Partilhar

Epilepsia em gatos - Sintomas, tratamento e cuidados

Por Vanessa Lopes, Redatora do PeritoAnimal. Atualizado: 16 novembro 2017
Epilepsia em gatos - Sintomas, tratamento e cuidados

Ver fichas de  Gatos

A epilepsia é uma doença que afeta quase todos os seres vivos, incluindo os seres humanos. É um transtorno muito frequente, que dificulta a vida a quem sofre dele, uma vez que a qualquer momento pode sofrer de um ataque epilético.

Quando esta doença se diagnostica em um gato, devemos ter a certeza que no ambiente que vive há tranquilidade e, sobretudo é seguro para ele. Para os donos de gatos é bom referir que não é tão comum como a epilepsia em cachorros, o que é uma boa notícia.

Neste artigo do PeritoAnimal vamos lhe explicar tudo sobre a epilepsia em gatos, os seus sintomas, tratamentos e cuidados que deve ter para estar tranquilo na hora de conviver com esta doença.

Também lhe pode interessar: Epilepsia em cachorros

O que é a epilepsia?

A epilepsia é um sintoma de uma disfunção neurológica fundamentalmente do cérebro. O sintoma presente do qual falamos são as convulsões, mas eles também podem estar presentes em outras doenças que não a epilepsia.

Podem ser originadas por diferentes motivos, dentro dos quais encontramos os hereditários, que são conhecidos como causas idiopáticas, ou por um transtorno. Dentro destes últimos temos desde uma queda com um golpe na cabeça (que nos gatos é difícil de notar) até causas infeciosas.

As causas serão determinadas, dentro do possível, pelo veterinário. E já vamos falar mais sobre isso mais para a frente.

Epilepsia em gatos - Sintomas, tratamento e cuidados - O que é a epilepsia?

Sintomas para estar alerta

Se acredita que o seu gato pode estar sofrendo de epilepsia, tenha em conta os seguintes sintomas para determinar se realmente se trata desta doença:

  • Convulsões espontâneas
  • Rigidez muscular
  • Perda de equilíbrio
  • Dificuldade para comer e beber
  • Dificuldade para caminhar
  • Hiperatividade
  • Hiperventilação (no geral antes do ataque)
  • Nervosismo

Diagnóstico e tratamento da epilepsia em gatos

Apesar de existir uma percentagem menor em gatos do que em cachorros, existem algumas raças puras com mais predisposição e os primeiros anos de vida são cruciais para o nosso pequeno felino. Como já referimos no início, a doença pode se dever a diferentes causas mas se detetar que o seu gato tem algum ou vários dos sintomas citados deve consultar o veterinário o quanto antes para fazer um diagnóstico.

Diagnóstico

O veterinário terá em conta o peso, idade e o tipo de epilepsia e tentará ajudar para chegar ao diagnóstico com análises de sangue e de urina, radiografias e até encefalogramas.

Tratamento

A escolha do tratamento será de acordo com os resultados que se obtiverem com os exames. Vamos citar as possibilidades a avaliar:

  • Medicina tradicional: existem drogas de curta e longa duração que serão reguladas pelo veterinário segundo cada animal.
  • Homeopatia: é uma terapia muito eficaz para estabilizar o animal e proporcionar-lhe a melhor qualidade de vida em uma doença que não tem cura, apenas variação no tempo.
  • Florais de Bach: ajudam o animal na forma mais natural mas não prejudicial. Pode combinar-se com outras terapias aqui nomeadas.
  • Reiki: ajudará o animal a conetar-se melhor com o ambiente e a sua paz interior. É muito útil em pets onde o número de convulsões aumentam e as drogas não fazem o efeito desejado.

Deve sempre consultar o veterinário primeiro e seguir as suas indicações quanto ao tratamento a seguir.

Epilepsia em gatos - Sintomas, tratamento e cuidados - Diagnóstico e tratamento da epilepsia em gatos

Cuidados com um gato com epilepsia

Antes de mais, deve proporcionar-lhe um ambiente seguro e cheio de mimos em casa. Minimize as situações que lhe podem provocar estresse, uma vez que podem desencadear algum ataque. Sabemos que não é uma vida fácil, mas um gato com esta doença pode ter uma expetativa de vida de 20 anos, se souber cuidar dele.

