Partilhar

Ansiedade de separação em gatos

Por Vanessa Lopes, Redatora do PeritoAnimal. Atualizado: 18 março 2019
Ansiedade de separação em gatos

Ver fichas de  Gatos

Apesar de sabermos que os gatos são criaturas independentes, recentemente veterinários especialistas no comportamento felino realizaram estudos que sugerem que a ansiedade de separação também pode ocorrer em gatos. E embora não se saiba com certeza o que pode causá-la, diz-se que pode ser devido a fatores genéticos, do ambiente que o rodeia e ambientais.

Os gatos com ansiedade de separação podem desde chorar quando o amigo humano está se preparando para sair, até não reagir e esperar que o deixem sozinho para urinar e defecar em lugares inapropriados como móveis e camas.

Se o seu gato está se comportando de forma estranha e acredita que pode estar sofrendo de ansiedade de separação, convidamos você a ler o seguinte artigo do PeritoAnimal em que vamos falar da ansiedade de separação em gatos, o problema e as suas possíveis soluções.

O que é a ansiedade de separação?

Como o próprio nome indica, o gato sofre de ansiedade cada vez que é separado do seu amigo humano ou de outra companhia felina da qual está habituado e com o qual criou uma ligação forte. Um gato que insiste em estar o dia todo e a todo o momento com o dono, que o segue para todo o lado, inclusive para o banheiro, é um animal que pode estar sofrendo desta condição psicológica.

Esta reação ativa-se no momento em que a pessoa se prepara para sair de casa, não se esqueça que os gatos são criaturas observadoras e muito inteligentes, ficando o felino de mau humor ou ficando entre a pessoa e a porta. Ao regressar, o dono pode se deparar com um desastre, com alguma rejeição por parte do gato, que demonstrará o seu desgosto dessa forma, ou pelo contrário, demasiado efusivo.

Ansiedade de separação em gatos - O que é a ansiedade de separação?

Os diversos comportamentos

Os gatos e os cães, embora não pareça, são idênticos em muitas coisas. Alguns dos tipos de comportamentos gerados pela ansiedade de separação nos gatos não são os mesmos que ocorrem nos cachorros:

  • Vocalização e choro excessivo.
  • Defecação e vômitos em lugares inadequados ou onde sabe que o dono não vai gostar, como tapetes, objetos pessoais (sapatos e bolsas) e na cama.
  • Ações destrutivas como morder ou arranhar elementos e móveis da casa.
  • Higiene e cuidado excessivo. Um gato com este tipo de problemas irá se lamber demasiado, até ao ponto de ficar com manchas sem pelo (é pouco comum mas pode acontecer). Estamos falando de um granuloma acral por lambida, um problema de saúde que se deve tratar o quanto antes.
Ansiedade de separação em gatos - Os diversos comportamentos

Como ajudar o seu gato a superar a ansiedade de separação

Os gatos não ficam muito bem quando sofrem deste tipo de ansiedade. A boa notícia é que é algo que podemos tratar para o ajudar a ter um melhor e mais tranquilo momento sozinho.

1- Investigações demonstraram que a música tem propriedades sedativas naturais, em especial se forem peças instrumentais como de arpa e piano. Pouco antes de sair de casa coloque este tipo de música, o seu gato irá associá-la à sua presença, irá sentir-se acompanhando e quem sabe, pode até dormir um cochilo.

2 - Coloque um pouco de catnip ou algum dos seus brinquedos favoritos na sua bolsa e incentive-o à curiosidade. O seu gato começará a associar a bolsa com emoções positivas e não com a sua ausência. Crie a sua bolsa, um pequeno espaço de brincadeira.

3 - Cada vez que você sai de casa isso altera o seu comportamento. A partir de agora, deverá utilizar certas técnicas para dissuadir a sua atenção e tentar criar nele uma certa noção de que você nunca se vai embora, diminuindo assim a sua ansiedade quando, de fato, você vai. Estas técnicas funcionam para o ajudar a manter o controle das suas emoções. Pegue nas chaves de casa ou do carro pelo menos 10 vezes por dia, e depois coloque-as outra vez no seu sítio. Dentro de casa, leve a sua bolsa no braço durante uma hora ou mais.

4 - Realize saídas falsas, abra, saía, entre e feche a porta. Experimente este exercício as vezes que forem necessárias até que o seu gato o ignore por completo. De seguida, aumente o tempo e vá de um minuto a cinco minutos antes de regressar. Este aumento gradual ajudará a construir a tolerância e também o ensinará que não importa quanto tempo você está fora de casa, pois voltará sempre.

