menu
Partilhar

Borboletas noturnas - Tipos e características

 
Por Nick A. Romero H., Biólogo e educador ambiental. 30 junho 2022
Borboletas noturnas - Tipos e características

Dentro dos artrópodes, encontramos os insetos, o grupo mais diverso não apenas do filo a que pertencem, mas de todos os animais que existem no planeta. As borboletas, que correspondem à ordem dos lepidópteros, são um tipo de inseto. Por outro lado, as borboletas de hábitos noturnos também são conhecidas como mariposas (embora cientificamente não seja assim), sendo o termo "borboleta" geralmente o mais usado para as que têm atividade diurna. Porém, elas também podem ser diferenciadas por certos aspectos anatômicos, mas é preciso levar em consideração que não são critérios absolutos para sua classificação.

Quer saber quais são e quais os nomes das borboletas noturnas? Convidamos você a continuar lendo este artigo do PeritoAnimal, no qual te apresentamos informações sobre as borboletas noturnas, seus tipos e características.

Também lhe pode interessar: Tipos de borboletas

Características das borboletas noturnas

As borboletas noturnas têm uma série de características: algumas são únicas do grupo, enquanto que outras são compartilhadas com as borboletas diurnas. Vamos conhecer a seguir os traços que definem as borboletas noturnas:

  • Um traço distintivo entre os lepidópteros, é que eles possuem, tanto nas asas quanto em outras partes do corpo, escamas aplanadas, as quais são de grande importância para o processo reprodutivo, para se camuflar e para conseguir estabilidade durante o voo.
  • Uma característica que distingue as borboletas noturnas das borboletas diurnas, é que suas antenas são filiformes ou com aparência plumosa, sem volume nas pontas.
  • Geralmente, as cores não são tão vivas, com padrões mais uniformes e monocromáticos, embora haja exceções, como a mariposa-do-sol-de-Madagascar (Chrysiridia rhipheus), que apresenta uma linda coloração.
  • A maioria das mariposas são noturnas, mas algumas outras têm hábitos diurnos.
  • Dentro do grupo das borboletas noturnas, se agrupa a maior diversidade de espécies dos lepidópteros.
  • Têm um ciclo vital constituído por fases: o ovo, a larva ou lagarta, pupa ou crisálida e adulto ou imago. Para chegar neste último estágio, passam pelo processo de metamorfose.
  • As borboletas noturnas têm órgãos auditivos ultrassônicos: muitas delas produzem sons para a comunicação sexual.
  • Têm a capacidade de produzir seda para se proteger no estado larval, e também se envolvem em casulos para a fase de pupa.
  • Estima-se que as mariposas noturnas proliferaram no Cretáceo.
  • Diversas espécies têm hábitos migratórios.
  • Certas espécies possuem uma extraordinária capacidade de imitar outros animais.
  • Algumas borboletas noturnas, em sua fase de lagarta, causam danos agrícolas importantes.
  • Vários tipos desses insetos são excelentes polinizadores.
  • Formam parte importante dos níveis tróficos dos ecossistemas que habitam.

Tipos de borboletas noturnas

Como mencionamos anteriormente, as borboletas noturnas agrupam a maioria dos lepidópteros, de forma que são muito diversas. Por conta do tipo de antenas que possuem, se incluem no grupo conhecido como Heteróceros, que significa "variedade de antenas".

Por conveniência, e sem base na sistemática, eventualmente se utiliza uma classificação dentro desses insetos com hábitos noturnos, o que os faz serem divididos em:

  • Macrolepidópteros: aqueles que têm asas com menos de 1 cm.
  • Microlepidópteros: aqueles que têm asas com mais de 1 cm.

Existem muitas famílias de tipos de borboletas noturnas. A seguir, te apresentamos as mais representativas, ou aquelas que têm uma importante variedade de espécies.

Noctuidae

Costuma-se chamar os membros desta numerosa família, que tem mais de 10 mil espécies, de lagarta cortadeira, lagarta militar ou mariposa mocha (Noctua pronuba). Têm uma distribuição global, exceto na Antártida, embora algumas espécies estejam em certas zonas frias. Diversos membros da família são pragas agrícolas.

Geometridae

Os geômetras, como são conhecidos, também são uma família com uma grande variedade de espécies: se estimam mais de 20 mil. Na fase larval, são conhecidas como lagartas mede-palmos, já que, ao se movimentar, parece que estão medindo a terra. Também podem ser pragas, e são distribuídas amplamente na Ásia, América e Europa.

Arctiidae

Com cerca de 11 mil espécies, são conhecidas como mariposas tigre (Arctia villica), e as larvas como lagartas peludas. Estão presentes em muitas partes do mundo, e são um exemplo clássico de borboletas noturnas (embora haja adultos e larvas com atividade diurna), que apresentam órgãos para produzir e perceber sons ultrassônicos.

Sphingidae

As mariposas-esfinge ou mariposas-falcão são um grupo menos numeroso em comparação com os anteriores. Contudo, agrupam cerca de 1.400 espécies. Algumas têm voos peculiares, já que são capazes de flutuar enquanto se alimentam, como acontece com os beija-flores. Estão presentes principalmente nos trópicos.

Tortricidae

As mariposas tortrix ou enroladoras de folhas, têm espécies de importante impacto econômico na agricultura. Já foram identificadas mais de 11 mil espécies, que possuem distribuição global.

Drepanidae

Alguns membros são conhecidos como borboletas-ponta-de-gancho, porque o topo das asas assemelha-se a outros objetos, enquanto que outras espécies desse tipo de borboletas noturnas são chamadas de falsas mariposas mochas, por serem parecidas com este grupo. No caso das larvas, apresentam diversidade de formas, dependendo da espécie.

