menu
Partilhar

Tipos de camelos - Características e habitats

 
Por Nick A. Romero H., Biólogo e educador ambiental. 1 março 2022
Tipos de camelos - Características e habitats

Todos os camelídeos estão atualmente agrupados na família Camelidae, que inclui várias espécies. Embora estes animais não habitem mais de forma natural a América do Norte, foi no centro desta região que seus ancestrais começaram. Mais tarde, eles se mudaram para outras áreas para dar origem às espécies atuais. Os camelídeos estiveram entre os primeiros artiodáctilos modernos a surgir e, além de terem sofrido uma diversificação significativa, desenvolveram suas próprias características que os distinguem de seus parentes.

Neste artigo do PeritoAnimal, apresentamos os tipos de camelos, suas características e habitas, com exemplos concretos. Não perca!

Também lhe pode interessar: Botos - Características, tipos e habitats

Quem são os camelídeos e como eles se classificam?

Os camelídeos são mamíferos pertencentes à ordem dos Artiodáctilos, ou seja, ungulados com extremidades de dedos pares, que desenvolveram características particulares, tanto anatômicas quanto fisiológicas, que os diferenciam dos suínos, cervos e bovinos, entre outros.

Classificação dos camelídeos

Embora sua taxonomia seja algo controversa, os camelídeos, de acordo com o Sistema Integrado de Informação Taxonômica [1], são classificados da seguinte maneira:

  • Reino: Animalia
  • Filo: Chordata
  • Classe: Mammalia
  • Ordem: Artiodactyla
  • Família: Camelidae
  • Géneros: Camelus, Lama, Vigcuna

Já falando dos tipos de camelos, dentro do gênero Camelus, encontramos as seguintes espécies e subespécies:

  • Espécies: Camelus bactrianus, Camelus dromedarius
  • Subespécies: C. b. bactrianus, C. b. ferus

Estas espécies e subespécies pertencem ao gênero Lama:

  • Espécies: Lama glama
  • Subespécies: L. g. cacsilensis, L. g. glama, L. g. guanicoe

Por fim, dentro do gênero Vigcuna, se distinguem estas espécies:

  • Espécies: Vicugna pacos, Vicugna vicugna.

Por outro lado, a União Internacional para a Conservação da Natureza distingue entre camelos selvagens e domesticados, o primeiro reconhecido como Camelus ferus e o segundo como Camelus bactrianus. Em relação ao gênero Lama, a forma selvagem é reconhecida como Lama guanicoe, enquanto a forma domesticada é reconhecida como Lama glama. Também inclui duas subespécies, L. g. cacsilensis e L. g. guanicoe. No caso de Vicugna, considera duas subespécies, V. v. vicugna e V. v. mensalis.

Características dos camelídeos

Como já mencionamos, os camelídeos ou informalmente, os tipos de camelos, têm uma série de características distintas que os diferenciam de outros artiodáctilos, vamos descobrir quais são:

  • Em geral, são animais de grande porte. As espécies do novo mundo variam entre cerca de 35 e 100 kg, enquanto as espécies do velho mundo têm pesos maiores, variando de 450 a cerca de 650 kg.
  • Embora, dependendo da espécie, eles possam variar entre magros e volumosos, todos eles têm cabeças pequenas em relação ao corpo, pescoços longos e patas longas.
  • O lábio superior é nitidamente fendido ou dividido, permitindo a mobilidade independente de cada lado.
  • Outra característica única e distinta dos camelídeos é que eles possuem glóbulos vermelhos menores do que outros mamíferos, com uma forma elíptica peculiar.
  • Em relação à dentição, eles têm verdadeiros caninos, bem como pré-molares separados dos molares por espaços conhecidos como diastema.
  • Não têm chifres.
  • A disposição anatômica dos quadris e membros é particular, permitindo que flexionem os quadris sob o tronco quando deitados.
  • Embora tenham certas semelhanças fisiológicas com os ruminantes, como a fermentação no intestino anterior, eles diferem dos ruminantes por terem o estômago dividido em três câmaras. As regiões glandulares estão presentes em cada um desses compartimentos, mas carecem de papilas.
  • Os camelídeos não têm cascos, ao invés disso, eles têm unhas em cada uma das falanges. Eles também têm almofadas plantares.
  • Eles se movem de uma maneira única, pois o padrão de movimento consiste no movimento simultâneo dos membros do mesmo lado.
  • As fêmeas deste grupo não têm um ciclo de ovulação, mas este processo é induzido por um estímulo externo, pouco antes ou durante o acasalamento.
Tipos de camelos - Características e habitats - Características dos camelídeos

Tipos de camelos (camelídeos)

Podemos mencionar que, em geral, existem dois tipos de camelídeos:

  • Camelídeos nativos da Ásia e da África.
  • Camelídeos da América do Sul.

Embora com várias distinções, as principais características que os diferenciam são que os camelídeos do velho mundo têm um ou dois lombos, dependendo da espécie, e são muito maiores e mais pesados que os camelídeos do novo mundo.

Entretanto, do ponto de vista taxonômico e de acordo com os gêneros reconhecidos, existem três tipos de camelídeos, um gênero do velho mundo e dois gêneros do novo mundo. São eles:

  • Camelus: Neste grupo encontramos camelos, que podem ter um ou dois lombos. Os primeiros são conhecidos como camelos árabes ou dromedários, enquanto os últimos são conhecidos como camelos bactrianos ou asiáticos. Ambos são animais domesticados, associados a muitos grupos humanos. A única forma selvagem é identificada como Camelus ferus e é freqüentemente chamada de camelo bactriano selvagem ou apenas um camelo selvagem. Descubra as principais diferenças entre camelos e dromedários neste outro artigo.
  • Lama: no caso deste gênero, também existe uma forma selvagem e domesticada. O primeiro é comumente chamado de "guanaco" (Lama guanicoe), enquanto o segundo é chamado de "Lhama" (Lama glama).
  • Vicugna: a vicunha (Vicugna Vicugna) corresponde à espécie selvagem e a alpaca (Vicugna pacos) à forma domesticada.
Tipos de camelos - Características e habitats - Tipos de camelos (camelídeos)

Onde vivem os camelídeos?

