menu
Partilhar

Fisioterapia para cachorro - O que é e quando fazer

 
Por Carla Moreira, Médica veterinária. 13 julho 2023
Fisioterapia para cachorro - O que é e quando fazer

Ver fichas de  Cachorros

Problemas ortopédicos não escolhem idade e nem raça para afetar os cães. Animais jovens podem sofrer fraturas e problemas articulares, assim como os mais idosos podem apresentar degenerações ósseas e de cartilagens, além de outras doenças. O importante é que o tutor tenha a consciência de que o seu amigo peludo pode precisar de ajuda para se reabilitar em alguma fase de sua vida, e que isso é possível e acessível atualmente, com o auxílio da fisioterapia.

É por isso que neste artigo do PeritoAnimal vamos falar tudo sobre a fisioterapia para cachorro, explicando o que é, quando fazer e os diferentes tipos de fisioterapia canina que existem. Boa leitura.

O que é a fisioterapia canina?

A reabilitação física do cachorro é um processo que objetiva a recuperação, devolvendo a máxima forma ou função locomotora normal, fisiológica, de modo a prevenir a incapacidade e atrofias após o animal ter uma lesão ou enfermidade. Como parte integrada desse processo, a fisioterapia se tornou a especialidade encarregada do tratamento de determinadas doenças, podendo ser aplicada como método conservador ou associada ao tratamento cirúrgico. Explicando melhor: a fisioterapia pode fazer parte de um tratamento clínico, com medicamentos apenas ou fazer parte da terapia após uma cirurgia.

A fisioterapia para cachorro possui como finalidade diminuir as disfunções e promover analgesia, mantendo e promovendo a melhora da função e aptidão física, gerando bem-estar e qualidade de vida. Animais com problemas ortopédicos sentem muita dor, o que pode ser amenizado com a fisioterapia, associada ao uso de medicamentos e outras terapias. A escolha do tratamento ideal ficará por conta do médico veterinário, que saberá qual a melhor opção para que o animal tenha uma melhora dos sintomas.

Quando o cachorro precisa de fisioterapia?

A fisioterapia pode ser recomendada para o cachorro em diferentes situações:

  • Controle da inflamação e edema
  • Aumento e preservação da amplitude do movimento
  • Lesões em tecidos moles
  • Controle da dor
  • Problemas articulares
  • Reparação de fraturas
  • Problemas na coluna vertebral
  • Fortalecimento muscular
  • Lesões neurológicas
  • Cicatrização tecidual
  • Sistema respiratório (estimulação do movimento respiratório)
  • Tratamento de sequelas de cinomose e controle e redução da obesidade.
Fisioterapia para cachorro - O que é e quando fazer - Quando o cachorro precisa de fisioterapia?

Tipos de fisioterapia para cachorros

Após um longo período já sendo utilizada na medicina desportiva de equinos, a fisioterapia chegou, há alguns anos, aos animais de companhia, como gatos e cachorros. A busca essencial na fisioterapia é o bem-estar em situações crônicas e de recuperação de lesões agudas, traumáticas ou cirúrgicas. A diferença essencial entre a fisioterapia aplicada a humanos e veterinária centra-se na cooperação do paciente.

Cada caso deverá ser avaliado de forma individualizada, considerando o problema de saúde do cachorro, suas possibilidades de recuperação e qual terapia mais indicada. Podem ser utilizadas modalidades como a crioterapia, bandagem compressiva, massagem, alongamento, ultrassom terapêutico, cinesioterapia, hidroterapia, laserterapia, magnetorerapia, além de outras opções.

Os resultados deverão ser avaliados pelo médico veterinário que indicou a fisioterapia para o cachorro e pelo fisioterapeuta, havendo um trabalho em conjunto com esses dois profissionais. Caberá ao tutor muita dedicação e perseverança, já que o tratamento pode demorar mais que o esperado em alguns casos.

Abaixo, listamos algumas indicações da fisioterapia, com suas respectivas modalidades terapêuticas, para exemplificar a infinidade de opções que existem[1]:

  • Controle da inflamação e edema: crioterapia, bandagem compressiva, massagem.
  • Aumento ou preservação da amplitude do movimento: alongamento, ultrassom terapêutico, massagem
  • Lesões em tecidos moles: crioterapia, ultrassom terapêutico, laserterapia, cinesioterapia, alongamento, hidroterapia
  • Controle da dor: crioterapia, laserterapia, TENS*, massagem, magnetoterapia.
  • Afecções articulares: crioterapia, massagem, alongamento, cinesioterapia, hidroterapia, ente outros a depender da articulação envolvida.
  • Reparação de fraturas: crioterapia, ultrassom terapêutico, laserterapia, magnetoterapia, FES*, cinesioterapia, exercícios proprioceptivos
  • Afecções em coluna vertebral: crioterapia, massagem, alongamento passivo, cinesioterapia, estimulação elétrica neuromuscular, exercícios terapêuticos e proprioceptivos, hidroterapia, caminhada.
  • Fortalecimento muscular: NMES*, hidroterapia, cinesioterapia
  • Lesões neurológicas: cinesioterapia, laserterapia, eletroestimulação, exercícios proprioceptivos, laserterapia
  • Cicatrização tecidual: laserterapia
  • Sistema respiratório: compressão-descompressão torácica súbita, estimulação costal.
  • Cinomose: laserterapia, cinesioterapia, magnetoterapia, eletroterapia e hidroterapia
  • Controle e redução da obesidade: exercícios, hidroterapia, manejo alimentar.

