Partilhar

Consequências de não passear com o cachorro

 
Por Jungla Luque, Etóloga e adestradora canina. 10 fevereiro 2021
Consequências de não passear com o cachorro

Ver fichas de  Cachorros

Quando falamos do bem-estar do nosso melhor amigos peludo, muitas vezes insistimos na importância de você sair para passear com o cachorro diariamente, pois compartilhar tempo de qualidade com seu cão, em momentos que ele faz exercícios, por exemplo, é vital para o desenvolvimento dele e para que seja mais feliz e saudável.

Se você não fizer isso, você observará muitas consequências de não passear com o cachorro, como você lerá neste artigo do PeritoAnimal. Não levá-lo para caminhadas e exercícios têm um grande impacto negativo em sua saúde, personalidade e afeta até sua convivência com ele. Boa leitura.

Também lhe pode interessar: Quantas vezes devo passear com o cachorro

É necessário passear com o cachorro?

Antes de tudo, devemos ter em mente que a rotina de passear com o cachorro não é um capricho dele, mas uma necessidade pois os cães, assim como muitos outros animais, não nasceram para ficarem quietos. Na natureza, é normal que a maioria dos animais se movimente e explore seu ambiente em busca de alimento e água.

Entretanto, ao adotar um cachorro, ele terá o que é necessário para viver muito facilmente - alimento, água e onde dormir. Além disso, ele precisa de estímulo e exercícios e, por isso, é importante passear com o cachorro todos os dias. A seguir detalharemos os benefícios dos passeios com o cachorro:

Exercício

Assim como nós, os cachorros precisam de exercícios diários para se manter em forma e não sofrer de problemas de saúde a longo prazo, especialmente se seu cachorro for hiperativo.

Estimulação

Os cães precisam explorar seu ambiente através de seus sentidos, pois isso proporciona um estímulo mental que os mantém ativos, seja pelo olfato, visão, audição, tato ou paladar. Além de trabalhar na propriocepção, se ele tiver a oportunidade de passear sobre diferentes terrenos e obstáculos.

Erradamente, muitas pessoas acreditam que, ao ter uma casa com um grande jardim ou um terreno, o cachorro já tem essa necessidade coberta. Entretanto, não importa quanto espaço o animal tenha, se for sempre o mesmo, ele não terá a necessidade de sair e explorá-lo porque os estímulos serão sempre os mesmos, e ele não terá a necessidade de se mover para procurar alimentos. Passear com o cachorro é necessário para que ele conheça novos elementos todos os dias, o que impulsiona seus estímulos mentais.

Aprendizagem

Ao dar um passeio, o cão encontrará novas situações a enfrentar. É nestas circunstâncias que podemos orientá-lo sobre como se comportar por meio de reforços positivos, para que nas próximas vezes em que se encontrar na mesma situação, ele esteja seguro, pois terá diretrizes claras sobre o que pode e não pode fazer.

Por exemplo, se você passear com o cachorro e encontrar um gato pela primeira vez, você deve manter uma atitude calma e indiferente, deixá-lo sentir o cheiro de longe e recompensá-lo se ele não se alterar. Desta forma, é bem provável que na próxima vez que você vir um felino, ele fique calmo e confiante, embora isso não signifique que você possa soltá-lo, pois você não sabe como ele reagirá se chegar perto.

Socialização

Da mesma forma, passear com o cachorro dá a ele a oportunidade de conhecer uma grande variedade de outras pessoas e cães. Isso dará a ele a oportunidade de aprender a relacionar-se corretamente com outros indivíduos e de ser um cachorro com personalidade confiante em relação a cachorros desconhecidos.

Entretanto, devemos sempre nos certificar de que o outro cachorro saiba se relacionar de forma amigável para evitar más experiências, pois alguns cães têm dificuldades em se relacionar com sua própria espécie devido a más experiências passadas ou uma má socialização quando filhote.

