menu
Partilhar

Prostatite em cães - Causas, sintomas e tratamento

 
Por Cristina Pascual, Veterinária. 28 março 2022
Prostatite em cães - Causas, sintomas e tratamento

Ver fichas de  Cachorros

A próstata é a única glândula sexual acessória que os cachorros machos possuem. Normalmente, esta glândula tem uma série de mecanismos de defesa contra infecções. Entretanto, às vezes esses mecanismos são superados e ocorre a prostatite. Prostatites são processos inflamatórios de origem infecciosa que afetam o tecido prostático; prostatites agudas podem comprometer seriamente a saúde do animal e prostatites crônicas podem levar à infertilidade. Por esta razão, é importante diagnosticar a patologia precocemente a fim de estabelecer um tratamento específico para ela.

Se você quer saber mais sobre a prostatite em cães, suas causas, sintomas e tratamento, recomendamos que você leia esse artigo do PeritoAnimal no qual explicamos tudo isso para você.

O que é a prostatite em cachorros

A prostatite é um processo inflamatório do tecido prostático de origem infecciosa. Pode ocorrer tanto em cachorros não castrados quanto em castrados, entretanto, em cachorros castrados a patologia é geralmente de menor importância devido ao tamanho menor da glândula.

Dependendo de sua evolução, as prostatites podem ser:

  • Agudas: são difusas, ou seja, todo o tecido glandular é afetado. A infecção geralmente atinge a próstata através da uretra, embora também possa atingir a próstata pela via hematogênica (através do sangue).
  • Crônicas: estas são geralmente uma perpetuação da forma aguda, embora em alguns casos elas apareçam de forma inesperada em cachorros sem doença de próstata prévia. Neste caso, são localizadas sob a forma de abscessos. Aqui você pode encontrar mais informações sobre abcessos em cachorros.

Causas da prostatite em cães

Como já mencionamos, as prostatites são processos inflamatórios de origem infecciosa. Especificamente, são infecções causadas por bactérias. As principais bactérias causadoras de prostatites incluem:

  • Escherichia coli: é a bactéria responsável pela infecção em 70% dos casos.
  • Mycoplasma e Brucella canis: embora sejam menos comuns que a E. coli, são mais preocupantes, pois podem levar à esterilidade permanente do paciente.
  • Staphylococcus, Streptococcus, Proteus, Klebsiella e Pseudomonas.

É preciso observar que há uma série de fatores que antecedem a infecção, entre eles:

  • Hiperplasia prostática benigna: é a causa mais comum de predisposição para a prostatite. É uma patologia muito comum em cachorros mais velhos e não castrados, caracterizada por um aumento acentuado do tamanho da próstata (prostatomegalia).
  • Outras patologias prostáticas: cistos ou metaplasias escamosas.
  • Doença uretral: urolitíase ou neoplasias.
  • Infecções do trato urinário: tais como cistite ou uretrite.

Sintomas de prostatite em cães

Os sinais clínicos que podem ser detectados em cachorros com prostatite são:

  • Febre, anorexia e letargia: principalmente em prostatites agudas. Aqui você pode encontrar mais informações sobre a Anorexia em cachorros.
  • Infertilidade: devido à alteração do fluido prostático. Devemos lembrar que a função da próstata é produzir um fluido que sirva como meio de transporte e suporte para os espermatozoides. Durante este processo infeccioso, os espermatozoides morrem como resultado da exposição às toxinas bacterianas presentes no fluido prostático. Em prostatites crônicas ou prostatites causadas por Mycoplasma ou Brucella, pode resultar em infertilidade permanente.
  • Hematúria (sangue na urina) e secreção uretral purulenta. Não deixe de dar uma olhada neste outro post do PeritoAnimal para saber cachorro urinando sangue, o que pode ser?
  • Constipação: quando associada à hiperplasia prostática benigna, a próstata é aumentada e pode comprimir o reto, impedindo a defecação causando a prisão de ventre.
  • Disúria: dificuldade para urinar e micção dolorosa. Quando a próstata aumenta, ela pode comprimir a uretra e dificultar a micção.
  • Peritonite e septicemia: se uma ruptura de abscesso, uma peritonite e uma disseminação sistêmica da infecção podem ocorrer. Para saber mais sobre a peritonite em cães, você pode encontrar mais informações aqui.
Prostatite em cães - Causas, sintomas e tratamento - Sintomas de prostatite em cães

Diagnóstico da prostatite em cães

O diagnóstico da prostatite em cachorros é baseado nos seguintes pontos:

Palpação

A palpação da próstata através do reto é dolorosa, especialmente em casos agudos. Dependendo do caso de prostatite, a próstata do cachorro terá características diferentes.

