Partilhar

Hérnia umbilical em cães: causas, sintomas e tratamento

 
Por Maria Besteiros. 5 junho 2019
Hérnia umbilical em cães: causas, sintomas e tratamento

Ver fichas de  Cachorros

Você notou recentemente um caroço na barriga do seu cachorro? Um cachorro pode desenvolver o que chamamos de hérnia, isto é, quando um órgão ou parte de um órgão sai da cavidade que o contém. Neste artigo do PeritoAnimal, vamos falar sobre alguns caroços que você pode encontrar, com relativa frequência, no abdômen do cachorro, seja ele um filhote ou adulto.

Precisamente por causa do número de casos que ocorrem, vamos explicar em que consistem esses caroços, por que eles aparecem, quais as consequências que eles têm e o que você pode fazer para resolver o problema. Continue lendo, vamos te mostrar o que é uma hérnia umbilical em cães: causas, sintomas e o tratamento.

Hérnia umbilical em cães: o que é

Como já dissemos, se o seu cachorro tem um caroço na barriga, o mais provável é que seja uma hérnia umbilical. Uma hérnia em cachorro é ocasionada pela saída de um conteúdo interno, como gordura, parte do intestino ou até mesmo algum órgão como o fígado ou o baço, para fora da cavidade em que deveria estar normalmente.

Esta saída pode ser produzida por uma lesão ou fraqueza na parede onde antes se encontrava uma abertura, como pode ser o caso do umbigo. As hérnias podem aparecer em lugares diferentes, como no diafragma, umbigo ou virilha. São geralmente congênitas, ou seja, são defeitos que ocorrem no momento do nascimento, embora também possam ser causadas por lesões subsequentes, principalmente por trauma súbito, como mordidas ou acidentes, e nesse caso são chamadas de hérnias adquiridas.

Podem ter tamanhos muito diferentes, mas todas têm em comum o fato de serem caroços lisos e macios ao toque. Na maioria dos casos, se você pressionar com um dedo para dentro, vai ver que o caroço pode ser inserido. Dizemos que essas hérnias são redutíveis. Por outro lado, em alguns casos, as hérnias não são redutíveis, isto é, elas ficam presas do lado de fora, protegidas apenas pela camada de pele. Essas são chamadas de hérnias aprisionadas.

Quando o suprimento de sangue da hérnia em cachorro é cortado, diz-se que está estrangulada. Dependendo daquilo que está estrangulado, as consequências podem ser mais ou menos graves. Essa questão será importante na determinação do tratamento, uma vez que algumas hérnias pequenas podem se reduzir sozinhas, enquanto outras, maiores ou com órgãos comprometidos, precisarão de cirurgia.

Hérnia umbilical em cães: causas, sintomas e tratamento - Hérnia umbilical em cães: o que é
Imagem: Reprodução/YouTube @Kong Yuen Sing

Hérnia umbilical em cães: causas

Enquanto os cachorros filhotes se desenvolvem no útero da mãe, eles estão conectados a ela pelo cordão umbilical, assim como acontece com os humanos. Através dele, os filhotes recebem os nutrientes necessários para o desenvolvimento. Após o nascimento, a cadela corta o cordão com os dentes, deixando um pedaço que secará e, depois de uma semana aproximadamente, cairá.

Na parte de dentro, o lugar ocupado pelo cordão também se fecha. Nos casos em que esse fechamento não ocorre por completo, a hérnia em cachorro acontece, contendo gordura, tecido ou até mesmo algum órgão. Por isso, se o filhote tiver uma protuberância na barriga, é provável que seja uma hérnia umbilical canina.

Às vezes essas hérnias são muito pequenas e, quando o cachorro cresce, elas se reduzem, ou seja, são corrigidas sem a necessidade de realizar qualquer intervenção. Isso acontece durante os primeiros 6 meses de vida. Por outro lado, se o tamanho da hérnia em cachorro for muito grande ou comprometer a saúde, será necessária uma intervenção. Nos animais que vão ser esterilizados, se a hérnia umbilical não for grave, pode ser reduzida aproveitando a cirurgia.

Em conclusão, se você notar um caroço em cachorro, é necessário ir ao veterinário para avaliá-la. Se for uma hérnia umbilical, é necessário decidir se precisa ou não de intervenção cirúrgica. Além disso, é aconselhável fazer uma revisão completa caso surjam outras hérnias em cachorro, já que as inguinais também são comuns e, sendo um defeito congênito com base genética, podem aparecer em outras partes do corpo.

Pela mesma razão, não é conveniente que esses animais tenham descendentes. Se uma cadela com uma hérnia umbilical engravidar e o tamanho dessa hérnia for muito grande, o útero poderá ser introduzido pela matriz, causando uma complicação grave, embora isso seja mais comum nas hérnias inguinais (hérnias em cachorro que acontecem na região da virilha).

