menu
Partilhar

Lobo-ibérico

Atualizado: 3 janeiro 2022
Lobo-ibérico

O lobo-ibérico (Canis lupus signatus) é uma subespécie de lobo que habita a Península Ibérica da Europa, principalmente no noroeste, embora também esteja presente em outras partes da Espanha. Atualmente é considerada uma espécie vulnerável, e é por isso que muitas organizações e associações estão fazendo grandes esforços para reintroduzi-la em seu habitat natural.

Nesta ficha do PeritoAnimal falaremos em detalhes sobre o lobo-ibérico, explicando suas características, comportamento, hábitos ou reprodução mais comuns, e também resolveremos algumas dúvidas frequentes e falsos mitos que persistem até hoje. Portanto, se você tiver interesse em descobrir mais sobre esses mamíferos que habitam a Península Ibérica, não hesite, continue lendo!

Origem
  • Europa
  • Espanha

Origem do lobo-ibérico

O lobo-ibérico, Canis lupus signatus, é uma subespécie do lobo comum ou Canis lupus, e existem até 35 subespécies de lobo, incluindo lobos vermelhos, marrons e brancos. Embora nos tempos antigos o lobo-ibérico estivesse espalhado por quase todo o Hemisfério Norte, hoje em dia e principalmente devido à destruição de habitats ou à caça brutal a que foram submetidos, as populações de lobos têm sido dizimadas ano após ano nos últimos séculos, embora tenha sido observado que alguns desses núcleos populacionais parecem estar se recuperando.

Atualmente, o lobo-ibérico é classificado como Espécie Quase Ameaçada de extinção (NT) de acordo com o Atlas dos Mamíferos Terrestres Espanhóis e como Vulnerável (VU) pelo Livro Vermelho dos Vertebrados Espanhóis. Embora antes estivesse presente em quase todo o território peninsular, formando assim parte da fauna da Península Ibérica, atualmente suas populações se encontram no nordeste da península, sendo as menos afetadas pela diminuição, bem como no norte da Andaluzia, como a Serra Morena, sendo estas populações muito menores e mais ameaçadas.

Deve-se notar também que os lobos são parentes próximos de outras espécies bem conhecidas, como coiotes ou chacais, bem como de outras espécies que compartilham o parentesco evolutivo, como a raposa. Entretanto, é importante notar que o cachorro não é descendente do lobo, como muitas pessoas acreditam, pois estudos recentes indicam que são espécies distintas que evoluíram de um ancestral comum.

Características do lobo-ibérico

Os lobos ibéricos são de porte médio, pesando entre 30 e 50 quilos, com exemplares que alcançam 75 quilos e uma altura ao garrote de 60-70 centímetros. Possuem um corpo alongado, entre 100 e 120 centímetros de comprimento total. Sua expectativa de vida na natureza é geralmente de cerca de 16 anos.

Seu porte é atlético e vigoroso, com pernas longas e robustas. Sua cabeça é grande e seu focinho é afilado, terminando com orelhas triangulares e pontiagudas. Seu olhar espetacular é desencadeado por olhos âmbar oblíquos. As mandíbulas são potentes, com presas afiadas, típicas dos grandes carnívoros, que lhes permitem caçar e se alimentar de várias presas.

Esta subespécie de lobos é menor do que seus congêneres que vivem em temperaturas mais frias, pois quanto mais frio estiver no habitat do lobo, maior será o lobo para sobreviver ao tempo inclemente. Ao mesmo tempo, a pelagem do lobo-ibérico será menos densa e mais comprida que a do lobo-do-ártico ou do lobo siberiano. A pelagem do lobo-ibérico é de cor heterogênea, geralmente cinza-acastanhada com tons ocre, para se misturar com seu ambiente, com listras pretas nas patas dianteiras, que são a marca distintiva desta subespécie de lobo.

Os lobos são animais inteligentes com sentidos altamente desenvolvidos, especialmente seu olfato. São capazes de percorrer longas distâncias, atingindo velocidades de até 50 km/h. Podem saltar até 5m de comprimento e nadar vários quilômetros em águas abertas.

Hábitos do lobo-ibérico

O lobo é um animal gregário, ou seja, passa toda sua vida na companhia de uma alcateria. É com este grupo que ele vai à caça e realiza todas as atividades vitais como a reprodução ou a defesa dos seus, sendo uma das espécies mais sociáveis e protetoras. Por outro lado, quanto mais velho o espécime de lobo, mais rabugento e solitário ele se tornará.

Esta alcateria é composta por um casal reprodutor e seus filhotes jovens ou adolescentes, porque quando crescem, tornam-se independentes para formar sua própria matilha. Há sempre um espécime chamado "alfa", um macho, que será o dominante e, portanto, o líder da matilha, pois há uma hierarquia marcada que estabelece o poder e a posição de cada espécime da mesma.

