menu
Partilhar

Brumação - Significado, duração e exemplos

 
Por Nick A. Romero H., Biólogo e educador ambiental. 19 abril 2022
Brumação - Significado, duração e exemplos

Em seus habitats naturais, os animais geralmente são submetidos às mudanças sazonais que ocorrem nestes ecossistemas, os quais, em alguns casos, chegam a ser consideravelmente extremos. Neste sentido, dependendo da época do ano, podem acontecer, por exemplo, variações nas temperaturas e ciclos da água, o que afeta todos os seres vivos que habitam no local. Desta maneira, as variações térmicas e a ausência tanto de água como de alimento devem ser reguladas ou compensadas de alguma forma. É assim que os animais desenvolveram estratégias para poder sobreviver sob essas condições que se repetem todos os ano.

Neste artigo do PeritoAnimal, vamos explicar o que é a brumação, um desses processos de adaptação que algumas espécies utilizam para suportar certas condições ambientais como as mencionadas.

Também lhe pode interessar: Aposematismo animal - significado e exemplos

O que é a brumação?

A brumação é um estado de letargia, às vezes também considerada como um tipo de dormência, no qual o metabolismo diminui. É utilizado por alguns animais para lidar com a queda de temperatura que ocorre em seu habitat.

Existem animais denominados 'ectotérmicos', nos quais a temperatura corporal não é controlada e mantida pelos processos metabólicos do corpo, mas depende das condições externas. Neste sentido, quando as temperaturas diminuem, estes animais ficam expostos a elas e, por não poder se esquentar pelas condições do meio, seu organismo é afetado pois não existe uma fonte externa de calor ótima o suficientemente que lhe permite gerar um aumento térmico do corpo.

Desta maneira, os animais ectotérmicos desenvolveram comportamentos para poder regular sua temperatura corporal e conseguir desenvolver os processos fisiológicos de maneira ideal. É assim, por exemplo, como os lagartos do deserto, que são animais ectotérmicos, se movem em função da radiação solar durante o dia. Nas primeiras horas, se apertam contra o solo para absorver o calor inicial da manhã, logo, quando a temperatura aumenta, se levantam e vão mudando de lugar para evitar o excesso de calor. Cada espécie ectotérmica vai fazendo os ajustes necessários durante o dia para regular sua temperatura corporal em função de suas necessidades e o que é capaz de suportar, já que até existem diferenças entre estes tipo de animais. Por exemplo, uma iguana do deserto nos Estados Unidos pode tolerar aumento de até 47 ºC, o que seria letal para outras espécies de répteis.

Então, se os animais ectotérmicos precisam da temperatura externa para se esquentar, o que acontece com os que vivem em ecossistemas onde há quedas sazonais de temperatura? É aqui onde muitas espécies desenvolveram uma estratégia como a brumação, através da qual diminuem sua atividade metabólica para reduzir o gasto energético e se termorregular.

Diferença entre brumação e hibernação

A brumação é um processo diferente da hibernação. A brumação pode ocorrer tanto em répteis como em anfíbios e, embora exista uma diminuição dos processos metabólicos do animal, este não está totalmente em um estado de sono profundo e continua necessitando de um mínimo de consumo de água no caso de se encontrar no meio terrestre e, se for possível, de alimento, o qual dependerá da disponibilidade do mesmo. No caso de alguns répteis, por exemplo, se não consomem nada de alimento, utilizam reservas lipídicas enquanto estão em estado de letargia.

Por outro lado, o processo de hibernação ocorre em certos mamíferos e é um estado de dormência prolongada e controlada no qual diminuem a temperatura e os processos fisiológicos ao máximo, ao ponto que o animal não precisa consumir água nem alimento enquanto se encontra totalmente adormecido, já que sobrevive das reservas que acumulou. Não perca este outro artigo onde explicamos em profundidade o que é a hibernaçã e quais são os animais que hibernam.

Uma vez conhecida a diferença entre os dois processos, se você se pergunta por que os anfíbios hibernam, a resposta é que não hibernam, brumam e fazem isso para garantir sua sobrevivência quando as condições climáticas não são adequadas.

Quanto dura a brumação?

A brumação é um processo que pode mudar de uma espécie para outra e depende de aspectos como a idade e as condições do animal. Da mesma forma, a duração da brumação também varia em cada espécie, pois dependerá do período em que as baixas temperaturas se mantêm. Neste sentido, a brumação pode durar desde três meses até cinco ou seis. Uma vez iniciado o aumento da temperatura térmica, o animal sai deste estado de letargia.