*TENS: Transcutaneal electrical nerve stimulation; NMES: Neuro muscular electrical stimulation; FES: Functional electrical stimulation.

Entenda cada técnica dos tipos de fisioterapia para cachorro

  • A crioterapia é a aplicação de frio sobre a área a tratar, havendo uma retirada do calor corporal, diminuindo a temperatura dos tecidos, sendo realizada na forma de bolsas de gelo que se aplicam na área afetada durante 15-20 minutos, várias vezes por dia ou logo após exercício.
  • Já a termoterapia pode ser feita por meio de bolsas quentes, terapia aquática ou lâmpadas de infravermelhos. As bolsas aquecidas são as mais usadas, dada a sua simplicidade, mas servem apenas para tratar áreas menores.
  • A laserterapia é uma técnica mais moderna, utiliza luz amplificada por emissão estimulada da radiação, possui ação cicatrizante, analgésica, anti-inflamatória, regenerativa e supostamente osteogênica.
  • A hidroterapia pode ser realizada através de imersão total (natação em piscinas, tanques ou cursos de águas naturais), imersão parcial (reabilitação em hidrotapete “treadmill”) e massagem com jatos de água. Proporciona analgesia, aumento da amplitude do movimento, aumento da flexibilidade, equilíbrio e coordenação, diminuição da rigidez articular e aumento do retorno venoso.
  • A cinesioterapia é realizada por meio de exercícios, que podem ser passivos (incluindo os alongamentos), ativos, de treino proprioceptivo e ainda de ganho de força. Ajuda no aumento da força muscular, no equilíbrio e coordenação, no aumento da amplitude de movimentos, na deambulação e para evitar contraturas e aderências.
  • E por fim, a massoterapia é a mais antiga dentre as técnicas, ponto de partida para todas as massagens disponíveis atualmente, sendo a manipulação sistemática dos tecidos, usando as mãos do fisioterapeuta. Possibilita o relaxamento muscular, a drenagem linfática e o alívio da dor, provoca o aumento do fluxo sanguíneo arterial, venoso e linfático, aumento da pressão arterial e temperatura corporal, estimulando o sistema imunológico e dissolvendo retrações, aderências e coágulos.

Como fazer fisioterapia em cachorros?

A fisioterapia na veterinária deve ser realizada por um profissional habilitado. Geralmente, a terapia é executada por um médico veterinário com especialização na área.

Atualmente, existem diversas clínicas especializadas em fisioterapia para cachorros e outros animais, com equipamentos semelhantes aos utilizados por pessoas, com opções de tratamento na água, para aqueles que não podem sofrer impactos nas articulações. Os exercícios devem ser orientados e supervisionados pelo médico veterinário, para que não sejam executados de forma incorreta, prejudicando o cachorro em recuperação.

Alguns movimentos mais simples podem ser feitos em casa, mas com a indicação do médico veterinário. Nunca tente fazer a fisioterapia no cachorro sozinho ou sem orientação, pois um exercício errado pode causar uma lesão irreversível no animal.

Como escolher um bom fisioterapeuta canino?

A escolha do fisioterapeuta para o cachorro é uma etapa muito importante para a reabilitação do animal. O profissional escolhido deverá ter formação na área, além de muita paciência e dedicação durante o trabalho.

Procure clínicas especializadas que tenham os equipamentos necessários e equipe treinada. A execução dos exercícios deve ser realizada de forma correta, para não prejudicar a recuperação do peludo.

Agora que você já sabe os tipos de fisioterapia para cães e outros itens importantes para a reabilitação do peludo, não perca o nosso artigo em que falamos especificamente sobre fisioterapia para cachorro com artrose.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Fisioterapia para cachorro - O que é e quando fazer, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Referências
  1. Peregrino, L.C. et al. Principais técnicas fisioterápicas em cães: Revisão de Literatura. UNICIÊNCIAS, 2021. Disponível em file:///C:/Users/alvar/Downloads/Peregrinoetal.2021.pdf. Acesso em 10/07/2023.
Bibliografia
  • Peregrino, L.C. et al. Principais técnicas fisioterápicas em cães: Revisão de Literatura. UNICIÊNCIAS, 2021. Disponível em file:///C:/Users/alvar/Downloads/Peregrinoetal.2021.pdf. Acesso em 10/07/2023.
  • Silva, D. T. et al. Fisioterapia aplicada à medicina veterinária – Revisão. Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária, n.11, 2008. Disponível em http://faef.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/TbFe5nokhPnVSOR_2013-6-13-16-21-19.pdf. Acesso em 10/07/2023.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Fisioterapia para cachorro - O que é e quando fazer
1 de 2
Fisioterapia para cachorro - O que é e quando fazer

Voltar ao topo da página