menu
Partilhar

Vermes redondos em cachorros - Tipos, sintomas e tratamento

 
Por Equipe editorial do PeritoAnimal. 26 outubro 2021
Vermes redondos em cachorros - Tipos, sintomas e tratamento

Ver fichas de  Cachorros

Os vermes redondos são um dos parasitas que mais frequentemente afetam os nossos cães, causando vários problemas, especialmente quando são filhotes. Sem nos darmos conta, o nosso companheiro peludo pode estar infestado e transmitir os vermes a outros animais, mas também aos seres humanos. As crianças e as pessoas com um sistema imunológico debilitado são particularmente vulneráveis.

Por todas estas razões, é essencial conhecer os tipos de vermes redondos, identificar os sintomas que causam, conhecer o tratamento mais adequado e, sobretudo, aprender a preveni-los. Neste artigo do PeritoAnimal falamos de vermes redondos em cachorros.

O que são os vermes redondos?

Os vermes redondos são parasitas também conhecidos como nematódeos. Podem ser de vários tipos. Os ascaris ou ascarídeos são os mais comuns, afetando até 12% dos cães adultos e até mesmo 41% dos filhotes. São encontrados no intestino, mas os vermes redondos também podem ser encontrados em outras regiões.

Vermes redondos intestinais

Destacamos os seguintes tipos e espécies:

  • Ascárideos: tais como Toxocara canis e Toxascaris leonina, que são maiores e se parecem com um espaguete.
  • Ancilostomídeos: tais como Uncinaria stenocephala, Strongyloides stercoralis ou Ancylostoma caninum, que podem infiltrar-se através da pele. Parecem vermes pequenos e esguios e são notáveis pela sua forma, razão pela qual também são chamados de vermes de gancho.
  • Tricurídeos: são conhecidos como vermes chicote. A espécie mais comum é a Trichuris vulpis.

Vermes redondos não intestinais

São aqueles que se alojam no coração, pulmões e olhos. Muitos destes vermes estão por trás de doenças consideradas emergenciais, o que significa que existem cada vez mais casos em mais áreas:

  • Ventrículo direito do coração e artérias pulmonares: aqui estão localizados parasitas como Angiostrongylus vasorum (verme pulmonar) ou Dirofilaria immitis (verme do coração). É preciso destacar que a seroprevalência da dirofilariose nos seres humanos atinge 12,7% em zonas endémicas como as Ilhas Canárias, na Espanha.
  • Pulmões: Crenosoma vulpis, Filaroides hirthi ou Capillaria spp. são vermes pulmonares que são contraídos por diferentes vias.
  • Olhos: Thelazia callipaeda (vermes dos ohos) vive dentro do olho, causando danos de natureza diversa.
Vermes redondos em cachorros - Tipos, sintomas e tratamento - O que são os vermes redondos?

Como ocorre o contágio de vermes redondos?

Os cães e as pessoas podem contrair vermes redondos por diferentes vias.

Como os cachorros contraem os vermes redondos?

Os cães infectados eliminam os ovos de vermes redondos por meio das suas fezes, mesmo que não nos seja possível vê-los, uma vez que são microscópicos. Ao ar livre, estes ovos levam algumas semanas para se tornarem infecciosos e podem permanecer infecciosos durante anos. Tendem a ser muito resistentes tanto à temperatura como aos desinfetantes, o que os torna difíceis de remover.

Os cães são infectados ao farejar ou lamber o chão ou qualquer superfície contaminada por fezes, incluindo alimentos ou água. Outra via de infecção é a ingestão de presas infestadas de vermes, como roedores ou qualquer outro animal, incluindo caracóis ou lesmas. Além disso, os cachorros podem ser contaminados pela sua mãe durante a gestação ou lactação. As filárias de vermes cardíacos são transmitidas pela picada de mosquitos culicídeos e thelazias ou vermes oculares por moscas que se alimentam de secreções oculares.

Como as pessoas podem contrair vermes redondos?

As pessoas geralmente ficam infectadas quando entram em contato com o solo contendo ovos de vermes redondos. Este contato pode ocorrer, por exemplo, quando se faz jardinagem. As crianças correm um maior risco, especialmente as com menos de cinco anos de idade, pois brincam com o solo em jardins, caixas de areia ou parques e, não estando plenamente conscientes das medidas de higiene, podem pôr as suas mãos sujas na boca e ingerir acidentalmente ovos de vermes redondos. As pessoas com sistemas imunes comprometidos, tais como idosos ou doentes, mulheres grávidas ou funcionários de canis, correm também um risco acrescido.

Mas como é exatamente o contágio? No caso dos vermes do coração e dos olhos, como nos cães, as pessoas são infectadas com filárias através do mosquito e com thelazias através da mosca, e não do cão. Contudo, é importante lembrar que é essencial manter estes parasitas longe dos cachorros para minimizar a sua prevalência e evitar que sirvam de reservatórios.