Em relação a seu habitat, podemos dividir os camelídeos atuais em dois grupos, aqueles nativos de áreas áridas da África e da Ásia, como os camelos, e aqueles que vivem na América do Sul, que são os outros dois gêneros. Entretanto, como muitos outros animais, estes mamíferos foram introduzidos em várias regiões onde não pertencem. Originalmente, as espécies nativas do velho mundo são adaptadas para viver em habitats com condições severas de seca. Neste sentido, o camelo dromedário é nativo da Península Arábica, estendendo-se do norte da Índia até as zonas áridas da África, com uma presença particular no Saara. O camelo bactriano é encontrado tanto na Ásia central quanto na Ásia ocidental, especialmente na China. No entanto, sua distribuição tem sido muito limitada nos últimos anos. O camelo selvagem está restrito a apenas quatro subpopulações entre a China e a Mongólia.

As espécies do gênero Lama são amplamente distribuídas, mas de forma desigual, do norte do Peru ao sul do Chile. Ocupam o nordeste do Oceano Pacífico e o sudeste do Atlântico, oscilando entre o nível do mar e 5.000 metros na Cordilheira dos Andes. Seu habitat é caracterizado por desertos, matagais xerófitos, pastagens de montanha, savanas ou florestas temperadas.

O gênero Vicugna é encontrado no Peru, Bolívia, Chile, Argentina e Equador. Estão presentes em climas frios e secos, principalmente com vegetação xerófita e solos descobertos. Também podem habitar zonas úmidas e rasas, estepes e pastagens.

Tipos de camelos - Características e habitats - Onde vivem os camelídeos?

Alimentação dos camelídeos

Os camelídeos são herbívoros. Mais especificamente, os camelos incluem em sua dieta principalmente plantas com espinhos, ervas secas e arbustos verdes. No entanto, os camelos bactrianos também incluem o consumo de carne em casos de severa escassez de plantas.

Vicunhas e alpacas são generalistas e, embora possam incluir arbustos em sua dieta, eles preferem gramíneas e ervas. Guanacos e lhamas também têm uma dieta generalista, consumindo grandes quantidades de gramíneas e arbustos.

Descubra outros animais herbívoros neste outro artigo.

Estado de conservação dos camelídeos

O estado de conservação dos animais é geralmente atribuído às formas selvagens, neste sentido, de acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), é determinada a seguinte classificação:

  • Camelus ferus: gravemente ameaçado.
  • Lama guanicoe: de menor preocupação.
  • Vicugna Vicugna: de menor preocupação.

Agora que você conhece os diferentes tipos de camelos, na verdade chamados de camelídeos, não perca o vídeo a seguir em que mostramos as diferenças entre a lhama, a alpaca, guanacos e vicunhas:

Se deseja ler mais artigos parecidos a Tipos de camelos - Características e habitats, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Curiosidades do mundo animal.

Referências
  1. ITIS (2022). Camelidae. Disponível em: <https://www.itis.gov/servlet/SingleRpt/SingleRpt?search_topic=TSN&search_value=624918#null>. Acesso em 24 de fevereiro de 2022.
Bibliografia
  • Acebes, P., Wheeler, J., Baldo, J., Tuppia, P., Lichtenstein, G., Hoces, D. & Franklin, W.L. (2018). Vicugna vicugna (errata version published in 2019). The IUCN Red List of Threatened Species. Disponível em: <https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2018-2.RLTS.T22956A145360542.en>. Acesso em 24 de fevereiro de 2022.
  • Baldi, R.B., Acebes, P., Cuéllar, E., Funes, M., Hoces, D., Puig, S. & Franklin, W.L. (2016). Lama guanicoe. The IUCN Red List of Threatened Species. Disponível em: <https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2016-1.RLTS.T11186A18540211.en>. Acesso em 24 de fevereiro de 2022.
  • Cutshall, E. (2017). "Camelus bactrianus". Animal Diversity Web. Disponível em: <https://animaldiversity.org/accounts/Camelus_bactrianus/>. Acesso em 24 de fevereiro de 2022.
  • Dalen, A. (2018). Chapter 7 – Camelidae. Editor(s): Karen A. Terio, Denise McAloose, Judy St. Leger. Disponível em: <https://doi.org/10.1016/B978-0-12-805306-5.00007-9>. Acesso em 24 de fevereiro de 2022.
  • Hare, J. (2008). Camelus ferus. The IUCN Red List of Threatened Species. Disponível em: <https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2008.RLTS.T63543A12689285.en>. Acesso em 24 de fevereiro de 2022.
  • Myers, P. (2000. "Camelidae". Animal Diversity Web. Disponível em: <https://animaldiversity.org/accounts/Camelidae/>. Acesso em 24 de fevereiro de 2022.
  • Naumann, R. (1999). "Camelus dromedarius". Animal Diversity Web. Disponível em: <https://animaldiversity.org/accounts/Camelus_dromedarius/>. Acesso em 24 de fevereiro de 2022.

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Tipos de camelos - Características e habitats
1 de 4
Tipos de camelos - Características e habitats

Voltar ao topo da página