Partilhar

Superar a morte de um animal de estimação

Por Vanessa Lopes, Redatora do PeritoAnimal. Atualizado: 18 abril 2019
Superar a morte de um animal de estimação

Ter um cachorro, gato ou outro animal e proporcionar-lhe uma vida saudável é um ato que revela o amor, a amizade e a relação com os animais. É algo que todas as pessoas que têm ou tiveram um animal como membro da família sabem bem.

A dor, a tristeza e o luto são partes deste processo que nos lembram a fragilidade dos seres vivos, ainda assim, sabemos que acompanhar um cachorro, um gato ou inclusive uma cobaia nos seus últimos anos é um processo difícil e generoso no qual queremos devolver ao animal todas as alergias que nos ofereceu. Neste artigo do PeritoAnimal vamos tentá-lo ajudar para saber como superar a morte de um animal de estimação.

Também lhe pode interessar: Porque gatos trazem animais mortos?

Entender cada processo como único

O processo de superar a morte do seu pet pode variar muito dependendo das circunstâncias individuais de cada pet e família. Não é a mesma coisa uma morte natural que uma morte induzida, nem as famílias que acolhem o animal são as mesmos, nem o animal em si.

A morte de um animal de estimação pode ser superada, mas vai ser muito diferente em cada caso em concreto. Também não é igual a morte de um animal jovem e a morte de um animal idoso, a morte de um gato jovem podem der porque não conseguimos acompanhá-lo durante o tempo que deveria ter sido natural, mas a morte de um cachorro idoso envolve a dor de ter perdido um companheiro de viagem que durante muitos anos esteve consigo.

Ter estado presente no momento da morte do seu pet também pode mudar a evolução do seu luto. Independentemente disso, de seguida vamos lhe dar alguns conselhos que lhe ajudarão a superar este momento.

Saiba também como ajudar um cachorro a superar a morte de outro cachorro nesse artigo do PeritoAnimal.

Superar a morte de um animal de estimação - Entender cada processo como único

Como superar a morte do seu pet

Perante a morte de um animal de estimação é comum ter-se a sensação de que apenas se deve chorar por um ser humano, mas isto não é verdade. A relação com um animal pode ser muito profunda e da mesma forma deve ser feito um luto:

  • A melhor forma de fazer um luto é se permitir expressar tudo aquilo que sente, chore se quiser ou não expresse nada se não lhe apetecer. Mostrar como se sente é muito importante para gerir de forma saudável as suas emoções.
  • Expresse às pessoas de confiança como era a relação com o seu pet, o que lhe fez aprender, em que momentos estava consigo, como você gostava dele... O objetivo disto é poder expressar as suas emoções.
  • Quando for possível, deve entender que já não é preciso ter em sua casa os utensílios do seu cachorro ou gato. Deve ser capaz de os doar a outros cachorros ou animais que precisem como o caso de cães de refúgios. Mesmo que você não o queira fazer, é importante que o faça, deve entender e assimilar a nova situação e esta é uma boa forma de o fazer.
  • Pode ver quantas vezes quiser as fotografias que tem com o seu pet, por um lado isto ajuda a expressar o que sente e por outro a assimilar a situação, a fazer o luto e a entender que o seu animal partiu.
  • As crianças são especialmente sensíveis à morte de um pet, por isso deve tentar que eles também se expressem com liberdade, que possam sentir-se com direito a sentir tudo aquilo que sentem. Se com o tempo a atitude da criança não se tiver recuperado, talvez possa precisar de uma terapia de psicologia infantil.
  • Foi definido que o tempo de luto pelo falecimento de um animal não deve ser superior a um mês, caso contrário seria um luto patológico. Mas não tenha em conta este tempo, cada situação é diferente e pode ser que você demore mais tempo.
  • Se perante a morte do seu pet está sofrendo de ansiedade, insônia, apatia... Talvez você também precise de uma atenção especializada que o ajude.
  • Tente ser positivo e se lembrar dos momentos mais felizes a seu lado, fique com as melhores recordações que conseguir e tente sorrir sempre que pensar nele.
  • Pode tentar acabar com a dor do seu pet falecido oferecendo uma casa a um animal que ainda não tenha, o seu coração ficará repleto de amor e carinho mais uma vez.

Leia também o nosso artigo sobre o que fazer se o seu pet morreu.

Superar a morte de um animal de estimação - Como superar a morte do seu pet

Se deseja ler mais artigos parecidos a Superar a morte de um animal de estimação, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Curiosidades do mundo animal.

