menu
Partilhar

Hérnia umbilical em gatos - Sintomas e tratamento

 
Por Laura García Ortiz, Veterinária especializada em medicina felina. 5 janeiro 2023
Hérnia umbilical em gatos - Sintomas e tratamento

Ver fichas de  Gatos

Muitas vezes, os gatos podem desenvolver uma hérnia no umbigo se o cordão umbilical não cicatrizar corretamente, permitindo a passagem de patógenos e até mesmo órgãos e gordura abdominal, formando um saco herniário. Pode haver ou não sinais clínicos, entretanto, em todos os casos os gatos irão apresentar uma protuberância na região do umbigo, maior ou menor, dependendo da hérnia e de sua gravidade.

As hérnias maiores e as estranguladas, em que há um comprometimento da irrigação sanguínea para as regiões herniadas, podem abrir espaço para sintomas graves em gatos e requerem redução urgente para preservar a saúde do pequeno felino. Continue lendo este artigo do PeritoAnimal para saber mais sobre hérnia umbilical em gatos - tipos, sintomas e tratamento.

O que é uma hérnia umbilical em gatos

Os gatos, assim como os demais mamíferos, têm umbigo, embora seja difícil localizá-lo, especialmente em gatos particularmente peludos. O umbigo do gato é a cicatriz que fica no abdômen quando o cordão umbilical, que une o feto à placenta durante a gestação e que fornece nutrientes e oxigênio ao filhote, é rompido.

Após o nascimento do filhote, o cordão umbilical já não tem mais uso, já que ele pode respirar sozinho e mamar diretamente da mãe, com seus irmãos. Geralmente, a cada corta o cordão umbilical e, com isso, os vasos sanguíneos se rompem e, em seguida, se fecham para impedir a entrada de patógenos como bactérias, vírus e fungos, que poderiam prejudicam a saúde do gatinho.

O problema é que o cordão umbilical pode não ter sido cortado direito, permitindo a circulação desses patógenos e a formação de uma hérnia umbilical em gatos filhotes, caso o conteúdo do abdome escape por essa abertura. A hérnia umbilical nos gatos tem três partes:

  • Portal herniário: entre a camada abdominal interna e externa.
  • Saco herniário: protuberância em forma de saco com conteúdo em seu interior.
  • Conteúdo da hérnia: aquilo que constitui a própria hérnia, contido no saco herniário. Se o espaço na camada interna da parede abdominal for grande o suficiente, ele pode prender uma seção do intestino, interrompendo a circulação sanguínea.

As hérnias umbilicais também estão associadas a hérnias inguinais congênitas, que ocorrem devido a um defeito nos anéis inguinais por onde passam, bem como vasos e nervos, o ligamento redondo do útero das gatas e o cordão espermático nos gatos.

Tipos de hérnia umbilical em gatos

As hérnias umbilicais em gatos aparecem ao nascer, quando a abertura do cordão umbilical não se fecha ou demora a fechar, comunicando assim a parede abdominal com a cavidade abdominal. É por essa abertura que as vísceras são herniadas, seja por gordura, omento ou alças do intestino delgado. A hérnia umbilical felina pode ser:

  • Hérnia umbilical aberta: quando o anel é aberto e com o dedo é possível reintroduzir o conteúdo herniado no abdômen, desaparecendo a hérnia até que paremos de pressionar.
  • Hérnia umbilical fechada: quando o anel se fecha e o conteúdo não pode ser reintroduzido.
  • Hérnia umbilical estrangulada: quando o conteúdo herniado fazia parte da alça intestinal e o anel foi fechado depois. A circulação sanguínea fica comprometida, causando um estrangulamento.

Causas de hérnia umbilical em gatos

Em geral, as hérnias umbilicais em gatos têm uma tendência hereditária e um caráter congênito, já que são animais que possuem um tecido conjuntivo fraco que já está presente desde seu nascimento. Aparentemente há uma base genética na qual vários genes estão envolvidos, já que existem estudos que observaram uma alta incidência de manifestação de hérnias umbilicais em algumas famílias de gatos de uma raça específica.

Em uma porcentagem menor dos casos, as causas das hérnias umbilicais são por traumatismos causados em quedas, pancadas ou brigas, alterações metabólico-nutricionais ou gravidez.

Sintomas de hérnia umbilical em gatos

As hérnias umbilicais podem ser observadas com uma protuberância na região do umbigo dos gatinhos recém-nascidos. Em geral, não apresenta sintomas, pois certa gordura abdominal é herniada. O tamanho varia conforme o conteúdo e a quantidade de hérnias. Em gatos filhotes, as hérnias podem crescer com o tempo.

Contudo, dependendo do tamanho e das estruturas afetadas, a hérnia umbilical pode ser mais ou menos grave. As hérnias estranguladas colocam em risco de vida do gato e se pode observar os sinais clínicos a seguir:

Tratamento para a hérnia umbilical em gatos

A solução para as hérnias umbilicais em gatos costumam envolver uma operação cirúrgica, especialmente nos casos urgentes por estrangulamento, nos quais a hérnia cresceu muito rapidamente e nas que dão sinais clínicos.

Nas hérnias pequenas sem sintomas, basta seguir com observação e acompanhamento para que os órgãos abdominais não sejam comprometidos. Por outro lado, nos gatos filhotes com hérnia umbilical não sintomática nem estrangulada, pode-se esperar até a idade ideal para castração para corrigir a hérnia e também o castrar, tudo na mesma operação.

Cirurgia de hérnia umbilical em gatos

A cirurgia de hérnia em gatos consiste na reintrodução do conteúdo herniado dentro da cavidade abdominal do felino e no fechamento da abertura para evitar que saia novamente. O gato irá precisar ser colocado sob anestesia geral para não sentir dor nem ficar consciente durante o procedimento.

Antes de abrir a área, a mesma passa por um processo de assepsia. A seguir, o cirurgião-veterinário faz uma incisão na pele ao redor da forma ovalada do problema herniário e vai dissecando o tecido subcutâneo para encontrar as bordas do anel da hérnia. Uma vez encontradas, essas aderências devem ser dissecadas (caso existam) e depois se deve proceder à dissecção do anel herniário.

Se houver conteúdo isquêmico devido ao estrangulamento, este deve ser removido, fazendo as ligaduras e suturas apropriadas. No caso das hérnias redutíveis, o conteúdo é reintroduzido no abdômen sem a necessidade de ligaduras. Finalmente, o defeito herniário e a parede abdominal são fechados.

Hérnia umbilical em gatos - Sintomas e tratamento - Tratamento para a hérnia umbilical em gatos

Agora que você já sabe tudo sobre a hérnia umbilical em gatos, não perca o vídeo a seguir no qual tiramos uma dúvida muito comum dos tutores sobre gatos filhotes: quando os recém-nascidos abrem os olhos?

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Hérnia umbilical em gatos - Sintomas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Bibliografia
  • Nelson, R. W. (2020). Medicina interna de pequeños animales. Grupo Asís Biomedia, S. L.
  • Portal Veterinaria. (2010). «Corrección del defecto en el cierre umbilical». Disponível em: <https://www.portalveterinaria.com/animales-de-compania/articulos/19395/correccion-del-defecto-en-el-cierre-umbilical.html>. Acesso em 27 de dezembro de 2022.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Hérnia umbilical em gatos - Sintomas e tratamento
1 de 2
Hérnia umbilical em gatos - Sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página