menu
Partilhar

Criptorquidismo em gatos - Causas e tratamento

 
Por Carla Moreira, Médica veterinária. 27 julho 2023
Criptorquidismo em gatos - Causas e tratamento

Ver fichas de  Gatos

O criptorquidismo é a falha na descida de um ou ambos os testículos para a bolsa testicular (ou escroto) na época normal. Essa descida pode ocorrer na vida intrauterina ou extrauterina, dependendo da espécie animal, onde algumas espécies já nascem com os testículos descidos, em seu lugar final, e outras alcançam a posição definitiva somente após algum tempo.

No caso do gato doméstico, os testículos devem estar na bolsa testicular até cinco dias após o nascimento. Nessa espécie, o criptorquidismo é menos comum que nos cães. Nos gatos, essa anormalidade pode gerar sintomas voltados ao comportamento sexual exacerbado e agressividade, além de maior risco de neoplasias e torções testiculares.

Como o comportamento sexual dos felinos é um dos fatores que mais ocasionam o abandono, o tratamento do criptorquidismo é fundamental para o bem-estar do bichano. Além disso, o tratamento pode evitar que o animal desenvolva tumores nos testículos que não desceram para o escroto. Se você vive com um bichano e quer saber mais sobre o assunto, não perca este artigo do PeritoAnimal, onde detalhamos os principais aspectos do criptorquidismo em gatos.

O que é criptorquidismo em gatos?

O criptorquidismo pode ser definido como uma falha na descida de um ou ambos os testículos para a bolsa testicular (escroto) na época certa. Essa afecção não é comumente relatada nos gatos, por ter menor incidência nesta espécie. Em condições normais, fisiológicas, a descida testicular ocorre em três estágios: translocação abdominal, migração trans-inguinal e migração inguino-escrotal.

Inicialmente os testículos se localizam retroperitonealmente ligados ao gubernáculo, o qual atravessa o abdômen e o canal inguinal, inserindo-se distalmente no escroto. À medida que o abdômen se alonga, o ligamento suspensório cranial se adelgaça e se alonga, enquanto os testículos são mantidos no lugar pelo gubernáculo.

As gônadas masculinas devem estar 4º à 7º graus abaixo da temperatura corporal e o escroto é responsável por realizar a termorregulação dos testículos por meio de mecanismos que aproximam ou afastam esses órgãos do corpo. Os testículos têm a função de participar na produção de hormônios sexuais, principalmente da testosterona, além do processo da espermatogênese. Em animais criptorquidas, o testículo ectópico sofre alterações funcionais e perde a capacidade de produção de espermatozoide.

Dependendo do tipo de criptorquidismo, unilateral ou bilateral, o gato pode ser parcialmente estéril (unilateral) ou totalmente estéril (bilateral), no entanto, continua funcional na produção de testosterona. O que isso significa? Isso quer dizer que se o gato possuir um testículo na bolsa escrotal, ele ainda poderá produzir espermatózoides e ter filhotes. Mas se ambos os testículos estiverem internos, eles produzirão apenas hormônios.

Causas de criptorquidismo em gatos

O criptorquidismo é uma condição que pode ser causada por uma patologia hereditária, ou seja, repassada dos pais para os filhos, ocasionada por um gene autossômico recessivo ou por um gene dominante. O pai pode ter a doença ou pode apenas ter a carga genética, enquanto a mãe possui apenas a carga genética, mas ambos transmitirão para os filhotes, sendo indicada a retirada desses animais da reprodução.

Neste outro artigo falamos sobre as doenças mais comuns nos gatos.

Como saber se os testículos do gato são normais?

O aparelho reprodutor masculino nos gatos é formado pelos testículos, epidídimo, ducto deferente, glândulas acessórias, uretra, pênis, saco escrotal e prepúcio. Os testículos estão localizados na bolsa escrotal e são responsáveis pela produção dos espermatozoides e secreção dos hormônios sexuais masculinos, principalmente a testosterona. Os animais domésticos têm testículos localizados em sacos escrotais externos à cavidade abdominal, o que possibilita temperaturas mais baixas à gônada.