Alucitidae

São conhecidas como mariposas-plumas, devido ao fato de essas estruturas terem se modificado e simularem as de uma ave. Existem pouco mais de 200 espécies, e se distribuem em zonas temperadas e subtropicais.

Crambidae

Muitas são conhecidas como mariposas-do-mato por sua capacidade de se camuflar sobre esse tipo de vegetação. Algumas possuem colorações chamativas. Incluem-se cerca de 10 mil espécies. Sua presença também é global.

Notodontidae

O nome comum do grupo são as mariposas-proeminentes, por conta de seu corpo pesado e asas grandes. Algumas também são conhecidas como mariposas-gatinho. As cerca de 4 mil espécies, embora tenham uma ampla distribuição, contam com uma maior presença no trópico do continente americano.

Limacodidae

Esta família é conhecida como mariposa-lesma ou mariposa troféu, no primeiro caso porque as lagartas são parecidas com uma lesma, e no segundo pela forma de casulo que constituem. Contém quase 2.000 espécies descritas, com presença principalmente em regiões tropicais.

Saturniidae

Os saturnídeos têm cerca de 2.300 espécies identificadas, e neste grupo se encontram as maiores espécies do mundo, como, por exemplo, as conhecidas como mariposa-imperador, mariposas-reais e mariposa-gigante-de-seda. Embora tenham uma ampla distribuição global, a maioria se encontra em zonas tropicais e subtropicais. Os saturnídeos, quando em estágio larval, são conhecidos como taturanas.

 

Borboletas noturnas - Tipos e características - Tipos de borboletas noturnas

Alimentação das borboletas noturnas

As borboletas noturnas mantém o tipo de alimentação comum dos lepidópteros, que corresponde a uma dieta herbívora, embora algumas possam consumir gordura animal e restos de outros insetos.

As fases ou estágios nos quais comem ativamente correspondem à etapa de lagarta e à de adulto. Podemos vê-las da seguinte maneira:

  • Etapa de lagarta: costumam ingerir grandes quantidades das plantas onde foram colocados os ovos e, ao sair destas, iniciam sua alimentação comum. Também se deslocam a outras plantas quando o alimento daquela em que se localizam começa a se esgotar. Dependendo da espécie, podem se nutrir de diferentes órgãos vegetais.
  • Etapa de adulto: por sua vez, os adultos chupam principalmente líquidos, como néctar, sugados das plantas ou das frutas, já que seu sistema digestivo está adaptado para uma alimentação por sucção.

Um fato curioso sobre as borboletas noturnas é que há espécies desses insetos que, na fase adulta, não consomem alimentos, já que possuem um aparato bucal vestigial ou carecem deste, e por isso têm poucos dias de vida. Nesses casos, os imagos têm uma função reprodutiva importante; uma vez cumprido o processo, morrem. Encontramos alguns exemplos nas famílias dos Saturniidae e Limacodidae.

As borboletas noturnas são perigosas?

As borboletas noturnas são praticamente inofensivas em sua fase adulta. Eventualmente podem desenvolver certa toxicidade para predadores de menor tamanho, mas não costumam afetar as pessoas e, no caso dos pets, se chegarem a comê-las, não passam por grandes problemas.

Contudo, na fase de lagarta, algumas espécies têm pelos altamente urticantes, que, sim, podem causar problemas alérgicos importantes, como é o caso da espécie conhecida como lagarta-do-pinheiro (Thaumetopoea pityocampa), entre outras.

Por outro lado, muitas espécies também causam danos agrícolas importantes na fase larval, já que se convertem em pragas que se alimentam de lavouras usadas para consumo humano, por exemplo, a mariposa-das-maçãs (Epiphyas postvittana) e a tortrix-da-fruta-de-verão (Adoxophyes orana).

Agora que você já sabe tudo sobre as diferentes borboletas noturnas, talvez você possa se interessar por este outro artigo em que contamos várias curiosidades sobre as borboletas.

Borboletas noturnas - Tipos e características - As borboletas noturnas são perigosas?

Se deseja ler mais artigos parecidos a Borboletas noturnas - Tipos e características, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Curiosidades do mundo animal.

Bibliografia
  • Departamento de Biología Sistemática Institución Smithsonian. Moths. Disponível em: <https://www.si.edu/spotlight/buginfo/moths>. Acesso em 15 de junho de 2022.
  • Kawahara, AY, Plotkin, D., Espeland, M., Meusemann, K., Toussaint, E., Donath, A., Gimnich, F., Frandsen, PB, Zwick, A., Dos Reis, M., Barber , JR, Peters, RS, Liu, S., Zhou, X., Mayer, C., Podsiadlowski, L., Storer, C., Yack, JE, Misof, B. y Breinholt, JW. (2019). La filogenómica revela el momento evolutivo y el patrón de mariposas y polillas. Actas de la Academia Nacional de Ciencias de los Estados Unidos de América, 116 (45), 22657–22663. Disponível em: <https://doi.org/10.1073/pnas.1907847116>. Acesso em 15 de junho de 2022.
  • Sánchez, P. y de Arce, J. (2018). Mariposas nocturnas de la Serranía de Cuenca. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/336210634_Mariposas_nocturnas_de_la_Serrania_de_Cuenca/citation/download>. Acesso em 15 de junho de 2022.
  • Torrado, L. (2017). Inventario de las mariposas nocturnas (Lepidoptera, Heterocera) de una localidad de Oleiros (As Pedreiras, Liáns), A Coruña. Disponível em: <https://ruc.udc.es/dspace/bitstream/handle/2183/19618/TorradoBlanco_Laura_TFG_2017.pdf?sequence=2&isAllowed=y>. Acesso em 15 de junho de 2022.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Borboletas noturnas - Tipos e características
1 de 3
Borboletas noturnas - Tipos e características

Voltar ao topo da página