menu
Partilhar

Lobo-cinzento

Atualizado: 2 março 2022
Lobo-cinzento

O lobo-cinzento (Canis lupus), também chamado de lobo comum, é uma das espécies mais conhecidas de canídeos. Entretanto, os lobos cinzentos podem eventualmente ser confundidos tanto com outras espécies de lobos quanto com algumas raças de cães semelhantes a lobos. Tradicionalmente, a sabedoria popular e a cultura afirmam frequentemente que os cães são descendentes de lobos. Embora algumas pesquisas genéticas tenham mostrado que os cachorros são geneticamente relacionados a lobos-cinzentos, ainda não é possível dizer com precisão se os cachorros derivam de fato diretamente desta espécie.

Se você quer saber mais curiosidades sobre o lobo-cinzento, convidamos você a continuar lendo esta ficha do PeritoAnimal para saber mais sobre a origem, comportamento e reprodução dos lobos-cinzentos.

Origem
  • Ásia
  • Europa

Origem do lobo-cinzento

Atualmente, uma espécie chamada Miacis cognitus, pertencente ao mais antigo grupo conhecido de carnívoros primitivos (Miacis), é reconhecida como o ancestral comum de todos os mamíferos carnívoros modernos, incluindo os canídeos. Acredita-se que esses primeiros ancestrais dos carníferos tenham vivido durante o período do Cretáceo Final, que se estendeu de 100 milhões a 66 milhões de anos atrás.

Posteriormente, os membros da Miacis começaram a diferenciar morfologicamente, dando origem a diferentes grupos de mamíferos carnívoros, incluindo os primeiros canídeos a habitar nosso planeta (os hesperoquioninos), que apareceram pela primeira vez há cerca de 38 milhões de anos. Depois de sofrer muitas mudanças evolutivas, os hesperoquioninos dariam origem ao Eucyon davis, uma espécie de canídeo primitivo que viveu há cerca de 10 milhões de anos e foi provavelmente o primeiro a atravessar o Estreito de Bering e alcançar o continente africano e a Eurásia, onde os primeiros canídeos modernos apareceriam anos mais tarde.

Entretanto, o mais antigo fóssil conhecido especificamente associado ao lobo-cinzento data de cerca de 800.000 anos. Originalmente, a população mundial de lobos-cinzentos era muito abundante e se espalhou pela Eurásia, América do Norte e até mesmo pelo Oriente Médio. Infelizmente, a caça e as mudanças em seu território associadas ao desenvolvimento produtivo e econômico humano fizeram com que o habitat do lobo-cinzento encolhesse significativamente, bem como sua população.

Aparência e anatomia do lobo-cinzento

Como a maioria das espécies de lobos, os lobos cinzentos têm uma grande diversidade morfológica. O tamanho, peso e dimensões do corpo dos diferentes lobos podem variar significativamente, dependendo principalmente das condições de seu habitat. Geralmente, quanto mais frio e mais extremo o clima de seu território, maior e mais robusto será o lobo. Independentemente de suas medidas exatas, todos os lobos mantêm linhas harmoniosas e proporções corporais equilibradas, que lhes permitem realizar movimentos rápidos e precisos que são indispensáveis em sua técnica de caça.

De modo geral, o corpo de um lobo-cinzento tem entre 1,3 e 2 metros de comprimento, medido desde o nariz até a ponta do rabo, que geralmente vai até ¼ do comprimento total. A altura ao garrote varia de 60 centímetros nos indivíduos menores até cerca de 90 centímetros nos maiores. O peso corporal médio da espécie também é muito variável, variando de 35 a 40 quilos nas fêmeas até cerca de 70 quilos nos machos adultos.

Sua anatomia está perfeitamente adaptada às longas distâncias que sempre precisaram percorrer em seu habitat em busca de alimento. Suas costas fortes, peito estreito e pernas musculosas bem desenvolvidas são algumas das características físicas excepcionais dos lobos cinzentos que facilitam sua mobilidade e lhes dão grande resistência para enfrentar seus longos dias de caça.

