menu
Partilhar

Problemas dentários em gatos

 
Problemas dentários em gatos

Ver fichas de  Gatos

Os problemas dentários em gatos incluem algumas das doenças mais frequentes na prática veterinária. Por conta de onde eles se localizam e dos sintomas tardios, é difícil detectar estas patologias em casa. Por isto, se desenvolvem rapidamente e podem causar problemas graves na boca do felino, incluindo a queda do dente do gato. Para evitar chegar a este ponto, a prevenção é fundamental.

A maior parte dos problemas bucais dos felinos podem ser prevenidos com uma higiene adequada, tanto doméstica quanto profissional. Além disso, é aconselhável verificar a boca do felino com frequência para detectar, a tempo, a doença.

Quer saber como? Neste artigo do PeritoAnimal, reunimos os principais problemas dentários em gatos, suas causas, sintomas e tratamentos.

Doença periodontal felina

A doença periodontal felina é a patologia mais comum nos gatos. Aparece em torno de 80% dos felinos domésticos maiores de 2 ou 3 anos. Trata-se de uma série de processos patológicos que afetam as estruturas que sustentam os dentes na boca, como as gengivas, os ligamentos periodontais e o osso alveolar.

Assim como a maior parte dos problemas dentários em gatos, esta doença surge por falta de higiene. Os restos de comida e certas substâncias da saliva se acumulam nos dentes, propiciando o estabelecimento de bactérias que formam as conhecidas placas. Se a doença progride, as bactérias entram na cavidade alveolar e começam a afetar as gengivas, ligamentos e ossos, causando uma periodontite. Pouco a pouco, os dentes perdem sua fixação e começam a cair.

Durante este processo, a ausência de oxigênio na cavidade alveolar facilita a aparição de bactérias anaeróbicas, que liberam compostos sulfurados malcheirosos. Portanto, o principal sintoma da periodontite é a halitose, ou o mal cheiro da boca. Outros sintomas são o aparecimento de placas e cálculos nos dentes do gato, a dificuldade para comer e até mesmo a anorexia.

Para evitar o surgimento deste tipo de problema dentário nos gatos, é muito importante que se faça a limpeza diária nos dentes. Além disso, é recomendada uma limpeza profissional anual para eliminar a placa e os cálculos. Quando a gengivite já existe, é necessário aplicar medicamentos como antibióticos e anti-inflamatórios. Se a periodontite está muito avançada, também pode ser necessária a extração dos dentes afetados ou até uma intervenção cirúrgica mais profunda.

Problemas dentários em gatos - Doença periodontal felina

Lesão de reabsorção dentária felina

A lesão de reabsorção dentária de felinos é um dos principais problemas bucais em gatos. Estima-se que atinja até 75% dos felinos, sendo mais comum nos mais velhos. Trata-se da destruição dos tecidos dentários calcificados, ou seja, o esmalte, a dentina e o cemento. Sua causa é a ativação anormal de células conhecidas como odontoclastos, que começam a destruir a coroa e a raiz dos dentes.

O motivo pelo qual estas células são ativadas ainda é desconhecido, apesar de sua associação a outros problemas dentários em gatos, como a periodontite. Esta ativação também tem sido relacionada a certos vírus, como o da imunodeficiência felina (FIV), o herpesvírus (HVF) e o calicivírus felino (CVF). Outros autores defendem que isso pode acontecer devido a falhas na mineração dos dentes, sejam elas de origem genética ou devido a uma dieta deficiente em minerais.

Quanto aos sintomas, os gatos com reabsorção dentária felina mostram-se apáticos, com falta de apetite, halitose, excesso de salivação, dor de cabeça e perda de peso. Caso o gato apresente algum destes sintomas, é fundamental chamar um/a veterinário/a para um diagnóstico precoce. O tratamento consiste apenas na extração do dente afetado com realização posterior de biópsia para determinar a causa.

Problemas dentários em gatos - Lesão de reabsorção dentária felina

Gengivoestomatite felina

A gengivoestomatite é uma das principais doenças bucais em gatos, e trata-se de uma inflamação muito grave da boca que pode aparecer localmente e afetar toda a cavidade oral, incluindo as gengivas, a faringe e a língua. Quando a doença avança, pode chegar a afetar os tecidos que envolvem os dentes, causando uma mucosite alveolar.

A gengivoestomatite é causada por uma infecção que pode ter origem bacteriana ou viral. As bactérias relacionadas a este tipo de problemas bucais em gatos são a Pasteurella multocida e Tannerella forsythia. Entre os vírus se encontram o calicivírus, o vírus da imunodeficiência e o vírus da leucemia felina. No entanto, a causa da gravidade da doença não são os micro-organismos, mas a reação descontrolada do sistema imunológico do gato quando os detecta nas mucosas ou na placa.