5 - Os gatos são criaturas extremamente curiosas e o seu sentido de busca está muito desenvolvido. Escolha uns biscoitos que goste muito e que tenham um cheiro forte e, antes de sair de casa espalhe-os por toda a casa em sítios estratégicos e não muito fáceis de acessar, como fazendo uma caça ao tesouro. Isto desviará a sua atenção por um tempo e irá diverti-lo ao mesmo tempo. Além disso, este tipo de exercícios costumam relaxá-los de forma natural.

6 - A substituição da atenção, por vezes é uma das melhores técnicas. Peça a outro membro da família ou amigo que interaja e brinque com o seu gato durante este tempo (antes e depois de ir embora). Se é um felino que gosta de mimos, então um bom momento de carícias irá acalmá-lo, e ao mesmo tempo, irá fazê-lo sentir-se querido e não abandonado.

7 - Os brinquedos de inteligência são uma excelente forma de conseguir que o seu gato se esqueça que você foi embora durante um tempo. Alguns exemplos que poderá encontrar à venda são o kong ou diferentes tabuleiros com snacks escondidos. Este tipo de brinquedos são bastante indicados para gatos que sofrem de ansiedade de separação.

8 - Passe tempo de qualidade com o seu gato que lhe reconforte seja brincando, acariciando-o ou oferecendo-lhe guloseimas. Embora o problema resida na ansiedade por estar perto de si, sentir-se querido irá ajudá-lo a entender que não o vai abandonar e que pode sentir-se seguro.

9 - Siga um horário concreto, ou seja, crie uma rotina diária que lhe transmita confiança. Para isso, o ideal é seguir um horário de refeições, de higiene ou de brincadeiras. Tente criar atividades nas quais inclua o seu gato. Esta é uma das melhores formas de tratar a ansiedade.

10 - Não o castigue por destroços que possa fazer, premie-o sempre que fizer algo bem. Lembre-se que o castigo provoca estresse e mal-estar no seu gato, algo que pode agravar a ansiedade de separação. O melhor é utilizar o reforço positivo, a paciência e o afeto.

Ansiedade de separação em gatos - Como ajudar o seu gato a superar a ansiedade de separação

Ansiedade de separação em gatos -

Se deseja ler mais artigos parecidos a Ansiedade de separação em gatos, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas de comportamento.

