menu
Partilhar

Raposa-do-ártico

Atualizado: 10 fevereiro 2022
Raposa-do-ártico

A raposa-do-ártico (Vulpes lagopus ou Alopex lagopus), também conhecida como raposa-polar, é um tipo de raposa de pequeno porte que se destaca pela sua bela e volumosa pelagem completamente branca. Mas além da sua aparência, estes canídeos destacam-se por serem uma das poucas espécies capazes de caçar e sobreviver nas tundras geladas da América do Norte e Eurásia.

Saiba mais sobre as espécies de raposa no PeritoAnimal, começando pela raposa-do-ártico. Nesta ficha completa sobre ela, vamos te falar sobre as suas origens, alimentação e reprodução.

Origem
  • América
  • Ásia
  • Europa
  • Canadá
  • Groênlandia
  • Islândia
  • Rússia

Origem da raposa-do-ártico

A raposa-do-ártico é um pequeno canídeo pertencente ao gênero Vulpes, que inclui as chamadas "raposas verdadeiras" nativas do Hemisfério Norte (como a raposa-vermelha e a raposa-cinzenta, por exemplo). Em particular, é a única espécie de raposa que faz parte da fauna da Tundra Ártica, espalhando-se amplamente nas regiões polares da Eurásia e América do Norte, desde o Canadá até à Sibéria. O seu habitat inclui também as chamadas ilhas árticas, tais como a Groenlândia, a Islândia e as ilhas de Bering.

Apesar do seu tamanho pequeno, as raposas polares são animais muito resistentes, capazes de suportar os invernos destas regiões, que podem atingir temperaturas muito baixas de até -50°C. Atualmente, são reconhecidas quatro subespécies da raposa-do-ártico, que são:

  • Raposa-ártica-da-Groenlândia (Alopex lagopus foragorapusis)
  • Raposa-ártica-da-Islândia ou raposa branca (Alopex lagopus fuliginosus)
  • Raposa-ártica-das-Ilhas-de-Bering (Alopex lagopus beringensis)
  • Raposa-ártica-das-Ilhas-Pribilof (Alopex lagopus pribilofensis)

Aparência e anatomia da raposa-do-ártico

O organismo da raposa-do-ártico está preparado para sobreviver no ambiente extremo do Polo Norte. O seu corpo compacto, pelagem espessa e densa, e bem revestida, ajudam a conservar o calor e a se isolar do ambiente exterior e suas adversidades. Na idade adulta, as raposas polares medem normalmente entre 35 e 55 centímetros, com um peso médio corporal de 1,5 a 2,9 kg para as fêmeas e 3,2 a 9,4 kg para os machos.

Com a chegada do inverno, a raposa-do-ártico adota o seu espetacular manto de inverno ou pelagem de inverno, que é muito volumoso, longo e completamente branco. Este pelo permite à raposa-do-ártico camuflar-se facilmente entre a abundante neve que cobre as paisagens da tundra ártica durante a estação mais fria do ano. Mas durante as estações menos frias, a pelagem da raposa-polar tende a tornar-se menos densa e mais curta para resistir às temperaturas mais quentes, e a sua cor torna-se mais acinzentada ou ligeiramente castanha. Este processo de muda é essencial para que esta espécie se adapte às mudanças climáticas extremas experimentadas nas zonas polares.

O longo e volumoso rabo de raposas árticas também é um aspecto importante da sua anatomia. Além de ajudá-las a manter o seu equilíbrio, também ajudam a mantê-las protegidas durante o inverno, servindo como cobertor natural nos dias mais frios.

Completando as características físicas mais notáveis da raposa-do-ártico, também devemos mencionar o seu focinho alongado, que lhes permite desfrutar de um olfato muito bem desenvolvido, as orelhas pontiagudas que normalmente permanecem atentas para detectar facilmente qualquer possível ameaça no seu ambiente, e os seus olhos escuros que são indispensáveis para a poderosa visão que lhes permite caçar mesmo com a baixa disponibilidade de luz nas noites do inverno ártico.

Comportamento da raposa-do-ártico

As raposas-do-ártico são animais enérgicos que são muito ativos durante todo o ano. Embora o seu metabolismo abrande um pouco durante o inverno, a fim de poupar energia e conservar calor, as raposas-do-ártico não hibernam e permanecem ativas mesmo no frio extremo do seu habitat. São também animais noturnos, pois normalmente saem para caçar durante as noites tranquilas da tundra ártica, onde podem deslocar-se com grande facilidade graças à sua excelente visão noturna e poderoso seu poderoso olfato.

