Partilhar

Mastim espanhol

Atualizado: 22 outubro 2020
Mastim espanhol

Presente nos ambientes mais rurais da Espanha há séculos, encontramos uma raça histórica como o mastim espanhol, conhecida por sue físico imponente, já que é considerada como a maior raça canina da Espanha, assim como por suas habilidades como guardião de terrenos e casas. Contudo, estas não são as únicas qualidades do mastim espanhol, já que, como descobriremos a seguir neste artigo do PeritoAnimal, estamos diante de uma raça de cachorro incrível em todos os sentidos, e que pode se converter em um excelente animal de companhia, mesmo que vivamos na cidade. Por isso, se você está planejando adotar um cachorro com essas características ou se já convive com um e quer saber mais, aqui iremos lhe explicar tudo sobre o cachorro mastim espanhol.

Origem
  • Europa
  • Espanha
Classificação FCI
  • Grupo II
Características físicas
Altura
  • 15-35
  • 35-45
  • 45-55
  • 55-70
  • 70-80
  • Mais de 80
Peso adulto
  • 1-3
  • 3-10
  • 10-25
  • 25-45
  • 45-100
Esperança de vida
  • 8-10
  • 10-12
  • 12-14
  • 15-20
Atividade física recomendada
  • Baixa
  • Média
  • Alta
Recomendações
  • Arnês
Clima recomendado
Tipo de pelo

Mastim Espanhol: origem

Desde muito tempo, o mastim espanhol tem sido muito presente nas fazendas e terrenos mais rurais da Espanha. Há dúvidas acerca de suas origens, uma vez que por um lado se acredita que chegou à região através dos celtas e dos fenícios; por outro, há suspeitas de que os romanos o usavam como cão de combate, descendendo portanto do mastim do Tibete, enquanto outros consideram que tudo isso é falso e afirmam que o mastim espanhol descende dos molossos ou dos dogos. O que é certo é que já em 1273, ano de fundação da Mesta, conforme registrado em documentos oficiais, os mastins já atuavam como cães de pastoreio na Península Ibérica.

Trata-se, pois, de um cachorro arraigado às tradições agrícolas espanholas, sendo o principal encarregado de cuidar dos campos e os proteger de roubos e invasões. Além do mais, ainda hoje segue cumprindo essa função de guardião em muitos campos, devido a sua personalidade protetora e seu físico imponente. Essa combinação fez com que fosse estranho ver uma fazenda em que não houvesse uma família de mastins espanhóis para vigiarem o terreno.

Mas o mastim espanhol não foi apenas um cão de guarda, pois desempenhou o papel de cão condutor por todo o país através das vias pecuárias que cruzam a Espanha de norte a sul, guiando o gado e o defendendo de predadores como lobos, por exemplo. Atualmente, devido às mudanças nas técnicas de criação de gado e o quase desaparecimento de muitos dos predadores do gado, essa função acabou caindo no esquecimento, formando parte da história do mastim espanhol. Atualmente, a principal função do cachorro mastim espanhol é tanto a de cuidar de terrenos como a de cachorro de companhia, já que não é raro os ver passeando com seus cuidadores na cidade, onde isso é cada vez mais frequente.

Mastim Espanhol: características

Os mastins são cachorros catalogados como uma raça gigante, o que está mais do que justificado, já que os machos podem chegar a pesar até 100 quilos! O peso varia normalmente entre 50 e 70 quilos entre as fêmeas e 70 a 100 quilos entre os machos. Por tratar-se de uma raça gigante, há que levar em conta que seu crescimento será mais lento que o de outras raças de menor porte, já que os mastins espanhóis costumam alcançar seu peso definitivo entre os dez meses e os dois anos de idade.

Mas não é só seu tamanho que os faz imponentes, como também sua musculatura definida, já que são animais fortes e com músculos potentes. Como se isso não bastasse, considera-se que o mastim espanhol é uma das raças com o maior tamanho em relação a altura e peso do mundo, senão a maior. Isso se explica por seu peso já mencionado e por sua altura, que pode variar entre 72 e 80 centímetros.