Suas patas também são muito importantes para sua adaptabilidade, pois estão preparadas para andar em diferentes superfícies. Entre os dedos das patas, os lobos cinzentos têm uma pequena membrana interdactilar que facilita sua locomoção através da neve que abunda em seu território durante o inverno. Eles também são animais digitigrados, ou seja, andam sobre os dedos dos pés sem descansar sobre os calcanhares, têm patas posteriores mais longas e mostram um quinto dedo do pé vestigial somente nas patas dianteiras.

A cabeça e o focinho do lobo-cinzento são menores do que em outros tipos de lobos, e seu peito também é geralmente um pouco mais estreito. Também tem dentes muito afiados em seus maxilares poderosos, tornando sua mordida muito forte. As cores de sua pelagem também podem variar, mas como seu nome mais popular indica, tons acinzentados tendem a prevalecer em sua pelagem, com destaque ou tufos em cores amareladas, alaranjadas ou avermelhadas. Por sua vez, seus olhos geralmente são amarelos.

Comportamento do lobo-cinzento

Os lobos cinzentos geralmente vivem em alcateias de 5-20 indivíduos que seguirão uma estrutura hierárquica bem desenvolvida. Geralmente, uma alcateia de lobos é composta por um casal reprodutor, composto pelo alfa e sua companheira (comumente conhecida como a fêmea beta), e seus descendentes. Ocasionalmente, é possível observar os lobos viajando sozinhos, mas não se sabe por que eles se separam de suas alcateias.

Esta capacidade de organização social e o instinto de proteção e cooperação entre os membros da alcateia são fundamentais para a sobrevivência dos lobos-cinzentos, pois lhes permite melhorar sua eficiência na caça em grupo, garantindo uma melhor nutrição para todos os membros do grupo, além de alcançar maior sucesso reprodutivo, considerando que machos e fêmeas não precisam se expor a condições climáticas adversas para se adaptarem, e que os filhotes são menos vulneráveis ao ataque de predadores, pois são protegidos por sua alcateia.

Em termos de nutrição, os lobos são mamíferos carnívoros cuja dieta é baseada no consumo da presa que eles conseguem caçar em seu habitat. Portanto, a dieta do lobo-cinzento pode variar de acordo com a biodiversidade de seu ambiente, ou seja, de acordo com os animais que vivem no entorno de seu território. Geralmente, as presas "favoritas" dos lobos-cinzentos são animais de médio porte, como porcos, cabras, renas, bisontes, veados, ovelhas, antílopes, alces, entre outros. Mas eles também podem pegar pequenas presas, como pássaros e roedores, principalmente se detectarem escassez de alimentos em seu ambiente.

Os indivíduos que vivem em áreas marinhas também podem incorporar mamíferos aquáticos em sua dieta, principalmente focas. Além disso, os lobos que vivem entre o Alasca e o Canadá podem consumir salmão para complementar sua alimentação. Eventualmente, os lobos que vivem perto de centros urbanizados podem tirar proveito do desperdício de alimentos humanos em tempos de baixa disponibilidade de alimentos.

Também é importante mencionar a extraordinária capacidade de vocalização dos lobos cinzentos, que desempenha um papel fundamental na comunicação entre os membros da alcateria e em sua organização social. O uivo é seu principal som e ajuda a alcateia a se comunicar mesmo quando alguns membros estão fora caçando ou durante as épocas de acasalamento, quando os pares de reprodutores podem ser separados por vários dias de seu grupo para acasalar. Além disso, o uivo também ajuda a afugentar potenciais predadores ou lobos de outras matilhas que possam eventualmente querer se aproximar para disputar território.

Reprodução do lobo-cinzento

O comportamento reprodutivo dos lobos pode variar de acordo com a espécie e as condições do habitat. Os lobos-cinzentos são conhecidos por serem um dos animais que mais gostam de acasalar, sempre acasalando com o mesmo indivíduo até que um deles morra. Geralmente, somente o casal reprodutor acasalará para produzir filhotes, mas se a alcateria vive em um território com comida abundante e condições climáticas favoráveis, é possível que os irmãos também se reproduzam. Por outro lado, se perceberem escassez de alimentos e condições desfavoráveis em seu ambiente, mesmo o casal reprodutor pode decidir não se reproduzir para evitar a escassez de alimentos para o grupo.

