Partilhar

Leishmaniose em gatos - Sintomas e tratamento

Por Vanessa Lopes, Redatora do PeritoAnimal. Atualizado: 7 novembro 2018
Leishmaniose em gatos - Sintomas e tratamento

Ver fichas de  Gatos

A leishmaniose é uma doença causada pelo protozoário (organismo unicelular eucariótica) Leishmania infantum. Tecnicamente é uma zoonose, pois afeta o ser humano, embora sejam principalmente os cachorros que mais sofrem da doença, atuando como portadores, sendo mortal se não se iniciar um tratamento veterinário.

A leishmania transmite-se através da picada de um mosquito, pertencente ao gênero Phlebotomus. Desta forma, o mosquito pica um cachorro doente e/ou portador e, uma vez que o protozoário amadurece no inseto, pica outro cachorro, introduzindo-lhe o agente patogênico. Ou seja, sem mosquito a doença não pode ser transmitida. Embora o cachorro seja a principal vítima desta condição, a verdade é que também pode afetar outros animais como os gatos. Por isso, no PeritoAnimal vamos lhe explicar quais são os sintomas da leishmaniose em gatos e em que consiste o seu tratamento.

Também lhe pode interessar: Leishmaniose canina - Sintomas e tratamento

A leishmaniose felina

Muito frequente nos cachorros, a leishmaniose era considerada como uma condição muito estranha no gato, devido à sua resistência natural e à resposta eficaz do sistema imunológico à doença. Mas, nos dias de hoje podemos observar que a sua incidência está aumentando de forma preocupante. Parece haver mais probabilidade de contrair a doença em gatos que sofrem de outras doenças, que minimizam a eficácia do sistema imunológico, como pode ser o caso da imunodeficiência felina ou a toxoplasmose.

Sintomas da leishmaniose felina

A leishmaniose no gato é uma doença com um longo período de incubação (demora muito tempo a manifestar sintomas) e uma vez que estes se desenvolvem, são bastante inespecíficos. No gato, a doença pode aparecer de três formas diferentes:

  1. Forma cutânea. Podem ser observados nódulos indolores subcutâneos, localizados sobretudo na cabeça e pescoço. Além disso, estes sintomas da leishmaniose felina costumam vir acompanhados de um aumento no tamanho dos gânglios linfáticos próximos. Estes gânglios também se poderão abrir posteriormente e infetar. Podem-se observar ainda outros sintomas cutâneos.
  2. Forma ocular. Os olhos ficam afetados, observando-se conjuntivite, blefarite (inflamação das pálpebras), uveíte (inflamação da úvea), queda de pelo ao redor dos olhos, etc.
  3. Forma sistêmica generalizada. Esta é a forma menos frequente da leishmania em gatos. No caso de acontecer, pode-se observar como principal sintoma um aumento dos gânglios linfáticos. Para além disso, podem ocorrer sintomas muito específicos, como anorexia, emagrecimento progressivo, apatia, etc.
Leishmaniose em gatos - Sintomas e tratamento - Sintomas da leishmaniose felina

Diagnóstico da leishmaniose felina

A doença diagnostica-se através de exames específicos, como uma análise de sangue, com um exame que procura e quantifica os anticorpos gerados pelo animal perante a presença do protozoário. Não é possível fazer um diagnóstico sintomático, uma vez que os sintomas não são muito específicos.

Tratamento da leishmaniose felina

Na leishmaniose, tanto no ser humano como no cachorro e gato, existem duas estratégias na hora de fazer um tratamento. Por um lado, temos o tratamento preventivo e, por outro, o tratamento curativo uma vez diagnosticada a doença.

  • O tratamento preventivo contra a leishmaniose felina consiste em evitar o contato com o mosquito. Para isso, utilizam-se barreiras físicas (por exemplo, colocar telas mosquiteiras nas janelas) ou usam-se diferentes inseticidas, como repelentes. No gato, a utilização de repelentes é muito limitada, uma vez que a maior parte deles são tóxicos para os gatos, por isso é necessário consultar um veterinário antes de optar por esta medida preventiva.
  • No caso do tratamento para curar a leishmania em gatos, não existem protocolos de tratamentos tão eficientes como nos cachorros, uma vez que até agora o diagnóstico positivo da doença nos gatos tinha sido escasso. Utilizam-se medicamentos como o Alopurinol e a N-metil-meglumina. É importante que o tratamento seja indicado por um veterinário e que siga sempre as suas recomendações.
Leishmaniose em gatos - Sintomas e tratamento - Tratamento da leishmaniose felina

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Leishmaniose em gatos - Sintomas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças parasitárias.

Escrever comentário sobre Leishmaniose em gatos - Sintomas e tratamento

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
Lourdes
Importante esclarecer que os felinos NÃO contrairam a doença do cão mas sim pq no local havia o vetor , "mosquito palha" , e tb que o combate ao vetor é essencial , além disso o cão em tratamento e encoleirado não representa risco mesmo tendo o vetor por perto.
A sua avaliação:
Aninynha
Na minha casa dois felinos pegaram a doença de um cachorro da casa da minha vó e passamos graxa nos lugares onde a doença estava ativa e matou as feridas e hj o pelo esta crescendo nos lugares onde não tinha mais por conta da doença.
Vanessa Lopes (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Aninynha! Que bom saber que seus gatinhos já estão ficando bem. Obrigada por partilhar conosco a sua história!

Leishmaniose em gatos - Sintomas e tratamento
1 de 3
Leishmaniose em gatos - Sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página