menu
Partilhar

Tumor perianal em cães - Sintomas e tratamento

 
Por Laura García Ortiz, Veterinária especializada em medicina felina. 4 junho 2021
Tumor perianal em cães - Sintomas e tratamento

Ver fichas de  Cachorros

Os tumores na região perianal dos cachorros podem ser muito frequentes, sendo principalmente de três tipos: um benigno, chamado adenoma perianal, que afeta principalmente cachorros machos não castrados; e dois malignos, o adenocarcinoma de saco anal e o adenocarcinoma perianal, com alta probabilidade de formação de metástases e síndrome paraneoplásica com hipercalcemia.

Os sinais clínicos associados são aqueles derivados do crescimento de uma massa em uma área sensível dos cachorros, que começam a se lamber, se arrastar e automutilar, causando sangramento, dor, desconforto e infecções secundárias que por sua vez, causam febre e podem fistular. O diagnóstico é feito com citologia e biópsia e o tratamento será cirúrgico e médico. Neste artigo do PeritoAnimal, abordamos o tema do tumor perianal em cães, seus sintomas e tratamento.

Tipos de tumores perianais em cães

Na região perianal, que se estende entre o ânus e a genitália do cachorro, podem ocorrer patologias como os tumores. É uma área muito inervada e irrigada, por isso a dor e a sensibilidade ao manusear são muito altas.

Ao redor do ânus, encontramos duas estruturas:

  • Sacos anais: divertículos de fundo cego de cada lado do ânus, entre os esfíncteres anais externo e interno. Sua função é acumular um fluido viscoso, seroso e malcheiroso que é sintetizado pelas glândulas internas e eliminado naturalmente durante a defecação dos cachorros. É útil no reconhecimento entre os cães, e também é liberado em situações estressantes.
  • Glândulas perianais: também chamadas de glândulas circumanais ou hepatoides, que possuem receptores hormonais (andrógenos, estrógenos e hormônio do crescimento). Estão localizadas no tecido subcutâneo que envolve o ânus do cachorro. Estas são glândulas sebáceas que não secretam conteúdo.

Podem aparecer diversos tipos de tumores na área perineal, sendo os seguintes os mais comuns:

  • Adenoma perianal: observa-se uma massa na base da cauda ou na região perianal, com crescimento progressivo e indolor. Às vezes, pode ulcerar. Ocorre com maior frequência em machos não castrados e mais velhos, sendo o tipo de tumor mais prevalente neles. No entanto, também é observado em fêmeas, principalmente nas esterilizadas. É um processo benigno.
  • Adenocarcinoma perianal: também é um tumor das glândulas perianais com as mesmas características do anterior, porém maligno e, portanto, mais agressivo. Pode ocorrer em cães de qualquer idade e sexo.
  • Adenocarcinoma dos sacos anais: é o tumor mais comum em fêmeas esterilizadas e não esterilizadas e em cachorros de idade avançada. A hipercalcemia (aumento do cálcio no sangue) ocorre neste tumor.

Cabe destacar que há certa predisposição racial ao desenvolvimento de tumores perianais, sendo mais frequente em cachorros das seguintes raças:

  • Cocker Spaniel.
  • Fox Terrier.
  • Raças de origem nórdica.
  • Raças grandes, podendo estar associado ao tumor testicular.

Sintomas de tumor perianal em cachorros

Nos casos de adenoma perianal, inicialmente os cachorros não apresentam dor nem sintomas associados. Com o tempo, e se infeccionarem, podem desenvolver febre, mal-estar e anorexia. Se o tamanho for muito grande, podem apresentar obstrução colorretal e dor perineal, o que torna a defecação um processo muito difícil e doloroso para o cachorro.

Os adenocarcinomas perianais são mais agressivos, podendo manifestar sinais clínicos como perda de apetite, dor e letargia. Eles têm grande possibilidade de produzir hipercalcemia como parte da síndrome paraneoplásica (um conjunto de sintomas associados a tumores), bem como sinais clínicos derivados dos danos causados ​​por esse aumento do cálcio ao nível renal, como síndrome de poliúria/polidipsia (urinar e beber mais do que o normal).

Esta síndrome paraneoplásica também pode ocorrer em adenocarcinomas dos sacos anais, mas com menor frequência (cerca de 25%-50% dos cães).

Em resumo, nos casos de tumores perianais, os cachorros podem manifestar os seguintes sintomas:

  • Dor perianal.
  • Mau odor na região perianal.
  • Lambidas insistentes na área.
  • Sangramento do tumor.
  • Arrastamento da parte posterior do corpo.
  • Ulceração.
  • Infecções secundárias.
  • Coceira anal.
  • Anorexia.
  • Poliúria.
  • Polidipsia.
  • Letargia.
  • Apatia.
  • Febre.
  • Fístulas.
  • Falta de apetite.
  • Perda de peso.
  • Obstrução colorretal.
  • Constipação.
  • Hematoquezia (sangue nas fezes).
  • Dor ao defecar (disquesia).
  • Dificuldade para defecar (tenesmo).

Esses tumores apresentam grande capacidade de metástase, invadindo primeiro os linfonodos regionais (inguinais e pélvicos) e, posteriormente, os órgãos internos.

Diagnóstico de tumor perianal em cães

Em caso de suspeita de tumor maligno em um cachorro, técnicas de diagnóstico por imagem devem ser utilizadas para procurar metástases, uma vez que em cerca de 50% a 80% dos casos de tumores perianais há metástases no momento do diagnóstico. As técnicas utilizadas são a ultrassonografia abdominal, para avaliar os gânglios linfáticos e outros órgãos como os rins ou o fígado, e a radiografia, utilizada para visualizar os órgãos torácicos, principalmente os pulmões.

No exame de sangue será possível observar hipercalcemia e dano renal nos casos de adenocarcinomas.

Tratamento de tumor perianal canino

O tratamento dos tumores perianais em cachorros é a remoção cirúrgica. No entanto, dependendo do tipo de tumor e da presença ou não de metástases, o tratamento pode variar:

  • No caso dos adenomas perianais, por serem tão intimamente relacionados aos hormônios de machos não castrados, é necessário realizar a castração para reduzir o risco de recorrências futuras, que cai cerca de 90%.
  • Quando há metástases ou os tumores são malignos, deve-se realizar a extração completa com margens cirúrgicas e continuar o tratamento com quimioterapia e radioterapia.
  • Em casos de comprometimento da função renal e hipercalcemia, deve-se aplicar tratamento específico com fluidoterapia e medicamentos antes da cirurgia para reduzir o risco anestésico.
  • Quando o tamanho dos linfonodos dificulta a defecação, eles devem ser removidos para facilitar o processo.

Em qualquer dos casos, é imprescindível ir à clínica veterinária para que um especialista diagnostique o tipo de tumor e decida qual é o melhor tratamento.

Agora que você já sabe tudo sobre o tumor perianal em cães, talvez possa te interessar o vídeo a seguir sobre como cuidar de cachorro para que ele viva mais:

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Tumor perianal em cães - Sintomas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Bibliografia
  • ZAPATA CASTRO, Mitchel Luciana. Principales tumores epiteliales cutáneos en caninos. 2020. Disponível em: <https://repositorio.cientifica.edu.pe/handle/20.500.12805/1534>. Acesso em 2 de junho de 2021.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Tumor perianal em cães - Sintomas e tratamento
Tumor perianal em cães - Sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página