menu
Partilhar

Animais extintos no Brasil

 
Por Aerton Guimarães, Jornalista e editor do PeritoAnimal. Atualizado: 22 junho 2021
Animais extintos no Brasil

Cerca de 20% das espécies de animais e de plantas estão ameaçadas de extinção no Brasil, segundo uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em novembro de 2020.

Diferentes motivos explicam esses dados: a caça descontrolada, a destruição do habitat dos animais, queimadas e poluição, apenas para citar alguns deles. No entanto, infelizmente já sabemos que há diversos animais extintos no Brasil, alguns até recentemente. E é sobre eles que vamos falar neste artigo do PeritoAnimal.

Também lhe pode interessar: 15 animais ameaçados de extinção no Brasil

Categorização dos animais extintos

Antes de listarmos os animais extintos no Brasil, é importante explicar as diferentes categorizações utilizadas para se referir a eles. De acordo com o Livro Vermelho do Instituto Chico Mendes de 2018, elaborado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que se baseia nas terminologias da Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), tais animais podem ser classificados como: extintos na natureza, regionalmente extintos ou apenas extintos:

  • Animal extinto na natureza (EW): é aquele que já não existe mais em seu habitat natural, ou seja, ainda pode ser encontrado em cultivo, cativeiro ou em uma área que não seja de sua distribuição natural.
  • Animal regionalmente extinto (RE): é o mesmo que dizer que é um animal extinto no Brasil, em que não há dúvida alguma que o último indivíduo capaz de se reproduzir tenha morrido ou desaparecido da natureza daquela região ou país.
  • Animal extinto (EX): terminologia utilizada quando não restam dúvidas de que o último indivíduo da espécie tenha morrido.

Agora que você já sabe as diferenças na categorização de animais extintos, iniciaremos nossa lista de animais extintos no Brasil baseada no levantamento realizado pelo ICMBIO, órgão ambiental do governo que faz parte do Ministério do Meio Ambiente, e também na Lista Vermelha da IUCN.

1. Rato-candango

Esta espécie foi descoberta durante a construção de Brasília. Na época, oito exemplares foram encontrados e chamaram a atenção de quem trabalhava no canteiro-de-obras da que seria a nova capital brasileira. Os ratos possuíam uma pelagem castanho-alaranjada, listras pretas e uma cauda bem diferente dos ratos que todos conhecem: além de muito grossa e curta, era revestida de pelos. Os machos adultos tinham 14 centímetros, com a cauda medindo 9,6 centímetros.

Os indivíduos foram encaminhados para análise e, assim, descobriu-se que se tratava de uma nova espécie e de gênero. Para homenagear o então presidente Juscelino Kubitschek, responsável pela construção da capital, o ratinho recebeu o nome científico de Juscelinomys candango, mas popularmente ficou conhecido como rato-do-presidente ou rato-candango - eram chamados de candangos os trabalhadores que ajudaram na construção de Brasília.

A espécie só foi vista nos primeiros meses de 1960 e, muitos anos depois, foi considerado um animal extinto no Brasil e também globalmente pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). Acredita-se que a ocupação do Planalto Central tenha sido a responsável por sua extinção.

Animais extintos no Brasil - 1. Rato-candango
Imagem: Reprodução/João Moojen

2. Tubarão-dente-de-agulha

O tubarão-dente-de-agulha (Carcharhinus isodon) é distribuído desde a costa dos Estados Unidos até o Uruguai, mas é considerado um dos animais extintos no Brasil, já que o último exemplar foi visto há mais de 40 anos e provavelmente também desapareceu de todo o Atlântico Sul. Ele vive em grandes cardumes e é um animal vivíparo.

Nos Estados Unidos, onde ainda pode ser encontrado, a pesca descontrolada gera centenas, quando não milhares de mortes todos os anos. Globalmente é uma espécie classificada como quase ameaçada de extinção pela IUCN.

Animais extintos no Brasil - 2. Tubarão-dente-de-agulha
Imagem: Reprodução/inaturalist.org

3. Perereca-verde-de-fimbria

A perereca-verde-de-fimbria (Phrynomedusa fimbriata) ou também perereca-de-santo-andré, foi encontrada no Alto da Serra de Paranapiacava, em Santo André, São Paulo em 1896 e descrita apenas em 1923. Mas não houve relatos posteriores da espécie e não se sabe os motivos que a levaram a ser um dos animais extintos no Brasil.