Dando prosseguimento às características físicas do mastim espanhol, podemos dizer que suas extremidades são robustas e fortes, mas não deixam de ser ágeis. De qualquer forma, muitos exemplares do mastim espanhol apresentam um dedo a mais nas patas traseiras, sobre o qual falaremos no tópico de cuidados. A cabeça é grande, triangular e plana, as orelhas são caídas e a mandíbula é marcada. Seus olhos costumam ser escuros e pequenos, e o focinho é preto. Algo característico do cachorro mastim espanhol é que sua pele costuma ficar pendurada na região do pescoço formando um queixo duplo, além das bochechas, fazendo com que pareça um vovôzinho adorável.

O pelo do mastim espanhol é liso, denso, semicomprido, mesmo que seja um pouco maior na região da calda, e de pelo grosso, apresentando uma subcamada lanosa durante os meses mais frios, protegendo-o das adversidades meteorológicas. As cores mais comuns são as sólidas e malhadas, castanho ou marrom, ainda que possam haver muitas outras cores diferentes, já que o padrão da raça mastim espanhol fixada pela CI não incluiu uma quantidade de cores e padrões predeterminados.

Mastim Espanhol: personalidade

Ao falar de uma raça gigante e usada para guarda e defesa, podemos pensar que o mastim espanhol é um animal agressivo e antissocial, o que não poderia estar mais distante da realidade. Sempre que o mastim espanhol for socializado corretamente, estaremos diante de um cachorro equilibrado e muito carinhoso, dócil e extremamente leal, considerado uma das raças de cachorro mais tranquilas do mundo. Dessa forma, a personalidade do mastim espanhol se destaca por essas qualidades, que o tornam um animal apto para qualquer família que possa se comprometer com seus exercícios e educação.

Além disso, o cachorro mastim espanhol é muito inteligente e intuitivo, o que torna fácil seu adestramento, desde que sejamos constantes e pacientes, já que isso também nos permitirá conseguir que o mastim aprenda a controlar sua força e dosificar sua energia de acordo com cada situação.

Agora, ao falar do temperamento do mastim espanhol é importante levar em conta que temos que tomar cuidado em relação ao que eles consideram como seu território, já que como vimos anteriormente, trata-se de uma raça guardiã por excelência, motivo pelo qual podem atacar aqueles que considerem como intrusos. Por essa mesma razão pode ser que nosso mastim lata quando ouça ruídos, especialmente a noite, quando reina o silêncio e os sons se destacam. Devido a essa característica, às vezes poderemos ter problemas com os vizinhos devido aos latidos, mas com as técnicas adequadas e a ajuda de profissionais em adestramento (se for necessário), poderemos acabar com esse inconveniente e aproveitar a companhia de nosso mascote.

Se conseguirmos treinar bem nosso mastim espanhol ele poderá ser um companheiro ideal em qualquer lugar, mesmo que ainda necessite de muita atividade física caso viva em um espaço pequeno; se não tivermos nem pátio nem jardim, teremos que proporcionar ao mastim mais horas de exercício, passeios diários e jogos para que se mantenha equilibrado e saudável. Se fizermos isso, a falta de metros quadrados não será desculpa para não poder ter um mastim espanhol na cidade.

Mastim Espanhol: cuidados

Um dos principais fatores aos quais devemos prestar atenção em relação aos cuidados básicos é a alimentação do mastim espanhol. Precisamos ser cuidadosos, já que são ansiosos e muito gulosos. Por isso, precisamos racionar as quantidades de comida e evitar lhes dar guloseimas industrializadas habitualmente. Isso é importante para evitar que cheguem a ter sobrepeso, o que seria muito danoso para sua saúde, em especial para suas articulações, podendo acarretar em complicações mais ou menos graves. No lugar dos petiscos prontos, podemos optar por pedaços de fígado de frango, alimento excelente para dar-lhes de recompensa.

Entre os cuidados com o mastim espanhol encontramos, também, as horas dedicadas ao exercício. Conforme dito no tópico anterior, é preciso que ele pratique exercício o suficiente para liberar toda sua energia, já que caso contrário podem se tornar ansiosos e até mesmo muito agressivos. Por isso, recomenda-se vários passeios diários e horários para jogos, que podem ser divididos com os pequenos da casa. Neste sentido, para o pleno aproveitamento de ambas as partes é preciso ensiná-los a brincar de forma respeitosa e assim evitar possíveis sustos e danos, tanto para as crianças quanto para o animal. Dessa forma, seria importante educar nosso mastim desde filhote para evitar que morda quando estiver brincando, por exemplo.