  • Em caso de prostatite aguda: a próstata tem um toque esponjoso, a superfície permanece lisa, a simetria de ambos os lóbulos é normal, a superfície é flutuante e não há aderências aos tecidos ao redor (pode se mover).
  • Em caso de prostatite crônica: a próstata é mais dura e podemos notar um contorno irregular devido à presença de abscessos e quistos. O tamanho pode ser variável. É importante notar que a palpação deve ser extremamente cuidadosa, caso contrário podemos romper um abcesso prostático e causar peritonite.

A palpação com o dedo ser feita com um dedo adequado ao tamanho do cachorro, lubrificando a luva adequadamente e palpando com movimentos lentos e suaves.

Radiografia

Quando realizamos uma radiografia podemos ver um aumento no tamanho da próstata (quando associada à hiperplasia prostática benigna) e a mineralizações. Quando material de contraste radiológico é usado, podem ser vistos abscessos intraprostáticos.

Ecografia

É o teste de diagnóstico mais confiável e informativo. Na prostatite aguda, o parênquima prostático permanece homogêneo e suave no contorno, enquanto que na prostatite crônica podemos ver um parênquima heterogêneo, com a presença de calcificações e fibroses e um contorno regular ou irregular. Além disso, cavidades preenchidas com fluido (cistos) ou pus (abscessos) podem ser vistas. Durante as ecografias é importante assegurar que não haja peritonite associada, descartando a presença de fluido livre na cavidade abdominal.

Exames de sangue

Tanto em casos agudos como crônicos, observa-se um aumento dos glóbulos brancos (leucocitose) devido ao processo infeccioso. Além disso, em casos agudos, observa-se um aumento de neutrófilos imaturos (neutrofilia com deslocamento à esquerda). Azotemia, aumento da ALT (Alanine aminotransferase) e hipoproteinemia também podem ser observados.

Se você tiver alguma dúvida sobre como interpretar um exame de sangue em cachorros, não deixe de dar uma olhada neste post do PeritoAnimal que te indicamos.

Exame de urina e fluido prostático

Testes de urina e fluido prostático podem mostrar células de descamação, glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e bactérias. No caso de prostatite aguda, não é recomendado testar o fluido prostático, pois a ejaculação é muito dolorosa.

Cultura e antibiograma

São realizados a partir da urina ou do líquido da próstata. O objetivo da cultura é cultivar a bactéria que causa a infecção, a fim de identificá-la. Uma vez identificado, um antibiograma é realizado para determinar quais antibióticos são eficazes contra o agente causador. Este procedimento permite estabelecer um tratamento específico usando um antibiótico de escolha, que contribui para o sucesso terapêutico e evita o desenvolvimento de resistência aos antibióticos.

Punção aspirativa por Agulha Fina (PAAF)

Mesmo que a punção seja realizada com a ajuda de ultrassom, há o risco de romper um abcesso com subsequente disseminação da infecção. Portanto, a aspiração das agulhas deve ser evitada quando há abscessos.

Tratamento da prostatite canina

O tratamento da prostatite em cães será baseado em antibioticoterapia ou cirurgia, dependendo do caso. A seguir, discutimos mais detalhadamente.

Antibioticoterapia

O tratamento antibiótico deve ser adaptado ao tipo de prostatite (aguda ou crônica). Terá um ou outro efeito, dependendo do tipo de prostatite. Portanto:

  • Em prostatites agudas: a barreira sangue-prostática é alterada, de modo que todos os antibióticos se difundirão para a próstata e produzirão efeito.
  • Em prostatites crônicas: isto não acontece, então teremos que usar antibióticos capazes de atravessar a barreira sangue-prostática, como as quinolonas.

Como mencionado no tópico anterior, é aconselhável realizar uma cultura e um antibiograma a fim de estabelecer um tratamento antibiótico específico. Entretanto, como estas técnicas de diagnóstico levam algum tempo, as primeiras 48 horas são geralmente tratadas com um antibiótico de amplo espectro (como a clindamicina) e, uma vez obtidos os resultados, ele é substituído pelo antibiótico escolhido. A duração do tratamento com antibióticos é de 4 semanas em prostatites agudas e 8 semanas em prostatites crônicas. Em casos agudos, é aconselhável iniciar a administração intravenosa, e depois continuar por via oral.

Cirurgia

Quando a prostatite é associada à hiperplasia prostática benigna, a castração (orquiectomia) do animal deve ser considerada. A castração provocará a atrofia da próstata e evitará futuros episódios de prostatite. Não hesite em ler este outro post para saber mais sobre cuidados a ter com cachorros recém castrados.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Prostatite em cães - Causas, sintomas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças do sistema reprodutor.

Bibliografia
  • Dranonetti, A., Solis, C., Giordano, A. (2005). Prostatitis en el perro. Analecta Veterinaria; 25(1)33-39.
  • Johnston S.D., Root K.M.V., Olson P.N. (2001). Disorders of the canine prostate. Canine and Feline Theriogenology. Saunders; 337- 355.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Prostatite em cães - Causas, sintomas e tratamento
1 de 2
Prostatite em cães - Causas, sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página