Partilhar
Partilhar em:

Como os gatos pensam?

Como os gatos pensam?

Ver fichas de  Gatos

Compartilha a sua casa com um gato? De certeza que o comportamento destes felinos domésticos já o espantou mais de uma vez, pois uma das principais caraterísticas deste animal é precisamente o seu caráter independente, o que não significa que não sejam carinhosos, mas que são muito diferentes dos cachorros.

Os estudos realizados até agora com o objetivo de estudar o comportamento, comunicação e pensamento animal tiveram resultados surpreendentes, mais ainda aqueles que se dedicaram a aproximar-se do pensamento felino.

Quer saber como os gatos pensam? Neste artigo do PeritoAnimal vamos explicar tudo para você.

Também lhe pode interessar: Como os cachorros pensam

Os gatos têm consciência?

Poucos animais precisam de ter tanto controle sobre o seu ambiente como os gatos, é por isso que os felinos são animais mais propensos a sofrer de estresse assim como as perigosas consequências deste estado quando é prolongado no tempo.

Mas como é possível que um animal com tanta sensibilidade não tenha consciência da sua própria existência? Bom, a verdade é que isto não é exatamente assim, o que acontece é que os estudos científicos sobre a consciência em animais utilizam principalmente um espelho para observar as reações e determinar o grau de consciência, e o gato não reage.

No entanto, os amantes dos gatos dizem que (e parece ser o mais razoável) esta falta de reação acontece porque os gatos não percebem nenhum odor no espelho e, por isso nada os atrai o suficiente para se aproximarem do seu reflexo e interagir com ele.

Os gatos não nos vêm como humanos

O biólogo Dr John Bradshaw, da Universidade de Bristol, já estuda os felinos há 30 anos e os resultados obtidos através das suas diferentes investigações são surpreendentes uma vez que determinou que os gatos não nos percebem como humanos, nem como donos, mas sim como versões gigantes deles próprios.

Neste sentido, o gato vê-nos como se fossemos mais um gato e com ele que pode socializar ou não, dependendo do momento, os seus interesses e suas habilidades, mas sob qualquer circunstância acredita que somos uma espécie que pode chegar a dominar.

Esta caraterística é evidente se compararmos os gatos com os cães, uma vez que os cães não interagem com os humanos da mesma forma que o fazem com outros cães, em contrapartida, os gatos não alteram o seu comportamento quando estão diante de um humano.

Os gatos não são animais domesticados

Claro que um gato pode ser adestrado para saber o que pode fazer na sua casa e, tal como um cachorro, também responde bem ao reforço positivo, mas isto não se deve confundir com um processo de domesticação.

Os especialistas consideram que a domesticação dos primeiros cachorros aconteceu há aproximadamente 32.000 anos, em contrapartida, os gatos começaram a sua relação com os humanos há cerca de 9.000 anos atrás.

O importante é entender que nestes 9.000 anos os gatos não se deixaram domesticar, mas que aprenderam a coabitar com humanos para aproveitar todos os benefícios que estes "gatos gigantes" lhes podem proporcionar, como por exemplo água, comida e um ambiente cômodo para descansar.

Os gatos treinam os seus donos

Os gatos são extremamente inteligentes, tanto que são capazes de nos adestrar sem darmos conta.

Os gatos observam de forma contínua os humanos, que eles vêm simplesmente como gatos gigantes, sabem por exemplo que, ao ronronar é possível despertar os nossos sentidos de proteção, o que a maioria das vezes acaba em uma recompensa em forma de comida, por isso, não hesitam em usar o ronronar como meio de manipulação.

Também sabem que ao emitir certos ruídos, um vai à procura deles ou pelo contrário, sai do cômodo onde eles se encontram e, é através da observação contínua da sua família humana que o gato adapta as nossas respostas às suas necessidades.

Por isso, os gatos também podem sentir instintos de proteção em relação a nós. Alguma vez o seu gato lhe deixou uma pequena presa à entrada de casa? Ele faz isto porque apesar de o ver como um gato gigante, também o considera um gato desajeitado que pode ter dificuldades em conseguir comida, e então ele decide ajudá-lo nesta tarefa importante.

O gato considera que ele deve adestrá-lo a si, em certo modo porque como mencionamos acredita que é desajeitado (não fraco nem inferior), também é por este motivo que o seu gato se esfrega a si, marcando-o assim com as suas feromonas, como se você fosse a sua propriedade. Noutras vezes quer simplesmente limpar-se ou utilizá-lo como arranhador, mas isto é bom sinal, uma vez que indica que não nos vê como rivais hóstis.

O que incentiva o pensamento de um gato?

O pensamento dos gatos deve-se a diferentes fatores, embora geralmente os mais determinantes sejam o seu instinto, as interações que realiza e sobretudo o registro de experiências passadas.

É importante que saiba que todos os estudos que tentam decifrar o pensamento felino concluem que apenas se deve interagir com o gato quando ele pedir, caso contrário, sofrem um grande estresse.

Poderá também interessar-lhe: os gatos sabem quando temos medo?

Se deseja ler mais artigos parecidos a Como os gatos pensam?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Curiosidades do mundo animal.

Comentários (3)

Escrever comentário sobre Como os gatos pensam?

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
3 comentários
Fernanda Gracinda Ribeiro Bizarro Alexandre Manco
Amo gatos tive muitos agora so tenho uma mas para mim superam os caes embora goste mas habituei-me aos gatos
A sua avaliação:
Loba
Tenho 2 gatos de comportamento completamente diferente de um "gato". Nunca brincaram pois, nunca quiseram e olha que tiveram brinquedos incríveis. Eles são estranhos... Eles nunca quiseram colo, mas eles se roçam em mim e não posso tocar neles... São 2 cachos castrados, mas um é invocado.. O que eu faço? 2 tentativas de um gato para afagar e eles não deixam...
PeritoAnimal
Oi Loba! Nesses artigos poderá encontrar várias dicas para socializar um gato, seja ele filhote ou adulto, que penso que serão úteis para o caso:
https://www.peritoanimal.com.br/socializar-um-gato-filhote-21622.html
https://www.peritoanimal.com.br/socializar-um-gato-adulto-20990.html
A sua avaliação:
Leila
Tenho uma femea ela tem 1 ano e 6 meses, todo esse tempo ela pula a janela para ir para fora, mas agora precisei instalar o cat flap , nao sei como chama em portugues, aquela portinha pro gato ir e vir. Mas nao consigo treinar ela, essa gata nao quer usar de jeito nenhum. Ela prefere ficar o dia todo em casa do que usar a portinha. Como eu poderia treina la ou ensinar? Obrigada
Leila
PeritoAnimal
Oi Leila! Você tem que ensinar a sua gatinha através do reforço positivo. Algo que pode fazer é pegar em biscoitos e fazer um caminho até à portinha e depois fazer a continuação do outro lado. Se ela passar deve reforçar esse bom comportamento com carícias. Também pode experimentar ficar do outro lado e chamá-la para passar pela portinha, se ela passar reforce o comportamento com carícias e biscoitos. Experimente fazer isto algumas vezes e vai ver que com o tempo ela vai acabar por passar pela portinha. Muito obrigada pelo seu comentário e continue acompanhando a nossa página :)

Como os gatos pensam?
1 de 6
Como os gatos pensam?