Partilhar

Câncer em gatos - tipos, sintomas e tratamento

Por Liliana Ramos, Jornalista especializada em mundo animal. Atualizado: 3 abril 2019
Câncer em gatos - tipos, sintomas e tratamento

Ver fichas de  Gatos

Quando falamos de câncer nos gatos estamos nos referindo a um conjunto de doenças que provocam a divisão descontrolada de células em distintas partes do corpo, provocando, na maioria dos casos, a aparição de um tumor. Devido a uma melhor qualidade de vida dos gatos domésticos, o que implica uma maior longevidade, são cada vez mais frequentes os casos de câncer em gatos.

Neste artigo do PeritoAnimal vamos explicar para você tudo o que precisa saber sobre o câncer em gatos, repassando os distintos tipos de câncer que existem, os sintomas mais frequentes, os métodos de diagnóstico e os diferentes tratamentos.

O câncer nos gatos

O câncer é um termo que se utiliza para descrever um conjunto de doenças. Todas elas têm em comum que as células de determinadas partes do corpo crescem e se dividem sem descontroladamente, o que provoca uma expansão dos tecido ao redor. Alguns tipos de câncer formam umas protuberâncias que conhecemos como "tumores" ou "neoplasias" que na realidade são uma acumulação de células. Outros, como a leucemia (câncer no sangue) não forma tumores sólidos.

Existem vários tipos de neoplasias, como as comumente conhecidas por tumores "benignos" que são as que não invadem tecidos e não se disseminam a outras partes do corpo. Por outro lado, encontramos os tumores "malignos", aqueles que se estendem pelo organismo, formando o que se conhece como "metástases".

Nem sempre é possível conhecer as causas que provocam o câncer em gatos, mas as mais comuns são:

  • Predisposição genética
  • Exposição a determinados fatores como fumos e toxinas ambientais
  • Infeções virais
Câncer em gatos - tipos, sintomas e tratamento - O câncer nos gatos

Câncer de mama em gatos, linfoma em gatos e outros tipos de câncer

Infelizmente, existe uma grande variedade de tipos de câncer que podem afetar os nossos felinos. Por isso, vamos te dar alguns exemplos dos tipos de câncer mais comuns em gatos e as suas características:

  • Linfoma: o câncer linfoma em gatos é um dos mais frequentes e tem origem nos linfócitos, ou seja no sangue, na medula óssea, nos gânglios ou tecidos linfáticos. Pode aparecer em qualquer lugar ou em vários ao mesmo tempo. O aparecimento deste câncer está fortemente associado à infeção pelo vírus da leucemia felina e o vírus da imunodeficiência felina.
  • Carcinoma das células escamosas: este tipo de câncer afeta a derme e pode passar despercebido na sua fase inicial, sendo confundido com uma ferida que não acabou de se curar. Costuma afetar o nariz, as orelhas e não é habitual existirem metástases pelo resto do corpo.
  • Carcinoma mamário: o câncer de mama em gatos é frequente nas fêmeas não castradas, embora também possa ocorrer em fêmeas castradas e em machos. Geralmente manifesta-se através de nódulos numa ou várias glândulas mamárias.
  • Adenocarcinoma intestinal: o câncer intestinal em gatos pode afetar o intestino grosso e o delgado, invadindo o intestino de uma forma extensa e rápida. É comum surgirem sinais clínicos como a perda de apetite, perda de peso, vômitos e diarreias.
  • Sarcoma dos tecidos moles: também conhecido como fibrossarcoma, este tipo de câncer tem origem nos fibroblastos, geralmente debaixo da pele. Podem ser observados nódulos firmes que aumentam de tamanho.
  • Osteossarcoma: este tipo de câncer dos ossos em gatos é bastante comum. Os sintomas mais comuns são os sinais evidentes de dor, dificuldade em caminhar e fraturas.
  • Mastocitoma: tem origem nos mastócitos, células que encontramos por todo o corpo. Pode se apresentar numa única massa ou em forma de múltiplos nódulos, por vezes acompanhado de uma úlcera.

