esse sinal costuma se manifestar inicialmente como uma respiração forte pelo nariz, e uma maior abertura dos orifícios nasais. É comum que a dispneia também se manifeste com respiração ofegante, aumento da frequência respiratória e mucosas cianóticas. Trata-se de um sintoma que pode estar associado a diversas doenças, não apenas àquelas vinculadas ao aparelho respiratório, mas também às relacionadas com outros aparelhos e sistemas.

Caso esteja se perguntando por que seu cachorro respira com força pelo nariz, recomendamos que você leia o seguinte artigo do PeritoAnimal, no qual explicamos suas possíveis causas e tratamento.

Patologias do trato respiratório superior

Neste grupo, incluímos aquelas patologias que afetam as vias respiratórias altas, ou seja, a cavidade nasal, a laringe e a traqueia. Geralmente, essas patologias causam uma dispneia inspiratória, ou, em outras palavras, durante a fase de entrada de ar, onde podemos observar o cachorro respirando fazendo barulho. As patologias do trato respiratório superior, são:

  • Síndrome braquicefálica: trata-se de uma malformação do trato respiratório superior, que afeta os cachorros braquicefálicos (achatados), como o bulldog, o pug ou o shih tzu. As malformações que podem acarretar essa síndrome incluem a estenose de narina, o prolongamento de palato mole, o colapso laríngeo e a hipoplasia de traqueia. Todas elas tendem a dificultar a passagem de ar através das vias respiratórias, ocasionando uma respiração forçosa e dificultada. Inclusive, é possível notar, nesse caso, que o cachorro faz som de porco, ou emite pequenos roncos.
  • Obstrução por corpos estranhos: como ossos, pedaços de comida, bolas, etc. Quando os corpos estranhos obstruem por completo passagem do trato respiratório, será gerado um quadro grave de asfixia. Apesar disso, quando apenas obstruem de forma parcial, pode-se observar uma respiração forçosa e dificultada.
  • Outras causas de obstrução: todas as patologias que ocasionam uma obstrução ou estreitamento das vias respiratórias altas dificultam a passagem de ar, e originam a dispneia. Destacamos, entre outras, o edema de glote, o colapso laríngeo ou traqueal, a paralisia laríngea e as massas ou tumores nasais, laríngeos e traqueais.

Tratamento das patologias do trato respiratório superior

Na maioria dos casos, a solução do problema requer um tratamento cirúrgico. Mesmo assim, às vezes é necessária uma terapia médica complementar à base de corticoides, antitussígenos, broncodilatadores e/ou tranquilizantes.

Patologias do trato respiratório inferior

Estão incluídas neste grupo as patologias que afetam as vias respiratórias baixas, ou seja, os brônquios, os pulmões e a pleura. Geralmente, essas patologias causam uma dispneia de tipo expiratório: na etapa em que o ar é solto dos pulmões. Por isso, é comum notar que o cachorro sopra pelo nariz devido ao fato de não poder respirar normalmente, ficando claro que o cachorro está com dificuldade de respirar pelo nariz. Vejamos as patologias:

  • Patologias bronquiais: nos casos de bronquite, é originada uma broncoconstrição (estreitamento dos brônquios) e um acúmulo de exsudato na entrada dos brônquios, que dificulta a passagem de ar e origina a dificuldade respiratória. Algo parecido ocorre nos tumores que afetam a parede dos brônquios, já que reduzem a passagem dos condutores e dificultam a entrada e saída de ar. Também é comum observar o cachorro respirando fazendo barulho.
  • Patologias pulmonares: qualquer patologia que afete de forma difusa o parênquima pulmonar, principalmente se for bilateral, dá lugar ao aparecimento de dispneia. Dentro desse grupo, são incluídos o edema de pulmão (presença de líquido dentro dos alvéolos pulmonares), os tumores pulmonares extensos, as pneumonias ou broncopneumonias bilaterais, a fibrose pulmonar e enfisema pulmonar, entre outras.
  • Patologias pleurais: a pleura é a membrana serosa que envolve os pulmões e a cavidade torácica. Quando o espaço pleural se encontra cheio de ar (pneumotórax) ou de líquido (derrame pleural), inicia-se uma compressão do parênquima pulmonar, impedindo que ele se estenda adequadamente durante a respiração. Como consequência, vemos o cachorro com dificuldade de respirar pelo nariz e fazendo cada vez mais força para isso.

Tratamento das patologias do trato respiratório inferior

Nesses casos, o tratamento é muito variável e depende da patologia concreta que está originando a dificuldade respiratória do cão, ou seja, o que está fazendo seu cachorro respirar muito forte pelo nariz. Estes são os principais:

  • A maioria dessas patologias requer um tratamento farmacológico, que, em função do processo, pode incluir antibióticos, diuréticos, broncodilatadores ou corticoides por via inalatória.
  • Quando for preciso, é possível realizar uma terapia de suporte com medicamentos mucolíticos, antitussígenos ou com oxigenoterapia.
  • Na maioria dos processos crônicos, é recomendável controlar a dieta para favorecer a perda de peso, já que, dessa maneira, se consegue diminuir a pressão do abdômen sobre o tórax e, com isso, reduzir o esforço respiratório e aumentar a capacidade torácica.
  • Em alguns casos, como acontece com alguns tumores pulmonares ou com patologias pleurais, é necessário um tratamento cirúrgico.
Meu cachorro respira com força pelo nariz - Causas e tratamento - Patologias do trato respiratório inferior