São animais territoriais, marcando as áreas que habitam com arranhões ou urina, entre outras coisas. Por outro lado, você já se perguntou por que os lobos uivam? Estes canídeos utilizam a vocalização para evitar intrusões de outros lobos em seu território, bem como para afugentar outros predadores que possam competir contra eles pela presa que estão perseguindo.

Habitat do lobo-ibérico

O habitat do lobo requer apenas uma condição: estar longe das áreas urbanas. Exceto nestes casos, os lobos podem viver em múltiplos lugares, tais como florestas, montanhas ou margens de rios. Enquanto houver comida e água disponíveis, eles procurarão abrigo apropriado e, a menos que os humanos cheguem lá, eles conseguirão sobreviver por conta própria. A adaptabilidade destes canídeos é, portanto, notável, sendo considerada como uma espécie generalista que só é afetada pelo homem, do qual foge.

Mesmo assim, muitas pessoas ainda acreditam que os lobos são perigosos ou agressivos, mas os lobos normalmente não atacam pessoas; na verdade, a maioria dos ataques ao gado ou às pessoas são realizados por cães selvagens.

Alimentação do lobo-ibérico

Os lobos são um dos animais carnívoros mais conhecidos do mundo. Assim, se observarmos a dieta do lobo, podemos ver que suas presas variam de coelhos a diferentes ungulados. Eles também são grandes necrófagos, aproveitando-se dos restos de animais mortos, seja por terem sido predados por outros predadores, seja por terem morrido devido a acidentes ou outras causas. Tem sido registrado que os lobos também podem se alimentar de frutas em algumas ocasiões, bem como de restos de alimentos que possam encontrar, pois são excelentes oportunistas.

Apesar de sua má reputação, os lobos não atacam os rebanhos com frequência. Nem costumam esgueirar-se em recintos como galinheiros ou cabanas de coelhos, exceto em casos de extrema necessidade quando o alimento em seu habitat natural é realmente escasso, fazendo-os passar fome o suficiente para arriscar a aproximação de núcleos habitados por humanos, dos quais normalmente tendem a fugir.

Reprodução do lobo-ibérico

Finalmente, falaremos sobre a reprodução do lobo. Devemos saber que a época de criação dos lobos-ibéricos começa no final de janeiro e termina no início de abril, quando o casal reprodutor pode se separar da alcateria. Mesmo assim, foram registrados numerosos casos em que eles permanecem com os jovens que ainda não estão em idade reprodutiva, ajudando-os na alimentação e na criação subsequente da nova geração.

A gestação dura cerca de 60-65 dias, dando à luz ninhadas de 3 a 8 crias. Eles pesam cerca de 500 gramas ao nascer, seus olhos não se abrem até 12-15 dias de vida e estão tão expostos que a hostilidade da mãe para com qualquer indivíduo que se aproxime é mais do que justificada para a sobrevivência desses filhotes indefesos.

Os filhotes são amamentados pela mãe até um mês e meio de idade, ou até dois meses. Uma vez amamentados, são alimentados tanto pela mãe como por outros membros da ninhada, com alimentos regurgitados para eles. Quando chegam aos quatro meses de idade são chamados de filhotes e permanecerão com sua família até atingirem a maturidade sexual e partem para formar sua própria matilha, o que acontece aos 2 anos de idade nas fêmeas e aos 3 anos nos machos.

Bibliografia
  • Atlas y Libro Rojo de mamíferos terrestres de España - Disponível em: <https://www.miteco.gob.es/es/biodiversidad/temas/inventarios-nacionales/inventario-especies-terrestres/inventario-nacional-de-biodiversidad/ieet_mamif_atlas.aspx>. Acesso em 3 de janeiro de 2022.
  • Asociación para la conservación y estudio del lobo ibérico - Disponível em: <http://loboiberico.com/>. Acesso em 3 de janeiro de 2022.
  • Ficha de fauna: lobo - Proyecto Sierra de Baza, Revista Digital - Disponível em: <http://www.sierradebaza.org/Fichas_fauna/07_02_lobo/lobo.htm>. Acesso em 3 de janeiro de 2022.
  • MECH, L. David. Posición alfa, dominancia y división del trabajo en las manadas de lobos - Disponível em: <https://wolf.org/wp-content/uploads/2013/09/267alphastatus_spanish.pdf>. Acesso em 3 de janeiro de 2022.
  • Conservación del lobo ibérico - Universidade da Coruña
  • Freedman, Adam H., et al. "Genome sequencing highlights the dynamic early history of dogs." PLoS genetics 10.1 (2014): e1004016. - Disponível em: <https://journals.plos.org/plosgenetics/article?id=10.1371/journal.pgen.1004016>. Acesso em 3 de janeiro de 2022.

Fotos de Lobo-ibérico

Artigos relacionados

Suba a sua foto de Lobo-ibérico

Suba a foto do seu Pet

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
Como avalia esta raça?
Lobo-ibérico
1 de 7
Lobo-ibérico

Voltar ao topo da página