Nos gatos o escroto é perineal, fixo e comumente revestido por pelos. Localiza-se perto do ânus, sendo possível palpá-lo facilmente quando os animais estão adultos. Quando tocados, não causam dor ao animal, podendo ser manipulados de forma delicada.

Neste outro artigo falamos sobre a anatomia e doenças mais comuns nos pênis dos gatos.

Quais os fatores de risco para criptorquidismo em gatos?

O maior motivo de preocupação para os tutores de gatos criptorquídicos é o desenvolvimento de neoplasias testiculares. Os testículos não foram feitos para ficar na mesma temperatura corporal, sendo prejudicial para eles quando retidos na cavidade abdominal. Isso pode favorecer o desenvolvimento de neoplasias.

Além disso, gatos com criptorquidismo apresentam um comportamento reprodutivo mais aguçado, demonstrando grande agressividade e marcação de território. Isso pode reduzir o tempo de vida do animal que tem acesso à rua, pois ficará mais sujeito a contrair doenças durante as brigas e sofrer acidentes automobilísticos.

Diagnóstico do criptorquidismo em gatos

A apresentação do criptorquidismo nos felinos é principalmente comportamental, com libido exacerbada, aumento de vocalizações durante todo o dia e urina em spray, para marcação de territórios. Alguns gatos são castrados, sendo retirado apenas o testículo que está em seu lugar fisiológico, mas a produção hormonal continua no testículo interno, mantendo o comportamento reprodutivo do animal.

O diagnóstico do criptorquidismo em gatos pode ser realizado durante uma consulta ao médico veterinário, com uma palpação. Quando um dos testículos ou ambos não forem localizados no escroto, outro exame não invasivo deverá ser realizado, como a ultrassonografia, para saber se existe algum testículo que não desceu da cavidade abdominal ou inguinal. Caso não seja localizado o testículo faltante ou ambos, pode ser feita uma investigação por exame de dosagem de testosterona sanguínea.

Tratamento para o criptorquidismo em gatos

O tratamento para o criptorquidismo em gatos é a retirada do testículo presente na cavidade abdominal. Caso o tutor queira eliminar o comportamento reprodutivo do bichano, o testículo que se encontra na bolsa escrotal também deverá ser retirado, suprimindo a produção de testetorona, prevenindo doenças reprodutivas, realizando controle populacional e melhorando a qualidade de vida do felino, além de evitar neoplasias testiculares.

Como prevenir o criptorquidismo em gatos?

A melhor forma de se prevenir o criptorquidismo nos gatos é retirar da reprodução os animais sabidamente doentes. Já que a condição é transmitida pelos pais à prole, evitar que o animal se reproduza, evitará a propagação da doença.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Criptorquidismo em gatos - Causas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Bibliografia
  • Borges, T.B. et al. Criptorquidismo em gato: relato de dois casos. Enciclopédia Biosfera. Centro Científico Conhecer, 2014. Disponível em https://www.conhecer.org.br/enciclop/2014b/AGRARIAS/criptorquidimos%20em%20gatos.pdf. Acesso em 27/07/2023.
  • Ramos, P.R.C. Distúrbios comportamentais secundários em um felino criptorquida: Relato de caso. Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos – UNICEPLAC, 2019. Disponível em https://dspace.uniceplac.edu.br/bitstream/123456789/201/1/Priscila_Ramos_0000661.pdf. Acesso em 27/07/2023.
  • Diagone, K.V. Histologia e Morfometria dos Testículos de Gatos Domésticos Adultos. Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Câmpus de Jaboticabal, 2009. Disponível em https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/101120/diagone_kv_dr_jabo.pdf;jsessionid=BEEFC13DA867F5EC9279F170E324885E?sequence=1. Acesso em 27/07/2023.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Criptorquidismo em gatos - Causas e tratamento
Criptorquidismo em gatos - Causas e tratamento

Voltar ao topo da página