Em casa tente evitar as janelas abertas ou escadas sem a sua supervisão, ou então coloque redes nos sítios que apresentem um possível perigo para o animal. Mantenha longe da sua caixa de areia, cama e comedouro, objetos que lhe possam causar problemas perante um ataque.

Epilepsia em gatos - Sintomas, tratamento e cuidados - Cuidados com um gato com epilepsia

O que NÃO fazer no caso de uma convulsão

  • Segurar-lhe a cabeça (pode fraturar o pescoço).
  • Dar-lhe de beber, comer ou medicação nesse momento.
  • Tapá-la com uma manta ou proporcionar-lhe calor (pode sofrer de asfixia).

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Epilepsia em gatos - Sintomas, tratamento e cuidados, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas mentais.

Escrever comentário sobre Epilepsia em gatos - Sintomas, tratamento e cuidados

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
10 comentários
Rose
Bom dia! Estou cursando curso Auxiliar Veterinário e gostaria de saber quais as CURIOSIDADES relacionadas a Epilepsia Felina, poderiam me ajudar?

A sua avaliação:
Silmara
Bom dia, tenho um gato que ele é da rua e vem em minha casa, cuido dele sempre que ele vem, só que ele tem uma coçeira nas costa na hora que ele fica se coçando fica se debatendo e mija ao mesmo tempo, o que pode ser? Ele vem sempre a noite em minha casa, não vem de dia pra levar ele num veterinário. Me dá dó, tenho medo dele cair dos telhados, o que fazer? Pode me ajudar? Nessa foto é a coçeira na costa dele. Agradeço desde já pela atenção
DORISLAINE
Bom dia minha do nada ela comecou a se torce com a boca aberta nao conseguia se mexer e nem andar pq ficava bamba e depois do nada ela voltou ao normal nao sei o que é mas pensei que ela tava dando infarto alguem poderia dizer o que ela tem pois ja e segunda vez que ela teve obrigada .
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Dorislaine! Recomendo que você busque um médico veterinário o quanto antes.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!
A sua avaliação:
Marília
Pessoal, minha gatinha é filhote é há 3 meses vem tendo convulsões. Estamos tratando com neurologista. Ela já fez uma série de exames pra excluir a possibilidade de shunt, verme da lagartixa, entre outras enfermidades. Hoje ela teve 5 crises e mesmo sendo medicada na clínica com diazepam de emergência, convulsionou novamente. Não sei mais o que fazer... por favor, se alguém tiver uma experiência parecida, me ajude! Minha família está sofrendo demais e ela também.
Tainá
Oi Marília! Faz cerca de 4 meses que minha gata tem sofrido com crises convulsivas. Estamos tratando com fenobarbital, mas ainda sim ela tem crises, cada vez mais frequentes e violentas. Gostaria muito de conversar com outras pessoas que tenham gatos enfrentando o mesmo problema, pra trocarmos experiências. Entendo o seu sofrimento, é desesperador e não suporto mais ver minha neném nessas condições... Por favor, se ver esse comentário, entre em contato comigo através deste e-mail: tainaruizs@gmail.com
Boas energias pra sua filhota
MERI
eu tenho um gato ele tem seis meses, e de uns tempos pra ca eu chego em casa ele esta jogado no canto todo encolhido as patas, nao consegue se mecher, e nem come...passa umas horas ele volta ao normal, parece nao ter acontecido nda com ele. o q serà isso? tbm acho que ele passa por um estress por que tenho uma outra gata mais adulta e nao deixa ele em paz..vive surrando ele..
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Meri! Seria importante consultar um veterinário para garantir que nada de errado está passando com ele em termos de saúde.
Paulo Ablum da Mata
tenho uma gatinha jà com 13 anos e hà duas ou tres semanas deu-lhe um ataque onde fica com o corpo e membros duros mas nao tem convulsoes,a unica coisa é ficar rigida,serà epilepsia ??
