Partilhar

Vulvovaginite em cadelas: causas e tratamento

Por Carolina Costa, Médica Veterinária. Atualizado: 14 outubro 2019
Vulvovaginite em cadelas: causas e tratamento

Ver fichas de  Cachorros

A vulvovaginite canina é um problema muito comum em cadelas de qualquer idade, raça e ciclo reprodutivo. As suas causas podem incluir anomalias anatômicas, distúrbios hormonais, infeções virais ou bacterianas ou se dever a uma doença sistêmica. Em qualquer um dos casos, é necessário que você leve a cadela ao veterinário para ele fazer um exame completo e estipular qual o melhor tratamento.

O corrimento vaginal é um dos sinais clínicos mais frequente neste problema e suscita muita preocupação ao tutor. Se você quer saber mais sobre corrimento vaginal e vulvovaginite em cadelas, suas causas e tratamentos, continue lendo este artigo do PeritoAnimal, onde vamos desenvolver um pouco mais sobre estes temas.

Vulvovaginite em cadelas e corrimento vaginal

Vaginite se define como uma inflamação da vagina e a vulvite como a inflamação da vulva, podendo ou não ser acompanhadas de infeção. Quando ocorre uma inflamação de ambas as estruturas, recebe o nome de vulvovaginite e, em grande parte das situações, manifesta-se através de corrimento vaginal.

A cistite é a inflamação da parede da bexiga e também pode dar origem a infeções bacterianas cruzadas, devido à proximidade anatômica entre o orifício da uretra e o vaginal.

O que é o corrimento vaginal?

Corrimento vaginal é qualquer líquido que sai da vagina e que, normalmente, é produzido em quantidades pequenas, passando despercebido a maior parte das vezes. No entanto, em caso de patologia, ele é produzido em quantidades e com características anormais.

A sua cor pode ser:

  • Translúcida;
  • Esbranquiçada;
  • Amarela;
  • Esverdeada;
  • Hemorrágica.

Já o seu tipo pode ser:

  • Mucoide (comum em cadelas adultas);
  • Purulento (igualmente comum em cadelas adultas);
  • Sanguinolento/hemorrágico (menos comum em cadelas adultas).

E a sua consistência varia entre:

  • Pastosa;
  • Aquosa;
  • Fibrinosa.

Causas de vulvovaginite em cadelas

As características do corrimento vaginal podem ajudar o médico veterinário a descobrir o diagnóstico e a saber o que está acontecendo com a sua cadela, por isso é importante um bom exame físico e uma boa recolha de informações sobre o estilo de vida e hábitos do seu pet.

Em seguida explicamos as possíveis causas de corrimento vaginal em cadelas e quais os corrimentos que estão normalmente associados a cada uma.

Anomalias anatômicas

Quando se trata de uma anomalia do aparelho reprodutor, esta geralmente se manifesta desde muito cedo, normalmente quando as cadelas atingem a altura do primeiro cio (entre os 7 e 10 meses, podendo variar além desse intervalo conforme a raça e o próprio indivíduo). Além disso, o tipo e a cor do corrimento podem variar dependendo da anomalia.

Corrimento em cadelas filhotes por imaturidade do sistema reprodutor (vaginite pré-puberal)

Por vezes, a cadela ainda não atingiu a maturidade sexual nem teve o seu primeiro cio (estro) e ela expulsa um corrimento geralmente translúcido sem coloração, semelhante a clara de ovo. Este corrimento clara de ovo em cadelas, é muito comum fêmeas entre as 8 e as 12 semanas de idade.Pode durar alguns dias e ser confundido com o primeiro cio uma vez que se observa:

  • Vulva edemaciada (inchada, mais proeminente);
  • Lambedura vaginal;
  • Machos mostrando interesse como se a cadela estivesse no cio.

É o caso em que o tutor pergunta se, caso veja a cadela com corrimento transparente, se deve preocupar-se. A resposta é complexa como em qualquer caso de veterinária: como evolui a situação? Está demorando a passar? A cadela apresenta outros sintomas ou alterações? Tudo vai depender destas respostas.

Caso se trate de vaginite pré-puberal, a maior parte destes casos é uma situação passageira e não tem nenhuma implicação na saúde do animal, não necessitado de tratamento.

Se você quer saber mais sobre corrimento em cadelas filhotes, consulte também esse outro artigo do PeritoAnimal.

Influência hormonal

Quando a cadela atinge a maturidade sexual e tem o seu primeiro cio devido à influência hormonal, ele é acompanhado de diversos tipos de corrimento em todo o ciclo reprodutivo, sendo em algumas fases mais evidentes que outras.

Infeções bacterianas, virais ou fúngicas

As infeções bacterianas surgem quando existe desequilíbrio das populações microbianas e quando ocorre um sobrecrescimento e/ou surgimento de um determinado tipo de bactérias.

A origem dessas bactérias pode ser da própria parece uterina ou mucosa vaginal ou advir de bactérias do trato urinário (infecções urinárias) ou bactérias intestinais (enterobactérias), devido a contaminações cruzadas que ocorrem consequente à proximidade anatômica.

Em casos de infecção bacteriana e conforme o grau de infeção, ou seja, da gravidade, a coloração do corrimento pode variar entre o amarelo e vários tons de verde. Este tipo de corrimento se denomina purulento e indica a presença de bactérias.