Em termos de nutrição, a raposa-do-ártico é um carnívoro oportunista, alimentando-se tanto da presa que caça como da carniça deixada pelos ursos polares. Em caso de escassez de alimentos no seu ambiente, as raposas árticas podem migrar para outras regiões em busca de alimento e abrigo.

É muito comum que as raposas polares sigam os ursos polares, tentando atacar baleias encalhadas ou focas que foram abandonadas por estes superpredadores árticos. São também caçadoras inteligentes e discretas que podem capturar aves e mamíferos, sendo as suas principais presas os lêmingues, além de acabarem consumindo ovos para complementar a sua dieta.

Reprodução da raposa-do-ártico

Embora bastante sociáveis, as raposas polares são animais solitários que tendem a viver e a migrar sozinhas no seu habitat natural. Os pares só se encontram durante a época de reprodução, que pode ocorrer praticamente durante todo o ano, exceto em julho e agosto. A raposa-do-ártico é também monogâmica e fiel ao seu companheiro, encontrando sempre o mesmo parceiro em cada época de reprodução, até que um deles morra. Em alguns casos, pode levar vários anos para uma raposa-do-ártico acasalar com outro indivíduo após a morte do seu companheiro habitual.

Como a maioria dos mamíferos, as raposas do ártico são vivíparas, o que significa que a fertilização e o desenvolvimento da descendência ocorre dentro do útero materno. Após o acasalamento, as fêmeas apresentam um período de gestação de 50 a 55 dias, após o qual dão geralmente à luz grandes ninhadas, devido à elevada taxa de mortalidade dos recém-nascidos associada às condições climáticas do seu ambiente.

Em cada nascimento, nascem pelo menos 6 a 12 crias, embora possam ser produzidas ninhadas de mais de 20 crias. O desenvolvimento é bastante rápido, e as crias podem vir a ser independentes dos seus pais já no oitavo mês de vida. A maioria das raposas do ártico atingirão a maturidade sexual no seu 10º mês de vida, embora a data exata varie de acordo com o organismo do indivíduo.

A raposa-do-ártico está ameaçada de extinção?

A raposa-do-ártico está atualmente classificada como uma espécie de "menor preocupação" de acordo com a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza).

O seu estado de conservação deve-se em grande parte à sua elevada adaptabilidade aos hábitos humanos. As raposas-do-ártico têm sido amplamente adotadas como "animais de companhia" por pessoas que vivem nas proximidades de áreas árticas. Contudo, manter uma raposa como animal de estimaçãoalém de não ser recomendado, como um animal selvagem que pode ser facilmente afetado pelo estresse e transmitir certas zoonoses aos seres humanos, isso também é proibido na maioria dos países.

Também é verdade que as raposas do ártico têm poucos predadores na natureza, já que os ursos polares tendem geralmente a ignorá-las, sendo os lobos e as corujas as suas principais "ameaças naturais". Além disso, devemos mencionar que a caça às raposas-do-ártico diminuiu nos últimos anos, tanto como resultado de mudanças nos estilos de vida das pessoas como de campanhas de sensibilização para a sua importância nos ecossistemas.

Bibliografia
  • Angerbjörn, A. & Tannerfeldt, M. "Vulpes lagopus". Lista Roja de especies amenazadas de la UICN, 2014.
  • Dewey, T. and C. Middlebrook. "Vulpes lagopus", at Animal Diversity Web, 2009.
  • Garrott and Eberhardt. "Arctic fox". En Novak, M. et al. Wild furbearer management and conservation in North America. pp. 395-406, 1987.
  • Nowak, Ronald M. "Walker's Carnivores of the World". Baltimore: Johns Hopkins Press, 2005.
  • Wozencraft, W. C. "Vulpes lagopus" En Wilson, Don; Reeder, DeeAnn. Mammal Species of the World. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005

Fotos de Raposa-do-ártico

Artigos relacionados

Suba a sua foto de Raposa-do-ártico

Suba a foto do seu Pet

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
Como avalia esta raça?
Raposa-do-ártico
1 de 8
Raposa-do-ártico

Voltar ao topo da página