menu
Partilhar

Gato fraco, o que fazer?

 
Por Carla Moreira, Médica veterinária. 11 maio 2023
Gato fraco, o que fazer?

Ver fichas de  Gatos

Gatos são animais muito ativos, mesmo quando adultos. Além disso, são independentes e não costumam se entregar com facilidade quando estão doentes, por isso dizemos que têm sete vidas. Esse comportamento soberano, aliado a um instinto aguçado de caçador, ajudou os felinos a se manterem vivos durantes todos esses anos, seja na vida selvagem ou urbana.

No entanto, os bigodudos não são de ferro! Eles também adoecem, mesmo disfarçando suas dores. E para ajudá-los, é importante que os tutores fiquem atentos a mudanças de comportamentos e outros sinais sutis, como por exemplo, dormir mais que o de costume. Gatos muito sonolentos, sem apetite e sem ânimo podem estar demonstrando que estão fracos, sem forças.

Sinais de fraqueza, como tremores nos membros, podem indicar uma simples anemia até doenças mais graves, de origem endócrina, neurológica ou mesmo infecciosa. É bom sempre ficar atento para perceber se o animal está precisando de socorro. E para ajudar você a ajudar seu amigo, escrevemos esse artigo sobre fraqueza em gatos. Está diante de um gato fraco, o que fazer nesse caso? Continue lendo este artigo do PeritoAnimal.

Também lhe pode interessar: Gato engasgado - Sintomas e o que fazer?

Fraqueza em gatos associada a outros sintomas

O que pode ser quando o gato está fraco? Nem sempre a fraqueza no gato vem sozinha, podendo estar acompanhada de outros sintomas, o que pode ajudar a descobrir a sua verdadeira causa e facilitar o tratamento correto. Um olhar atento do tutor nos sintomas apresentados pelo gato é de grande valia para o médico veterinário, que precisará de um histórico detalhado para entender o que se passa com o animal.

E para ajudá-lo nessa missão, listamos alguns sintomas associados à fraqueza, com suas possíveis causas:

1. Gato fraco e sem comer

O gato pode sentir fraqueza devido a um quadro anêmico, por exemplo. Nesse caso, ele não terá ânimo nem mesmo para se alimentar. O importante é garantir que ele receba nutrientes em quantidade suficiente para manter suas funções corpóreas de forma adequada, sendo necessário realizar a alimentação forçada (como o auxílio de uma seringa) até que ele volte a comer sozinho.

Em algumas situações, basta colocar água e comida ao seu alcance, bem perto de onde ele costuma ficar, para que não seja necessário caminhar longas distâncias até chegar ao alimento.

2. Gato fraco e vomitando

O vômito faz com que o animal desidrate e perca eletrólitos importantes para o funcionamento do corpo, como o sódio e o potássio. O potássio, por exemplo, é o cátion mais abundante no organismo, com aproximadamente 98% localizado dentro das células, sendo que 60 a 70% disso localiza-se em tecido muscular, tendo importante papel na contração dos músculos, tanto o cardíaco quanto os esqueléticos.

Com isso, é comum sentir fraqueza ao vomitar, pois há perda intensa desses eletrólitos. A reposição de líquidos, sódio e potássio deverá ser rápida, para evitar que a desidratação prejudique os rins e outros órgãos importantes do corpo. Na maioria das vezes, é necessário hidratação intravenosa, para que o tratamento seja mais rápido e efetivo.

3. Gato fraco, cambaleando

Em alguns casos, a fraqueza pode ser um sinal de problemas neuromusculares. O andar cambaleante sinaliza que o gato não tem forças para manter sua marcha normal ou está com tonturas, desorientado. Esses sintomas sinalizam que algo grave está acontecendo no corpo do animal, sendo necessária orientação do médico veterinário.

4. Gato fraco e salivando

A salivação, na maioria das vezes, significa que o gato está com náusea. A fraqueza pode ser resultante de episódios de vômitos anteriores, aliada à indisposição trazida pela náusea. Problemas no fígado e nos rins podem ocasionar mal-estar, fraqueza, náuseas e vômitos.