Exemplos de animais que fazem brumação

Como mencionamos, a brumação é um processo que acontece em répteis e anfíbios expostos à queda térmica em seu habitat natural. Conheçamos a seguir exemplos de animais que brumam:

Tartaruga-da-orelha-vermelha (Trachemys scripta)

A brumação em tartarugas é bastante comum e, para falar dela, tomaremos como exemplo a tartaruga-de-orelhas-vermelhas. Esta espécie de tartaruga é nativa dos Estados Unidos e México, embora tenha sido introduzida em outras regiões. É de hábitos semiaquáticos em corpos d'água doce, tende a ser muito ativa e toma sol constantemente para se aquecer.

Estima-se que seu nível ideal de temperatura esteja em torno dos 28 ºC, mas quando as temperaturas da água caem entre 10-15 ºC, esta tartaruga entra em estado de brumação, já que, como vimos, requer valores superiores. Quando entra neste estado, seu metabolismo diminui e se torna letárgica. Este processo pode ser realizado tanto embaixo d'água como em tocas. Uma vez que se inicia a subida térmica, seu metabolismo começa a se reativar, portanto começam a se movimentar para comer, pois suprimem a alimentação durante o processo.

Iguana-de-árvore-de-Ruibal (Liolaemus ruibali)

Esta é uma espécie nativa da Argentina que se desenvolve em áreas de pré-cordilheira e a própria cordilheira Andina de algumas províncias do país. Geralmente se aquecem ao sol ou se escondem em tocas para se termorregular. Quando ocorre a queda das temperaturas, entra em estado de brumação.

Cobra-liga-comum (Thamnophis sirtalis)

As diferentes espécies de cobras também podem realizar a brumação e veremos como com este exemplo. A cobra-liga-comum é distribuída do Alasca até o México e tem um longo período de brumação que pode chegar a seis meses. No entanto, nos dias de inverno que há sol pode sair e se expor a ele.

Embora tenha hábitos solitários, é comum que a brumação seja feita nas tocas de outros animais junto com indivíduos da sua mesma espécie, desta maneira gera-se maior calor no espaço ao se manter em contato com outras serpentes.

Salamandra-de-fogo (Salamandra salamandra)

Outro exemplo de animais que brumam é a salamandra-de-fogo. Este anfíbio permanece com muito pouca atividade em condições extremas, tanto se as temperaturas se elevam muito como quando baixam muito, de modo que é mais ativo em noites quentes. A brumação é realizada principalmente em cavernas e um fato curioso é que procura ano após ano utilizar o mesmo lugar para entrar neste estado de inatividade.

Rana temporaria (Rana temporaria)

Esta espécie que é nativa da Europa e Ásia. Costuma realizar a brumação embaixo d'água, em grupos de muitos indivíduos da espécie. O tempo de inatividade varia de acordo com a localização, mas dura entre três e quatro meses.

Agora que você já sabe o que é a brumação e conheceu diferentes exemplos de animais que fazem este processo, não perca este outro artigo com diferentes curiosidades sobre as tartarugas.

Brumação - Significado, duração e exemplos - Exemplos de animais que fazem brumação

Se deseja ler mais artigos parecidos a Brumação - Significado, duração e exemplos, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Curiosidades do mundo animal.

Bibliografia
  • AmphibiaWeb (2022). Rana temporaria. Disponível em: <https://amphibiaweb.org/cgi-bin/amphib_query?where-genus=Rana&where-species=temporaria>. Acesso em 11 de abril de 2022.
  • Castro, S. (2019). Biología reproductiva de cuatro especies de lagartos (Liolaemidae) en los Andes centrales de San Juan, Argentina. Disponível em: <https://ri.conicet.gov.ar/bitstream/handle/11336/83743/CONICET_Digital_Nro.78c87f4e-955b-4261-90f6-ee603c454a8d_A.pdf?sequence=2&isAllowed=y>. Acesso em 11 de abril de 2022.
  • Lara, P. (2015). Trachemys scripta y su papel como animal de compañía. Disponível em: <http://repositorio.uaaan.mx:8080/xmlui/bitstream/handle/123456789/7791/PALOMA%20CERVANTES%20LARA.pdf?sequence=1>. Acesso em 11 de abril de 2022.
  • Hickman, C., Roberts, L., Parson A. (2000). Principios integrales de zoología. McGraw Hill Interamericana: España.
  • Sydlowski, R. (2000). Salamandra. Animal Diversity Web. Disponível em: <https://animaldiversity.org/accounts/Salamandra_salamandra/>. Acesso em 11 de abril de 2022.
  • Zimmerman, R. (2013). Thamnophis sirtalis. Animal Diversity Web. Disponível em: <https://animaldiversity.org/accounts/Thamnophis_sirtalis/>. Acesso em 11 de abril de 2022.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Brumação - Significado, duração e exemplos
1 de 2
Brumação - Significado, duração e exemplos

Voltar ao topo da página