Liliana Ramos (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Paulo! É possível que seja, mas o diagnóstico apenas poderá ser feito com um exame físico e provas necessárias feitas por um médico veterinário.
sueli
Minha gata entrou em crise e não sai mas. O que faço.
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Sueli! Você deve contactar imediatamente o seu médico veterinário para que a gata seja vista!
A sua avaliação:
Airton
A Polly (4 anos) começou a apresentar convulsões esporádicas a uns 3 anos, agora começou a ficar mais frequente, temos uma outra gata, Felicia (3 anos) que ultimamente começou a atacar a outra gata do nada, sai correndo ataca e briga e morde, isso pode estressar a Polly a ponto de provocar as convulsões? Caso for, como faço pra fazer a Felicia parar de ser violenta? Estou muito preocupado com a Polly, amamos muito ela, e queremos cuidar bem dela, ela acabou de ter uma convulsão muito forte agora a pouco e eu fiquei muito assustado, não sei mais o que fazer. Preciso de ajuda. Obrigado
Nídia do Carmo (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Airton! Recomendo que você consulte o veterinário o mais rápido possível para que ele possa fazer um diagnóstico adequado.
Tainá
Oi Airton! Não sei se verá meu comentário, pois já faz algum tempo desde que publicou nessa página, porém, minha gatinha tem passado por crises convulsivas e eu gostaria muito de conversar com outras pessoas que tivessem gatos com o mesmo problema, pra trocarmos experiência. Se ver esse comentário, poderia entrar em contato comigo através de meu e-mail? É tainaruizs@gmail.com
Muito obrigada desde já! Espero que sua gatinha esteja bem!
Edna Lima da Silva
Meu gatinho é calmo e amoroso. A primeira convulsão que ele teve, não estava em casa, neste dia ele teve duas conculsões, uma de manhã e outra a tarde. Dois meses depois(hoje ele teve outro ataque) ele teve novamente outra convulsão.Fica se debatendo,abrindo e fechando a boquinha, todo durinho e hoje babou e fez xixi. Fica uns 2 minutos se debatendo depois volta ao normal, vai comer e beber água.
Tainá
Oi Edna! Não sei se verá meu comentário, pois já faz algum tempo desde que publicou nessa página, porém, minha gatinha tem passado por crises convulsivas e eu gostaria muito de conversar com outras pessoas que tivessem gatos com o mesmo problema, pra trocarmos experiência. Se ver esse comentário, poderia entrar em contato comigo através de meu e-mail? É tainaruizs@gmail.com
Muito obrigada desde já! Espero que seu gatinho esteja bem!
Hermes
Meu gato está com dois meses e sete dias. Acho ele grande para a idade. Ele é hiperativo, nervoso, quando come faz um miado estranho. Tudo isso sempre notei nele antes de ler esta matéria. Quatro dias atrás o vi gemendo pela primeira vez. Ontem além do gemido se tremeu todo, como se fosse realmente um ataque epilético. E isso aconteceu três vezes no dia. Será que é. Esses ataques começaram agora, dois meses depois de seu nascimento. Agora ele está triste e sem reação. Está triste e mada faz. Brincava muito com ele, corria a casa inteira, agora.
Nídia do Carmo (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Hermes! Os sintomas batem certo com epilepsia, mas apenas o veterinário pode confirmar o diagnóstico. Rápidas melhoras para o seu gatinho!
Tainá
Oi Hermes! Não sei se verá meu comentário, pois já faz algum tempo desde que publicou nessa página, porém, minha gatinha tem passado por crises convulsivas e eu gostaria muito de conversar com outras pessoas que tivessem gatos com o mesmo problema, pra trocarmos experiência. Se ver esse comentário, poderia entrar em contato comigo através de meu e-mail? É tainaruizs@gmail.com
Muito obrigada desde já! Espero que seu gatinho esteja bem!

Epilepsia em gatos - Sintomas, tratamento e cuidados
1 de 4
Epilepsia em gatos - Sintomas, tratamento e cuidados

Voltar ao topo da página