Sintomas de câncer em gatos

Como você leu, existem diferentes tipos de câncer em gatos, que podem afetar diferentes tecidos do organismo, o que provoca sinais clínicos muito distintos entre si e difíceis de reconhecer. Para além disso, numa fase inicial, o câncer pode se desenvolver de uma forma lenta, causando uma sintomatologia semelhante à de outras doenças, o que torna difícil detectar de uma forma rápida esta doença. A idade está relacionada com este problema, sendo que os gatos mais idosos estão mais predispostos a sofrer de câncer.

Os sintomas de câncer em gatos mais comuns são:

  • Aparecimento de caroços no corpo;
  • Sangramento;
  • Feridas que não cicatrizam;
  • Ulceras;
  • Mau hálito;
  • Dificuldade em comer;
  • Salivação intermitente ou continua;
  • Coxear;
  • Roncos e tosse;
  • Ruídos respiratórios;
  • Vômitos e diarreia;
  • Icterícia;
  • Distensão abdominal;
  • Debilidade;
  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Depressão.


Se o seu gato apresenta um ou mais dos sinais clínicos mencionados, é aconselhável visitar de forma urgente o seu médico veterinário de confiança, já que quanto mais depressa for diagnosticado o problema, melhor será o prognóstico do seu felino.

Câncer em gatos - tipos, sintomas e tratamento - Sintomas de câncer em gatos

Como diagnosticar câncer em gatos

Perante a suspeita de que o seu gato possa ter câncer, o mais recomendável é dirigir-se ao centro veterinário para realizar as diferentes provas de diagnóstico. É importante destacar que o exame físico nem sempre é suficiente para diagnosticar uma doença, pelo que veterinário poderá ter de recorrer a diferentes métodos.

É comum a realização de uma ecografia, uma análise sanguínea e um raio x para determinar a localização e extensão do tumor. Para a confirmação do diagnóstico é essencial analisar o tecido afetado, através de uma biópsia, ou seja, uma extração do tecido e posterior análise microscópica. Dependendo do tipo de câncer e da sua localização, pode ser necessário realizar provas mais complexas, como um eletrocardiograma, ressonância magnética ou um TAC.

Câncer em gatos tem cura?

Embora dependa de diversos fatores, o câncer nos gatos pode ser tratado se for detectado de forma precoce e se forem feitos os tratamentos adequados. Um correto tratamento pode aumentar de forma significativa a esperança de vida do felino. Mesmo assim, é importante referir que nem todos os gatos respondem de forma positiva ao tratamento e inclusive, em alguns casos o veterinário pode optar por não tratar o animal, quando a qualidade de vida dele está comprometida, por exemplo. Em qualquer caso, deve ser o especialista a orientar e guiar você para a melhor decisão.

Os três tipos de tratamento de cancro em gatos mais comuns são:

  • Cirurgia: é o método mais utilizado na presença de câncer e pode ter diferentes objetivos. O seu veterinário irá decidir se é recomendável apostar na eliminação total do tumor, a eliminação parcial do tumor em combinação com um tratamento de quimioterapia ou radioterapia ou mesmo a eliminação do tumor com o único objetivo de melhorar a qualidade de vida do animal. A cirurgia evolve sempre alguns riscos para o gato e pode ser necessário o uso de analgésicos e outros cuidados pós-operatórios.
  • Radioterapia: nem todos os centros veterinários dispõem deste método de tratamento e o seu veterinário pode optar por encaminhá-lo para outro centro. Este método consiste em aplicar uma radiação externa no tumor, que têm a capacidade de matar as células tumorais, embora também algumas células saudáveis. é necessário fazer várias sessões e o tratamento costuma durar entre 3 a 5 semanas. Os efeitos secundários mais frequentes são os vômitos, as náuseas, a perda de pelo a irritação da pele, que podem controlar-se com o uso de medicação.
  • Quimioterapia: atualmente encontramos uma grande variedade de fármacos anticancerígenos que atuam atacando as células tumorais, quer seja em forma de comprimidos ou injeção. Os efeitos secundários da quimioterapia podem incluir a perda de pelo, a supressão da medula óssea ou a irritação gastrointestinal.