4. Rato-de-noronha

O rato-de-noronha (Noronhomys vespuccii) é considerado extinto há muito tempo, desde o século 16, mas só foi categorizado da lista de animais extintos no Brasil recentemente. Foram encontrados fósseis da época do Holoceno indicando que era um rato terrestre, herbívoro e bastante grande, pesava entre 200 e 250g e vivia na ilha de Fernando de Noronha.

De acordo com a Livro Vermelho do Instituto Chico Mendes, o rato-de-noronha pode ter desaparecido após a introdução de outras espécies de ratos na ilha, o que gerou competição e predação, além de uma possível caça para alimentação, já que era um rato de grande porte.

5. Gritador-do-nordeste

O pássaro gritador-do-nordeste ou também trepador-do-nordeste (Cichlocolaptes mazarbarnetti) podia ser encontrado em Pernambuco e em Alagoas, mas seus últimos registros ocorreram em 2005 e em 2007 e por isso é atualmente um dos animais extintos no Brasil segundo o Livro Vermelho do ICMBio.

Possuía cerca de 20 centímetros e vivia solitário ou aos pares e a principal causa de sua extinção foi a perda de seu habitat, já que essa espécie era bastante sensível a alterações ambientais e dependia exlusivamente de bromélias para se alimentar.

6. Maçarico-esquimó

O maçarico-esquimó (Numenius borealis) é uma ave que já foi considerada um animal extinto em todo o mundo mas, na última lista do Instituto Chico Mendes, foi reclassificada para animal extinto regionalmente, já que, por ser uma ave migratória, é possível que esteja presente em algum outro país.

Ele habitava o originalmente o Canadá e o Alasca e migrava para países como Argentina, Uruguai, Chile e Paraguai, além do Brasil. Já foi registrado no Amazonas, São Paulo e Mato Grosso, mas a última vez que foi visto no país foi há mais de 150 anos.

A caça excessiva e a perda de seu habitat são apontadas como causas para sua extinção. Atualmente é considerada uma expécie que corre grande ameaça de extinção global segundo a IUCN. Na foto abaixo, você vê o registro desta ave feito em 1962 no Texas, Estados Unidos.

Animais extintos no Brasil - 6. Maçarico-esquimó
Imagem: Reprodução/web.archive.org

7. Coruja caburé-de-pernambuco

O caburé-de-pernambuco (Glaucidium mooreorum), da família Strigidae, das corujas, era encontrado no litoral de Pernambuco e possivelmente também em Alagoas e Rio Grande do Norte. Dois foram coletados em 1980 e houve um registro sonoro em 1990. Especula-se que a ave tinha hábitos noturnos, diurnos e crepusculares, se alimentava de insetos e pequenos vertebrados e podia viver em pares ou de maneira solitária. Acredita-se que a destruição de seu habitat tenha causado a extinção de mais este animal no Brasil.

Animais extintos no Brasil - 7. Coruja caburé-de-pernambuco
Imagem: Ilustração/Cristiano M. S. Nascimento

8. Arara-azul-pequena

A arara-azul-pequena (Anodorhynchus glaucus) podia ser encontrada no Paraguai, Uruguai, Argentina e Brasil. Sem registros oficiais por aqui, havia apenas relatos de sua existência em nosso país. Acredita-se que sua população nunca tenha sido muito significativa e se tornou uma espécie rara na segunda metade do século 19.

Não há registros de indivíduos vivos desde 1912, quando teria morrido o último exemplar no Zoológico de Londres. De acordo com o ICMBio, o que fez dela outro dos animais extintos no Brasil provavelmente foi a expansão agropecuária e também os impactos provocados pela Guerra do Paraguai, que destruiu o ambiente em que vivia. Epidemias e esgotamento genético também são apontados como possíveis motivos para o seu desaparecimento da natureza.