Fortalecer o vínculo com seu tutor

Mesmo que seu cachorro provavelmente te ame, passear com ele é de vital importância para fortalecer sua conexão com seu amigo peludo. Isso porque, como mencionamos, é neste momento que você pode estabelecer mecanismos de obediência básica e, portanto, desenvolver uma forma de comunicação entre vocês dois durante uma atividade muito prazerosa para ele, como explicamos em 10 razões para passear com o seu cachorro.

Consequências de não passear com o cachorro - É necessário passear com o cachorro?

Quantas vezes tenho que passear com o cachorro por dia?

Agora que você sabe por que é de vital importância passear com o cachorro, é necessário que você estabeleça uma rotina de passeio com ele.

Antes de tudo, destacamos que cada indivíduo é único e, por esta razão, não há uma rotina padronizada para todos os cachorros. Assim, isso vai depender de fatores como raça, idade ou condição física cada cão, além das necessidades específicas de cada um.

Quaisquer que sejam as características de seu cão, todos os cachorros devem sair para passear diariamente entre 2 e 3 vezes distribuídas ao longo do dia, dependendo da duração da caminhada. Quanto ao tempo do passeio recomendado, ele deve durar entre 20 e 30 minutos, dependendo do número de vezes que você sai com ele ou, se devido a circunstâncias específicas, só podemos levá-lo para fora uma vez por dia, isso deve durar pelo menos uma hora. Da mesma forma, como a coisa mais comum é o cão sair para se aliviar, obviamente, uma caminhada não será suficiente, pois terá que durar muito tempo e acabará fazendo isso dentro de casa.

Como já mencionamos, você deve informar-se sobre as necessidades individuais de seu cachorro ou de seu futuro amigo, se estiver pensando em adotar um e quiser saber qual será o mais adequado ao seu estilo de vida. Ou seja, se é uma raça bastante ativa, não se pode simplesmente sair para passear uma vez por dia. Da mesma forma, um cão jovem terá que sair mais vezes que um cão mais velho, porque tem mais energia, e a socialização, o estímulo e a aprendizagem serão fundamentais para formar uma personalidade confiável e estável no futuro.

Assim, aqui apresentamos um breve resumo sobre os passeios com o cachorro:

  • É obrigatório? Ele sempre precisa sair para passear, mesmo os que moram em casas com grandes quintais ou jardins.
  • Quantas vezes? O passeio deve ser realizado entre 2 e 3 vezes por dia.
  • Quanto tempo? O tempo do passeio deve variar de 20 a 30 minutos, pelo menos.
  • Exceções: Se só puder sair uma vez ao dia, fique com ele ao menos 1h na rua.

Para mais informações, você pode consultar este outro artigo sobre quantas vezes para passear um cão?

Consequências de não passear com o cachorro - Quantas vezes tenho que passear com o cachorro por dia?

O que acontece se um cachorro não sai para passear

Não passear com o cachorro é prejudicial para sua saúde física e mental, bem como para a convivência com ele em casa. Por esta razão, antes de adotar um cachorro para nossa família, é necessário considerar se ele pode ser bem cuidado pois, infelizmente, há pessoas que não se dão conta desta responsabilidade. Como resultado, é comum o abandono do cachorro adulto, que passa a manifestar problemas comportamentais pela falta de cuidados quando filhote. Por esta razão, vamos ver quais consequências mais comuns de não passear com o cachorro:

Problemas de saúde

O exercício físico é necessário para cuidar do corpo e da mente. Pelo contrário, se um cão não for passear, ele poderá ganhar peso em excesso, pois comerá mais do que o necessário devido à ansiedade ou tédio e não queimará essas calorias extras, levando a problemas como:

Hiperatividade e irritação

Não atender às necessidades físicas de seu cachorro acabará afetando seriamente sua personalidade, uma vez que ficar trancado em um espaço sem ter como se cansar, significa que o cão acabará com um excesso de energia acumulada e, assim, ficará frustrado, entediado e facilmente ficará extremamente ansioso e agitado com estímulos simples, como objetos em movimento, ruídos ou pessoas e outros cães andando pela rua.