5. Gato fraco e tremendo

O tremor pode ser decorrente de frio ou de fraqueza, da incapacidade de sustentar o peso do próprio corpo. Em casos de desidratação severa por vômitos e diarreia, a falta de eletrólitos e de energia podem ocasionar uma baixa pressão sanguínea, fazendo com que o gato fraco sinta frio e tenha tremores.

6. Gato fraco e com diarreia

Aqui, mais uma vez, a diarreia terá importante papel na perda de líquidos e eletrólitos, resultando em desidratação. O gato deverá receber fluidos intravenosos para que haja uma rápida reposição dos líquidos perdidos na diarreia, evitando que o animal venha a óbito por desidratação severa. Nesses casos, buscar ajuda do médico veterinário o mais rápido possível pode salvar a vida do gatinho.

7. Gato com fraqueza nas pernas

Algumas doenças neuromusculares e endócrinas podem causar esse sintoma. Sinais de fraqueza nos membros pélvicos, dificuldades para pular, caminhar de forma “achinelada” (andar plantígrado) e dificuldade de manter a coordenação motora podem indicar neuropatia diabética nos felinos, por exemplo. O diagnóstico e o tratamento precoce deste grato fraco com tais sintomas podem evitar o agravamento dessas doenças. Por isso, não espere! Procure orientação especializada o mais rápido possível.

Sintomas de um gato muito fraco

É possível observar um gato fraco, ou seja, com bem menos energia do que habitual, a partir de muitos sintomas:

  • Apatia
  • Inapetência
  • Sonolência
  • Tremores ao caminhar
  • Cabeça baixa
  • Incoordenação de membros posteriores
  • Cansaço.

Algumas vezes, esses sintomas de um gato fraco podem ser confundidos com comportamentos associados aos gatos, como dormir várias horas por dia. No entanto, o tutor deverá ficar atento às reações do gato, pois o sono excessivo pode ser um sinal de que o animal está anêmico, fraco e sem ânimo para outras atividades.

O que fazer quando o gato estiver fraco?

Antes de iniciar qualquer tipo de tratamento para um gato que está muito fraco, é necessário verificar se o gatinho está se alimentando bem. Isso inclui oferecer a ele uma ração de boa qualidade. Gatos costumam comer muitas vezes durante o dia, pois possuem o estômago pequeno, necessitando de pequenas porções de alimento. Os bichanos também costumam se alimentar durante a noite, sendo necessário deixar um comedouro com ração ao alcance deles.

Caso a alimentação esteja adequada, será necessário investigar outras causas que estão deixando o gato fraco. Infestações de pulgas podem causar anemia, deixando o gato fraco. O uso de produtos antipulgas aplicados periodicamente evitará várias doenças causadas por esses insetos. Outras causas ainda deverão ser investigadas, como doenças metabólicas, neurológicas e infecciosas, sendo sempre aconselhável buscar orientação do médico veterinário.

Agora que você já sabe o que pode ser quando o gato está fraco, conheceu seus sintomas e viu o que fazer, não perca o vídeo a seguir em que listamos 9 sintomas para que você possa identificar quando o seu gato estiver doente:

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Gato fraco, o que fazer?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Bibliografia
  • Daniel, A.G.T. Hipocalemia em gatos – Principais diferenciais e manejo direcionado. Vets Info for Vets. Disponível em https://vetsmart-parsefiles.s3.amazonaws.com/3930f7008110420cd958ea4b7978f0fb_vetsmart_admin_pdf_file.pdf. Acesso em 11/05/2023.
  • Varoli, C.S. Diabetes Mellitus em Felino. Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2021. Disponível em https://repositorio.animaeducacao.com.br/bitstream/ANIMA/20651/1/RCC2_Camila%20Silva%20Varoli.pdf. Acesso em 11/05/2023.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Gato fraco, o que fazer?
Gato fraco, o que fazer?

Voltar ao topo da página