Partilhar

Cachorro engasgado, o que fazer?

Por Aline Kitamura Prata, Estudante de Medicina Veterinária. Atualizado: 13 dezembro 2017
Cachorro engasgado, o que fazer?

Ver fichas de  Cachorros

Cães são curiosos por natureza e brincam com diversos objetos, desde gravetos, bolas, cordas, ossos e por estarem em um momento de descontração pode acontecer de se engasgarem. Com alguns, por serem afoitos demais na hora de comerem, pode acontecer de se engasgarem até mesmo com a ração.

É um tanto desesperador no momento que ocorre, porém não há tempo hábil para se levar o cãozinho até a clínica mais próxima, pois com um animal sufocando, cada segundo conta muito, portanto, mantenha a calma, e aprenda com o PeritoAnimal o que fazer quando o seu cachorro estiver engasgado.

Também lhe pode interessar: Meu cachorro se engasga comendo

Cachorro com tosse e respiração ofegante

Se o seu cachorro está tossindo ou apresenta uma respiração ofegante, pode ser indicativo de algum engasgo que não necessariamente obstruiu completamente a traqueia, ou ainda devido a alguma doença do trato respiratório. Um cão saudável, e em repouso, apresenta uma taxa normal de 10 a 30 respirações por minuto, sendo que alterações nesta taxa podem ser indicativos de alguma doença respiratória.

Outros sinais clínicos indicativos que o cão pode apresentar seriam tosse, espirro, clara ou moderada dificuldade para respirar como quando o cão realiza demasiado esforço para puxar o ar, corrimento nasal, chiado ao respirar, respiração ofegante, ou ainda, uma respiração superficial, que é quando o cão apresenta tão rápida e não profunda que não há tempo para as devidas trocas gasosas, pois o ar não consegue chegar aos pulmões, o que pode levar até a desmaios por insuficiência respiratória.

As causas podem ser das mais variadas desde uma insuficiência cardíaca, reação alérgica, infecção pulmonar bacteriana, viral ou fúngica, bronquite, pneumonia, tumores, lesão de tórax, etc.

A insuficiência respiratória pode inclusive, decorrer de más-formações no trato respiratório, como é o caso de colapso de traqueia, pois como essa doença geralmente é diagnosticada entre os 6 e 7 anos do cachorro, ela é degenerativa e piora com o passar do tempo, levando ao desenvolvimento de outras doenças como bronquite, traqueíte, etc. Devido a isto, exames de rotina são sempre importantes, pois apenas o médico veterinário pode fechar o diagnóstico e averiguar a verdadeira causa dos problemas respiratórios que seu cachorro está apresentando. Se quiser saber mais sobre o colapso de traqueia, leia o nosso artigo sobre essa matéria.

Dificuldade para respirar, tosses e espirros

É comum que um cão, ao brincar e fazer exercícios fique ofegante por um tempo até que sua respiração normalize ao descansar, da mesma forma que nós.

Algumas raças também são mais propensas a ruídos de ronco, como é o caso dos Pugs, Bulldogue Inglês, Bulldogue Francês, etc., e apesar de serem algumas das raças normalmente suscetíveis a problemas respiratórios por terem o focinho achatado, apresentar apenas o ruído não necessariamente signifique que tenham uma insuficiência respiratória, afinal, é necessário que o clínico veterinário identifique outros sintomas e associe estes sinais clínicos que podem ser chiados nos pulmões ou outros, para se descobrir a verdadeira causa da dificuldade respiratória.

Tosses podem ser decorrentes de poluição ou fumaça, reações alérgicas, infecções ou ainda, devido a alguma lesão ou inflamação na traqueia. Como pode ser confundida com engasgos, é preciso ficar atento à rotina do seu cão e ao que ele ingere, pois se a tosse persistir por mais de um dia, leve seu cachorro imediatamente ao veterinário.

Espirros não necessariamente são um problema respiratório em si. Porém, se ocorrerem com bastante intensidade e frequência é necessário se investigar a causa, pois podem ser resultado de algum problema na passagem nasal, e causarem sangramento nasal.

Espirro reverso

Cães braquicefálicos, aqueles que possuem o focinho achatado nas raças mencionadas acima, comumente apresentam a condição denominada como espirro reverso, e que muitas vezes, também é confundido com engasgos.

Diferente de um espirro normal, em que o ar é colocado para fora dos pulmões pelo nariz, no espirro reverso acontece o contrário, daí o nome. O ar é puxado para dentro pelas narinas produzindo um som característico e pode durar até 2 minutos, portanto tem-se a confusão do tutor em achar que seu cãozinho está engasgando ou com falta de ar, porém, após os episódios, o cachorro volta a respirar normalmente.

Deve-se manter a calma e deixar o cãozinho confortável até a passagem do episódio, pois é uma condição considerada normal desde que não se tornem muito frequentes, caso contrário, procure um médico veterinário.

Como desengasgar um cachorro

É necessário ter estas orientações em mente para saber aplicar na hora de uma emergência.

O cachorro, no momento do engasgo, pode indicar sinais como levar as patas à boca como se quisesse retirar o objeto que o incomoda, salivação excessiva, tosse, posicionar a cabeça para baixo de forma a esticar o pescoço. Alguns cães, ao sentirem um desconforto, procuram se esconderem ou se afastarem de locais com muito barulho e agitação, portanto, são sinais iniciais aos quais você deve ficar atento. Se notar que seu cachorro está com dificuldade para engolir, mantenha-se próximo a ele e não faça movimentos bruscos. Percebendo que o animal está com dificuldade para engolir abra a boca do animal e veja se é possível identificar o objeto, tendo em mente que objetos pontiagudos como ossos de galinha não devem ser retirados devido ao risco de perfuração da traqueia, neste caso, leve o cachorro imediatamente ao veterinário.

Caso o animal não consiga se livrar do objeto de engasgue sozinho, começa a apresentar dificuldade respiratória pela obstrução parcial ou total da traqueia, manifestando muita agonia e até desmaios pela falta de oxigênio, nestes casos, o socorro tem de ser imediato, pode-se então tentar a manobra para desengasgá-lo.

Se for um cão pequeno segure-o pelas patas traseiras, posicionando-o de cabeça para baixo, dando sacudidas até que se nota que o animal expeliu o objeto. Em cães grandes segure-o pelas patas traseiras levantando-as para cima conforme o cão mantém-se apoiada nas patas dianteiras, de forma que sua cabeça fique posicionada para baixo, da mesma forma, sacuda o cachorro até que ele consiga expelir o objeto.

Pode ainda, executar a técnica de massagem cardíaca pulmonar e respiração boca-focinho, ou ainda a manobra de Heimlich, muito utilizada em seres humanos engasgados.

De qualquer forma, tenha sempre em mãos o telefone do seu médico veterinário de confiança para que ele te oriente da melhor forma possível quando necessário.

Cachorro engasgado, o que fazer? - Como desengasgar um cachorro
Imagem: firsaidpets.com

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Cachorro engasgado, o que fazer?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças respiratórias.

Escrever comentário sobre Cachorro engasgado, o que fazer?

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
larissa
o mack ja engasgou botei dois na boca do cachorro
resolveu ? eu a dona do mack

Cachorro engasgado, o que fazer?
Imagem: firsaidpets.com
1 de 2
Cachorro engasgado, o que fazer?

Voltar ao topo da página