Problemas de comportamento

Esta é sem dúvida a consequência mais facilmente observável a curto prazo, pois em relação ao ponto anterior, devido a este excesso de energia que ele não pode redirecionar em nenhuma atividade física, o cão começará a desenvolver múltiplos problemas comportamentais, tais como:

  • Latidos: ou para chamar a atenção de seus tutores, como resultado de estímulo externo ou num caso mais sério, devido a um comportamento compulsivo.
  • Quebra objetos: a necessidade de realizar atividades gera ansiedade e frustração e o cachorro acaba direcionando isso a diferentes artigos domésticos. Por esta razão, não é raro ver cães arrancando plantas, estragando almofadas ou até pedaços do sofá.
  • Faz xixi ou cocô em locais inadequados: geralmente, é preferível educar um cachorro para se aliviar fora de casa. Entretanto, se você não pode passear com o cachorro o suficiente, obviamente não está dando a ele a opção de fazer xixi ou cocô na rua. Além disso, uma vez que um cão tenha aprendido a se aliviar em casa, será necessário um lento processo de reeducação para que ele aprenda a fazer isso lá fora. Aqui explicamos como ensinar um cachorro a fazer cocô e xixi no lugar certo.
  • Come excessivamente: o tédio pode fazer com que o cão se distraia com a única coisa disponível para ele, neste caso, o alimento. Assim como acontece com os humanos, a ansiedade do cachorro pode estar associada à alimentação excessiva. Às vezes, mesmo que o cão não tenha comida à sua disposição, ele pode desenvolver a chamada síndrome de pica e, portanto, começar a comer objetos que não são adequados para consumo, como papel, terra, roupas...
  • Agressividade: como já vimos, um cachorro que não faz passeios regularmente pode desenvolver uma personalidade facilmente irritável. Isto pode levar a más experiências e situações comprometedoras, o que pode resultar no envolvimento do cão em comportamentos agressivos, como rosnar ao se aproximar de sua tigela de comida, brinquedos, etc. Infelizmente, este tipo de comportamento pode se enraizar a longo prazo de uma forma ruim.
  • Insegurança e proteção do território: devido à falta de novos estímulos, é natural que o cachorro possa desenvolver uma personalidade um tanto quanto medrosa, podendo se assustar com qualquer coisa desconhecida que você incorpore ao lar. Da mesma forma, também é natural que esta insegurança crie a necessidade de proteger o que é de sua propriedade contra estranhos. Portanto, nestas situações, é comum ver cães excessivamente vigilantes com seu território, por exemplo, latindo toda vez que alguém se aproxima da porta ou quando há convidados.

Finalmente, é importante entender que se seu cão tem um problema de comportamento derivado da falta de exercícios, não será suficiente reeducá-lo para corrigir o comportamento. Quando queremos resolver um problema com um cachorro, é necessário saber se o bem-estar do cão está coberto, ou seja, se o tutor cuida de todas as necessidades essenciais do animal.

Você também pode ver mais sobre o que acontece se você não levar seu cachorro para passear neste vídeo do nosso canal no YouTube:

Se deseja ler mais artigos parecidos a Consequências de não passear com o cachorro, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Cuidados básicos.

Bibliografia
  • Paramio, A. (2010). Psicología y aprendizaje del adiestramiento del perro. 2a Ed. Ediciones Díaz de Santos.
  • V. Mª Mariotti, M. Amat, M. Hervera, M. Baucells, X. Manteca. (2009). Factores ambientales implicados en el control de la conducta del perro y del gato: alimentación, manejo y ejercicio. Clin. Vet. Peq. Anim, 29 (4): 209-215.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Consequências de não passear com o cachorro
1 de 3
Consequências de não passear com o cachorro

Voltar ao topo da página