Como consequência da inflamação, o gato apresenta lesões na boca que o impedem de se limpar e comer normalmente. Ele aparenta estar desleixado, perde peso e baba. O tratamento consiste na limpeza dentária e administração de antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos. Em casos graves, pode ser necessário extrair os dentes afetados ou realizar outro tipo de intervenção cirúrgica.

Expansão alveolar felina

Outros dos problemas que afetam os dentes dos gatos são os que afetam o osso sob o qual se assentam os dentes: o osso alveolar. É o caso da expansão alveolar ou osteíte alveolar crônica, uma patologia comum em gatos idosos.

Nesta doença, o osso alveolar se expande como consequência de uma fibrose, uma inflamação, ou devido à proliferação anormal do tecido ósseo. O crescimento do osso pressiona os dentes, que acabam se deslocando. Além disso, eles tendem a se endurecer devido ao aumento do cemento. O avanço da doença pode ocasionar uma lesão reabsortiva e até periodontite.

O tratamento desta patologia consiste na extração dos dentes afetados, sua elevação ou odonplastia, que permitem adaptá-los à cavidade disponível.

Como evitar problemas dentários em gatos?

Dado que as doenças bucodentais em gatos expostas nos parágrafos anteriores podem ser graves e prejudicar notavelmente a qualidade de vida do animal, a prevenção é sempre a melhor solução. Para isso, recomendamos manter uma boa saúde buco-dental no animal desde filhote, já que assim poderá se acostumar melhor a ter sua boca e dentes manipulados.

Se tiver adotado um gato adulto, também é possível educá-lo com muita paciência e constância. Neste caso, deve ir aos poucos e apresentar as ferramentas e produtos de higiene ao animal para que as cheire e interaja com elas. Nesse momento, deverá recompensá-lo com palavras de ânimo, carinho, guloseimas ou o que considerar mais adequado para que o gato relacione o produto a estímulos positivos. Com o passar dos dias, poderá aproximar os produtos da boca do gato e recompensá-lo. Pode ser que demore algum tempo até que consiga introduzir uma escova de dentes ao processo e utilizá-la. É muito importante não forçar os limites do animal para que não arrisque perder todo o que foi conquistado até então.

Como manter a boca e os dentes do gato saudáveis e evitar os problemas dentários?

  • Escovação diária: da mesma forma que escovamos os dentes para mantê-los saudáveis, é importante fixar este hábito na rotina dos nossos gatos. Para isso, devemos utilizar uma pasta de dentes específica para gatos (nunca a nossa, pois pode ser nociva). Consulte como limpar os dentes do gato.
  • Sprays e enxaguantes bucais: são geralmente diluídos em água e permitem que a formação de tártaro seja mantida a uma distância superior de uma maneira mais simples. Não substituem a escovação, mas podem ser utilizados de forma complementar, alternando-os.
  • Algas em pó: conhecidas também como Plaque Off, essas algas podem ser misturadas com a comida do gato e ajudam na remoção do tártaro, além de prevenir que continue sendo criado.
  • Brinquedos: no mercado, encontramos brinquedos criados com o objetivo de editar a formação de placa bacteriana. Sendo assim, os brinquedos feitos com corda também auxiliam na manutenção da saúde dental do animal.
  • Petiscos: tanto a sua forma quanto sua composição são pensadas de forma a prevenir a formação de tártaro nos gatos e, por consequência, o desenvolvimento de problemas dentários. Alguns podem ser utilizados diariamente, enquanto outros devem ser de uso esporádico.

Para uma higiene buco-dental adequada, o ideal é estabelecer uma rotina que combine vários dos métodos mencionados acima. Os brinquedos, por exemplo, podem fazer parte do enriquecimento ambiental do gato, enquanto a escovação pode ser diária ou intercalada com os enxaguantes e as algas em pó. Caso haja alguma dúvida, o mais aconselhável é consultar o/a veterinário/a.

Agora que você já sabe os problemas que podem atingir os dentes dos gatos, recomendamos a leitura deste outro artigo em que falamos a idade em que um gato perde os dentes de leite.

Problemas dentários em gatos - Como evitar problemas dentários em gatos?

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Problemas dentários em gatos, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças bacterianas.

Bibliografia
  • Reiter, A. M., Johnston, N., Anderson, J. G., Soltero‐Rivera, M. M., & Lobprise, H. B. (2019). Domestic Feline Oral and Dental Diseases. Wiggs's Veterinary Dentistry: Principles and Practice, 439-461.
  • Stepaniuk, K. (2019). Periodontology. Wiggs's Veterinary Dentistry: Principles and Practice, 81-108.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Problemas dentários em gatos
1 de 4
Problemas dentários em gatos

Voltar ao topo da página