Estas infecções podem ocorrer em cadelas muito jovens, adultas ou mesmo idosas, mas podem ser evitadas se tiverem uma correta higiene com o seu pet.

Em casos de infecção, podemos ter ainda outros sintomas associados:

  • Febre;
  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Aumento da ingestão água (polidipsia);
  • Aumento da micção (poliúria);
  • Apatia;
  • Lambedura vaginal.

Caso a cadela esteja sofrendo de uma infeção urinária,pode juntar aos seus sintomas:

  • Dor e dificuldade em urinar (disúria);
  • Urinar com maior frequência, mas poucas quantidades (polaciúria);
  • Urinar com sangue (hematúria).

As infeções fúngicas, como por exemplo a candidíase canina, não se resolvem com a administração de antibiótico, mas sim com antifúngicos, por isso é tão importante identificar o agente causador.

Esses são os sintomas de candidíase em cadelas:

  • Prurido vaginal e vulvar resultando em lambedura da região e presença de lesões como feridas;
  • Corrimento vaginal (pode ser purulento se ocorrer infeção bacteriana secundária);
  • Vermelhidão local.

Piômetra

A piômetra em cadelas é um tipo de infeção uterina que se caracteriza por grandes acumulações de pus e outras secreções no seu interior, podendo esta ser do tipo fechada (muito mais grave) ou aberta (grave, mas na qual se visualiza o corrimento à saída da vulva, sendo mais facilmente detectada). Surge em cadelas mais velhas e inteiras e é um motivo para grande preocupação.

A cadela fica com o abdômen muito inchado, apresenta muita dor, febre, aumenta a sua ingestão de água e urina maisdo que o normal, podendo ficar mais apática e mesmo agressiva aquando da tentativa de manipulação. A castração é a medida que serve tanto de prevenção como de tratamento.

Parto e pós-parto

Durante o parto e após o mesmo, a cadela pode libertar corrimentos mucoides, purulentos ou hemorrágicos. Em situações normais, quando o saco amniótico rebenta, o líquido é translúcido e meio fibrinoso. Já quando está expulsando cada placenta, pode ser sanguinolento. No caso de morte fetal ou retenção placentária, ela pode desenvolver uma infeção e apresentar corrimento purulento (amarelo-esverdeado), e isso exige que você leve o animal ao veterinário pois vida dela pode estar em risco.

Neoplasias (tumores)

Os tumores são outra causa comum em cadelas mais velhas que se podem manifestar através de corrimento vaginal, entre outros sintomas.

Vulvovaginite em cadelas: causas e tratamento - Causas de vulvovaginite em cadelas

Tratamento de vulvovaginite canina

Como afirmamos antes, o tratamento da vulvovaginite canina depende da causa e, antes de medicar o seu animal, você deve consultar opinião do seu veterinário de confiança para saber o que administrar e em que doses e quantidades, uma vez que uma sub-dosagem pode originar resistência aos fármacos e uma sobredosagem pode chegar a matar o animal.

No entanto, você pode garantir a higiene e limpeza da região genital da cadela através da limpeza com toalhas ou compressas umedecidas com soro fisiológico para mantê-la livre de detritos e corrimentos acumulados.

Em suma, o tratamento e remédio para vulvovaginite canina varia de caso para caso e depende sempre do diagnóstico final feito por um veterinário de confiança.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Vulvovaginite em cadelas: causas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças do sistema reprodutor.

Bibliografia
  • Feldman, E.; Nelson, R.; Reusch, C.; Scott-Moncrieff, C. (2014) Canine and Feline Endocrinology - 4th Edition. Saunders, 18th December 2014, p668.
  • Mushtaq A. Memon, Metritis in Small Animals. Disponível em <https://www.msdvetmanual.com/reproductive-system/reproductive-diseases-of-the-female-small-animal/metritis-in-small-animals?query=green%20discharge%20dogs>
  • Mushtaq A. Memon, Pyometra in Small Animals. Disponível em <https://www.msdvetmanual.com/reproductive-system/reproductive-diseases-of-the-female-small-animal/pyometra-in-small-animals?query=green%20discharge%20dogs>
  • Root Kustritz, M.V. (2011) Clinical Canine and Feline Reproduction: Evidence-Based Answers. Wiley-Blackwell ed, 7th November 2011, p332. ISBN: 978-1-119-94949.
  • Sant’Anna, M.C., Fabretti, A.K., Martins, M.I.M (2012) Clinical approach to canine vaginitis, Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 33, n. 4, p. 1543-1554.

Vídeos de Vulvovaginite em cadelas: causas e tratamento

1 de 3
Vídeos de Vulvovaginite em cadelas: causas e tratamento

Escrever comentário sobre Vulvovaginite em cadelas: causas e tratamento

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Hermenegilda
minha cachorra está assada, o que pode ser?
Carolina Costa
Oi Hermenegilda!
Sem vermos a cachorra não é possível fazer um diagnóstico, as causas podem ser variadas e este artigo serve como uma orientação, no entanto não substituiu a ida ao veterinário.
Obrigada pelo seu interesse! E as melhoras para a sua cachorra!

Vulvovaginite em cadelas: causas e tratamento
1 de 2
Vulvovaginite em cadelas: causas e tratamento

Voltar ao topo da página