Comparações

Diferenças entre pitbull macho e fêmea

 
Eduarda Piamore
Por Eduarda Piamore, Técnica em psicologia, educação e adestramento canino e felino. 19 março 2024
Diferenças entre pitbull macho e fêmea
American Pit Bull Terrier

Ficha do animal: American Pit Bull Terrier

Apesar de terem ganhado muita popularidade nas últimas décadas, os cães da raça pitbull ainda são amplamente discriminados sob o estereótipo de "potencialmente perigosos". São agressivos? Podem conviver pacificamente com outros cães? Existem diferenças entre os gêneros? Neste artigo do PeritoAnimal, abordaremos essas dúvidas e discutiremos as principais características físicas e comportamentais dos pitbulls, especialmente as diferenças entre pitbull macho e fêmea. Além disso, explicaremos por que eventuais estereótipos são completamente injustificados, pois ignoram as verdadeiras bases do comportamento dos cães.

Antes de começarmos, é importante esclarecer o termo "pitbull". Ele é popularmente usado para designar muitos terriers do tipo bull que pertencem a diferentes raças, com características físicas e comportamentais distintas. No entanto, existe uma única raça reconhecida por federações cinófilas internacionais que leva o nome "pitbull" - o american pitbull terrier. É nesta raça que basearemos nossa discussão sobre as diferenças entre machos e fêmeas. Confira!

Índice

  1. Tamanhos do pitubull macho e fêmea
  2. Personalidade do pitbull macho e fêmea
  3. Outras diferenças entre pitbull macho e fêmea

Tamanhos do pitubull macho e fêmea

O american pitbull terrier é reconhecido por prestigiosas organizações cinófilas, como o United Kennel Club (UKC) e a American Dog Breeders Association, além de algumas entidades afiliadas à FCI, como a Federación Cinológica Argentina, embora a FCI em si ainda não reconheça a raça. O pitbull terrier americano também foi aceito pelo American Kennel Club por algumas décadas, mas foi removido de seus registros, possivelmente para evitar a associação com "cães de luta".

Os padrões atualmente disponíveis mostram que é uma raça de cães muito diversificada, com indivíduos de diferentes tamanhos e cores. As organizações cinófilas tendem a priorizar a harmonia na composição corporal, tornando difícil encontrar uma definição ideal de altura na cernelha para o pitbull. Em relação à estrutura corporal, o UKC sugere que o comprimento da perna dianteira (medido da ponta do cotovelo até o chão) seja quase igual à metade da altura do cão na cernelha. Geralmente, as fêmeas tendem a ser um pouco mais longas e leves, enquanto os machos são mais altos e corpulentos. Essa é uma das diferenças mais evidentes entre os pitbulls macho e fêmea.

Por sua vez, a Associação Canina da Argentina propõe um peso corporal desejável para o pitbull terrier americano entre 16 e 27 kg para machos e entre 13 e 23 kg para fêmeas. No entanto, reconhecem que outros números não devem ser excluídos ou penalizados, desde que o peso seja proporcional à altura do cão.

Características comuns

Apesar das diferenças, existem mais características físicas comuns a ambos os sexos, como corpo ligeiramente alongado e musculoso, crânio e focinho largos, pelagem curta e aderente à pele, bochechas proeminentes e uma mordida potente. A estrutura geral do pitbull, seja macho ou fêmea, é atlética e poderosa, sem ser excessivamente robusta ou volumosa, garantindo que o peso do indivíduo não comprometa sua agilidade e destreza nos movimentos.

Quanto às cores da raça, são aceitas quase todas as tonalidades e padrões, exceto o merlo e o albino, visando prevenir a perpetuação de problemas de saúde.

Diferenças entre pitbull macho e fêmea - Tamanhos do pitubull macho e fêmea

Personalidade do pitbull macho e fêmea

Gostamos muito da forma como o UKC define os traços fundamentais do temperamento do american pitbull terrier, dizendo que representam "força, confiança e vontade de viver". São palavras muito precisas para esses peludos cheios de energia e altamente predispostos tanto a exercícios físicos quanto ao treinamento. Na verdade, o pitbull é tão leal aos seus tutores e desfruta tanto de fazer parte de um núcleo familiar positivo que seria capaz de aprender quase tudo para agradar aqueles que ama.