Hérnia umbilical em cães: sintomas

Como vimos, os filhotes costumam produzir a hérnia ao nascer e, por isso, são geralmente diagnosticados nos primeiros meses de vida. No entanto, às vezes essas hérnias em cachorro podem ser provocadas mais tarde por uma lesão que "rompe" essa área e permite que o interior se extravase pela abertura criada. Isso pode acontecer em qualquer idade. Além disso, se você adota um cachorro adulto, ele pode apresentar hérnias que, devido ao seu estado de abandono ou negligência, ainda não foram tratadas.

Hérnia em cachorro: como saber se meu cachorro tem

Se você você alguma vez se perguntou "meu cachorro está com um caroço na costela, o que pode ser?" E reparar uma protuberância na parte média da barriga, mais ou menos onde as costelas terminam, esse caroço é macio ao toque e até entra no corpo ao ser pressionado com um dedo, você está diante de uma hérnia umbilical. É necessário realizar um exame veterinário, primeiro para garantir que é uma hérnia e, segundo, para determinar se é necessária intervenção ou não. Portanto, é possível localizar a hérnia em cachorro apenas com a palpação. Depois disso, o veterinário pode realizar uma ultrassonografia para obter mais informações sobre seu alcance.

Como tratar hérnia umbilical em cachorro

Na Internet você pode facilmente encontrar alguns remédios caseiros para hérnia em cachorro, no entanto, devemos enfatizar que NÃO É INDICADO vendar ou utilizar qualquer "truque" para tentar reduzir a hérnia. Mesmo nos casos em que dissemos que a cirurgia não é necessária, se você notar que o nódulo se tornou doloroso ao toque, avermelhado ou que aumentou de tamanho repentinamente, é necessário ir ao veterinário.

Se o veterinário diagnosticou seu cachorro com uma hérnia umbilical, você se encontrará em uma das seguintes situações:

A hérnia umbilical em cães é pequena e não compromete nenhum órgão:

Se o cachorro ainda for filhote, o indicado é esperar até ter cerca de 6 meses para ver se a hérnia diminui. Caso contrário, pode ser operada por estética, ou deixada como está, realizando revisões periódicas para que não se torne estrangulada, pois nesse caso a cirurgia é necessária. Esses tipos de hérnias em cachorro são os mais comuns em filhotes e geralmente contêm apenas gordura.

A hérnia umbilical em cães é grande, não é grave e o filhote tem mais de 6 meses:

Não é necessária intervenção cirúrgica, exceto por fatores estéticos, mas assim como no ponto anterior, a hérnia deve ser examinada periodicamente. Também é possível operá-la se você for esterilizar seu cachorro, já que se aproveita a mesma cirurgia.

A hérnia umbilical em cães é grande e compromete a saúde do seu cachorro:

Neste caso a indicação é a cirurgia, em que o veterinário abrirá a barriga do cachorro para introduzir o material protuberante e suturará a parede para que não possa sair novamente. A operação é mais complexa se algum órgão estiver envolvido. Nestes casos, é uma operação necessária, uma vez que se ocorrer estrangulamento o órgão ficará sem suprimento de sangue, o que causará necrose, representando um sério risco para a vida do seu cachorro. A remoção do órgão afetado também pode ser necessária.

O preço da cirurgia da hérnia umbilical em cachorros pode variar dependendo do país, da clínica e do caso em particular. Em todo caso, a avaliação do especialista é essencial, e será ele quem te dará um orçamento da operação.

Hérnia umbilical em cães: causas, sintomas e tratamento - Como tratar hérnia umbilical em cachorro

Cirurgia de hérnia umbilical em cachorros: recuperação

Depois da operação, seu veterinário pode sugerir a opção de hospitalizar o cachorro, para garantir uma recuperação mínima do paciente antes de ir para casa. No entanto, por se tratar de uma recuperação rápida, também pode dar alta no mesmo dia da cirurgia e oferecer alguns conselhos para favorecer uma boa recuperação:

  1. Evite excesso de atividades e faça apenas passeios curtos e tranquilos;
  2. Evite que o cachorro se lamba seguindo essas dicas para evitar que o cachorro lamba uma ferida;
  3. Verifique regularmente se todos os pontos continuam intactos;
  4. Limpe a ferida com água e sabão neutro se por qualquer motivo ela estiver suja;
  5. Ofereça uma dieta de alta qualidade e, se ele não quiser comer, aposte em alimentos úmidos ou patês;
  6. Proporcione um ambiente relaxado utilizando feromônios, música relaxante e uma atitude calma;
  7. Converse com o veterinário sobre a possibilidade de utilizar um colar elisabetano ou um body para cachorro, que será utilizado à noite para evitar que o cachorro se coce ou lamba com frequência quando estiver longe de sua supervisão.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Hérnia umbilical em cães: causas, sintomas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Escrever comentário sobre Hérnia umbilical em cães: causas, sintomas e tratamento

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Hérnia umbilical em cães: causas, sintomas e tratamento
Imagem: Reprodução/YouTube @Kong Yuen Sing
1 de 3
Hérnia umbilical em cães: causas, sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página