Os gatos que mantêm um tratamento contra o câncer precisam de cuidados especiais para manter a qualidade de vida deles. Pode ser útil anotar diariamente os sintomas e comportamento que mostre o felino, com o objetivo de ajudar o veterinário a adequar o tratamento.

Entre os cuidados destacamos uma alimentação de qualidade, assegurar zonas de conforto para o felino, o uso de medicação para a dor (analgesia), medicação para infeções bacterianas secundárias (antibióticos) e anti-inflamatórios.

Câncer em gatos - tipos, sintomas e tratamento - Câncer em gatos tem cura?

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Câncer em gatos - tipos, sintomas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças hereditárias.

Escrever comentário sobre Câncer em gatos - tipos, sintomas e tratamento

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
7 comentários
Marcia Fraga Beber
Foi descoberto um tumor de mama em estado avançado, foi retirado !Hoje ,vinte dias após a cirurgia ela começou com chiado e hoje com muita falta de ar. Medicada com aminofilina e cortisona ( cortrat ). Tenho outro caminho ?
Soraia Ferreira
Márcia, provavelmente e infelizmente a sua gatinha acabou desenvolvendo após a cirurgia uma metástase pulmonar difusa :( :(. Espero que eu esteja enganada, mas falo isso pois, perdi recentemente a minha gata siamesa (filha de pais siameses), de 17 anos e um mês de idade, vítima de uma metástase pulmonar difusa, advinda de um carcinoma mamário micropapilífero que ela vinha tratando desde outubro de 2017, quando fez a primeira cirurgia. No total foram 7 cirurgias (sendo uma mastectomia unilateral esquerda e uma mastectomia parcial direita). Ela chegou a ter três a quatro barrigas, mas foi castrada já jovem adulta, após ter todos os filhos. E ela antes de ser castrada infelizmente chegou a receber de duas a três injeções de anticoncepcional. A última cirurgia dela foi para a retirada de um segundo nódulo surgido na região da axila após a mastectomia unilateral esquerda! Ela fez a retirada do segundo nódulo que apareceu na região axilar esquerda, em 01/07/2019. Sendo que, ela já havia feito três sessões de quimioterapia (doxorrubicina; carboplatina; doxorrubicina) antes dessa cirurgia; e passou pela quarta sessão de quimioterapia (com carboplatina) em 31/07/2019, um mês após a cirurgia de julho. Até aí tudo bem, porém no final de agosto de 2019 ela começou a apresentar uns espirros/tossis esporádicos em torno de um ataque de espirro por dia, mas que depois sumiram no início de setembro de 2019. Ela em 05/09/2019 estava respirando normalmente, mas ainda andava espirrando de quando em quando (nada contínuo), e passou nesse dia por um exame de raio x torácico e por um exame de ultrassonografia abdominal total e ambos os exames não deram nada! Apenas deu uma leve suspeita de metástase pulmonar, mas que não foi fechado o diagnóstico. E já antes, em agosto, havia aparecido um novo nódulo dessa vez numa região acima da axila esquerda, mais próximo ao plexo braquial, e um outro nódulo pequeno na região medial da pata dianteira esquerda dela (isso um mês após a cirurgia de julho de 2019). Como não sabíamos em agosto se era de fato um novo nódulo na região próxima à axila esquerda, e dessa vez bem infiltrado no músculo, e mais enrijecido, foi feito um exame de punção aspirativa por agulha fina dessa e de mais duas massas que haviam surgido na região próxima à pata dianteira e à axila dela, já que havia a suspeita de serem pontos internos. tal exame citológico foi realizado no dia 12/09/2019, e até então a minha gatinha andava normalmente. Um a dois dias depois desse exame, a minha gata começou a andar claudicando (mancando) levemente a pata dianteira esquerda, cuja intensidade do mancar foi aumentando com o passar dos dias. Ela desde então vinha após esse exame citológico apresentando uma respiração um pouco mais forçada, mas nem tanto, e que foi piorando com o passar dos dias também. Até que em 27/09/2019 eu levei ela novamente para a clínica, no consultório da veterinária oncologista dela, para uma nova consulta e para a realização