Sintomas de vermes redondos em cachorros

Os sintomas que podemos detectar no nosso cão vão depender do órgão que for afetado pelos parasitas.

Sintomas de vermes redondos intestinais em cachorros

Muitos cães infectados com vermes redondos intestinais não mostrarão qualquer sinal clínico, especialmente se forem adultos saudáveis. Em outros, especialmente filhotes, podem ser detectados sintomas digestivos, tais como barriga inchada, diarreia ou vômito. Algumas espécies causam a diarreia com sangue.

Sinais respiratórios como tosse e pneumonia também podem ocorrer quando os vermes, como parte do seu desenvolvimento, passam através dos pulmões. É comum que cachorros infectados com vermes intestinais tenham problemas de crescimento, anemia, desnutrição e até mesmo obstrução intestinal. Casos mais graves podem levar à morte.

Sintomas de vermes redondos não intestinais em cachorros

No caso dos vermes pulmonares, a tosse e a intolerância ao exercício destacam-se como os sinais mais comuns, mas os problemas de coagulação também podem ser desencadeados. Os vermes do coração causam insuficiência cardíaca e pulmonar. O cão poderá tossir e sentir fadiga facilmente. Finalmente, os vermes oculares causam desde uma ligeira laceração até uma úlcera na córnea.

Sintomas de vermes redondos em pessoas

Nas pessoas, os vermes redondos podem causar uma variedade de problemas de saúde, cuja gravidade depende do número de parasitas, do órgão afetado e do estado do sistema imunológico do indivíduo. Normalmente, as larvas de vermes redondos intestinais migram do sangue para diferentes órgãos e tecidos. Geralmente vão para os pulmões, onde causam sinais clínicos como a tosse. Outro local são os olhos, podendo causar a cegueira. O fígado e o sistema nervoso central também são muito afetados por vermes redondos. A dirofilariose pode ser assintomática ou apresentar tosse, febre ou problemas respiratórios devido à formação de nódulos nos pulmões.

Finalmente, não podemos deixar de mencionar as larvas migrans cutâneas, uma condição causada por larvas de vermes que se movem através da derme e causam muita dor.

Diagnóstico e tratamento de vermes redondos em cachorros

Para um tratamento adequado, o veterinário irá examinar uma amostra de fezes. Assim, identificará o verme e prescreverá o desparasitante apropriado, também dependendo das características do cão. No caso de filariose, uma amostra de sangue precisa de ser examinada, enquanto que na thelaziose os olhos são examinados.

Para os vermes redondos intestinais, como mencionado acima, o veterinário escolherá o melhor produto desparasitante. Em casos graves, a terapia com fluidos e até mesmo a cirurgia pode ser necessária em caso de obstrução intestinal.

Uma higiene do ambiente e desparasitação regular, de acordo com a programação recomendada pelo veterinário em função das características, estilo de vida e local de residência do nosso cão, são a melhor forma de manter os vermes redondos longe dos nossos cães.

Importância da desparasitação interna mensal vs. trimestral

A desparasitação mensal oferece a vantagem de matar parasitas que têm um ciclo de vida de cerca de um mês, tais como os Toxocara canis. Isso significa desde o momento em que o cão contrai o parasita até começar a expelir os ovos, o que ocorre durante esse período de tempo. Se desparasitarmos de três em três meses, permitimos que os ovos se espalhem nas fezes e, portanto, no ambiente durante dois meses. A desparasitação todos os meses evita que os vermes adultos ponham ovos, reduzindo a sua presença no ambiente e, consequentemente, a possibilidade de contaminar animais e seres humanos.

A desparasitação mensal ou contínua é especialmente recomendada para cães de risco, que são aqueles que vivem com crianças ou pessoas imunocomprometidas, têm livre acesso ao ar livre, são cães de trabalho, cachorros ou vivem em comunidades. Os cães que vivem em áreas com uma elevada prevalência destes parasitas também estão em risco.

Se quiser saber mais sobre a desparasitação em cachorros, não perca o vídeo a seguir:

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Vermes redondos em cachorros - Tipos, sintomas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças parasitárias.

Bibliografia
  • Carlson y Giffin. (2002). Manual práctico de veterinaria canina. de la Editorial el Drac, de Madrid
  • ESCCAP. Guías ESCCAP. Disponible en: https://www.esccap.es/guias-esccap/
  • ATV’Xpert.Guía de protección antiparasitaria.
  • Boehringer Ingelheim. Lo suyo es explorar, lo nuestro protegerles.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Vermes redondos em cachorros - Tipos, sintomas e tratamento
1 de 2
Vermes redondos em cachorros - Tipos, sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página