Animais extintos no Brasil - 8. Arara-azul-pequena
Imagem: Ilustração/Cristiano M. S. Nascimento

9. Limpa-folha-do-nordeste

O limpa-folha-do-nordeste (Philydor novaesi) era uma ave endêmica no Brasil que podia ser encontrada em apenas três localidades de Pernambuco e Alagoas. O pássaro foi visto pela última vez em 2007 e costumava habitar partes altas e médias de mata, alimentava-se de artrópodes e suas populações foram bastante prejudicadas devido à expansão da agricultura e agropecuária. Por isso, é considerado do grupo de animais extintos recentemente no país.

Animais extintos no Brasil - 9. Limpa-folha-do-nordeste
Imagem: Reprodução/Ciro Albano

10. Peito-vermelho-grande

O peito-vermelho-grande (Sturnella defilippii) é um dos animais extintos no Brasil que ainda ocorre em outros países como Argentina e Uruguai. A última vez que foi visto no Rio Grande do Sul foi há mais de 100 anos, de acordo com o ICMBio.

Este pássaro alimenta-se de insetos e sementes e vive em áreas frias. Segundo a IUCN, está ameaçado de extinção em uma situação de vulnerabilidade.

Animais extintos no Brasil - 10. Peito-vermelho-grande
Imagem: Reprodução/Alejandro Olmos

11. Megadytes ducalis

O Megadytes ducalis é uma espécie de escaravelho d'água da família Dytiscidae e é conhecida por um único indivíduo encontrado no século 19 no Brasil, não se sabe ao certo o local. Possui 4,75 cm e seria, então, a maior espécie da família.

Animais extintos no Brasil - 11. Megadytes ducalis
Imagem: Reprodução/derstandard.de

12. Minhocuçu

O minhocuçu (Rhinodrilus fafner) é conhecido apenas por um indivíduo encontrado em 1912 na cidade mineira de Sabará, próxima a Belo Horizonte. No entanto o espécime foi enviado ao museu de Senckenberg em Frankfurt, na Alemanha, onde está até hoje, guardado com diversos fragmentos em mau estado de preservação.

Este minhocuçu é considerado uma das maiores minhocas já encontradas no mundo, provavelmente alcançando 2,1 metros de comprimento e até 24 mm de espessura e é mais um dos animais extintos no Brasil.

Animais extintos no Brasil - 12. Minhocuçu
Imagem: Reprodução/Jörg Rombke

13. Morcego-vampiro-gigante

O morcego-vampiro-gigante (Desmodus draculae) viveu em áreas quentes da América Central e do Sul. No Brasil, um crânio desta espécie foi encontrado em uma caverna do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), em São Paulo, em 1991.[1]

Não se sabe o que teria levado à sua extinção, mas especula-se que suas características fossem semelhantes aos da única espécie viva do gênero, o morcego-vampiro (Desmodus rotundus), que é hematófogo, alimentando-se portanto de sangue de mamíferos vivos, e possui envergadura de asas que pode alcançar 40 centímetros. Pelos registros já encontrados, este animal extinto era 30% maior que seu parente próximo.

Animais extintos no Brasil - 13. Morcego-vampiro-gigante
Imagem: Ilustração/prehistoria.fandom.com

14. Tubarão-lagarto

Considerado um animal extinto no Brasil, tubarão-lagarto (Schroederichthys bivius) ainda pode ser encontrado na costa de outros países da América do Sul. Trata-se de um pequeno tubarão costeiro que era encontrado no litoral sul do Rio Grande do Sul. Usualmente prefere viver em águas de até 130 metros de profundidade e é um animal que apresenta dimorfismo sexual em diferentes aspectos, sendo que os machos podem alcançar até 80cm de comprimento enquanto as fêmeas, por sua vez, chegam até a 70cm.

A última vez que este animal ovíparo foi visto no Brasil foi em 1988. A principal causa de sua extinção é a pesca de arrasto, já que nunca houve interesse comercial por este animal.

Animais extintos no Brasil - 14. Tubarão-lagarto
Imagem: Reprodução/Wikimedia commons

Animais ameaçados de extinção no Brasil

Falar sobre a extinção de animais é importante até mesmo para que sejam criadas políticas públicas para proteger as espécies. E este, como não devia deixar de ser, é um assunto recorrente aqui no PeritoAnimal.