de uma quinta sessão de quimioterapia (dessa vez com doxorrubicina). ela até então apesar de andar mancando, continuava até o dia 27/09/2019 comendo e bebendo água, bem como interagindo em casa comigo e familiares normalmente. Porém, um dia após essa quinta sessão de quimioterapia, pela primeira vez a minha gata apresentou inanição e apatia de forma repentina, devido à quimio (nas quatro sessões anteriores ela não teve reação nenhuma; e nem aparentava ser uma gata idosa; nunca aparentou). A médica oncologista havia no dia da quimio prescrito doxiciclina - 25 mg e corticóide (predisona), bem como piroxicam em gota para a Shenna (minha gatinha), eu ao notar a apatia e a falta de apetite da shenna de forma repentina exato um dia após a quinta sessão de quimioterapia, deixei para iniciar a administração do comprimido de corticóide um dia após a data que a médica havia prescrito para o início do corticóide. Eu então passei a fornecer patê calórico (Recovery Royal Caanin) na seringa para a minha gata (em torno de 3
Marly Hijano
Tenho uma gata siamesa mistura com angora, de 12 anos e foi constatado atraves do ultrason 2 tumores no intestino. Foi falado da cirurgia, mas a minha duvida é sobre o sofrimento apos e a qualidade de vida. Vale a pena levar para a cirurgia ou ficar com medicação??
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Marly! Essa é uma decisão que deve ser tomada junto com um médico veterinário de confiança, pensando sempre na saúde e bem estar do seu pet.
De qualquer forma, temos um artigo sobre tumores em gatos idosos que pode te ajudar: https://www.peritoanimal.com.br/tumores-em-gatos-idosos-22738.html
A equipe do PeritoAnimal deseja boa sorte!
A sua avaliação:
Evandro Junior
Olá , meu gato tomou vacina antirrabica na quarta feira , mas deu muito trabalho pois ficou assustado e o veterinário acabou dando a vacina muito rápido , e hj no local da aplicação ficou machucadinho , gostaria de saber se preciso me preocupar ou não... Ele tem 1 ano e pouco , será eu ficou só machucado mesmo ou pode ser alguma outra coisa? Obrigado pela atenção
joao santos
bom dia minha gata de treze anos ,lhe apareceu um tumor ao lado da mama devido ao lamber o tumor rebentou e fede muito estou colocando antisetico na ferida e dando via oral antibiotico que mais devo fazer é tudo bem recente ,sobre tudo esta fase ... sera teminal , ela ainda esta se alimentando mas sente dor e se escondeu ,é a minha mais velha de sete meu chodó mas ja estou me separando dela sera doloroso mas provavelmente enevitavel a Eutanazia.
Bruno
Meu gato esta com alguma coisa nele na costela parece um furo calzado um bixo esta mt feio e profunfo uq seria?
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Bruno! Recomendamos que você busque ajuda de um médico veterinário o quanto antes.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!
Eliana
Apareceu uma mancha avermelhada no nariz de minha gatinha,faz mais de um mês. Ela vive num sítio, o q pode ser?
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Eliana! Sem ver a sua gata não conseguimos dar nenhum diagnóstico. No entanto, o mais indicado é buscar ajuda de um médico veterinário de confiança.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!
A sua avaliação:
Andrea tufolo
Meu gato esta fazendo um barulho estranho como se estivesse respirando pela boca mais percebi que em cima do nariz dele tem um Caroço será que é câncer?
Giovanna
Boa tarde, meu gato estava com um caroço pequeno no nariz, e após fazermos exame deu que era sarcoma. apareceu o caroço em julho de 2018 até hoje em fevereiro de 2019 estamos acompanhando com o veterinário. Ja fizemos 4 sessões de quimioterapia, ele estava só respirando pela boca antes de fazermos a quimio, agora voltou a respirar pelo nariz.
Estamos aguardando alguns estudos que estão sendo feitos nos estados unidos para podermos ter alguma noção de tratamento, pois o tipo de sarcoma mais conhecido em felino é por aplicação.

Câncer em gatos - tipos, sintomas e tratamento
1 de 4
Câncer em gatos - tipos, sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página