Escrever comentário sobre Ansiedade de separação em gatos

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
6 comentários
A sua avaliação:
Matheus Moreno
acabei de adotar um gato, ele tem 1 ano. chegou ontem(06/05) aqui em casa, porem ele só fica na casinha de transporte. ainda não comeu nada, e nem bebeu agua até hoje (07/05). oque posso fazer pra mudar esse comportamento dele?
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Matheus! Se você acabou de adotar o seu gatinho, é normal que ele esteja em fase de adaptação, por isso, tenha paciência e ofereça a ele todas as condições necessárias. Uma boa dica é o uso de feliway classic pois facilita a adaptação do gato à casa nova, temos também um artigo sobre como cuidar de um gato que pode te ajudar, confira: https://www.peritoanimal.com.br/cuidar-de-um-gato-em-10-passos-7818.html
De qualquer maneira, é importante que o seu felino seja acompanhado por um veterinário de confiança.
A sua avaliação:
Juliana Russini
A Alice apresenta bem os sintomas de ansiedade de separação, mas no caso não preciso nem sair de casa! Aqui a questão é um pouco complicada porque tenho vários animais 7 gatos e 8 cães. E quase todos vieram de resgate, abandono ou maus tratos, muitos chegaram adultos. E após uma das cadelas chegar a matilha passou a atacar os gatos. Então tive que isolar os gatos numa parte e os cães em outra da casa.
No meu quarto onde ficam os gatos, dorme também 3 cadelas que sem os outros ficam bem com eles.
Eu trabalhei alguns anos com comportamento animal (pesquisa) mas tive que parar por um problema grave de saúde, tenho dor crônica e estou numa cadeira de rodas o que dificulta bastante utilizar alguns métodos tradicionais, mas já tentei descobrir os estímulos que causam estes comportamentos:
1 - meu quarto é quase um território neutro, fora a Frida, os outros cães aqui no quarto aceitam bem os gatos, chegam a dormir juntos, brincar, mas ao sair do quarto os mesmos cães chegam a atacar os gatos que dormem com eles.
2- A Alice bate em quase todos os bichos, tolera alguns mas em determinados momentos até estes ela agride. Que pode ter ajudado neste comportamento anti gatos dos cães.
3- A Frida ama os gatos, quer brincar mas vai muito estúpida perto deles, sendo um dos fatores que desperta o ataque da matilha. Algumas evidências são que se pego o gato no colo e colocar perto da Frida, sem que ele possa correr ela lambe o gato, faz aquela posição de chamar para brincar onde levanta as patas traseiras e bate as dianteiras abanando a cauda. Se o gato bate nela, ela levanta a pata imitando o movimento, parecendo que para ela o bater com a bata do gato na cara dela faz parte da brincadeira. Mas já aconteceu de entrar gatinho filhote aqui em casa e ela matar. Não consegui ver a tempo para impedir, acredito que ao o gatinho se colocar na posição de defesa e correr ela acabe perseguindo (talvez até para brincar) mas por ir muito afoita acabe matando.
4- Como são muitos bichos, um estímulo externo, como nós chegarmos em casa, alguém tocar a campainha, ou um carro buzinar (mesmo estando com eles), ativa nos cães um "modo de ataque", onde avançam no primeiro bicho que estiver perto, podendo ser um gato, ou um dos cachorros mesmo, galinha, esquilo, gambá ou o que aparecer na frente e vão todos os cães atacar. O problema maior é que nem sempre é o mesmo que começa, então fica bem dificil de corrigir este comportamento.
5 - Aqui é chácara, há alguns anos tentei fazer habituação dos cães com as galinhas, mas não tive sucesso. Acredito que alguns dos meus cães foram abandonados e acabaram chegando até mim justamente por caçarem galinhas.
6- Além destes problemas comportamentais maiores tem os menores como a ansiedade de separação da Alice, a Nina (cachorra) ser bastante medrosa, entre outros, além das outras pessoas da casa não colaborarem em nada na questão de corrigir os comportamentos (dão comida na mesa, as vezes deixam fazer certas coisas e depois querem proibir) o que gera diversos problemas já esperados no comportamento dos bichos e depois reclamam dos problemas que foram causados exatamente por não deixarem as coisas definidas.
Caso tenha alguma ideia que possa funcionar aqui agradeço muito.. tanto em relação a este adestramento dos bichos como o mais difícil.. o das pessoas.. rs
Maria idalina fravogoso da silva marques
O meu filho foi morar para casa dele e a minha gata ficou magra mas ela come mas depois que ele foi embora nunca Mai's foi para o quarto dele o que sera
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Maria! Provavelmente ela está sofrendo com a ausência dele. Você deve aumentar o tempo que dedica a ela nesta fase. Controle se existem outras alterações, se bebe e come normalmente, urina, defeca etc. Caso note alguma alteração, consulte o médico veterinário.
Beatriz
Minha filha vai morar em outra cidade e meu gato tem um ano e esta cada vez mais proximo dela, oque fazer quando ela for para ele nao adoecer de tristeza
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Beatriz! Quando a sua filha for embora, você vai precisar redobrar a atenção e tempo dedicado ao seu gatinho por uns tempos até ele se acostumar à ausência dela. Sempre que vir que ele está triste, tente motivar ele para brincar e faça carinho nele.
maria cristina
OLA minha gatinha tem seis meses come bem ,mas ta muito magrela ,posso dar uma vitamina pra ela?
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Maria Cristina! Se a alimentação da sua gatinha for equilibrada não são necessárias vitaminas. As vitaminas só devem ser utilizadas em caso de carência e se prescritas pelo médico veterinário. Confirme no nosso artigo se ela está comendo o suficiente: https://www.peritoanimal.com.br/quantidade-de-comida-diaria-para-gatos-21135.html. O que ajuda a aumentar o peso dela, caso esteja muito magra, é oferecer ocasionalmente comida úmida para ela.
MARIA CRISTINA
GOSTEI MUITO DOS COMENTARIOS ,PORQUE ELS NAO GOSTAM DE BANHO?
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Maria Cristina! Leia o nosso artigo que responde a essa pergunta: https://www.peritoanimal.com.br/por-que-os-gatos-odeiam-agua-21199.html

Ansiedade de separação em gatos
1 de 5
Ansiedade de separação em gatos

Voltar ao topo da página