Outro dos cuidados com o cachorro mastim espanhol é manter seu pelo escovado e limpo, tanto de sujeiras quanto de parasitas como pulgas e carrapatos, que podem transmitir diferentes doenças a nosso animal, além dos temidos mosquitos, portadores de doenças tão perigosas como a leishmaniose e a dirofilariose. Por esse motivo, é necessário usar produtos antipulgas, como pipetas, coleiras ou comprimidos. Para selecionar um ou outro teremos que levar em conta nossas necessidades particulares, ver qual método se adapta melhor a elas e consultar o veterinário, já que alguns animais podem ser alérgicos a alguns componentes.

Mastim Espanhol: educação

Para evitar problemas durante sua vida adulta, é muito importante dar início ao processo de socialização do mastim espanhol filhote o mais cedo possível, já que assim conseguiremos que aprenda a se relacionar com outros cachorros, crianças, novos ambientes, etc. Devido ao seu grande porte, esse ponto é crucial em sua educação, já que não cuidar disso pode fazer com que o animal tenha medo de desconhecidos e ataque como forma de defesa, por exemplo. Se tivermos adotado um mastim espanhol adulto, também podemos socializá-lo tendo um pouco mais de paciência, sendo muito constantes e entendendo sua personalidade em função de experiências anteriores.

Devido a sua origem como cão de guarda e de trabalho, o mastim espanhol é leal, protetor, dócil e equilibrado, por isso o educar é bem simples sempre que a técnica de reforço positivo for utilizada, além da constância e da cobertura de suas necessidades de brincadeira e gasto de energia. De qualquer forma, é um cachorro ideal para executar habilidades caninas e truques variados, uma vez que isso ajuda a mantê-lo estimulado tanto física quanto mentalmente.

Um dos principais problemas de conduta do mastim espanhol é sua possessividade, especialmente com a comida e com as pessoas. Conforme dizíamos, são animais muito gulosos e ansiosos, que se não forem corretamente educados podem desenvolver transtorno de proteção de recursos e apresentar condutas agressivas para defender o que consideram como seu. Por outro lado, especialmente entre os filhotes, é comum confundir uma brincadeira mais brusca com agressividade. Lembramos que os mastins espanhóis podem morder se não tiverem brinquedos variados e adequados ou se não forem corretamente adestrados.

Mastim Espanhol: saúde

Depois de revisar todas as características do mastim espanhol, vamos abordar seus principais problemas de saúde. Em geral, são uma raça forte e robusta, mas isso não exclui a possibilidade de que possam padecer de diversas doenças. Alguns estão ligadas ao tipo da raça, já que por serem cachorros de tamanho gigante estão propensos a sofrer de displasia de quadril. Por isso, desde filhote é preciso realizar revisões e exames diagnósticos como radiografias com frequência, para assim avaliar o estado e a evolução de sua articulação. Nosso veterinário pode sugerir provas como a de PennHIP ou nos recomendar o uso de condroprotetores, que ajudam a lubrificar todas as articulações, evitando que nosso mascote sofra desconfortos. Por sua vez, existem exercícios que podem ajudar os animais afetados pela displasia.

Outra das doenças comuns entre o mastim espanhol é o entrópio, no qual a borda pálpebra dobra no olho, causando danos ao globo ocular e provocando complicações que vão desde irritações ou dificuldade de abrir os olhos, até danos nas córneas e perda de visão.

Às vezes, tutores que conviveram com um cachorro mastim espanhol dizem que são cachorros que acabam ficando loucos. Essa crença está relacionada com os problemas psicológicos que muitos deles desenvolvem devido a solidão e à falta de carinho a que se veem submetidos. Casos assim foram sobretudo observados entre os mastins que guardam terrenos não frequentados por pessoas com certa frequência. Contudo, se dermos atenção e carinho ao nosso mastim espanhol, ele ficará muito distante de parecer com esse mito de animal agressivo ou louco.

Como nas demais raças de cachorros, recomenda-se visitas frequentes ao veterinário para prevenir e diagnosticar precocemente as doenças do mastim espanhol, assim como seguir o calendário de vacinação e realizar as desparasitações (tanto internas quanto externas) com a frequência necessária de acordo com o produto utilizado.

Fotos de Mastim espanhol

Artigos relacionados

Suba a sua foto de Mastim espanhol

Suba a foto do seu Pet

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
Como avalia esta raça?

Mastim espanhol
1 de 4
Mastim espanhol

Voltar ao topo da página