A época reprodutiva dos lobos ocorre entre janeiro e abril, durante o inverno e o início da primavera no hemisfério norte. Os machos começam a se afeiçoar mais às fêmeas, a cuidar delas e a passar mais tempo com elas, algumas semanas antes de entrarem em seu período fértil. A cada temporada, as fêmeas ficam receptivas por 5 a 14 dias, durante os quais acasalarão várias vezes com seu parceiro. Além disso, os machos muitas vezes ejaculam várias vezes por acasalamento, o que aumenta o sucesso reprodutivo de sua espécie.

O período de gestação das lobas-cinzentas geralmente dura cerca de 60 dias, no final dos quais elas geralmente dão à luz uma ninhada de 4 a 6 filhotes, embora possam dar à luz mais de 10 filhotes. Com a ajuda do macho, a fêmea encontrará uma caverna ou abrigo onde ela poderá dar à luz e cuidar com segurança. As crias serão amamentadas pela mãe e permanecerão na toca com ela durante os três primeiros meses de vida. O macho alfa será o principal responsável pela proteção da toca de sua alcateia, saindo apenas quando for necessário caçar para comer.

Após completar três meses de vida, os filhotes começarão a ganhar maior autonomia e a explorar seu ambiente, experimentando novos alimentos fornecidos por seus pais. Mas somente após 6 meses de vida eles poderão se defender sozinhos. Quando completam seu desenvolvimento e se tornam sexualmente maduros, geralmente após seu segundo ano de vida, os jovens lobos geralmente se separam de sua alcateia original (a de seus pais e irmãos) para emparelhar e formar sua própria alcateia.

Estado de conservação do lobo-cinzento

O lobo-cinzento é atualmente classificado como uma espécie de "menor preocupação" quando falamos de ameaça de extinção de acordo com a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza). No entanto, sua população diminuiu drasticamente nos últimos dois séculos, especialmente na América do Norte e Eurásia.

A caça continua sendo a maior ameaça para a conservação desta espécie, pois os lobos são muitas vezes erroneamente considerados como animais perigosos ou capazes de atacar as pessoas sem motivo algum. Portanto, são necessários mais investimentos em campanhas de conscientização sobre o comportamento e a importância dos lobos em seus ecossistemas, bem como uma melhor delimitação das áreas produtivas e dos centros urbanos para evitar mais invasões não planejadas ou descontroladas no habitat dos lobos cinzentos.

Bibliografia
  • Wesley, G.D.; Flynn, J.J. (2005). "Phylogeny of the Carnivora: Basial relationships among the carnivoramorphans, and assessment of the position of Miacoidea relative to crown-clade Carnivora". Journal of Systematic Paleeontology. 3 (1): 1-28.
  • Heinrich, Ronald E. (1997). "Referral of Miacis jepseni Guthrie to Oodectes Wortman, and an assessment of phylogenetic relationships among early Eocene Miacidae (Mammalia: Carnivora)". Journal of Paleeontology.
  • Tedford RH, Wang X, Taylor BE (2009). "Phylogenetic Systematics of the North American Fossil Caninae (Carnivora: Canidae)". Bulletin of the American Museum of Natural History 325: 1-218
  • Abundant Wildlife Society of North America. Wolves and Hunting.
  • IUCN Red List - Canis Lupus (2015), disponible en iucnredlist.org.
  • MECH, L. David (2013). Posición alfa, dominancia y división del trabajo en las manadas de lobos - Disponible en: https://wolf.org/wp-content/uploads/2013/09/267alphastatus_spanish.pdf
  • L. David Mech & Luigi Boitani (2001). Wolves: Behaviour, Ecology and Conservation, p 448.
  • Riley Woodford (2009). Alaska's Salmon-Eating Wolves. ADF&G Division of Wildlife Conservation.
  • W Jedrzejewski, K Schmidt, J Theuerkauf, BJ edrzejewska and R Kowalczyk. Territory size of wolves Canis lupus: linking local (Białowieża Primeval Forest, Poland) and Holarctic-scale patterns

Fotos de Lobo-cinzento

Artigos relacionados

Suba a sua foto de Lobo-cinzento

Suba a foto do seu Pet

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
Como avalia esta raça?
Lobo-cinzento
1 de 5
Lobo-cinzento

Voltar ao topo da página