Escrever comentário sobre Superar a morte de um animal de estimação

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
9 comentários
A sua avaliação:
Sandra
O meu amorzinho se foi dia 03/02/19 era tão novo tinha só 4 anos um dia ele não estava bem levei ele ao veterinário fez exames de sangue não deu nada ai começou a piorar ficou internado pra fazer ultrassom não deu tempo ele não resistiu do nada ele ficou muito ruim eu falei pra veterinária fazer tudo pra salvar ele mais acho que ela não fez demorou muito pra fazer o ultrassom eu não consigo superar a sua partida sinto muito sua falta ele era muito apegado comigo eu ainda choro muito ele faz muita falta que saudades.
Betthy
ele se transformou numa estrelinha, não se foi, viveu bem. Infelizmente há péssimos profissionais, que eles sim devem chorar dia noite pelo erro. você fez o que pode ,isso é que importa! abs
A sua avaliação:
Walber
To sofrendo muito meu gato morreu com 2 aninhos no dia 25/07 ele era meu amigo que fazia companhia comigo em casa eu confiei na veterinária a doença ela fez procedimento totalmente errado eu to com tanto remorso por não ter observado ele por mais tempo a doença renal acabou com ele a ultima imagem da cabeça foi ele miando pra mim quando o veterinário colocando numa casinha e meu pensamento dizendo pra mim '' não coloca ele ai não por favor'' eu penso nisso até hj ''porque eu não falei pq deixei aquilo acontecer'' eu olho para as fotos dele e choro e penso nele o pior é que eu acreditei nas informações da veterinária isso criou o ódio tão grande em mim ,eu chego em casa fico triste a minha noiva pede para eu seguir em frente mas é tão dificil. ele sempre será meu príncipe queria tanto voltar dormir perto da sua barriguinha e até me emociono .
A sua avaliação:
Vitor soriano
Meu gato sumiu to com medo dele ter morrido
Eloisa
Minha companheirinha de 18 anos morreu no dia 20/05/19. Sofria de insuficiência renal devido a idade. Já estávamos preparados para a sua partida porém no dia 16/05 a levamos para o vet pois não queria se alimentar mais e ele quis interná-la. Isso foi na quinta-feira. Era para ficar internada até o sábado de manhã mas ele nos ligou informando que na segunda-feira iria fazer mais exames e ela deveria permanecer na clínica. A última visita que fiz foi na sexta-feira e ela me olhou com aquela carinha de "me leva pra casa". E esta é a última imagem que guardei dela viva. A clínica não permitia visitação no fim de semana mesmo insistindo. Na segunda-feira cedo o vet me ligou informando que ela havia falecido. Minha dor é não poder ter estado com ela quando mais precisou do carinho e apoio da família. Estou devastada!
Renan Morelli
lamento muito a sua perda, mas se isso te consola saiba que ela sentiu o seu carinho mesmo estando longe, e eu perdi a minha cachorrinha a um mês e posso garantir ter estado do lado foi horrível ver ela agonizandoe não poder fazer nada...
walber
o meu morreu com o mesmo problema ele só tinha 2 anos
LUCINEIDE
Perdi meu cachorro no domingo dia 14/04/19, viveu apenas 02 anos de vida, morreu por que um osso feriu o intestino dele o internamos para fazer a cirurgia mais ele não resistiu, tem sido sofrido pra nos ter que acostumar com a ideia da morte, a lição que fica é de nunca mais oferecer osso aos nossos pets, mesmo ele sendo próprio pra cão. Uma atitude inocente nossa tirou a vidinha dele, mais ele morreu tentando e em nenhum momento demostrou pra nos sofrimento ele foi um guerreiro e nós nunca nos esqueceremos dele.
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Lucineia! A equipe do PeritoAnimal lamenta a perda e deseja muita força!
A sua avaliação:
shake
ele morreu atropelado
A sua avaliação:
JIVALDO DE SOUZA SANTOS
Será que meu cachorrinho sabia que nós o amamos muito?
susana goncalves
o meu bambi faleceu ha 2 meses uma parte de mim foi com ele
Elisabete Santos
Entendo tão bem...
Sarah
Nem uma publicação irá me ajudar meu gato era chamado de tedy ajente da minha casa tínhamos 8 gatos até tedy morrer,ele morreu quando fomos para praia ele era filhote e tem um boraco grande na parede que todos os gatos podem fugir mas tem uma porainha pequena mas eles abriram essa portinha os gatos fugiram e o tedy filhote morreu por mordida de cachorro as vizinhas tenotaram salvar mas elas tinham cachorros também com serteza terminaram de matar meu gato ele já estava quebrado e morreu esquartejado, mais eu ainda amo ele muito muito

Superar a morte de um animal de estimação
1 de 3
Superar a morte de um animal de estimação

Voltar ao topo da página