No entanto, é importante destacar que o comportamento de um cão, independentemente de sua raça, tem um forte componente individual e é mais fortemente influenciado por fatores relacionados à criação do que pela genética. Hoje, sabemos que os componentes genéticos, como raça e linhagem, têm peso significativo quando se trata da predisposição a certos padrões de comportamento em raças. No entanto, a forma como um cão age no dia a dia e como se relaciona com outros indivíduos, estímulos e ambientes depende muito mais do ambiente em que vive e da educação que recebe, especialmente durante seus primeiros meses de vida. De fato, pesquisas recentes apontam que menos de 10% das variações comportamentais observadas nos cães - em nível individual - podem ser atribuídas à genética.

Assim, as possíveis diferenças entre pitbull macho e fêmea, em termos de comportamento e personalidade, não dependem do sexo nem mesmo da linhagem de cada indivíduo, mas sim das experiências vividas e da educação recebida.

Agressividade

"Qual é mais agressivo, um pitbull macho ou fêmea?", é uma pergunta que ouvimos com muita frequência de quem tem interesse em adotar um cão dessa raça ou de outro tipo de terrier do tipo bull. Nesse sentido, independentemente da raça do cão ou mesmo se estamos falando de um mestiço, é crucial entender que a agressividade não é uma característica comportamental de nenhum cão, e não existem cães agressivos por natureza.

A agressividade em cães é um problema comportamental complexo relacionado a múltiplas causas, incluindo estresse, sedentarismo, baixa estimulação mental, má ou nenhuma socialização e até doenças que causam dor intensa ou sintomas neurológicos, como a raiva. Portanto, se perceber que seu pitbull está se tornando agressivo, o primeiro e mais importante passo é procurar um veterinário (preferencialmente um veterinário etólogo) para avaliar sua saúde e tentar identificar os fatores que podem estar desencadeando reações defensivas ou agressivas.

Portanto, o suposto instinto violento é apenas um dos mitos sobre os pitbulls que carecem totalmente de fundamento. Vejamos alguns dados sobre a raça:

  • Não há evidências científicas de que o pitbull seja mais perigoso ou tenha maior tendência à agressividade do que outros cães;
  • Testes comportamentais realizados com várias raças caninas demonstram que o pitbull está entre os cães mais tolerantes, atingindo a incrível marca de 87,6% no teste de temperamento positivo. O fato de esta raça ter sido usada em brigas fala mais sobre os seres humanos, que em algum momento acreditaram que ver dois cães lutando era entretenimento, do que sobre os próprios cães;
  • Também é verdade que o pitbull tem sido um "cão babá" por várias décadas, e esse fato histórico está intimamente ligado ao seu apego particular às crianças, a quem não hesitará em proteger e com quem desfrutará muito brincando.

Assim, não é possível determinar se um pitbull macho ou fêmea é mais agressivo, pois o desenvolvimento de comportamentos agressivos em cães pitbull depende principalmente do manejo pelo tutor. Tanto machos quanto fêmeas dessa ou de qualquer outra raça, incluindo os mestiços, podem se tornar agressivos quando não recebem os cuidados adequados para preservar sua saúde física e mental, e/ou quando são sistematicamente expostos à violência em qualquer uma de suas formas, inclusive por métodos com supostos fins educativos, como repreensões e castigos.

Educação

As diferenças entre pitbull macho e fêmea também não influenciam na capacidade de aprendizado, pois ambos os sexos respondem muito bem ao reforço positivo e são capazes de assimilar uma grande quantidade de comandos, truques e tarefas, além de se saírem muito bem em esportes caninos, principalmente aqueles que exigem agilidade.

Independentemente de escolher ter um pitbull macho ou fêmea, o mais importante é iniciar o processo educativo desde a chegada ao lar, preferencialmente durante os primeiros meses de vida, levando em consideração as seguintes diretrizes:

  • Socialização. Socializar o filhote de pitbull é fundamental para desenvolver plenamente sua confiança e dar a ele a oportunidade de assimilar uma boa quantidade de recursos para se adaptar a diferentes estímulos e ambientes, bem como aprender a conviver harmoniosamente com outros cães, gatos e outros animais de estimação. Na verdade, a socialização é a chave para a convivência do pitbull com outros cães! Não perca essa oportunidade;
  • Adestramento. Ensinar ao seu cão os comandos básicos de obediência facilitará a comunicação no dia a dia, tornará seus passeios mais seguros e as interações com outros indivíduos mais tranquilas. Além disso, o adestramento é um dos estímulos mais completos para o corpo e a mente do cão, proporcionando uma ótima estimulação física, sensitiva e cognitiva, além de contribuir para a manutenção de um comportamento mais confiável. Para ajudar, no PeritoAnimal temos artigo especialmente com dicas para adestrar um pitbull;
  • Exercício. Também é fundamental estabelecer uma boa rotina de exercícios físicos para permitir que o pitbull macho ou fêmea gaste energia e se expresse com mais liberdade. Lembre-se de que o sedentarismo é um fator de risco para o desenvolvimento de sintomas de tédio e estresse, os quais, quando não tratados adequadamente, podem acabar levando a problemas de comportamento mais complexos, como a destrutividade e a agressividade. Dado o alto nível de energia dessa raça, recomendamos que, além dos passeios diários, considere os benefícios de envolver seu cão em um esporte canino.
Diferenças entre pitbull macho e fêmea - Personalidade do pitbull macho e fêmea

Outras diferenças entre pitbull macho e fêmea

Outra diferença marcante entre o pitbull macho e fêmea está relacionada aos ciclos reprodutivos, conhecidos popularmente como "cio", e aos comportamentos sexuais, que se intensificarão após o cão atingir a maturidade sexual. Para um cão de porte médio, podemos presumir que um american pitbull terrier atingirá a maturidade sexual entre 6 e 12 meses de vida, sendo que os machos geralmente amadurecem um pouco mais tarde que as fêmeas. No entanto, a idade exata do primeiro cio pode variar dependendo das características individuais de cada animal, bem como de alguns fatores ambientais.

Uma vez atingida a maturidade sexual, os pitbulls machos estarão prontos para acasalar durante todo o ano, ao longo de toda a vida. Por outro lado, uma cadela passa por dois cios por ano (cada um dividido em quatro fases), com uma duração total de 15 a 21 dias.

Entre os sintomas do cio, também observaremos algumas diferenças entre o pitbull macho e fêmea. Vejamos quais são:

  • Fêmeas: irão apresentar o típico sangramento vaginal, geralmente acompanhado de uma visível inflamação na vulva. Tendem a demandar mais atenção e mostrar mais carinho quando estão no cio, principalmente durante o proestro (primeira fase do cio nas cadelas);
  • Machos: demonstrarão muita ansiedade ou nervosismo sempre que perceberem que há cadelas no cio por perto e buscarão sair para encontrá-las. No entanto, ambos os sexos têm uma maior propensão à fuga com fins reprodutivos.

Se você deseja aprofundar neste tema, recomendamos a leitura de nosso artigo sobre "Cachorro no cio: sintomas e duração".

Marcação

A marcação em cães não está associada apenas ao instinto reprodutivo ou à necessidade de marcar território. Ambos os sexos marcam para se comunicar com seus congêneres, para criar um odor comum ou em resposta a determinadas emoções, e não apenas o fazem pela urina. No entanto, este tipo de marcação em específico é o que mais costuma "incomodar" as pessoas que convivem com cães.

A marcação com urina é muito mais frequente em cães não castrados, sejam machos ou fêmeas, mas principalmente nos machos não castrados. Neles, é fácil identificar esse comportamento e diferenciá-lo da necessidade fisiológica de urinar, pois veremos que o cão levantará a pata e irá expelir pequenos jatos de urina sobre superfícies ou objetos verticais, como paredes, muros, os lados de um móvel, etc.

As fêmeas também marcam com urina e tendem a fazer isso com mais frequência quando estão no cio, pois isso lhes permite liberar feromônios que indicam sua disponibilidade para o acasalamento, despertando a atenção e o interesse sexual dos machos.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Diferenças entre pitbull macho e fêmea, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Comparações.

Bibliografia
  • American Temperamental Test Society (2023). ATTS Breed Statistics. Disponible para consulta en: https://atts.org/breed-statistics/statistics-page1/
  • Asociación Canina de Argentina. Estándares de razas: Pit bull terrier americano. Disponible para consulta en: https://www.asociacioncanina.org/razasestandapbt.htm
  • Morrill, K. et al. (2022). Ancestry-inclusive dog genomics challenges popular breed stereotypes. Disponible para consulta en: https://www.science.org/doi/10.1126/science.abk0639
  • United Kennel Club. Breed Standard: American Pit Bull Terrier. Disponible para consulta en: https://www.ukcdogs.com/american-pit-bull-terrier
Escrever comentário
Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 de 3
Diferenças entre pitbull macho e fêmea