Patologias que afetam a função respiratória dos cachorros

Além das doenças descritas anteriormente, existem outras patologias que não têm origem no aparelho respiratório, mas que, mesmo assim, podem afetar a função respiratória onde veremos o cachorro fazendo barulho para respirar. Dentro desse grupo, encontramos:

  • Contração insuficiente dos músculos respiratórios: a contração dos músculos respiratórios permite a abertura da caixa torácica para uma correta ventilação do pulmão. Entretanto, quando uma lesão é causada a nível do centro respiratório, a nível das raízes nervosas que enervam os músculos respiratórios ou a nível dos próprios músculos respiratórios (miosite, distrofia, atrofia, etc.), essa musculatura se contrai de maneira insuficiente, ocasionando uma respiração dificultosa e forçada. Essa situação também pode surgir em casos de dor torácica aguda (como traumatismos torácicos ou pleurite), ou em patologias neuromusculares que afetam os músculos respiratórios, como o tétano ou a miastenia gravis.
  • Patologias extratorácicas: são patologias localizadas fora da cavidade torácica, mas que podem afetar a função respiratória. Em geral, se tratam de patologias da cavidade abdominal que comprimem o diafragma e impedem o retorno deste durante a respiração, o que dificulta a distensão dos pulmões durante a inspiração. Nos cachorros, pode ser causada em casos de ascite (acúmulo de líquido na cavidade abdominal), dilatação/torsão gástrica ou hérnia diafragmática.

Tratamento dessas patologias

Como você deve imaginar, o tratamento das causas descritas nesta seção também varia em função da patologia concreta:

  • Em casos de miosite ou de patologias neuromusculares, como o tétano ou a miastenia gravis, é necessário instaurar um tratamento farmacológico. Além disso, em casos de dor torácica aguda, é fundamental realizar uma boa terapia analgésica de suporte.
  • Em outros casos, como na dilatação/torsão gástrica, ou nas hérnias diafragmáticas, é necessário o tratamento cirúrgico.

Patologias cardíacas que podem dificultar a respiração do cachorro

A dificuldade respiratória pode aparecer tanto em patologias que causam uma insuficiência cardíaca esquerda, quando nas que causam uma insuficiência cardíaca direita:

  • Insuficiência cardíaca esquerda: nesses casos, a dispneia surge como consequência do aparecimento de edema pulmonar (acúmulo de líquido dentro dos alvéolos pulmonares). Ocorre, por exemplo, em cachorros com degeneração da válvula mitral, ou com persistência do ducto arterioso.
  • Insuficiência cardíaca direita: nesses casos, a dispneia surge como consequência do derrame pleural (acúmulo de líquido no espaço pleural). Além disso, a dispneia costuma se agravar por conta da ascite (acúmulo de líquido na cavidade abdominal). Ocorre, por exemplo, em casos de degeneração da válvula tricúspide e em miocardiopatias do ventrículo direito.

Tratamento das patologias cardíacas

Nesses casos, o tratamento deve se basear em dois pilares:

  • Por um lado, deve-se instaurar um tratamento específico diante da patologia primária que origina a insuficiência cardíaca. É comum que essas patologias requeiram um tratamento farmacológico (com antiarrítmicos, inotrópicos, etc.), embora seja necessário um tratamento cirúrgico em alguns casos, como no da persistência do ducto arterioso.
  • Dependendo da presença ou não da insuficiência cardíaca esquerda ou direita, é necessário corrigir o edema pulmonar ou o derrame pleural, respectivamente. Em caso de edema pulmonar, devem ser administrados diuréticos, enquanto que, em caso de derrame pleural, será necessário drenar o derrame mediante toracocentese.

Outras causas de um cachorro fazendo barulho para respirar

Todas as causas descritas anteriormente podem fazer você notar o cachorro com dificuldade de respirar pelo nariz, fazendo muita força e até barulho, enquanto dorme e quando está acordado. Dependendo da causa concreta, o tipo de respiração será de uma forma ou de outra, assim como já vimos.

Contudo, aquelas não são as únicas causas, já que, além das etiologias já descritas, devemos destacar outras causas que podem dar lugar a uma respiração dificultosa nos cachorros:

Tratamento dessas outras causas

Da mesma forma, o tratamento dessas causas irá variar em função do processo concreto.

  • Nos cachorros com sobrepeso, será necessário instaurar uma dieta hipocalórica com um plano de exercício adequado para conseguir uma perda de peso progressiva do animal.
  • Em casos de anemia, será necessário instaurar um tratamento específico diante da causa primária, a depender do fato de se se trata de uma anemia hemolítica, hemorrágica ou hipoproliferativa.
  • Em casos de intoxicação, golpes de calor ou eletrocussão, será imprescindível instaurar um tratamento de suporte com oxigenoterapia, fluidoterapia, etc.

Agora que você já viu os motivos e sabe como tratar se o cachorro estiver com difilcudade de respirar pelo nariz e fazendo barulho, não perca o vídeo a seguir em que falamos sobre as causas e o que fazer se o cachorro estiver com a respiração muito ofegante:

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Meu cachorro respira com força pelo nariz - Causas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças respiratórias.

Bibliografia
  • Nelson, R., Couto, C. (2010). Medicina interna de pequeños animales. Elsevier/Mosby

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Meu cachorro respira com força pelo nariz - Causas e tratamento
1 de 2
Meu cachorro respira com força pelo nariz - Causas e tratamento

Voltar ao topo da página