Partilhar

Quando se podem separar os gatinhos da sua mãe?

 
Nelson Ferreira - Redator do Perito Animal
Quando se podem separar os gatinhos da sua mãe?

Ver fichas de  Gatos

Antes de separar um gatinho da sua mãe, devemos considerar alguns detalhes que são de suma importância para o correto desenvolvimento físico e psicológico do felino. Separá-lo de forma prematura pode originar o aparecimento de problemas de comportamento e até deficiências nutricionais graves.

Embora não exista uma data exata, geralmente costumamos separar um gatinho da sua mãe por volta das 8 ou 12 semanas de vida, uma idade que pode variar dependendo de cada caso.

Neste artigo do Perito Animal explicamos-lhe porque é tão importante respeitar este tempo, e ajudamos a identificar o momento apropriado, explicando como o deve fazer. Continue lendo e descubra quando se podem separar os gatinhos da sua mãe.

Por que não devemos separar um gatinho de forma prematura?

Para entender realmente por que não é bom separar um gatinho da sua mãe de forma prematura, é fundamental revisar alguns aspetos básicos do crescimento de um felino:

A amamentação, fundamental para um correto desenvolvimento

Logo depois do nascimento da ninhada, durante os dois ou três primeiros dias, a progenitor irá amamentar os gatinhos com o primeiro leite que produz, o colostro. É imprescindível que qualquer filhote o receba uma vez que, além de os nutrir de forma abundante, o colostro fornece imunoglobulinas, defesas imunitárias que os irão proteger de qualquer infecção.

Passado este tempo, a gata irá alimentar os gatos filhotes com o leite de lactância, uma fonte rica em nutrientes e que lhes oferecerá também uma certa imunidade para minimizar o risco de infecções. Além disso, também lhes fornecerá hormônios, enzimas e outras substâncias imprescindíveis para o seu crescimento.

Todos os gatinhos devem se alimentar com o leite da sua progenitora, excepto em casos muito concretos, como por exemplo a rejeição, a morte ou uma doença da mãe que a impeça de os cuidar, apenas nesses casos devemos ser nós a alimentar um gatinho recém-nascido, consultando sempre o veterinário.

A importância da socialização do gatinho

A partir da segunda semana de vida e até, aproximadamente, os dois meses, o gatinho é suficientemente maduro para começar a explorar o seu meio envolvente e iniciar as suas primeiras relações sociais. O gatinho encontra-se em pleno "período sensível de socialização".

Durante esta etapa, o gato aprende a se relacionar com membros da sua espécie, cachorros, seres humanos, com o meio envolvente e, em última análise, com qualquer estímulo externo que venha a ser frequente na sua vida adulta. Um gato bem socializado será sociável, amigável e sentir-se-á seguro no seu futuro ambiente, será capaz de se relacionar com topo o tipo de seres vivos e não desenvolverá futuros problemas de comportamento, como agressividade, timidez excessiva entre outros.

Conselhos para separar o gatinho da sua mãe

A partir das 4 semanas, e de forma progressiva, devemos motivar o nosso gato a começar o desmame. Para isso deve oferecer-lhe pequenas porções de comida mole e suave, como a comida úmida que vem preparada em pedacinhos de carne ou peixe assim como os patês. Pode encontrar latas para filhotes nos supermercados.

Durante esta etapa ainda dependem muito da sua mãe, e só a partir das 8 semanas de vida é que irão começar a se alimentar de forma regular com este tipo de alimento.

Quando o gato fizer dois meses de vida, deve começar a oferecer diversas porções diárias de alimento, combinando a comida úmida e o alimento seco. Para se certificar que podem inferi-lo, pode demolhar a ração em um caldo de peixe sem sal, que lhe dará sabor, nutrição extra e faz com que a possam comer sem dificuldade.

Finalmente, por volta das 12 semanas, a mãe pode continuar amamentando os filhotes mas é o momento apropriado para que comecem a comer por sua conta, sendo completamente desmamados Neste momento estamos seguros de que o nosso gato não irá sofrer nenhuma carência nutricional.

Nesta fase e para se certificar de uma boa adaptação ao seu futuro lar, seria recomendável ensinar os gatinhos a usar a caixinha de areia, assim como ensiná-los a usar o arranhador. Tudo o que possam aprender, incluindo jogos e várias atividades, serão positivas para a sua estimulação mental.

A separação do gatinho e a sua mãe

Embora estejam desmamados, não podemos separar os gatinhos da sua mãe de forma radical uma vez que esta poderá sofrer uma mastite, uma infecção nas mamas devido à acumulação de leite. Devemos levar a cabo a separação de forma progressiva, ou seja, separando um a um os gatinhos.

Em princípio, se tivermos esperado até às 12 semanas de vid, a progenitora instintivamente saberá que os seus filhotes são independentes e que podem sobreviver, por isso será raro que sofra um episódio de tristeza. No entanto, se os separar os gatinhos da mãe antes do tempo, a gata pode enfrentar uma depressão severa, que irá procurar os filhotes pela casa de forma desesperada. Neste casos será muito recomendável lavar o "ninho" da gata, assim como todos os utensílios, mantas e almofadas que possam ter o seu cheiro.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Quando se podem separar os gatinhos da sua mãe?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de O que precisa saber.

Comentários (0)

Escrever comentário sobre Quando se podem separar os gatinhos da sua mãe?

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Quando se podem separar os gatinhos da sua mãe?
1 de 3
Quando se podem separar os gatinhos da sua mãe?