O Brasil, com sua riquíssima biodiversidade, é apontado como o lar de algo entre 10 e 15% dos animais de todo o planeta e infelizmente centenas deles estão ameaçados de extinção principalmente devido à ação do homem. A seguir destacamos alguns dos animais ameaçados de extinção no Brasil:

  • Boto-cor-de-rosa (Inia geoffrensis)
  • Lobo-guará (Chrysocyon brachyurus)
  • Ariranha (Pteronura brasiliensis)
  • Cuxiú-preto (Chiropotes satanas)
  • Pica-pau-amarelo (Celeus flavus subflavus)
  • Tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea)
  • Mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia)
  • Onça-pintada (Panthera onca)
  • Cachorro-vinagre (Speothos venaticus)
  • Ariranha (Pteronura brasiliensis)
  • Bicudo-verdadeiro (Sporophila maximiliani)
  • Anta (Tapirus terrestris)
  • Tatu-canastra (Priodontes maximus)
  • Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla Linnaeus)

Cada um pode fazer sua parte na preservação do meio ambiente, seja economizando nos gastos de energia e água em casa, não jogando lixo nos rios, mares e florestas ou até mesmo fazendo parte de associações e organizanizações não governamentais de proteção de animais e ou do meio ambiente.

E agora que você já conhece alguns dos animais extintos no Brasil, não perca nossos outros artigos em que também falamos sobre animais extintos no mundo:

Se deseja ler mais artigos parecidos a Animais extintos no Brasil, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Animais em perigo de extinção.

Referências
  • UNICAMP. Morcego Chupacabra Peruano? Não, o vampiro gigante é nosso! Disponível em: <https://www.blogs.unicamp.br/caapora/2012/03/20/morcego-chupacabra-peruano-nao-o-vampiro-gigante-e-nosso/>. Acesso em 18 de junho de 2021.
Bibliografia
  • Agência Brasil. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2020-11/IBGE-Brasil-tinha-3299-especies-em-risco-de-extincao-em-2014>. Acesso em 18 de junho de 2021.
  • UFRGS. Schroederichthys bivius (tubarão-lagarto-de-boca-estreita). Disponível em: <https://www.ufrgs.br/faunadigitalrs/schroederichthys-bivius-tubarao-lagarto/>. Acesso em 18 de junho de 2021.
  • EMBRAPA. Avaliação do risco de extinção do minhocuçu. Disponível em: <https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/74469/1/2012-GeorgeB-BB-RhinodrilusFafner.pdf>. Acesso em 18 de junho de 2021.
  • Ciência hoje. O rato do presidente. Disponível em: <http://chc.org.br/coluna/o-rato-do-presidente/>. Acesso em 18 de junho de 2021.
  • Roach, N. 2019. Juscelinomys candango (amended version of 2019 assessment). The IUCN Red List of Threatened Species 2019: e.T10946A160756258. Disponível em: <https://www.iucnredlist.org/species/10946/160756258>. Acesso em 18 de junho de 2021.
  • UNICAMP. Brasil ameaçado - tubarão dente liso. Disponível em: <https://www.blogs.unicamp.br/bessa/2015/04/22/brasil-ameacado-tubarao-dente-liso-carcharhinus-isodon/>. Acesso em 18 de junho de 2021.
  • Internet Archive. Eskimo Curlews. Disponível em: <https://web.archive.org/web/20060417183932/http://texasbirds.org/tbrc/eskimo.html>. Acesso em 18 de junho de 2021.
  • HENDRICH, Lars. MANUEL, Michael. BALKE, Michael. The return of the Duke—locality data for Megadytes ducalis Sharp, 1882, the world's largest diving beetle, with notes on related speciesDisponível em: <https://www.biotaxa.org/Zootaxa/article/view/zootaxa.4586.3.8>. ACesso em 18 de junho de 2021.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Animais extintos no Brasil
Imagem: Reprodução/João Moojen
Imagem: Reprodução/inaturalist.org
Imagem: Reprodução/web.archive.org
Imagem: Ilustração/Cristiano M. S. Nascimento
Imagem: Ilustração/Cristiano M. S. Nascimento
Imagem: Reprodução/Ciro Albano
Imagem: Reprodução/Alejandro Olmos
Imagem: Reprodução/derstandard.de
Imagem: Reprodução/Jörg Rombke
Imagem: Ilustração/prehistoria.fandom.com
Imagem: Reprodução/Wikimedia commons
1 de 12
Animais extintos no Brasil

Voltar ao topo da página